15387
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 8º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - A impessoalidade no resumo

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 8º ano do Ensino Fundamental sobre estratégias de impessoalização na redação de um texto e sua importância para a construção de um resumo.

Plano 08 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ana Carolina Alecrim Benzoni

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é 8ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Resumo e no campo de atuação das práticas de estudo e pesquisa. A aula faz parte do módulo de Análise linguística/semiótica.

Materiais necessários: Computador, projetor, caderno, lápis, lápis de cor, canetinha ou giz de cera, borracha, cópia dos resumos.

O texto analisado nesta aula é um resumo da área de história. Para garantir uma boa condição de análise dos elementos propostos para essa aula, é interessante que seja feita uma leitura prévia com os alunos. Essa leitura antecipada poderá contar, se possível, com a presença do professor de história, a fim de que o conhecimento histórico abordado no texto seja compreendido pelos alunos. Esse texto já foi utilizado na aula 07 desta sequência. Para esta aula, é necessário que os alunos conheçam a estrutura da voz passiva sintética.

Informações sobre o gênero: O resumo reúne e apresenta, de maneira concisa, coerente e frequentemente seletiva as informações básicas de outro texto (texto de origem). Ademais, trata-se de sintetizar o texto de origem preservando integralmente suas ideias. Convém salientar que o texto de origem pode ter diferentes gêneros, a saber: filmes, livros, artigos, monografias ou outros gêneros textuais.

Dificuldades antecipadas: A mobilização de articuladores referenciais traz grandes desafios para os alunos na medida de reconhecer seus referentes.

Referências sobre o assunto:

FÁVERO, Leonor Lopes. Coesão e Coerência Textuais. 11.ed. São Paulo : Ática, 2009.(Princípios).

INSTITUTO NET CLARO. Resumo: conheça algumas estratégias. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=8sZmLtMRz4g>. Acesso em: 16 jan. 2019.

KOCH, Ingedore G. Villaça & TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Texto e Coerência. 2ª. Ed. São Paulo: Cortez, 1993.
LEITE, M. O Resumo. São Paulo: Paulistana, 2006.

MACHADO, A.; LOUSADA, E.; ABREU-TARDELLI, L. Resumo. São Paulo: Parábola, 2004.

ROJO, R.; BARBOSA, J. Como se organizam os gêneros. In: ____. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo: Parábola, 2015.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Projete o slide para os alunos e pergunte o que o tema da aula sugere para eles. Ouça a resposta e não faça interferências. Esse é um momento destinado a levantar hipóteses sobre o que eles irão aprender nesta aula.
  • O texto-fonte do resumo está disponível neste link: http://www.scielo.br/pdf/rsocp/v25n62/0104-4478-rsocp-25-62-0063.pdf - acesso em 13/01/2019

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações:

  • Projete o slide e pergunte aos alunos a diferença entre textos pessoais e impessoais. Pergunte que aspecto de um texto faz com que ele seja pessoal e quais marcas linguísticas ele deve trazer. Espera-se que eles percebam que nos textos “pessoais” é possível perceber a presença do autor do texto: o “eu” ou o “nós” está presente. Já no texto impessoal, a marca do “eu” não deve aparecer, o enfoque deve recair sobre o assunto tratado.
  • Peça para os alunos listarem, no caderno, dois gêneros já estudados previamente por eles cuja construção seja impessoal e dois cuja construção seja pessoal.
  • Peça para que alguns alunos voluntários leiam suas respostas e justifiquem-nas. As possibilidades de respostas, nessa etapa, são grandes e podem variar de acordo com o conhecimento prévio dos alunos; por isso, é importante estimulá-los a dar respostas variadas e observar as justificativas dadas. Alguns gêneros pessoais que podem surgir: carta, artigo de opinião, crônica, resenha, poema. Gêneros impessoais: resumo, sinopse, textos dissertativos, ensaios acadêmicos.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Projete o slide e peça para que um aluno leia o parágrafo a seguir. Relembre com os alunos que esse é o primeiro parágrafo do resumo trabalhado previamente.
  • Pergunte se eles julgam esse trecho pessoal ou impessoal e de que forma eles podem justificar a resposta dada. Espera-se que eles digam que o texto é impessoal pois não há marcação de primeira pessoa “eu”, autor do artigo.
  • Peça para que os alunos observem a primeira forma verbal que aparece no texto; “trata”. Questione qual o sujeito dessa forma verbal. Espera-se que os alunos percebam que o sujeito é “o artigo”.
  • Peça para eles identificarem as outras formas verbais presentes no parágrafo. À medida que eles forem dizendo, grife-as na projeção ou transcreva-as no quadro. As formas verbais são “é” e “sugerindo-se”.
  • Peça para eles identificarem o sujeito de cada uma delas: “Sua principal contribuição” e “insuficiência da explicação clássica sobre o período.”
  • Chame a atenção deles para o fato de que, nas três formas verbais, os sujeitos estão relacionados ao objeto de estudo do texto e não ao autor.
  • Caso seja necessário, relembre a estrutura da voz passiva sintética: VTD+SE, sem a presença do agente da passiva. Mostre aos alunos que essa estrutura faz com que o agente da ação (agente da passiva), por não aparecer no texto, perca por completo a sua importância. Neste caso, todo o enfoque recai sobre o que é sugerido e não sobre quem sugere.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações:

  • Divida os alunos em duplas, e coloque as duplas em fileiras. Cuide para que cada dupla seja formada por um aluno que tenha facilidade nos tópicos vistos até agora e por um com dificuldade. A formação de duplas heterogêneas é importante para que possa haver troca entre os alunos e ajuda mútua.
  • Peça para que cada dupla escolha uma cor de lápis de cor/canetinha. O ideal é que, numa mesma fileira, as cores não se repitam. Assim, teremos dupla verde, dupla azul, dupla vermelha e dupla amarela, por exemplo.
  • Proponha aos alunos um jogo:
  • Cada dupla irá receber cópias do texto e terá um tempo específico (03 minutos) para encontrar o maior número possível de estratégias de impessoalização. Eles devem grifar as estratégias encontradas. Ao término dos 03 minutos, o texto deve ser passado à dupla de trás (a última dupla deve entregar seu texto à primeira dupla da fileira), cada dupla terá mais 03 minutos para grifar, no texto dos colegas, novas estratégias de impessoalização. Repita essa estratégia por 03 vezes, totalizando 09 minutos.
  • Controle o tempo (03 minutos) e dê o comando de troca.
  • O objetivo do jogo é tornar a busca mais dinâmica e socializar os olhares para o texto. É provável que as duplas nem sempre grifem a mesma estratégia. Por exemplo, uma dupla encontra com mais facilidade a voz passiva e outra os sujeitos que se referem ao próprio texto. Na troca de atividades, esses múltiplos olhares serão trocados sem a necessidade de socialização verbal.
  • Ao final da terceira rodada, peça para que cada dupla retome sua atividade (elas devem ter nome para identificação). Diga que a próxima etapa do trabalho será identificar essas estratégias, encontradas pelos colegas.

Material complementar:

Para imprimir o texto para análise, acesse aqui.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Projete o slide com a legenda e peça para que cada dupla classifique as estratégias grifadas de acordo com a legenda.
  • Após isso, leia com os alunos o texto em voz alta, conferindo o que as duplas trazem como estratégias identificadas.
  • Depois da leitura e conferência. relembre aos alunos que o autor do resumo lido é, também, o autor do artigo. Diante dessa informação, peça para que eles levantem hipóteses: por que o autor não usou a expressão “meu artigo” ou “o artigo que escrevi” ou “meu texto” ou, ainda, “eu defendo” ou “eu levanto a hipótese”... Espera-se que os alunos percebam que a primeira pessoa é retirada desse trecho porque o enfoque deve recair sobre o artigo e não sobre quem o escreveu. O autor não é o centro do texto e sim a mensagem que ele quer passar, no caso, seu objeto de estudo e suas descobertas.
  • Sugira que alguns alunos leiam trechos do texto colocando-o em primeira pessoa, evidenciado o autor do artigo. Essa leitura pode ser feita em voz alta e de improviso. Pergunte se houve alguma alteração no sentido do texto. Espera-se que eles percebam que há uma alteração, pois ao colocar a primeira pessoa, evidencia-se o autor/agente da pesquisa e não a descoberta.

Material complementar:

Para acessar a resolução da atividade, acesse aqui.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Projete o slide e peça para os alunos lerem as duas versões da mesma passagem. Chame a atenção para o fato de que ambas são construções impessoais, mas há uma diferença de sentido entre elas. Pergunte aos alunos qual seria essa diferença e por que ela ocorre. Espera-se que eles percebam que o uso da passiva dá ênfase para o sujeito, no caso, “hipóteses”, fazendo com que o enfoque recaia sobre as hipóteses propostas; já na construção que traz voz ativa, o enfoque recai sobre o artigo e as hipóteses ficam em segundo plano.
  • Peça para eles levantarem hipóteses do porquê a primeira versão é a escolhida pelo autor. Espera-se que eles percebam que o objetivo do resumo é divulgar o estudo feito, quais hipóteses foram criadas, a que resultados se chegou, por isso a escolha da passiva sintética.

Material complementar:

Para acessar a resolução da atividade, acesse aqui.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos

Orientações:

  • Projete a pergunta do slide e ouça as respostas. Espera-se que os alunos digam que um resumo deve ser impessoal pois ele é a síntese de um outro texto. O enfoque, nessa síntese, não é o autor do resumo e sim o texto a ser resumido e as informações ali presentes.
  • Depois da discussão, pergunte quais são as estratégias que eles podem utilizar para impessoalizar um resumo: uso da voz passiva ou a informação dada como sujeito agente. Não utilizar a primeira pessoa.
  • Proponha que os alunos redijam, no caderno, uma frase para registrar as estratégias vistas e informe que elas, junto com os elementos coesivos estudados na aula 07 serão importantes no momento em que eles forem redigir o resumo de um texto. Sugira que a frase seja colocada próxima àquela escrita na aula 07.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é 8ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Resumo e no campo de atuação das práticas de estudo e pesquisa. A aula faz parte do módulo de Análise linguística/semiótica.

Materiais necessários: Computador, projetor, caderno, lápis, lápis de cor, canetinha ou giz de cera, borracha, cópia dos resumos.

O texto analisado nesta aula é um resumo da área de história. Para garantir uma boa condição de análise dos elementos propostos para essa aula, é interessante que seja feita uma leitura prévia com os alunos. Essa leitura antecipada poderá contar, se possível, com a presença do professor de história, a fim de que o conhecimento histórico abordado no texto seja compreendido pelos alunos. Esse texto já foi utilizado na aula 07 desta sequência. Para esta aula, é necessário que os alunos conheçam a estrutura da voz passiva sintética.

Informações sobre o gênero: O resumo reúne e apresenta, de maneira concisa, coerente e frequentemente seletiva as informações básicas de outro texto (texto de origem). Ademais, trata-se de sintetizar o texto de origem preservando integralmente suas ideias. Convém salientar que o texto de origem pode ter diferentes gêneros, a saber: filmes, livros, artigos, monografias ou outros gêneros textuais.

Dificuldades antecipadas: A mobilização de articuladores referenciais traz grandes desafios para os alunos na medida de reconhecer seus referentes.

Referências sobre o assunto:

FÁVERO, Leonor Lopes. Coesão e Coerência Textuais. 11.ed. São Paulo : Ática, 2009.(Princípios).

INSTITUTO NET CLARO. Resumo: conheça algumas estratégias. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=8sZmLtMRz4g>. Acesso em: 16 jan. 2019.

KOCH, Ingedore G. Villaça & TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Texto e Coerência. 2ª. Ed. São Paulo: Cortez, 1993.
LEITE, M. O Resumo. São Paulo: Paulistana, 2006.

MACHADO, A.; LOUSADA, E.; ABREU-TARDELLI, L. Resumo. São Paulo: Parábola, 2004.

ROJO, R.; BARBOSA, J. Como se organizam os gêneros. In: ____. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo: Parábola, 2015.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Projete o slide para os alunos e pergunte o que o tema da aula sugere para eles. Ouça a resposta e não faça interferências. Esse é um momento destinado a levantar hipóteses sobre o que eles irão aprender nesta aula.
  • O texto-fonte do resumo está disponível neste link: http://www.scielo.br/pdf/rsocp/v25n62/0104-4478-rsocp-25-62-0063.pdf - acesso em 13/01/2019
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações:

  • Projete o slide e pergunte aos alunos a diferença entre textos pessoais e impessoais. Pergunte que aspecto de um texto faz com que ele seja pessoal e quais marcas linguísticas ele deve trazer. Espera-se que eles percebam que nos textos “pessoais” é possível perceber a presença do autor do texto: o “eu” ou o “nós” está presente. Já no texto impessoal, a marca do “eu” não deve aparecer, o enfoque deve recair sobre o assunto tratado.
  • Peça para os alunos listarem, no caderno, dois gêneros já estudados previamente por eles cuja construção seja impessoal e dois cuja construção seja pessoal.
  • Peça para que alguns alunos voluntários leiam suas respostas e justifiquem-nas. As possibilidades de respostas, nessa etapa, são grandes e podem variar de acordo com o conhecimento prévio dos alunos; por isso, é importante estimulá-los a dar respostas variadas e observar as justificativas dadas. Alguns gêneros pessoais que podem surgir: carta, artigo de opinião, crônica, resenha, poema. Gêneros impessoais: resumo, sinopse, textos dissertativos, ensaios acadêmicos.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Projete o slide e peça para que um aluno leia o parágrafo a seguir. Relembre com os alunos que esse é o primeiro parágrafo do resumo trabalhado previamente.
  • Pergunte se eles julgam esse trecho pessoal ou impessoal e de que forma eles podem justificar a resposta dada. Espera-se que eles digam que o texto é impessoal pois não há marcação de primeira pessoa “eu”, autor do artigo.
  • Peça para que os alunos observem a primeira forma verbal que aparece no texto; “trata”. Questione qual o sujeito dessa forma verbal. Espera-se que os alunos percebam que o sujeito é “o artigo”.
  • Peça para eles identificarem as outras formas verbais presentes no parágrafo. À medida que eles forem dizendo, grife-as na projeção ou transcreva-as no quadro. As formas verbais são “é” e “sugerindo-se”.
  • Peça para eles identificarem o sujeito de cada uma delas: “Sua principal contribuição” e “insuficiência da explicação clássica sobre o período.”
  • Chame a atenção deles para o fato de que, nas três formas verbais, os sujeitos estão relacionados ao objeto de estudo do texto e não ao autor.
  • Caso seja necessário, relembre a estrutura da voz passiva sintética: VTD+SE, sem a presença do agente da passiva. Mostre aos alunos que essa estrutura faz com que o agente da ação (agente da passiva), por não aparecer no texto, perca por completo a sua importância. Neste caso, todo o enfoque recai sobre o que é sugerido e não sobre quem sugere.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações:

  • Divida os alunos em duplas, e coloque as duplas em fileiras. Cuide para que cada dupla seja formada por um aluno que tenha facilidade nos tópicos vistos até agora e por um com dificuldade. A formação de duplas heterogêneas é importante para que possa haver troca entre os alunos e ajuda mútua.
  • Peça para que cada dupla escolha uma cor de lápis de cor/canetinha. O ideal é que, numa mesma fileira, as cores não se repitam. Assim, teremos dupla verde, dupla azul, dupla vermelha e dupla amarela, por exemplo.
  • Proponha aos alunos um jogo:
  • Cada dupla irá receber cópias do texto e terá um tempo específico (03 minutos) para encontrar o maior número possível de estratégias de impessoalização. Eles devem grifar as estratégias encontradas. Ao término dos 03 minutos, o texto deve ser passado à dupla de trás (a última dupla deve entregar seu texto à primeira dupla da fileira), cada dupla terá mais 03 minutos para grifar, no texto dos colegas, novas estratégias de impessoalização. Repita essa estratégia por 03 vezes, totalizando 09 minutos.
  • Controle o tempo (03 minutos) e dê o comando de troca.
  • O objetivo do jogo é tornar a busca mais dinâmica e socializar os olhares para o texto. É provável que as duplas nem sempre grifem a mesma estratégia. Por exemplo, uma dupla encontra com mais facilidade a voz passiva e outra os sujeitos que se referem ao próprio texto. Na troca de atividades, esses múltiplos olhares serão trocados sem a necessidade de socialização verbal.
  • Ao final da terceira rodada, peça para que cada dupla retome sua atividade (elas devem ter nome para identificação). Diga que a próxima etapa do trabalho será identificar essas estratégias, encontradas pelos colegas.

Material complementar:

Para imprimir o texto para análise, acesse aqui.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Projete o slide com a legenda e peça para que cada dupla classifique as estratégias grifadas de acordo com a legenda.
  • Após isso, leia com os alunos o texto em voz alta, conferindo o que as duplas trazem como estratégias identificadas.
  • Depois da leitura e conferência. relembre aos alunos que o autor do resumo lido é, também, o autor do artigo. Diante dessa informação, peça para que eles levantem hipóteses: por que o autor não usou a expressão “meu artigo” ou “o artigo que escrevi” ou “meu texto” ou, ainda, “eu defendo” ou “eu levanto a hipótese”... Espera-se que os alunos percebam que a primeira pessoa é retirada desse trecho porque o enfoque deve recair sobre o artigo e não sobre quem o escreveu. O autor não é o centro do texto e sim a mensagem que ele quer passar, no caso, seu objeto de estudo e suas descobertas.
  • Sugira que alguns alunos leiam trechos do texto colocando-o em primeira pessoa, evidenciado o autor do artigo. Essa leitura pode ser feita em voz alta e de improviso. Pergunte se houve alguma alteração no sentido do texto. Espera-se que eles percebam que há uma alteração, pois ao colocar a primeira pessoa, evidencia-se o autor/agente da pesquisa e não a descoberta.

Material complementar:

Para acessar a resolução da atividade, acesse aqui.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Projete o slide e peça para os alunos lerem as duas versões da mesma passagem. Chame a atenção para o fato de que ambas são construções impessoais, mas há uma diferença de sentido entre elas. Pergunte aos alunos qual seria essa diferença e por que ela ocorre. Espera-se que eles percebam que o uso da passiva dá ênfase para o sujeito, no caso, “hipóteses”, fazendo com que o enfoque recaia sobre as hipóteses propostas; já na construção que traz voz ativa, o enfoque recai sobre o artigo e as hipóteses ficam em segundo plano.
  • Peça para eles levantarem hipóteses do porquê a primeira versão é a escolhida pelo autor. Espera-se que eles percebam que o objetivo do resumo é divulgar o estudo feito, quais hipóteses foram criadas, a que resultados se chegou, por isso a escolha da passiva sintética.

Material complementar:

Para acessar a resolução da atividade, acesse aqui.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos

Orientações:

  • Projete a pergunta do slide e ouça as respostas. Espera-se que os alunos digam que um resumo deve ser impessoal pois ele é a síntese de um outro texto. O enfoque, nessa síntese, não é o autor do resumo e sim o texto a ser resumido e as informações ali presentes.
  • Depois da discussão, pergunte quais são as estratégias que eles podem utilizar para impessoalizar um resumo: uso da voz passiva ou a informação dada como sujeito agente. Não utilizar a primeira pessoa.
  • Proponha que os alunos redijam, no caderno, uma frase para registrar as estratégias vistas e informe que elas, junto com os elementos coesivos estudados na aula 07 serão importantes no momento em que eles forem redigir o resumo de um texto. Sugira que a frase seja colocada próxima àquela escrita na aula 07.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 8º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08LP13 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08LP14 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08LP04 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano