15321
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 7º ano > Oralidade

Plano de aula - As condições de produção do gênero debate

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 7º ano do EF sobre As condições de produção do gênero debate

Plano 10 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Luiz Henrique Scalise Monteiro Campos Junior

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é décima aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco nos gêneros “Regimento Escolar e Debate” no campo de atuação na “vida pública”. A aula faz parte do módulo de oralidade.

Materiais necessários: Caderno para anotações, projetores e computador com acesso à internet.

Informações sobre o gênero:

[...] o debate é um evento comunicativo com, no mínimo, três polos: dois deles são ocupados por debatedores e o último, pela plateia. O pressuposto para a realização de um debate é a existência de um tema polêmico. Afinal, os debatedores vão defender pontos de vista conflitantes sobre o tema – se houver consenso prévio não há porque realizar o debate.

[...] Os exemplos vistos nos permitem, ainda, distinguir entre os dois principais tipos de debate.

Debate deliberativo – seu objetivo é deliberar, isto é, tomar uma decisão refletida sobre determinada questão. Os participantes devem apresentar e defender seus pontos de vista até chegar a um consenso. Se isso não for possível, resolve-se o impasse com uma votação. As assembleias [...] são exemplos típicos de debate deliberativo.

Debate de opinião – neste caso, não é necessário chegar a um consenso. O objetivo maior é trocar ideias e contribuir para o esclarecimento do tema. [...] Ele também está presente em debates e mesas-redondas (debates com vários participantes) promovidos em contextos acadêmicos e empresariais, bem como em programas de televisão e rádio.

Em geral, além dos debatedores e da plateia, o debate conta com um moderador, responsável por apresentar os participantes e fazer valer as regras do evento, em especial o cumprimento do tempo reservado à fala de cada um. Normalmente, após uma primeira rodada de manifestações, cada participante tem direito a uma réplica – ou seja, a oportunidade para contestar o argumento do oponente. Às vezes, há ainda uma tréplica: o participante pode responder à réplica do outro.

Fonte: GUIMARÃES, Thelma de Carvalho. Comunicação e Linguagem. São Paulo: Pearson, 2012.

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldade em entender a linguagem dos debatedores ou mesmo a relevância social do tema debatido.

Referências sobre o assunto:

COMUNICAÇÃO ORAL: gênero debate. REVISTA NOVA ESCOLA. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=wDPD7K5ovcQ>. Acesso em: 22 ago. 2018.

GUIMARÃES, Thelma de Carvalho. Comunicação e Linguagem. São Paulo: Pearson, 2012.

ROSA, Ana Amélia Calazans da . Gêneros orais na escola pública: o gênero debate na formação crítica do sujeito. Disponível em: <https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/entreletras/article/download/1074/591/>. Acesso em: 2 nov. 2018.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

  • Convidar os alunos a refletirem sobre o que esperam encontrar após lerem o tema da aula: “O que entendem por “condições de produção”? Conduza a discussão, de modo a esclarecer que quando falamos de condições de produção, estamos tratando: (a) das possíveis finalidades do debate (defender um ponto de vista sobre um tema; apresentar argumentos sobre um tema polêmico; tomar uma decisão sobre um assunto/procedimento), (b) dos temas que podem ser debatidos (geralmente, precisam ser polêmicos); (c) em que espaços os debates podem acontecer (destaque vários campos, como o escolar, em condomínios, na mídia); e (d) dos participantes de um debate, seu papel e função desempenhada, além das relações entre os participantes.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 6 minutos

Orientações:

  • Faça um levantamento do conhecimento prévio dos alunos sobre o gênero debate (em que campos de atuação da sociedade ocorrem debates? Já viram e/ou participaram de um debate mais “formal” em que precisou se preparar para debater? Se sim, qual era o assunto? Como e onde foi? Quem participou?)
  • Organize a sala para assistir a dois vídeos.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 36 minutos

Orientações:

  • Antes de iniciar o vídeo, proponha que os alunos expressem as informações que possuem sobre “intolerância religiosa”. Ao final, explique o conceito da expressão. A saber:

“Intolerância religiosa é a discriminação contra as pessoas e grupos que têm diferentes crenças ou religiões, e é marcada principalmente pelas atitudes agressivas e ofensivas.

A liberdade de expressão garante aos indivíduos o direito de manifestar as suas opiniões sobre determinado assunto, incluindo a crítica em relação aos dogmas religiosos, por exemplo. No entanto, a intolerância religiosa passa a se configurar quando a pessoa age com indiferença, violência ou de qualquer outro modo que fira a dignidade de outrem.

Por exemplo, humilhar, perseguir, discriminar ou agredir alguém por ter uma religião ou crença diferente de outra pessoa são atos de intolerância religiosa.”

Fonte: Significados. Disponível em: <https://www.significados.com.br/intolerancia-religiosa/>. Acesso em: 5 dez. 2018.

  • Questione os alunos sobre quem seriam as pessoas que poderiam se envolver num debate sobre intolerância religiosa. Esclareça que a pergunta se refere a papéis sociais e não sobre pessoas físicas. Isso pode ser confuso para o aluno. Pode-se inclusive sugerir alguns para iniciar, por exemplo: “participariam desse debate um síndico de condomínio ou um gerente de banco? Por quê?”
  • Em seguida, apresente os participantes: a Ouvidora Geral da Defensoria Pública da Bahia, Vilma Reis, o Frei José Jorge Rocha, que é coordenador da Comissão Arquidiocesana de Ecumenismo e Diálogo Inter-Religioso, o pastor Alex Santana, que é membro da Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia (CEADEB), e o conselheiro da Federação Espírita da Bahia, Marcel Mariano. A mediação é do jornalista Jhonatã Gabriel.
  • Peça para que alunos assistam com bastante atenção ao vídeo disponível em: <https://youtu.be/l-05CUGONJU>. Acesso em: 12 dez. 2018.
  • É importante que o professor assista ao vídeo previamente e faça um levantamento das informações que achar passíveis de esclarecimento para que os alunos compreendam com clareza o que se debate.
  • Inicie o vídeo e assim que for feita a apresentação de todos os envolvidos, pause no tempo 1 minuto e seis segundos. Na sequência, posicione em 9 minutos e vá aos 18 minutos e 28 segundos. Peça aos alunos, também, que anotem as palavras que eles sentirem dificuldade de entender. Uma sugestão é permitir que usem o celular para pesquisar esses termos. Além disso, durante a execução do vídeo, peça que anotem, em linhas gerais, quais são as opiniões dos debatentes. Quais são os pontos que cada um defende ou critica?
  • Terminado o trecho, questione os alunos sobre as palavras que não entenderam, ou ainda, se não entenderam algum posicionamento por parte dos debatedores e esclareça o que for necessário. É muito importante que você, professor, esteja municiado de informações e, por isso, sugere-se, além de assistir previamente ao trecho, uma pesquisa das informações que achar necessária sobre o assunto. Busque informações sobre qualquer posição apresentada pelos debatedores, as quais se tenha dificuldade de entender ou pouco conhecimento sobre o assunto. Trata-se de um tema polêmico e complexo, por isso você deve conduzir a discussão com cautela e ficar atento às colocações dos alunos.
  • Na sequência, reflita com os alunos sobre:
  • Qual é a função da figura que apresenta o debate? Espera-se que cheguem à ideia de que ele media o debate, ou seja, possibilita a participação harmoniosa de todos os integrantes.
  • Há interferência do mediador nas posições dos debatedores? Espera-se que percebam que o apresentador não fez frente a qualquer posição entre os participantes.
  • Como a postura e elocução contribuem para que o debatente tenha sua opinião respeitada? Espera-se que seja capaz de perceber que os debatentes estão sempre com boa postura corporal, isso significa que parecem comprometidos com o debate. Se estivessem escorados na cadeira, por exemplo, a ideia transmitida seria de descompromisso ou mesmo de falta de vontade de participar daquele evento. No que se refere à elocução, é importante salientar que as falas fortes e firmes demonstram a preparação dos debatedores, que não se intimidaram, por estarem preparados para aquele momento. Contudo, não significa que eles alteraram a voz como meio de agressão ou violência verbal. Houve apenas uma defesa sólida das posições ideológicas de cada um em seus discursos.
  • Os debatedores pareciam estar preparados para defender suas opiniões? Aqui o questionamento se interliga ao anterior, mas é importante que os alunos percebam que eles são pessoas muito ligadas ao tema, mas que não se apegam apenas a questões de suas próprias religiões. Há embasamento em dados e estatísticas, além de informações históricas que os credibilizam a estarem ali defendendo suas posições.
  • Há violência verbal ou física entre as partes debatentes? Como pode ser visto, não houve qualquer tipo de violência entre os participantes.
  • O debate foi positivo? Ele contribuiu para que o tema seja mais bem avaliado por quem assistiu ao debate? As respostas dos alunos podem ser neutras ou positivas. Contudo, se forem negativas, cabe uma reflexão junto a eles para que se entenda o que não agradou no debate. Evite sugerir que o debate foi bom de maneira a apenas contrariar a opinião negativa, afinal é importante que o aluno perceba por si só as vantagens as características de um bom debate.
  • O tempo para esta etapa é de 20 minutos.

Materiais complementares: Caderno para anotações, projetores e computador com acesso à internet.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Peça para que alunos assistam com bastante atenção ao vídeo disponível em: <https://youtu.be/dZVPiR8fJB8> (Acesso em: 12 dez. 2018). Peça aos alunos, também, que anotem as palavras que sentirem dificuldade de entender.
  • Terminado o vídeo, questione os alunos sobre as palavras que não entenderam, ou ainda, se não entenderam algum posicionamento por parte dos debatedores e esclareça o que for necessário.
  • Na sequência, reflita com os alunos sobre:
  • O mediador do debate parece ser completamente isento na discussão? Não, inclusive ele permite que a tréplica da “doutora” seja interrompida pelo “gamer”.
  • A elocução e postura dos debatentes foram adequados para um debate? Espera-se que os alunos notem que a “doutora” apresentou bom vocabulário e tom de voz. Além disso tinha postura adequada ao contexto. Já no caso do “gamer”, houve tom de voz inadequado em sua verbalização, além de certo ataque à figura da outra debatente, o que é inadequado ao contexto do debate. Até mesmo a postura de Carlinhos parecia exaltar mais sua fala do que seus argumentos.
  • Os debatedores pareciam estar preparados para defender suas opiniões? É importante que os alunos percebam que Simone trabalhou com fatos e dados. Carlinhos, no entanto, não teve qualquer embasamento.
  • Algum dos dois debatentes estava menos credenciado a debater do que o outro? Espera-se que os alunos percebam que a formação de Simone é vasta e bastante sólida. Já a de Carlinhos não tem aprofundamento acadêmico. Além disso, as informações de Carlinhos não foram consistentes.
  • Há violência verbal ou física entre as partes debatentes? Como pode ser visto, há uma verbalização mais combativa por parte de Carlinhos.
  • O debate foi positivo? Ele contribuiu para que o tema seja mais bem avaliado por quem assistiu ao debate? É importante que os alunos notem que o debate não teve um efeito positivo no público, pois houve desvio da temática. A prova disso foi a opinião de Marlene, que entendeu que falar de vacinação era o mesmo que falar de drogas. Essa questão foi distorcida pela fala de Carlinhos, que fez essa associação equivocada.
  • O tempo para esta etapa é de 16 minutos.

Materiais complementares: Caderno para anotações, projetores e computador com acesso à internet.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 6 minutos

Orientações:

  • Projete o slide com o questionamento ou copie-o no quadro,
  • É importante ouvir as respostas esperadas, mas também é preciso pedir que os alunos registrem as informações no caderno para futuras consultas.
  • Espera-se respostas como:
  • Qual é a finalidade de um debate?
  • Expor e esclarecer opiniões ou ideias divergentes. Teoricamente, os debates são espaços para que grupos ou indivíduos com pontos de vista diferentes possam apresentar os seus argumentos e esclarecer dúvidas.
  • Qual é o público-alvo desse gênero textual?
  • Qualquer pessoa que tenha interesse pelo assunto debatido.
  • Qual é lugar onde o texto será veiculado?
  • Debates são gêneros orais, portanto, qualquer veículo ligado à mídia visual pode veiculá-los. É o caso da internet e da televisão. Pode-se, ainda, assistir presencialmente aos debates.
  • Quem são os integrantes de um debate?
  • Pessoas que possuem entendimento do assunto debatido, ou que sua experiência o faça pertencedor a causa que defende.
  • Quem organiza debates?
  • Os debates podem ser organizados por qualquer pessoa ou instituição.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é décima aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco nos gêneros “Regimento Escolar e Debate” no campo de atuação na “vida pública”. A aula faz parte do módulo de oralidade.

Materiais necessários: Caderno para anotações, projetores e computador com acesso à internet.

Informações sobre o gênero:

[...] o debate é um evento comunicativo com, no mínimo, três polos: dois deles são ocupados por debatedores e o último, pela plateia. O pressuposto para a realização de um debate é a existência de um tema polêmico. Afinal, os debatedores vão defender pontos de vista conflitantes sobre o tema – se houver consenso prévio não há porque realizar o debate.

[...] Os exemplos vistos nos permitem, ainda, distinguir entre os dois principais tipos de debate.

Debate deliberativo – seu objetivo é deliberar, isto é, tomar uma decisão refletida sobre determinada questão. Os participantes devem apresentar e defender seus pontos de vista até chegar a um consenso. Se isso não for possível, resolve-se o impasse com uma votação. As assembleias [...] são exemplos típicos de debate deliberativo.

Debate de opinião – neste caso, não é necessário chegar a um consenso. O objetivo maior é trocar ideias e contribuir para o esclarecimento do tema. [...] Ele também está presente em debates e mesas-redondas (debates com vários participantes) promovidos em contextos acadêmicos e empresariais, bem como em programas de televisão e rádio.

Em geral, além dos debatedores e da plateia, o debate conta com um moderador, responsável por apresentar os participantes e fazer valer as regras do evento, em especial o cumprimento do tempo reservado à fala de cada um. Normalmente, após uma primeira rodada de manifestações, cada participante tem direito a uma réplica – ou seja, a oportunidade para contestar o argumento do oponente. Às vezes, há ainda uma tréplica: o participante pode responder à réplica do outro.

Fonte: GUIMARÃES, Thelma de Carvalho. Comunicação e Linguagem. São Paulo: Pearson, 2012.

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldade em entender a linguagem dos debatedores ou mesmo a relevância social do tema debatido.

Referências sobre o assunto:

COMUNICAÇÃO ORAL: gênero debate. REVISTA NOVA ESCOLA. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=wDPD7K5ovcQ>. Acesso em: 22 ago. 2018.

GUIMARÃES, Thelma de Carvalho. Comunicação e Linguagem. São Paulo: Pearson, 2012.

ROSA, Ana Amélia Calazans da . Gêneros orais na escola pública: o gênero debate na formação crítica do sujeito. Disponível em: <https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/entreletras/article/download/1074/591/>. Acesso em: 2 nov. 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

  • Convidar os alunos a refletirem sobre o que esperam encontrar após lerem o tema da aula: “O que entendem por “condições de produção”? Conduza a discussão, de modo a esclarecer que quando falamos de condições de produção, estamos tratando: (a) das possíveis finalidades do debate (defender um ponto de vista sobre um tema; apresentar argumentos sobre um tema polêmico; tomar uma decisão sobre um assunto/procedimento), (b) dos temas que podem ser debatidos (geralmente, precisam ser polêmicos); (c) em que espaços os debates podem acontecer (destaque vários campos, como o escolar, em condomínios, na mídia); e (d) dos participantes de um debate, seu papel e função desempenhada, além das relações entre os participantes.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 6 minutos

Orientações:

  • Faça um levantamento do conhecimento prévio dos alunos sobre o gênero debate (em que campos de atuação da sociedade ocorrem debates? Já viram e/ou participaram de um debate mais “formal” em que precisou se preparar para debater? Se sim, qual era o assunto? Como e onde foi? Quem participou?)
  • Organize a sala para assistir a dois vídeos.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 36 minutos

Orientações:

  • Antes de iniciar o vídeo, proponha que os alunos expressem as informações que possuem sobre “intolerância religiosa”. Ao final, explique o conceito da expressão. A saber:

“Intolerância religiosa é a discriminação contra as pessoas e grupos que têm diferentes crenças ou religiões, e é marcada principalmente pelas atitudes agressivas e ofensivas.

A liberdade de expressão garante aos indivíduos o direito de manifestar as suas opiniões sobre determinado assunto, incluindo a crítica em relação aos dogmas religiosos, por exemplo. No entanto, a intolerância religiosa passa a se configurar quando a pessoa age com indiferença, violência ou de qualquer outro modo que fira a dignidade de outrem.

Por exemplo, humilhar, perseguir, discriminar ou agredir alguém por ter uma religião ou crença diferente de outra pessoa são atos de intolerância religiosa.”

Fonte: Significados. Disponível em: <https://www.significados.com.br/intolerancia-religiosa/>. Acesso em: 5 dez. 2018.

  • Questione os alunos sobre quem seriam as pessoas que poderiam se envolver num debate sobre intolerância religiosa. Esclareça que a pergunta se refere a papéis sociais e não sobre pessoas físicas. Isso pode ser confuso para o aluno. Pode-se inclusive sugerir alguns para iniciar, por exemplo: “participariam desse debate um síndico de condomínio ou um gerente de banco? Por quê?”
  • Em seguida, apresente os participantes: a Ouvidora Geral da Defensoria Pública da Bahia, Vilma Reis, o Frei José Jorge Rocha, que é coordenador da Comissão Arquidiocesana de Ecumenismo e Diálogo Inter-Religioso, o pastor Alex Santana, que é membro da Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia (CEADEB), e o conselheiro da Federação Espírita da Bahia, Marcel Mariano. A mediação é do jornalista Jhonatã Gabriel.
  • Peça para que alunos assistam com bastante atenção ao vídeo disponível em: <https://youtu.be/l-05CUGONJU>. Acesso em: 12 dez. 2018.
  • É importante que o professor assista ao vídeo previamente e faça um levantamento das informações que achar passíveis de esclarecimento para que os alunos compreendam com clareza o que se debate.
  • Inicie o vídeo e assim que for feita a apresentação de todos os envolvidos, pause no tempo 1 minuto e seis segundos. Na sequência, posicione em 9 minutos e vá aos 18 minutos e 28 segundos. Peça aos alunos, também, que anotem as palavras que eles sentirem dificuldade de entender. Uma sugestão é permitir que usem o celular para pesquisar esses termos. Além disso, durante a execução do vídeo, peça que anotem, em linhas gerais, quais são as opiniões dos debatentes. Quais são os pontos que cada um defende ou critica?
  • Terminado o trecho, questione os alunos sobre as palavras que não entenderam, ou ainda, se não entenderam algum posicionamento por parte dos debatedores e esclareça o que for necessário. É muito importante que você, professor, esteja municiado de informações e, por isso, sugere-se, além de assistir previamente ao trecho, uma pesquisa das informações que achar necessária sobre o assunto. Busque informações sobre qualquer posição apresentada pelos debatedores, as quais se tenha dificuldade de entender ou pouco conhecimento sobre o assunto. Trata-se de um tema polêmico e complexo, por isso você deve conduzir a discussão com cautela e ficar atento às colocações dos alunos.
  • Na sequência, reflita com os alunos sobre:
  • Qual é a função da figura que apresenta o debate? Espera-se que cheguem à ideia de que ele media o debate, ou seja, possibilita a participação harmoniosa de todos os integrantes.
  • Há interferência do mediador nas posições dos debatedores? Espera-se que percebam que o apresentador não fez frente a qualquer posição entre os participantes.
  • Como a postura e elocução contribuem para que o debatente tenha sua opinião respeitada? Espera-se que seja capaz de perceber que os debatentes estão sempre com boa postura corporal, isso significa que parecem comprometidos com o debate. Se estivessem escorados na cadeira, por exemplo, a ideia transmitida seria de descompromisso ou mesmo de falta de vontade de participar daquele evento. No que se refere à elocução, é importante salientar que as falas fortes e firmes demonstram a preparação dos debatedores, que não se intimidaram, por estarem preparados para aquele momento. Contudo, não significa que eles alteraram a voz como meio de agressão ou violência verbal. Houve apenas uma defesa sólida das posições ideológicas de cada um em seus discursos.
  • Os debatedores pareciam estar preparados para defender suas opiniões? Aqui o questionamento se interliga ao anterior, mas é importante que os alunos percebam que eles são pessoas muito ligadas ao tema, mas que não se apegam apenas a questões de suas próprias religiões. Há embasamento em dados e estatísticas, além de informações históricas que os credibilizam a estarem ali defendendo suas posições.
  • Há violência verbal ou física entre as partes debatentes? Como pode ser visto, não houve qualquer tipo de violência entre os participantes.
  • O debate foi positivo? Ele contribuiu para que o tema seja mais bem avaliado por quem assistiu ao debate? As respostas dos alunos podem ser neutras ou positivas. Contudo, se forem negativas, cabe uma reflexão junto a eles para que se entenda o que não agradou no debate. Evite sugerir que o debate foi bom de maneira a apenas contrariar a opinião negativa, afinal é importante que o aluno perceba por si só as vantagens as características de um bom debate.
  • O tempo para esta etapa é de 20 minutos.

Materiais complementares: Caderno para anotações, projetores e computador com acesso à internet.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Peça para que alunos assistam com bastante atenção ao vídeo disponível em: <https://youtu.be/dZVPiR8fJB8> (Acesso em: 12 dez. 2018). Peça aos alunos, também, que anotem as palavras que sentirem dificuldade de entender.
  • Terminado o vídeo, questione os alunos sobre as palavras que não entenderam, ou ainda, se não entenderam algum posicionamento por parte dos debatedores e esclareça o que for necessário.
  • Na sequência, reflita com os alunos sobre:
  • O mediador do debate parece ser completamente isento na discussão? Não, inclusive ele permite que a tréplica da “doutora” seja interrompida pelo “gamer”.
  • A elocução e postura dos debatentes foram adequados para um debate? Espera-se que os alunos notem que a “doutora” apresentou bom vocabulário e tom de voz. Além disso tinha postura adequada ao contexto. Já no caso do “gamer”, houve tom de voz inadequado em sua verbalização, além de certo ataque à figura da outra debatente, o que é inadequado ao contexto do debate. Até mesmo a postura de Carlinhos parecia exaltar mais sua fala do que seus argumentos.
  • Os debatedores pareciam estar preparados para defender suas opiniões? É importante que os alunos percebam que Simone trabalhou com fatos e dados. Carlinhos, no entanto, não teve qualquer embasamento.
  • Algum dos dois debatentes estava menos credenciado a debater do que o outro? Espera-se que os alunos percebam que a formação de Simone é vasta e bastante sólida. Já a de Carlinhos não tem aprofundamento acadêmico. Além disso, as informações de Carlinhos não foram consistentes.
  • Há violência verbal ou física entre as partes debatentes? Como pode ser visto, há uma verbalização mais combativa por parte de Carlinhos.
  • O debate foi positivo? Ele contribuiu para que o tema seja mais bem avaliado por quem assistiu ao debate? É importante que os alunos notem que o debate não teve um efeito positivo no público, pois houve desvio da temática. A prova disso foi a opinião de Marlene, que entendeu que falar de vacinação era o mesmo que falar de drogas. Essa questão foi distorcida pela fala de Carlinhos, que fez essa associação equivocada.
  • O tempo para esta etapa é de 16 minutos.

Materiais complementares: Caderno para anotações, projetores e computador com acesso à internet.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 6 minutos

Orientações:

  • Projete o slide com o questionamento ou copie-o no quadro,
  • É importante ouvir as respostas esperadas, mas também é preciso pedir que os alunos registrem as informações no caderno para futuras consultas.
  • Espera-se respostas como:
  • Qual é a finalidade de um debate?
  • Expor e esclarecer opiniões ou ideias divergentes. Teoricamente, os debates são espaços para que grupos ou indivíduos com pontos de vista diferentes possam apresentar os seus argumentos e esclarecer dúvidas.
  • Qual é o público-alvo desse gênero textual?
  • Qualquer pessoa que tenha interesse pelo assunto debatido.
  • Qual é lugar onde o texto será veiculado?
  • Debates são gêneros orais, portanto, qualquer veículo ligado à mídia visual pode veiculá-los. É o caso da internet e da televisão. Pode-se, ainda, assistir presencialmente aos debates.
  • Quem são os integrantes de um debate?
  • Pessoas que possuem entendimento do assunto debatido, ou que sua experiência o faça pertencedor a causa que defende.
  • Quem organiza debates?
  • Os debates podem ser organizados por qualquer pessoa ou instituição.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Oralidade do 7º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 7º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP25 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano