15502
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Plano de aula - Escrevendo poemas

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 2º ano do EF sobre Escrevendo poemas

Plano 14 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Isabella Patrícia Oliveira Madeira Da Silva

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a décima quarta aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero poema e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte do módulo de produção textual e o seu foco é a produção de um texto poético.

Materiais necessários: Materiais utilizados na aula de planejamento, já manipulados pelas crianças. Acompanhamento da produção, etapa “Textualização e Revisão”, disponível aqui.

Dificuldades antecipadas: Organizar o pensamento na elaboração dos versos. Estruturar o texto de acordo com o gênero. Utilizar os efeitos sonoros aprendidos, rimas e aliterações, na elaboração do poema.

Referências sobre o assunto:

LEAL, Telma Ferraz; LUZ, Patrícia Santos. Produção de textos narrativos em pares: reflexões sobre o processo de interação. Educação e Pesquisa, v. 27, nº 01, São Paulo, Jan./Jun, 2001. Disponível em: <http://23reuniao.anped.org.br/textos/1010t.PDF>. Acesso em: 06 dez 2018.

MACHADO,I.L. A Paródia, um gênero "transgressivo". In: MACHADO e MELLO,R. (orgs). Gêneros: reflexões e análise do discurso. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2004. PP.75-86.

MENDONÇA, M. Diversidade textual - proposta para sala de aula. Língua Portuguesa - Estudo e Ensino. Brasília: MEC/CEEL.

NÓBREGA, M.J. Redigindo textos, assimilando a palavra do outro. Revista Acadêmica de Educação do ISE Vera Cruz, v.1, n.1, 2011. Disponível em: <http://site.veracruz.edu.br/instituto/revistaveras/index.php/revistaveras/article/view/3/2>. Acesso em: 04 dez 2018.

SANT'ANNA, A.R. Paródia, paráfrase & cia. São Paulo: Ática, 2003.

SOUZA, I.M.P. Poesia em práticas de alfabetização. In: Leitura e produção de textos na alfabetização. BRANDÃO,A.C.; ROSA,E.C.S. (org). Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Leia o tema para as crianças e explique que na aula de hoje vão começar a escrever um poema sobre coisas diferentes, utilizando-se do planejamento que fizeram na última aula.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos

Orientações:

  • Inicie a aula sentando novamente as duplas em quartetos. Você pode decidir se mantém a mesma organização da aula passada ou se vai compor esses quartetos com duplas diferentes, pensando sempre na realidade da sua sala de aula, nos níveis de escrita que essas crianças se encontram, na possibilidade de colaboração entre elas, etc.
  • Entregue as folhas para as duplas, que já iniciaram a produção, com o planejamento, na aula passada.
  • Releia com as crianças o poema inspirador “Pessoas são diferentes” de Ruth Rocha, e relembre que a ideia é escrever um poema que fale sobre “diferenças” que existem e podem ser encontradas em coisas diversas, tais como: seres vivos, pessoas, objetos, lugares, etc.
  • Também repasse com a turma que seus poemas serão expostos em uma Exposição com sarau, que será organizada por vocês e, se preciso, reescreva no quadro quem será o público presente e algumas de suas características já levantadas na aula anterior.
  • Peça para que agora leiam em silêncio o que já planejaram na primeira aula de produção textual e depois conversem com seus pares sobre o que elencaram para ser colocado em seus poemas até o momento: as personagens, as características e as rimas, para decidir se manterão tudo, se acham que algo deva ser mudado, etc.
  • Explique que na aula de hoje vão analisar outros elementos que devem compor a escrita, que ajudarão a organizar o que já foi planejado para que fique interessante e faça sentido, escrevendo o primeiro rascunho do poema.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 35 minutos

Orientações:

  • Essa 1º parte deve durar aproximadamente 10 minutos
  • Distribua entre os grupos alguns materiais de pesquisa que provavelmente já utilizaram na aula anterior: dicionários ilustrados, lista de rimas disponibilizada, alguns livros pequenos de poemas. Lembre-os que existem também outros materiais das aulas passadas no caderno, com cantigas e poemas que podem ser revisitados, se precisarem de inspiração, ideias, palavras interessantes, etc.
  • Leve as crianças a refletirem que, por mais que suas criações não sejam uma reprodução fiel do poema “Pessoas são diferentes”, elas podem se apropriar de alguns elementos que nele aparecem.
  • Peça para que tentem encontrar palavras que compõem o poema de Ruth Rocha que, possivelmente, poderiam ser usadas em seus poemas, para dar liga ao texto, para dar continuidade a uma ideia, um enunciado, para começar uma frase, etc. A seguir, algumas sugestões de reflexões que poderão ser trabalhadas com a turma, selecione as que achar mais pertinente.
  • Pessoal, vocês vão começar a escrever os versos de vocês. Lembrem-se que não precisam deixar o poema parecido com o poema lido, mas que o usaremos para apreciação e inspiração para criar um poema sobre diferenças e ele é um modelo de texto muito bom a ser seguido.
  • Além das rimas que nós já percebemos, e do tema que nos está inspirando, devemos olhar mais atentamente, nesse momento, a composição dos versos, as palavras escolhidas pela autora e o sentido que elas dão à frase. No primeiro verso, por exemplo, a autora especifica sobre quem ela vai falar? E que palavras ela escolhe para isso? Como ela começa a frase? Será que existem outros modos de se dizer uma mesma coisa? Vocês conseguiriam pensar comigo de que outra maneira ela poderia escrever essa mesma frase para explicar essa mesma coisa? - Aqui, espera-se chegar ao sentido de que a autora poderia ter escrito de outras maneiras. como por exemplo: “Eu conheço duas crianças que são lindas (falando como 1º pessoa, colocando o eu dentro do texto, você pode escolher este exemplo para dar para as crianças para que elas tentem formular outras formas, escreva no quadro) - “São muito lindas essas crianças”, “Havia duas crianças muito bonitas”,“Essas duas crianças são lindas” -etc.
  • Que palavra da segunda frase faz a gente pensar que, apesar de serem crianças e ambas lindas, havia um porém entre elas? Como esse segundo verso começa? Que efeito essa palavrinha aqui (aponte para MAS), causa quando aparece? - O mas nos dá a ideia de que vamos falar algo que vai se opor a uma coisa que já foi falada. “ESTAVA CHOVENDO, MAS CONTINUAVA FAZENDO CALOR” - quando eu falo que estava chovendo, penso em água, frio, ou frescor, então o mas está sendo usado para explicar que apesar de estar chovendo, continuava fazendo calor.
  • E porque usa o “SÃO” para diferentes? De quantas pessoas ela está falando? Muito bem, está falando de duas meninas. Agora vamos analisar esse terceiro verso, como ele começa? UMA É… quem é essa uma? (Espera-se que dentre as hipóteses surja a ideia de que é uma das crianças) E o que ela é? Muito bem, desdentada. Essa é uma das características de uma das crianças, poderíamos dizer também que ela é “sem dente” e “banguela”.
  • Estão vendo como podemos escolher com cuidado as palavras? E as palavras “UMA É” no início do verso, foram colocadas lá para explicarem que agora a autora passou a falar das características de cada uma das crianças, de modo isolado, para destacar as diferenças. E quem é cheia de dentes? - A outra. Veja que interessante, ela poderia ter escrito: “Uma é desdentada... uma, cheia de dentes” mas para não ficar repetitiva e deixar bem claro que estava comparando diferenças entre duas crianças, ela usou “UMA e A OUTRA” e foi fazendo esse bate bola, ora apresentando as características de uma criança, ora apresentando a da outra.
  • E o que mais há aí? O que o texto está dizendo das crianças em relação aos gelados e quentes - Espera-se que as crianças falem que elas GOSTAM, que é utilizada a palavra gosta. Destaque outros verbos: é, gosta, usa, tem, etc.
  • São palavras boas para usarmos para explicar a relação da personagem com suas características e com as coisas: Por exemplo:

“A VACA, PESADA, TEM SÓ QUATRO PATAS,

MAS A FORMIGA, QUE NÃO PESA NADA, TEM SEIS.

OS ELEFANTES SÃO OS MAIORES BICHOS DA SAVANA

MAS OS LEÕES É QUEM SÃO OS REIS”

Veja, quero destacar uma diferença entre esses animais, pois a formiga tem mais patas que a vaca, estou falando de uma característica diferente entre a VACA e a FORMIGA, e essa característica é que elas TÊM quantidades diferentes de patas, além do peso e tamanho que nós já sabemos que são diferentes. (você pode escrever o exemplo em versos e destacar as personagens e as características, bem como as palavras MAS, TEM, SÃO que ajudam a frase a ter um sentido mais amplo, ligando os versos, além de exemplificar uma rima na estrofe).

Caso utilize este exemplo, chame a atenção das crianças para o fato de que, como na sua estrofe não tem apenas duas personagens, você não usou UMA e OUTRA para denominá-las, mas precisou usar os nomes dos animais que você estava destacando as diferenças para que quem lesse, soubesse de quem você estava falando.

  • Diga às crianças que elas devem, agora, organizar o que está nas tabelas em seus poemas, utilizando algumas palavras para apresentar as personagens, para explicar suas diferenças.
  • Muito bem, nós já vimos que algumas palavras podem ser usadas para apresentar as personagens, para explicar suas diferenças. No texto há bons exemplos e também já vimos que podemos escolher outras palavras que tenham o mesmo sentido, mas que sejam diferentes. Para isso, vocês podem utilizar os dicionários e até procurar nos outros textos poéticos, que já analisaram, palavras que poderiam deixar o poema de vocês mais interessante.
  • Lembrem-se que devem decidir tudo juntos, conversar bastante e chegarem a um acordo, de modo que todos participem e contribuam de modo igual ou parecido.
  • Quanto aos tamanhos dos versos, vocês se lembram que eles são diferentes, não é mesmo? - Espera-se que as crianças digam que são menores, que devem conter poucas palavras.
  • E quanto às estrofes, nesse poema temos estrofes com 4 versos e com 2 versos, vocês devem ficar à vontade para escolher o tamanho das estrofes de vocês, lembrem-se que no poema “A casa” de Vinicius de Moraes, só há uma grande estrofe. (Se estiver com o texto preso ao varal, rememore com a turma). E também já vimos que alguns poemas têm estrofes com 3 versos, com 4 versos, enfim, isso ficará ao critério de cada dupla. - Você pode sugerir que as crianças escrevam algo entre 6 a 16 versos, divididos ou não em estrofes, para que não fique nem muito pequeno, nem muito grande. Na tabela de planejamento, as crianças poderiam escrever 6 rimas diferentes, o que pode ser organizado em 6 versos (rimas emparelhadas) ou 12 versos (rimas intercaladas).
  • Se tiverem dúvidas, vocês podem recorrer aos amigos da outra dupla, que está compartilhando o mesmo material com vocês, e também pedir ajuda a mim, que estarei circulando entre os grupos para ajudá-los. Mãos à obra, utilizem essas linhas ao lado do poema, ou se preferirem começar no caderno e depois registrarem na folha, façam como achar melhor.

Materiais complementares: Dicionários ilustrados, materiais disponibilizados nas aulas anteriores como: lista de rimas, textos poéticos trabalhados em unidades anteriores, materiais dispostos no varal, etc. Planejamento da produção já iniciado pelos alunos.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Esta 2º parte do desenvolvimento deve durar aproximadamente 25 minutos.
  • Circule entre os grupos, principalmente para aferir se as duplas estarão conversando e decidindo a produção conjuntamente.
  • Lembre-os que não precisam se preocupar em não rasurar o rascunho, pois a versão final do poema será passada a limpo para os cartazes da exposição.
  • Com o planejamento da aula passada e as referências de palavras dadas nesta aula, é possível que as crianças consigam organizar melhor suas ideias, porém, durante a produção e organização do que já foi planejado, elas podem decidir mudar algumas coisas e terem de enfrentar situações conflituosas e, o ideal, é que interfira somente se necessário, deixando que a interação acabe por levá-las a um acordo.
  • As referências não precisam ser todas assimiladas pelas crianças em seus textos, mas foram dadas para que comecem a analisar mais profundamente suas escolhas de palavras, o sentido das frases e a maneira como o texto poético brinca com as palavras, dispondo-as nos versos para garantir um ritmo diferenciado e, mesmo que elas venham a “copiar ou imitar” vocábulos, o façam de modo mais consciente e passem a discutir sobre suas escolhas.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Para finalizar a aula, converse com a turma sobre essa etapa da produção.
  • Como está sendo escrever um só texto em dupla? Ter conversado na aula anterior, e planejado juntos, ajudou-os a escreverem de modo colaborativo? - É esperado que as crianças tenham produzido a escrita conjuntamente e, talvez, conflitos possam ter surgido entre elas, mas tais conflitos são esperados e são bons quando as crianças aprendem a ouvir o outro, fazer concessões, pois podem apurar seu olhar vendo a produção sob duas perspectivas diferentes.
  • Leram o texto em voz alta, para ver se do modo como organizaram os versos, ele faz sentido para quem lê? - Em produções colaborativas, é esperado que constantemente se faça a leitura em voz alta do que já foi escrito para retomar o pensamento do ponto em que se parou, e ao fazerem isso, devem perceber quando alguma frase precisa ser repensada.
  • Como ficaram seus versos? Vocês pensaram na quantidade de palavras que colocariam neles, pra não ficar muito grande, ou se preocuparam mais com as palavras que ficariam no final, para rimar? - As crianças já viram que versos são mais curtos que um texto em prosa, e sabem que as rimas geralmente ficam no final dos versos, podem ter focado em um desses problemas para resolver, mas é interessante fazê-las analisarem as duas coisas, para que na próxima aula, revisem o que for preciso.
  • Bem, hoje vocês elaboraram o primeiro rascunho do poema. Na próxima aula, vocês terão tempo para analisar o que já produziram e ver se precisarão mudar algumas coisas no texto e só depois de terem revisado seus poemas, é que escreverão a versão final. Todo bom escritor faz isso, planeja sua escrita, escreve, organizando suas ideias e depois relê e revisa o que escreveu. Mas falaremos mais sobre isso quando chegar a hora.
  • Recolha as atividades novamente e analise como as produções se deram: conseguiram organizar o que tinha sido planificado? Conseguiram desenvolver o texto com autonomia, ou se apoiaram no poema da Ruth Rocha, reproduzindo estilo de estrofes, vocábulos, etc? Fizeram alterações (mesmo que pequenas) quando transpuseram o que escreveram nas tabelas para o texto estruturado?
  • Utilize o check list de acompanhamento da produção para analisar o progresso de cada dupla e, se necessário, faça observações e um planejamento de intervenções no verso da folha, para executar, junto das duplas, na próxima aula. Você já pode começar a preencher a etapa da revisão, também, ao ler os textos, antecipando o que as crianças precisarão revisar na próxima aula.

Materiais complementares: Acompanhamento da produção, etapa “Textualização e Revisão”, disponível aqui.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a décima quarta aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero poema e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte do módulo de produção textual e o seu foco é a produção de um texto poético.

Materiais necessários: Materiais utilizados na aula de planejamento, já manipulados pelas crianças. Acompanhamento da produção, etapa “Textualização e Revisão”, disponível aqui.

Dificuldades antecipadas: Organizar o pensamento na elaboração dos versos. Estruturar o texto de acordo com o gênero. Utilizar os efeitos sonoros aprendidos, rimas e aliterações, na elaboração do poema.

Referências sobre o assunto:

LEAL, Telma Ferraz; LUZ, Patrícia Santos. Produção de textos narrativos em pares: reflexões sobre o processo de interação. Educação e Pesquisa, v. 27, nº 01, São Paulo, Jan./Jun, 2001. Disponível em: <http://23reuniao.anped.org.br/textos/1010t.PDF>. Acesso em: 06 dez 2018.

MACHADO,I.L. A Paródia, um gênero "transgressivo". In: MACHADO e MELLO,R. (orgs). Gêneros: reflexões e análise do discurso. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2004. PP.75-86.

MENDONÇA, M. Diversidade textual - proposta para sala de aula. Língua Portuguesa - Estudo e Ensino. Brasília: MEC/CEEL.

NÓBREGA, M.J. Redigindo textos, assimilando a palavra do outro. Revista Acadêmica de Educação do ISE Vera Cruz, v.1, n.1, 2011. Disponível em: <http://site.veracruz.edu.br/instituto/revistaveras/index.php/revistaveras/article/view/3/2>. Acesso em: 04 dez 2018.

SANT'ANNA, A.R. Paródia, paráfrase & cia. São Paulo: Ática, 2003.

SOUZA, I.M.P. Poesia em práticas de alfabetização. In: Leitura e produção de textos na alfabetização. BRANDÃO,A.C.; ROSA,E.C.S. (org). Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Leia o tema para as crianças e explique que na aula de hoje vão começar a escrever um poema sobre coisas diferentes, utilizando-se do planejamento que fizeram na última aula.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos

Orientações:

  • Inicie a aula sentando novamente as duplas em quartetos. Você pode decidir se mantém a mesma organização da aula passada ou se vai compor esses quartetos com duplas diferentes, pensando sempre na realidade da sua sala de aula, nos níveis de escrita que essas crianças se encontram, na possibilidade de colaboração entre elas, etc.
  • Entregue as folhas para as duplas, que já iniciaram a produção, com o planejamento, na aula passada.
  • Releia com as crianças o poema inspirador “Pessoas são diferentes” de Ruth Rocha, e relembre que a ideia é escrever um poema que fale sobre “diferenças” que existem e podem ser encontradas em coisas diversas, tais como: seres vivos, pessoas, objetos, lugares, etc.
  • Também repasse com a turma que seus poemas serão expostos em uma Exposição com sarau, que será organizada por vocês e, se preciso, reescreva no quadro quem será o público presente e algumas de suas características já levantadas na aula anterior.
  • Peça para que agora leiam em silêncio o que já planejaram na primeira aula de produção textual e depois conversem com seus pares sobre o que elencaram para ser colocado em seus poemas até o momento: as personagens, as características e as rimas, para decidir se manterão tudo, se acham que algo deva ser mudado, etc.
  • Explique que na aula de hoje vão analisar outros elementos que devem compor a escrita, que ajudarão a organizar o que já foi planejado para que fique interessante e faça sentido, escrevendo o primeiro rascunho do poema.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 35 minutos

Orientações:

  • Essa 1º parte deve durar aproximadamente 10 minutos
  • Distribua entre os grupos alguns materiais de pesquisa que provavelmente já utilizaram na aula anterior: dicionários ilustrados, lista de rimas disponibilizada, alguns livros pequenos de poemas. Lembre-os que existem também outros materiais das aulas passadas no caderno, com cantigas e poemas que podem ser revisitados, se precisarem de inspiração, ideias, palavras interessantes, etc.
  • Leve as crianças a refletirem que, por mais que suas criações não sejam uma reprodução fiel do poema “Pessoas são diferentes”, elas podem se apropriar de alguns elementos que nele aparecem.
  • Peça para que tentem encontrar palavras que compõem o poema de Ruth Rocha que, possivelmente, poderiam ser usadas em seus poemas, para dar liga ao texto, para dar continuidade a uma ideia, um enunciado, para começar uma frase, etc. A seguir, algumas sugestões de reflexões que poderão ser trabalhadas com a turma, selecione as que achar mais pertinente.
  • Pessoal, vocês vão começar a escrever os versos de vocês. Lembrem-se que não precisam deixar o poema parecido com o poema lido, mas que o usaremos para apreciação e inspiração para criar um poema sobre diferenças e ele é um modelo de texto muito bom a ser seguido.
  • Além das rimas que nós já percebemos, e do tema que nos está inspirando, devemos olhar mais atentamente, nesse momento, a composição dos versos, as palavras escolhidas pela autora e o sentido que elas dão à frase. No primeiro verso, por exemplo, a autora especifica sobre quem ela vai falar? E que palavras ela escolhe para isso? Como ela começa a frase? Será que existem outros modos de se dizer uma mesma coisa? Vocês conseguiriam pensar comigo de que outra maneira ela poderia escrever essa mesma frase para explicar essa mesma coisa? - Aqui, espera-se chegar ao sentido de que a autora poderia ter escrito de outras maneiras. como por exemplo: “Eu conheço duas crianças que são lindas (falando como 1º pessoa, colocando o eu dentro do texto, você pode escolher este exemplo para dar para as crianças para que elas tentem formular outras formas, escreva no quadro) - “São muito lindas essas crianças”, “Havia duas crianças muito bonitas”,“Essas duas crianças são lindas” -etc.
  • Que palavra da segunda frase faz a gente pensar que, apesar de serem crianças e ambas lindas, havia um porém entre elas? Como esse segundo verso começa? Que efeito essa palavrinha aqui (aponte para MAS), causa quando aparece? - O mas nos dá a ideia de que vamos falar algo que vai se opor a uma coisa que já foi falada. “ESTAVA CHOVENDO, MAS CONTINUAVA FAZENDO CALOR” - quando eu falo que estava chovendo, penso em água, frio, ou frescor, então o mas está sendo usado para explicar que apesar de estar chovendo, continuava fazendo calor.
  • E porque usa o “SÃO” para diferentes? De quantas pessoas ela está falando? Muito bem, está falando de duas meninas. Agora vamos analisar esse terceiro verso, como ele começa? UMA É… quem é essa uma? (Espera-se que dentre as hipóteses surja a ideia de que é uma das crianças) E o que ela é? Muito bem, desdentada. Essa é uma das características de uma das crianças, poderíamos dizer também que ela é “sem dente” e “banguela”.
  • Estão vendo como podemos escolher com cuidado as palavras? E as palavras “UMA É” no início do verso, foram colocadas lá para explicarem que agora a autora passou a falar das características de cada uma das crianças, de modo isolado, para destacar as diferenças. E quem é cheia de dentes? - A outra. Veja que interessante, ela poderia ter escrito: “Uma é desdentada... uma, cheia de dentes” mas para não ficar repetitiva e deixar bem claro que estava comparando diferenças entre duas crianças, ela usou “UMA e A OUTRA” e foi fazendo esse bate bola, ora apresentando as características de uma criança, ora apresentando a da outra.
  • E o que mais há aí? O que o texto está dizendo das crianças em relação aos gelados e quentes - Espera-se que as crianças falem que elas GOSTAM, que é utilizada a palavra gosta. Destaque outros verbos: é, gosta, usa, tem, etc.
  • São palavras boas para usarmos para explicar a relação da personagem com suas características e com as coisas: Por exemplo:

“A VACA, PESADA, TEM SÓ QUATRO PATAS,

MAS A FORMIGA, QUE NÃO PESA NADA, TEM SEIS.

OS ELEFANTES SÃO OS MAIORES BICHOS DA SAVANA

MAS OS LEÕES É QUEM SÃO OS REIS”

Veja, quero destacar uma diferença entre esses animais, pois a formiga tem mais patas que a vaca, estou falando de uma característica diferente entre a VACA e a FORMIGA, e essa característica é que elas TÊM quantidades diferentes de patas, além do peso e tamanho que nós já sabemos que são diferentes. (você pode escrever o exemplo em versos e destacar as personagens e as características, bem como as palavras MAS, TEM, SÃO que ajudam a frase a ter um sentido mais amplo, ligando os versos, além de exemplificar uma rima na estrofe).

Caso utilize este exemplo, chame a atenção das crianças para o fato de que, como na sua estrofe não tem apenas duas personagens, você não usou UMA e OUTRA para denominá-las, mas precisou usar os nomes dos animais que você estava destacando as diferenças para que quem lesse, soubesse de quem você estava falando.

  • Diga às crianças que elas devem, agora, organizar o que está nas tabelas em seus poemas, utilizando algumas palavras para apresentar as personagens, para explicar suas diferenças.
  • Muito bem, nós já vimos que algumas palavras podem ser usadas para apresentar as personagens, para explicar suas diferenças. No texto há bons exemplos e também já vimos que podemos escolher outras palavras que tenham o mesmo sentido, mas que sejam diferentes. Para isso, vocês podem utilizar os dicionários e até procurar nos outros textos poéticos, que já analisaram, palavras que poderiam deixar o poema de vocês mais interessante.
  • Lembrem-se que devem decidir tudo juntos, conversar bastante e chegarem a um acordo, de modo que todos participem e contribuam de modo igual ou parecido.
  • Quanto aos tamanhos dos versos, vocês se lembram que eles são diferentes, não é mesmo? - Espera-se que as crianças digam que são menores, que devem conter poucas palavras.
  • E quanto às estrofes, nesse poema temos estrofes com 4 versos e com 2 versos, vocês devem ficar à vontade para escolher o tamanho das estrofes de vocês, lembrem-se que no poema “A casa” de Vinicius de Moraes, só há uma grande estrofe. (Se estiver com o texto preso ao varal, rememore com a turma). E também já vimos que alguns poemas têm estrofes com 3 versos, com 4 versos, enfim, isso ficará ao critério de cada dupla. - Você pode sugerir que as crianças escrevam algo entre 6 a 16 versos, divididos ou não em estrofes, para que não fique nem muito pequeno, nem muito grande. Na tabela de planejamento, as crianças poderiam escrever 6 rimas diferentes, o que pode ser organizado em 6 versos (rimas emparelhadas) ou 12 versos (rimas intercaladas).
  • Se tiverem dúvidas, vocês podem recorrer aos amigos da outra dupla, que está compartilhando o mesmo material com vocês, e também pedir ajuda a mim, que estarei circulando entre os grupos para ajudá-los. Mãos à obra, utilizem essas linhas ao lado do poema, ou se preferirem começar no caderno e depois registrarem na folha, façam como achar melhor.

Materiais complementares: Dicionários ilustrados, materiais disponibilizados nas aulas anteriores como: lista de rimas, textos poéticos trabalhados em unidades anteriores, materiais dispostos no varal, etc. Planejamento da produção já iniciado pelos alunos.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Esta 2º parte do desenvolvimento deve durar aproximadamente 25 minutos.
  • Circule entre os grupos, principalmente para aferir se as duplas estarão conversando e decidindo a produção conjuntamente.
  • Lembre-os que não precisam se preocupar em não rasurar o rascunho, pois a versão final do poema será passada a limpo para os cartazes da exposição.
  • Com o planejamento da aula passada e as referências de palavras dadas nesta aula, é possível que as crianças consigam organizar melhor suas ideias, porém, durante a produção e organização do que já foi planejado, elas podem decidir mudar algumas coisas e terem de enfrentar situações conflituosas e, o ideal, é que interfira somente se necessário, deixando que a interação acabe por levá-las a um acordo.
  • As referências não precisam ser todas assimiladas pelas crianças em seus textos, mas foram dadas para que comecem a analisar mais profundamente suas escolhas de palavras, o sentido das frases e a maneira como o texto poético brinca com as palavras, dispondo-as nos versos para garantir um ritmo diferenciado e, mesmo que elas venham a “copiar ou imitar” vocábulos, o façam de modo mais consciente e passem a discutir sobre suas escolhas.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Para finalizar a aula, converse com a turma sobre essa etapa da produção.
  • Como está sendo escrever um só texto em dupla? Ter conversado na aula anterior, e planejado juntos, ajudou-os a escreverem de modo colaborativo? - É esperado que as crianças tenham produzido a escrita conjuntamente e, talvez, conflitos possam ter surgido entre elas, mas tais conflitos são esperados e são bons quando as crianças aprendem a ouvir o outro, fazer concessões, pois podem apurar seu olhar vendo a produção sob duas perspectivas diferentes.
  • Leram o texto em voz alta, para ver se do modo como organizaram os versos, ele faz sentido para quem lê? - Em produções colaborativas, é esperado que constantemente se faça a leitura em voz alta do que já foi escrito para retomar o pensamento do ponto em que se parou, e ao fazerem isso, devem perceber quando alguma frase precisa ser repensada.
  • Como ficaram seus versos? Vocês pensaram na quantidade de palavras que colocariam neles, pra não ficar muito grande, ou se preocuparam mais com as palavras que ficariam no final, para rimar? - As crianças já viram que versos são mais curtos que um texto em prosa, e sabem que as rimas geralmente ficam no final dos versos, podem ter focado em um desses problemas para resolver, mas é interessante fazê-las analisarem as duas coisas, para que na próxima aula, revisem o que for preciso.
  • Bem, hoje vocês elaboraram o primeiro rascunho do poema. Na próxima aula, vocês terão tempo para analisar o que já produziram e ver se precisarão mudar algumas coisas no texto e só depois de terem revisado seus poemas, é que escreverão a versão final. Todo bom escritor faz isso, planeja sua escrita, escreve, organizando suas ideias e depois relê e revisa o que escreveu. Mas falaremos mais sobre isso quando chegar a hora.
  • Recolha as atividades novamente e analise como as produções se deram: conseguiram organizar o que tinha sido planificado? Conseguiram desenvolver o texto com autonomia, ou se apoiaram no poema da Ruth Rocha, reproduzindo estilo de estrofes, vocábulos, etc? Fizeram alterações (mesmo que pequenas) quando transpuseram o que escreveram nas tabelas para o texto estruturado?
  • Utilize o check list de acompanhamento da produção para analisar o progresso de cada dupla e, se necessário, faça observações e um planejamento de intervenções no verso da folha, para executar, junto das duplas, na próxima aula. Você já pode começar a preencher a etapa da revisão, também, ao ler os textos, antecipando o que as crianças precisarão revisar na próxima aula.

Materiais complementares: Acompanhamento da produção, etapa “Textualização e Revisão”, disponível aqui.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Produção de textos do 2º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 2º ano:

2º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF12LP05 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano