15614
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 5º ano > Produção de textos

Plano de aula - Planejando a produção escrita do desfecho de um conto popular afro-brasileiro

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 5º ano do EF sobre Planejando a produção escrita do desfecho de um conto popular afro-brasileiro

Plano 13 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Fabiana Júlia de Araújo Tenório

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é décima terceira aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Contos populares afro-brasileiros/Contos e no campo de atuação Artístico-literário / Vida cotidiana / Todos os campos. A aula faz parte do módulo de produção de texto.

Materiais necessários: Texto para leitura dos alunos; fichas de planejamento; material para confecção de cartaz interativo (cartolinas, fitas, cola, tesoura, lápis hidrocor e/ou adesivos coloridos para votação dos alunos.

Informações sobre o gênero: Os contos populares são textos narrativos carregados do imaginário popular. Através deles, cada comunidade transmite valores, crenças e saberes. O conto, como experiência literária, mantém uma certa fidelidade aos contos populares, mas é aberto às inovações dos autores. Constitui-se como histórias curtas, tendo como característica a concisão. (MARIA, 2004) Já os contos afro-brasileiros têm, além dessas, características próprias da literatura afro-brasileira e não podem prescindir da afrodescendência através de uma voz autoral, um tema, uma linguagem, um público-alvo e um lugar de enunciação (DUARTE, 2010).

Dificuldades antecipadas: Esse plano abordará conhecimentos sobre tipos de discurso, verbos dicendi, além de alguns elementos da narrativa; isso pode ser uma dificuldade, caso os alunos ainda não tenham estudado esses aspectos linguísticos. Além disso, a formação de duplas pode ser comprometida quando a sala de aula possuir um total de alunos ímpar e necessitará de um ajuste em um dos grupos.

Referências sobre o assunto:

CASSANY, D. Decálogo didáctico de la enseñanza de la composición. Glosas Didacticas, n. 4., enero, 2001. [Universitat Pompeu Fabra], disponível em: http://red.ilce.edu.mx/20aniversario/componentes/proyec_colab/2006/cosas/cosas_oto2006/decalogo_didactico.pdf. Acesso em: 03/12/2018.

DUARTE, Eduardo de Assis. Por um conceito de literatura afro-brasileira. Terceira Margem, Rio de Janeiro, n. 23, p. 113-138, 2010, disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/tm/article/view/10953/8012. Acesso em: 25/10/2018.

LEAL, T. F.; LUZ, P. S. da. Produção de textos narrativos em pares: reflexões sobre o processo de interação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.27, n.1, p. 27-45, jan./jun. 2001, disponível em: http://www.revistas.usp.br/ep/article/view/27852/29624. Acesso em: 28/11/2018.

LEAL, T. F.; BRANDÃO, A. C. P. (orgs). Produção de Textos na Escola: reflexões e práticas no ensino fundamental. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, disponível em: http://www.serdigital.com.br/gerenciador/clientes/ceel/arquivos/15.pdf. Acesso em: 05/12/2018.

NÓBREGA, Maria José de. Redigindo textos, assimilando a palavra do outro. Revista Acadêmica de Educação do Ise Vera Cruz, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 22-34, 2011, disponível em: http://site.veracruz.edu.br/instituto/revistaveras/index.php/revistaveras/article/view/3/2. Acesso em: 28/11/2018.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos
Orientações: Este módulo tem como finalidade produzir um novo final para um conto afro-brasileiro e divulgá-lo em um mural interativo, cujo objetivo será o de que outros alunos leiam os textos escritos e selecionem, dentre eles, o que mais lhes agrada.
1. Apresente a proposta da aula: os alunos irão elaborar, em dupla, um novo final para o conto já trabalhado na Aula 9. É importante que as duplas sejam formadas considerando o nível de autonomia dos alunos na leitura e na escrita. Para Cassany (2001), se a linguagem é social, não faz sentido trabalhar a produção de texto apenas de maneira individualizada, já que outra criança - que também é o interlocutor - pode ajudar no processo de organização e de busca de ideias para o texto. A escolha por planejar em grupo o roteiro da produção escrita é fruto da estratégia de interação entre as crianças para que elas possam se ajudar mutuamente. A interação planejada na produção de textos narrativos é uma ferramenta que contribui para construção de conhecimentos e verificação da intenção comunicativa do texto, uma vez que, em pares, as crianças também reagem como interlocutores (LEAL; LUZ, 2001).

Materiais complementares:
CASSANY, D. Decálogo didáctico de la enseñanza de la composición. Glosas Didacticas, n. 4., enero, 2001. [Universitat Pompeu Fabra], disponível em: http://red.ilce.edu.mx/20aniversario/componentes/proyec_colab/2006/cosas/cosas_oto2006/decalogo_didactico.pdf. Acesso em: 03/12/2018.
LEAL, T. F.; LUZ, P. S. da. Produção de textos narrativos em pares: reflexões sobre o processo de interação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.27, n.1, p. 27-45, jan./jun. 2001, disponível em: http://www.revistas.usp.br/ep/article/view/27852/29624. Acesso em: 28/11/2018.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações:

  • Oriente os alunos a formarem as duplas que trabalharão na produção.
  • Explique que apresentará um conto afro-brasileiro e relembre as características desse gênero, já trabalhadas na Aula 4 e na Aula 5. Caso você não tenha utilizado as aulas desta sequência, é importante dizer aos alunos que contos são histórias curtas que possuem autor; que contos populares também são histórias curtas, mas são antigas e ninguém sabe ao certo quem é o autor, pois elas são repassadas de geração para geração; e que contos populares afro-brasileiros têm as mesmas características de um conto popular, mas possuem algumas especificidades, pois têm um autor negro, que conta a história, apresentando questões da tradição afro-brasileira. Esses contos não podem prescindir da afrodescendência através de uma voz autoral, um tema, uma linguagem, um público-alvo e um lugar de enunciação (DUARTE, 2010). O texto que utilizaremos nessa aula é recontado pelo Mestre Didi, autor afro-brasileiro (História do Mestre Didi, Biografia resumida em vídeo).
  • Peça para que eles prestem atenção aos elementos da narrativa como: personagens, enredo, cenário, o conflito que acontece e o final da história. A produção escrita deles será a criação de outro final para história.
  • Informe-os sobre o mural interativo que ficará exposto do lado de fora da sala de aula deles, a fim de que outros alunos da escola possam ler os finais e escolher o que mais agradou. O mural deve conter, no meio, a história registrada em letras visíveis, para que, ao redor da mesma, sejam expostos os novos finais propostos pelos alunos e a tabela de votação para que os outros alunos escolham um deles.

Materiais complementares: Texto impresso, principalmente se você estiver trabalhando a primeira vez com ele; Materiais como fita, cola, tesoura, lápis hidrocor e cartolina para servir de mural onde os textos serão expostos.

Para saber mais sobre os contos afro-brasileiros: DUARTE, Eduardo de Assis. Por um conceito de literatura afro-brasileira. Terceira Margem, Rio de Janeiro, n. 23, p. 113-138, 2010. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/tm/article/view/10953/8012. Acesso em: 25/10/2018.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Entregue o texto escrito aos alunos (para acesso ao texto, clique aqui), para que acompanhem a leitura. Se você estiver seguindo esta sequência de aulas, o texto já foi entregue na aula 9.
  • Estimule os alunos a observarem os elementos da narrativa como os personagens, enredo, conflito, cenário. Atente para a riqueza de detalhes, pois isso os ajudará a preparar o roteiro de escrita.
  • Peça que observem os discursos direto e indireto (trabalhados nas aulas 7, 8, 9). Quais os personagens que têm voz no discurso direto? (A boa menina, a mãe, o bicho, a irmã da boa menina e a tia das duas). Caso você não esteja seguindo esta sequência de atividades, é necessário explicar à turma sobre os tipos de discurso e incentivar os alunos a usarem os dois tipos no final que inventarem. A avaliação contemplará o uso de pontuação e dos verbos dicendi (verbos de dizer), além de verificar a coerência da história com os elementos da narrativa que já existem.
  • Realize uma leitura dramática do conto afro-brasileiro “O cachorro e a boa menina”.
  • Estimule-os a pensar em um novo final. O que poderia acontecer quando a irmã da boa menina chama o cachorro: ele poderia vir ou não? O que poderia acontecer à irmã da menina? Como ela poderia compreender a lição, tratar melhor os outros e ainda se manter viva? Quem poderia lhe ensinar o que ela precisava aprender? O cachorro ou o bicho? Quem apareceria nesse final: a irmã, a mãe, a tia ou um personagem que não havia aparecido na história? Respostas pessoais.
  • Entregue a ficha de planejamento (Ficha) para cada dupla e peça que eles a preencham, trocando informações e se ajudando mutuamente. Use a PARTE 1. O planejamento da escrita para essa atividade deve considerar:
  • Alguns elementos já dados, como os personagens da história e o final original, para que eles entendam melhor o conteúdo do conto e mantenham a coerência na hora de fazer um novo final.
  • Os novos elementos, como os personagens que comporão o final.
  • Como será esse final, etapa na qual eles planejam o que escrever.
  • Quem terá voz no discurso direto, para que eles saibam que esse item de análise linguística será avaliado na produção.
  • A moral do conto após o novo final, para assegurar a coerência com o texto-base.
  • Incentive o trabalho em dupla e dê a cada um uma função: um aluno escreve o planejamento, enquanto o outro organiza oralmente como seria esse final. Eles devem se ajudar a encontrar o melhor caminho de escrita e para isso precisam ouvir as ideias uns dos outros. A experiência de interação entre as duplas para planejar demonstra que “os alunos estabelecem uma série de laços inter-relacionados, que conduzem a uma verdadeira construção conjunta: exploram, propõem, retificam, integram aquilo que diz o colega, regulam suas ações, apresentam argumentos a suas propostas para que o outro as entenda, etc., tudo isso com o objetivo de alcançar uma meta comum: escrever o texto” (MELO; SILVA, 2007, p. 90).
  • Acompanhe as duplas e, à medida que perceber que elas precisam de ajuda, interfira no planejamento com perguntas que promovam a reflexão dos alunos.

Materiais complementares:

Sugestões de respostas para a Ficha de Planejamento: clique aqui.

MELO, K. L. R. de.; SILVA, A. da. Planejando o ensino de produção de textos escritos na escola. In: LEAL, T. F.; BRANDÃO, A. C. P. (orgs). Produção de Textos na Escola: reflexões e práticas no ensino fundamental. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. Disponível em: http://www.serdigital.com.br/gerenciador/clientes/ceel/arquivos/15.pdf. Acesso em: 05/12/2018.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Peça aos alunos que revisem o planejamento, a fim de verificar se o mesmo atende, de forma clara, à intenção da dupla. Use a PARTE 2 da ficha para orientar essa análise. Eles irão observar se o novo final planejado preserva a coerência com o texto-base, se há uma moral ou ensinamento que caracteriza um conto popular, se há personagens que foram retomados da história original, se há marcas linguísticas adequadas para os tipos de discurso utilizados e se o novo final é criativo para justificar a sua publicação no mural.
  • Organize os horários em que as duplas deverão ficar junto ao mural interativo para acompanhar a escolha e a votação. Peça a duas professoras que divulguem o trabalho para que os alunos de outras salas possam participar da escolha. Se o tempo do intervalo for insuficiente, uma estratégia possível é reservar duas aulas e solicitar que as professoras do 4º e 3º ano acompanhem seus alunos durante a votação.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é décima terceira aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Contos populares afro-brasileiros/Contos e no campo de atuação Artístico-literário / Vida cotidiana / Todos os campos. A aula faz parte do módulo de produção de texto.

Materiais necessários: Texto para leitura dos alunos; fichas de planejamento; material para confecção de cartaz interativo (cartolinas, fitas, cola, tesoura, lápis hidrocor e/ou adesivos coloridos para votação dos alunos.

Informações sobre o gênero: Os contos populares são textos narrativos carregados do imaginário popular. Através deles, cada comunidade transmite valores, crenças e saberes. O conto, como experiência literária, mantém uma certa fidelidade aos contos populares, mas é aberto às inovações dos autores. Constitui-se como histórias curtas, tendo como característica a concisão. (MARIA, 2004) Já os contos afro-brasileiros têm, além dessas, características próprias da literatura afro-brasileira e não podem prescindir da afrodescendência através de uma voz autoral, um tema, uma linguagem, um público-alvo e um lugar de enunciação (DUARTE, 2010).

Dificuldades antecipadas: Esse plano abordará conhecimentos sobre tipos de discurso, verbos dicendi, além de alguns elementos da narrativa; isso pode ser uma dificuldade, caso os alunos ainda não tenham estudado esses aspectos linguísticos. Além disso, a formação de duplas pode ser comprometida quando a sala de aula possuir um total de alunos ímpar e necessitará de um ajuste em um dos grupos.

Referências sobre o assunto:

CASSANY, D. Decálogo didáctico de la enseñanza de la composición. Glosas Didacticas, n. 4., enero, 2001. [Universitat Pompeu Fabra], disponível em: http://red.ilce.edu.mx/20aniversario/componentes/proyec_colab/2006/cosas/cosas_oto2006/decalogo_didactico.pdf. Acesso em: 03/12/2018.

DUARTE, Eduardo de Assis. Por um conceito de literatura afro-brasileira. Terceira Margem, Rio de Janeiro, n. 23, p. 113-138, 2010, disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/tm/article/view/10953/8012. Acesso em: 25/10/2018.

LEAL, T. F.; LUZ, P. S. da. Produção de textos narrativos em pares: reflexões sobre o processo de interação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.27, n.1, p. 27-45, jan./jun. 2001, disponível em: http://www.revistas.usp.br/ep/article/view/27852/29624. Acesso em: 28/11/2018.

LEAL, T. F.; BRANDÃO, A. C. P. (orgs). Produção de Textos na Escola: reflexões e práticas no ensino fundamental. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, disponível em: http://www.serdigital.com.br/gerenciador/clientes/ceel/arquivos/15.pdf. Acesso em: 05/12/2018.

NÓBREGA, Maria José de. Redigindo textos, assimilando a palavra do outro. Revista Acadêmica de Educação do Ise Vera Cruz, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 22-34, 2011, disponível em: http://site.veracruz.edu.br/instituto/revistaveras/index.php/revistaveras/article/view/3/2. Acesso em: 28/11/2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos
Orientações: Este módulo tem como finalidade produzir um novo final para um conto afro-brasileiro e divulgá-lo em um mural interativo, cujo objetivo será o de que outros alunos leiam os textos escritos e selecionem, dentre eles, o que mais lhes agrada.
1. Apresente a proposta da aula: os alunos irão elaborar, em dupla, um novo final para o conto já trabalhado na Aula 9. É importante que as duplas sejam formadas considerando o nível de autonomia dos alunos na leitura e na escrita. Para Cassany (2001), se a linguagem é social, não faz sentido trabalhar a produção de texto apenas de maneira individualizada, já que outra criança - que também é o interlocutor - pode ajudar no processo de organização e de busca de ideias para o texto. A escolha por planejar em grupo o roteiro da produção escrita é fruto da estratégia de interação entre as crianças para que elas possam se ajudar mutuamente. A interação planejada na produção de textos narrativos é uma ferramenta que contribui para construção de conhecimentos e verificação da intenção comunicativa do texto, uma vez que, em pares, as crianças também reagem como interlocutores (LEAL; LUZ, 2001).

Materiais complementares:
CASSANY, D. Decálogo didáctico de la enseñanza de la composición. Glosas Didacticas, n. 4., enero, 2001. [Universitat Pompeu Fabra], disponível em: http://red.ilce.edu.mx/20aniversario/componentes/proyec_colab/2006/cosas/cosas_oto2006/decalogo_didactico.pdf. Acesso em: 03/12/2018.
LEAL, T. F.; LUZ, P. S. da. Produção de textos narrativos em pares: reflexões sobre o processo de interação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.27, n.1, p. 27-45, jan./jun. 2001, disponível em: http://www.revistas.usp.br/ep/article/view/27852/29624. Acesso em: 28/11/2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações:

  • Oriente os alunos a formarem as duplas que trabalharão na produção.
  • Explique que apresentará um conto afro-brasileiro e relembre as características desse gênero, já trabalhadas na Aula 4 e na Aula 5. Caso você não tenha utilizado as aulas desta sequência, é importante dizer aos alunos que contos são histórias curtas que possuem autor; que contos populares também são histórias curtas, mas são antigas e ninguém sabe ao certo quem é o autor, pois elas são repassadas de geração para geração; e que contos populares afro-brasileiros têm as mesmas características de um conto popular, mas possuem algumas especificidades, pois têm um autor negro, que conta a história, apresentando questões da tradição afro-brasileira. Esses contos não podem prescindir da afrodescendência através de uma voz autoral, um tema, uma linguagem, um público-alvo e um lugar de enunciação (DUARTE, 2010). O texto que utilizaremos nessa aula é recontado pelo Mestre Didi, autor afro-brasileiro (História do Mestre Didi, Biografia resumida em vídeo).
  • Peça para que eles prestem atenção aos elementos da narrativa como: personagens, enredo, cenário, o conflito que acontece e o final da história. A produção escrita deles será a criação de outro final para história.
  • Informe-os sobre o mural interativo que ficará exposto do lado de fora da sala de aula deles, a fim de que outros alunos da escola possam ler os finais e escolher o que mais agradou. O mural deve conter, no meio, a história registrada em letras visíveis, para que, ao redor da mesma, sejam expostos os novos finais propostos pelos alunos e a tabela de votação para que os outros alunos escolham um deles.

Materiais complementares: Texto impresso, principalmente se você estiver trabalhando a primeira vez com ele; Materiais como fita, cola, tesoura, lápis hidrocor e cartolina para servir de mural onde os textos serão expostos.

Para saber mais sobre os contos afro-brasileiros: DUARTE, Eduardo de Assis. Por um conceito de literatura afro-brasileira. Terceira Margem, Rio de Janeiro, n. 23, p. 113-138, 2010. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/tm/article/view/10953/8012. Acesso em: 25/10/2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Entregue o texto escrito aos alunos (para acesso ao texto, clique aqui), para que acompanhem a leitura. Se você estiver seguindo esta sequência de aulas, o texto já foi entregue na aula 9.
  • Estimule os alunos a observarem os elementos da narrativa como os personagens, enredo, conflito, cenário. Atente para a riqueza de detalhes, pois isso os ajudará a preparar o roteiro de escrita.
  • Peça que observem os discursos direto e indireto (trabalhados nas aulas 7, 8, 9). Quais os personagens que têm voz no discurso direto? (A boa menina, a mãe, o bicho, a irmã da boa menina e a tia das duas). Caso você não esteja seguindo esta sequência de atividades, é necessário explicar à turma sobre os tipos de discurso e incentivar os alunos a usarem os dois tipos no final que inventarem. A avaliação contemplará o uso de pontuação e dos verbos dicendi (verbos de dizer), além de verificar a coerência da história com os elementos da narrativa que já existem.
  • Realize uma leitura dramática do conto afro-brasileiro “O cachorro e a boa menina”.
  • Estimule-os a pensar em um novo final. O que poderia acontecer quando a irmã da boa menina chama o cachorro: ele poderia vir ou não? O que poderia acontecer à irmã da menina? Como ela poderia compreender a lição, tratar melhor os outros e ainda se manter viva? Quem poderia lhe ensinar o que ela precisava aprender? O cachorro ou o bicho? Quem apareceria nesse final: a irmã, a mãe, a tia ou um personagem que não havia aparecido na história? Respostas pessoais.
  • Entregue a ficha de planejamento (Ficha) para cada dupla e peça que eles a preencham, trocando informações e se ajudando mutuamente. Use a PARTE 1. O planejamento da escrita para essa atividade deve considerar:
  • Alguns elementos já dados, como os personagens da história e o final original, para que eles entendam melhor o conteúdo do conto e mantenham a coerência na hora de fazer um novo final.
  • Os novos elementos, como os personagens que comporão o final.
  • Como será esse final, etapa na qual eles planejam o que escrever.
  • Quem terá voz no discurso direto, para que eles saibam que esse item de análise linguística será avaliado na produção.
  • A moral do conto após o novo final, para assegurar a coerência com o texto-base.
  • Incentive o trabalho em dupla e dê a cada um uma função: um aluno escreve o planejamento, enquanto o outro organiza oralmente como seria esse final. Eles devem se ajudar a encontrar o melhor caminho de escrita e para isso precisam ouvir as ideias uns dos outros. A experiência de interação entre as duplas para planejar demonstra que “os alunos estabelecem uma série de laços inter-relacionados, que conduzem a uma verdadeira construção conjunta: exploram, propõem, retificam, integram aquilo que diz o colega, regulam suas ações, apresentam argumentos a suas propostas para que o outro as entenda, etc., tudo isso com o objetivo de alcançar uma meta comum: escrever o texto” (MELO; SILVA, 2007, p. 90).
  • Acompanhe as duplas e, à medida que perceber que elas precisam de ajuda, interfira no planejamento com perguntas que promovam a reflexão dos alunos.

Materiais complementares:

Sugestões de respostas para a Ficha de Planejamento: clique aqui.

MELO, K. L. R. de.; SILVA, A. da. Planejando o ensino de produção de textos escritos na escola. In: LEAL, T. F.; BRANDÃO, A. C. P. (orgs). Produção de Textos na Escola: reflexões e práticas no ensino fundamental. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. Disponível em: http://www.serdigital.com.br/gerenciador/clientes/ceel/arquivos/15.pdf. Acesso em: 05/12/2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Peça aos alunos que revisem o planejamento, a fim de verificar se o mesmo atende, de forma clara, à intenção da dupla. Use a PARTE 2 da ficha para orientar essa análise. Eles irão observar se o novo final planejado preserva a coerência com o texto-base, se há uma moral ou ensinamento que caracteriza um conto popular, se há personagens que foram retomados da história original, se há marcas linguísticas adequadas para os tipos de discurso utilizados e se o novo final é criativo para justificar a sua publicação no mural.
  • Organize os horários em que as duplas deverão ficar junto ao mural interativo para acompanhar a escolha e a votação. Peça a duas professoras que divulguem o trabalho para que os alunos de outras salas possam participar da escolha. Se o tempo do intervalo for insuficiente, uma estratégia possível é reservar duas aulas e solicitar que as professoras do 4º e 3º ano acompanhem seus alunos durante a votação.
Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Produção de textos do 5º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 5º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP05 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano