15338
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 8º ano > Oralidade

Plano de aula - Exercícios de oralidade com trechos de textos dramáticos

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 8º ano do Ensino Fundamental sobre leitura expressiva, por meio da aplicação de exercícios de entonação, altura e velocidade da voz; de expressividade no acompanhamento da pontuação do texto.

Plano 10 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Carolina Silva

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos; ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a 10ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero textual dramático (comédias) e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte de uma sequência de atividades voltada para texto dramático, teatro e humor.

Informações sobre o Gênero: Texto dramático (comédias): produção artístico-literária que, reunindo texto e espetáculo, organiza e estrutura o humor dentro de uma apresentação, por meio dos elementos/momentos da narrativa e sequências dialogais. É irreverente, retrata o cotidiano e as pessoas comuns. Seu objetivo é entreter, provocando o riso do espectador e ampliando seu imaginário, levando-o a uma maior compreensão da realidade.

Materiais necessários: Cópias dos textos previstos para esta aula, a fim de distribuí-los aos alunos; uso do quadro.

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldades com as noções de entonação, velocidade, ritmo, volume, e podem apresentar timidez.

Referências bibliográficas: 1) SILVA, Thaïs Cristófaro. Fonética e Fonologia do Português: roteiro de estudos e guia de exercícios. São Paulo: Contexto, 2003. 2) Marcuschi LA. A oralidade no contexto dos usos linguísticos: caracterizando a fala. In: Marcuschi LA, Dionisio AP (Org.). Fala e escrita. Belo Horizonte: Ceale; 2005. 3) BOAL, Augusto. 200 exercícios e jogos para o ator e o não-ator com vontade de dizer algo através do teatro. 10ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991. 4) Trecho da crônica “PÁ, PÁ, PÁ”, de Luis F. Verissimo. Disponível em: http://gtdcronicas2009.blogspot.com/2009/09/cronica-1-pa-pa-pa.html - Acesso em: 10/10/2018.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Professor, ao apresentar o tema da aula, busque levantar conhecimentos prévios dos alunos a partir das seguintes questões:
  • Na presente aula, analisaremos, por meio de exercícios, aspectos de oralidade. Vocês sabem o que é isso ou a que se refere? (Professor, deixe que os alunos façam as aproximações possíveis. Após as respostas da turma, esclareça que, na língua portuguesa, há uma variedade de falares que variam de acordo com fatores como regionalidade (variações linguísticas de falantes de diferentes regiões), aspectos culturais que determinam formas de expressão, influenciadas por grau de instrução, formação cultural ou conhecimento enciclopédico de um falante; dados contextuais (quando o modo de falar muda dependendo da situação em que o falante está inserido), etc. Esses fatores contribuem para a forma como a linguagem se expressará tanto na fala quanto na escrita.
  • Às vezes, quando nos dedicamos à escrita de um determinado texto como o dissertativo, por exemplo, temos de evitar marcas de oralidade e dar à produção um tom impessoal. Como vocês avaliam a criação de um texto dramático? Essas regras valeriam para esse gênero textual? (Professor, espera-se que os estudantes reconheçam que não. Diferentemente de um texto construído em 3ª pessoa, o gênero dramático é composto pelas sequências dialogais, ou seja, a fala diretamente dos personagens é o que estrutura o texto. Além disso, os aspectos da fala são importantes para a caracterização desses personagens, exemplo: perfis de adolescentes podem usar gírias, um texto que reproduz pessoas e costumes de séculos passados pode trazer vocábulos em desuso ou traços gramaticais diferentes do emprego atual da língua, dentre outras questões).
  • Agora, professor, por meio dessas noções, reforce o tema da aula, adiantando aos estudantes que os exercícios promoverão uma reflexão sobre a oralidade, baseando-se, para isso, em trechos de produções ou adaptações de textos dramáticos propositadamente feitas para leitura e análise na presente aula.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 35 minutos

Orientações:

  • Professor, peça que alguns alunos, voluntariamente, leiam, um de cada vez, o fragmento do presente texto para a turma. Pergunte-lhes:
  • A atividade, por melhor que tenha sido feita, estaria adequada a uma apresentação teatral? (Espera-se que os alunos percebam que não. Para uma representação do texto como peça, seria necessário acrescentar elementos cênicos, contando com mais de uma pessoa no papel de ator, adereços para caracterizações, elementos para compor a cena, além de aspectos de interpretação, que incluem: expressões faciais, corporais, entonações, ritmos e outros mecanismos sonoros, por exemplo).

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Professor, convide os alunos a realizarem as tarefas abaixo:

  • Do lado direito do slide, misturam-se alguns traços de interpretação e de oralidade. Relacione-os às falas situadas em contextos correspondentes. (Professor, na hora da correção, avalie, com os alunos, cada fala, levando em consideração a análise contextual de cada uma das ocorrências. Sugestão de resposta: FALA LENTA ? “Gostaria de um manual…”; TIMBRE GRAVE/PRESTATIVO(A) ? “Com licença, posso ajudá-la?”; ENTONAÇÃO CURIOSA ? “De onde você é?!”; VOZ BAIXA ? “Pois não!”; TOM AMIGÁVEL/GENTIL ? “Aqui está!...”; HESITAÇÃO ? “Na verdade…” e “É um jeito educado…” (a americana, por não ser nativa da língua portuguesa, pode fazer pausas ou oscilações na fala pelo fato de não estar se utilizando de sua língua materna. Isso é mais que uma hesitação de fala, mas desafios que a comunicação em outro idioma pode proporcionar, isto é, quando há pouca familiaridade entre o falante e língua usada na enunciação); PERDIDA/ATRAPALHADA ? “Uma americana entra na livraria…”.
  • Sabemos que os estrangeiros nem sempre falam nossa língua de acordo com nossas regras gramaticais. E isso, aliado a seus sotaques, faz com que os “gringos” tenham uma maneira peculiar de falar. Quais traços gramaticais e características fonéticas/fonológicas poderiam ser notadas na fala de alguém com a mesma nacionalidade da personagem americana? (Professor, as respostas podem variar, mas peça que os alunos se atentem para o que foi pedido na questão. De aspectos gramaticais, nota-se, em alguns falantes, a falta de flexão de alguns verbos que permanecem no modo infinitivo, como: “Na verdade, ‘eu precisar’ aprender a língua depressa”. Uma característica fonética poderia ser observada: a pronúncia dessas formas verbais ter o som do “r” do interior de algumas cidades brasileiras, conhecido, por exemplo, como “[r] retroflexo”.
  • A fala “É um jeito tipicamente brasileiro de não ficar quieto e, ao mesmo tempo, não dizer nada” vem precedida da seguinte rubrica: (PENSATIVO). Que recurso gramatical, como a pontuação, poderia dar expressividade a esse trecho, de modo que a supressão da rubrica não causasse prejuízo de sentido? (O emprego de reticências, mostrando que há um pensamento em suspensão: “Vendedor: É um jeito tipicamente brasileiro de não ficar quieto e, ao mesmo tempo, não dizer nada...”).

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Professor, peça aos alunos para responderem às questões a seguir:

  • Qual sugestão você daria para a leitura da sequência “pá, pá, pá” quanto à velocidade e ao ritmo? Por quê? (Resposta pessoal. Cabe, no entanto, fazer os alunos refletirem sobre o papel do uso dessa expressão no cotidiano brasileiro. Geralmente, ela é utilizada para indicar a síntese e ocultação de detalhes de uma história longa que está sendo contada por alguém. Desse modo, sugere-se a rápida reprodução de “pá, pá, pá”, acompanhada de mínimos intervalos entre os sons, já que o objetivo da expressão é encurtar a fala para atingir mais rápido as metas do enunciado).
  • Na fala: “Funciona como reticências. Significa, na verdade, três pontinhos. ‘Ponto, ponto, ponto.’”, a rubrica indica o modo como ela deve ser expressa: (Sugere didaticamente). Dessa forma, como ela pode ser interpretada? (Sugestão: voz em volume baixo, calma, devagar, com pequena pausa entre a primeira e a segunda oração, talvez, a fim de transmitir clareza).
  • Selecione a ação que proporcionará a expressão facial mais adequada ao contexto da fala a seguir: “AMERICANA (Inconformada): - Mas por que ‘pá’ e não ‘pó’? Ou ‘pi’ ou ‘pu’? Ou ‘etcétera’?” A) ARREGALAR OS OLHOS; B) EMBURRAR A CARA; C) FRANZIR A TESTA E AS SOBRANCELHAS; D) RANGER OS DENTES. (Gabarito: letra C: “franzir a testa e as sobrancelhas”).
  • A ironia na fala pode ser percebida por quais destes aspectos? A) VOLUME; B) PAUSA; C) HESITAÇÃO; D) VARIEDADE LINGUÍSTICA; E) TOM E TIMBRE DE VOZ. (Gabarito: letra E: “tom e timbre de voz”).
  • Explique o emprego do uso repetido (três vezes) do sinal de exclamação na fala: “- Porque sei lá!!!”. (O uso reforça e dá força dramática à fala, porque a combinação dos três sinais deixa transparecer o volume exaltado da voz bem como o sentimento de impaciência, como instrui a rubrica, do sujeito que enuncia).

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Professor, nesta etapa de conclusão, oriente os estudantes a seguirem as instruções abaixo:

  • Dividam-se em duplas e retomem os textos dramáticos, adaptados pelos grupos de vocês.
  • A partir dos conhecimentos adquiridos sobre os aspectos linguísticos e paralinguísticos das falas, treinem, com suas duplas, a leitura dramatizada da adaptação produzida e corrigida, na aula anterior.
  • Como tarefa de casa, pensem nos objetos e adereços que serão utilizados para a caracterização das personagens, nos itens que ajudarão a compor o espaço onde se desenvolverá a cena, bem como em possíveis trilhas sonoras para serem usadas, se for o caso, na apresentação. Tais materiais deverão ser trazidos na próxima aula.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos; ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a 10ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero textual dramático (comédias) e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte de uma sequência de atividades voltada para texto dramático, teatro e humor.

Informações sobre o Gênero: Texto dramático (comédias): produção artístico-literária que, reunindo texto e espetáculo, organiza e estrutura o humor dentro de uma apresentação, por meio dos elementos/momentos da narrativa e sequências dialogais. É irreverente, retrata o cotidiano e as pessoas comuns. Seu objetivo é entreter, provocando o riso do espectador e ampliando seu imaginário, levando-o a uma maior compreensão da realidade.

Materiais necessários: Cópias dos textos previstos para esta aula, a fim de distribuí-los aos alunos; uso do quadro.

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldades com as noções de entonação, velocidade, ritmo, volume, e podem apresentar timidez.

Referências bibliográficas: 1) SILVA, Thaïs Cristófaro. Fonética e Fonologia do Português: roteiro de estudos e guia de exercícios. São Paulo: Contexto, 2003. 2) Marcuschi LA. A oralidade no contexto dos usos linguísticos: caracterizando a fala. In: Marcuschi LA, Dionisio AP (Org.). Fala e escrita. Belo Horizonte: Ceale; 2005. 3) BOAL, Augusto. 200 exercícios e jogos para o ator e o não-ator com vontade de dizer algo através do teatro. 10ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991. 4) Trecho da crônica “PÁ, PÁ, PÁ”, de Luis F. Verissimo. Disponível em: http://gtdcronicas2009.blogspot.com/2009/09/cronica-1-pa-pa-pa.html - Acesso em: 10/10/2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Professor, ao apresentar o tema da aula, busque levantar conhecimentos prévios dos alunos a partir das seguintes questões:
  • Na presente aula, analisaremos, por meio de exercícios, aspectos de oralidade. Vocês sabem o que é isso ou a que se refere? (Professor, deixe que os alunos façam as aproximações possíveis. Após as respostas da turma, esclareça que, na língua portuguesa, há uma variedade de falares que variam de acordo com fatores como regionalidade (variações linguísticas de falantes de diferentes regiões), aspectos culturais que determinam formas de expressão, influenciadas por grau de instrução, formação cultural ou conhecimento enciclopédico de um falante; dados contextuais (quando o modo de falar muda dependendo da situação em que o falante está inserido), etc. Esses fatores contribuem para a forma como a linguagem se expressará tanto na fala quanto na escrita.
  • Às vezes, quando nos dedicamos à escrita de um determinado texto como o dissertativo, por exemplo, temos de evitar marcas de oralidade e dar à produção um tom impessoal. Como vocês avaliam a criação de um texto dramático? Essas regras valeriam para esse gênero textual? (Professor, espera-se que os estudantes reconheçam que não. Diferentemente de um texto construído em 3ª pessoa, o gênero dramático é composto pelas sequências dialogais, ou seja, a fala diretamente dos personagens é o que estrutura o texto. Além disso, os aspectos da fala são importantes para a caracterização desses personagens, exemplo: perfis de adolescentes podem usar gírias, um texto que reproduz pessoas e costumes de séculos passados pode trazer vocábulos em desuso ou traços gramaticais diferentes do emprego atual da língua, dentre outras questões).
  • Agora, professor, por meio dessas noções, reforce o tema da aula, adiantando aos estudantes que os exercícios promoverão uma reflexão sobre a oralidade, baseando-se, para isso, em trechos de produções ou adaptações de textos dramáticos propositadamente feitas para leitura e análise na presente aula.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 35 minutos

Orientações:

  • Professor, peça que alguns alunos, voluntariamente, leiam, um de cada vez, o fragmento do presente texto para a turma. Pergunte-lhes:
  • A atividade, por melhor que tenha sido feita, estaria adequada a uma apresentação teatral? (Espera-se que os alunos percebam que não. Para uma representação do texto como peça, seria necessário acrescentar elementos cênicos, contando com mais de uma pessoa no papel de ator, adereços para caracterizações, elementos para compor a cena, além de aspectos de interpretação, que incluem: expressões faciais, corporais, entonações, ritmos e outros mecanismos sonoros, por exemplo).
Slide Plano Aula

Orientações: Professor, convide os alunos a realizarem as tarefas abaixo:

  • Do lado direito do slide, misturam-se alguns traços de interpretação e de oralidade. Relacione-os às falas situadas em contextos correspondentes. (Professor, na hora da correção, avalie, com os alunos, cada fala, levando em consideração a análise contextual de cada uma das ocorrências. Sugestão de resposta: FALA LENTA ? “Gostaria de um manual…”; TIMBRE GRAVE/PRESTATIVO(A) ? “Com licença, posso ajudá-la?”; ENTONAÇÃO CURIOSA ? “De onde você é?!”; VOZ BAIXA ? “Pois não!”; TOM AMIGÁVEL/GENTIL ? “Aqui está!...”; HESITAÇÃO ? “Na verdade…” e “É um jeito educado…” (a americana, por não ser nativa da língua portuguesa, pode fazer pausas ou oscilações na fala pelo fato de não estar se utilizando de sua língua materna. Isso é mais que uma hesitação de fala, mas desafios que a comunicação em outro idioma pode proporcionar, isto é, quando há pouca familiaridade entre o falante e língua usada na enunciação); PERDIDA/ATRAPALHADA ? “Uma americana entra na livraria…”.
  • Sabemos que os estrangeiros nem sempre falam nossa língua de acordo com nossas regras gramaticais. E isso, aliado a seus sotaques, faz com que os “gringos” tenham uma maneira peculiar de falar. Quais traços gramaticais e características fonéticas/fonológicas poderiam ser notadas na fala de alguém com a mesma nacionalidade da personagem americana? (Professor, as respostas podem variar, mas peça que os alunos se atentem para o que foi pedido na questão. De aspectos gramaticais, nota-se, em alguns falantes, a falta de flexão de alguns verbos que permanecem no modo infinitivo, como: “Na verdade, ‘eu precisar’ aprender a língua depressa”. Uma característica fonética poderia ser observada: a pronúncia dessas formas verbais ter o som do “r” do interior de algumas cidades brasileiras, conhecido, por exemplo, como “[r] retroflexo”.
  • A fala “É um jeito tipicamente brasileiro de não ficar quieto e, ao mesmo tempo, não dizer nada” vem precedida da seguinte rubrica: (PENSATIVO). Que recurso gramatical, como a pontuação, poderia dar expressividade a esse trecho, de modo que a supressão da rubrica não causasse prejuízo de sentido? (O emprego de reticências, mostrando que há um pensamento em suspensão: “Vendedor: É um jeito tipicamente brasileiro de não ficar quieto e, ao mesmo tempo, não dizer nada...”).
Slide Plano Aula

Orientações: Professor, peça aos alunos para responderem às questões a seguir:

  • Qual sugestão você daria para a leitura da sequência “pá, pá, pá” quanto à velocidade e ao ritmo? Por quê? (Resposta pessoal. Cabe, no entanto, fazer os alunos refletirem sobre o papel do uso dessa expressão no cotidiano brasileiro. Geralmente, ela é utilizada para indicar a síntese e ocultação de detalhes de uma história longa que está sendo contada por alguém. Desse modo, sugere-se a rápida reprodução de “pá, pá, pá”, acompanhada de mínimos intervalos entre os sons, já que o objetivo da expressão é encurtar a fala para atingir mais rápido as metas do enunciado).
  • Na fala: “Funciona como reticências. Significa, na verdade, três pontinhos. ‘Ponto, ponto, ponto.’”, a rubrica indica o modo como ela deve ser expressa: (Sugere didaticamente). Dessa forma, como ela pode ser interpretada? (Sugestão: voz em volume baixo, calma, devagar, com pequena pausa entre a primeira e a segunda oração, talvez, a fim de transmitir clareza).
  • Selecione a ação que proporcionará a expressão facial mais adequada ao contexto da fala a seguir: “AMERICANA (Inconformada): - Mas por que ‘pá’ e não ‘pó’? Ou ‘pi’ ou ‘pu’? Ou ‘etcétera’?” A) ARREGALAR OS OLHOS; B) EMBURRAR A CARA; C) FRANZIR A TESTA E AS SOBRANCELHAS; D) RANGER OS DENTES. (Gabarito: letra C: “franzir a testa e as sobrancelhas”).
  • A ironia na fala pode ser percebida por quais destes aspectos? A) VOLUME; B) PAUSA; C) HESITAÇÃO; D) VARIEDADE LINGUÍSTICA; E) TOM E TIMBRE DE VOZ. (Gabarito: letra E: “tom e timbre de voz”).
  • Explique o emprego do uso repetido (três vezes) do sinal de exclamação na fala: “- Porque sei lá!!!”. (O uso reforça e dá força dramática à fala, porque a combinação dos três sinais deixa transparecer o volume exaltado da voz bem como o sentimento de impaciência, como instrui a rubrica, do sujeito que enuncia).
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Professor, nesta etapa de conclusão, oriente os estudantes a seguirem as instruções abaixo:

  • Dividam-se em duplas e retomem os textos dramáticos, adaptados pelos grupos de vocês.
  • A partir dos conhecimentos adquiridos sobre os aspectos linguísticos e paralinguísticos das falas, treinem, com suas duplas, a leitura dramatizada da adaptação produzida e corrigida, na aula anterior.
  • Como tarefa de casa, pensem nos objetos e adereços que serão utilizados para a caracterização das personagens, nos itens que ajudarão a compor o espaço onde se desenvolverá a cena, bem como em possíveis trilhas sonoras para serem usadas, se for o caso, na apresentação. Tais materiais deverão ser trazidos na próxima aula.
Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Oralidade do 8º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP52 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano