15267
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 6º ano > Produção de textos

Plano de aula - A produção de Cartas de reclamação e a atuação na vida pública

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 6º ano do EF sobre A produção de Cartas de reclamação e a atuação na vida pública

Plano 15 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Danuza Kryshna Da Costa Lima

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é 15ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Cartas de reclamação/apresentação de propostas orais e no campo de atuação Vida pública. A aula faz parte do módulo Produção de texto.

Materiais necessários: Caderno, folhas ou bloco de anotações para rascunho, lápis, borracha, caneta, marcadores de texto em diversas cores.

Informações sobre o gênero: Textos de caráter epistolar, as Cartas de reclamação expressam a necessidade de um sujeito, inserido em uma prática de linguagem social concreta e determinada, se comunicar com o outro. Para isto, ele lança mão da escrita. Os interlocutores não estão em presença; há, portanto, um distanciamento espaço-temporal e, por isto, a utilização de elementos típicos dos gêneros epistolares, tais como “remetente”, “local”, “data”, “assinatura” .

Neste gênero, o remetente descreve um problema ocorrido ao seu destinatário a fim de que este consiga resolvê-lo. Uma das características mais específicas das Cartas de reclamação é seu caráter persuasivo, por utilizarem o discurso argumentativo para convencer o outro a solucionar determinado problema, este, por sua vez, de ordem individual e/ou coletiva. Já a apresentação de propostas orais concretiza-se no âmbito da oralidade, podendo os interlocutores estar próximos ou não. Neste gênero, de matriz também expressiva, o sujeito, enquanto ser social, dotado da compreensão e do uso da linguagem como fenômeno social, lança ao outro suas petições, utilizando-se da fala.

Dificuldades antecipadas: Os alunos poderão sentir dificuldades em revisar e fazer edições no texto por meio da reescrita, já que é preciso retomar por meio da leitura o próprio texto constantemente.

Referências sobre o assunto:

ELIAS, Vanda Maria, KOCH, Ingedore Villaça. Ler e escrever - estratégias de produção textual. São Paulo: Contexto, 2009.

ELIAS, Vanda Maria, KOCH, Ingedore Villaça. Escrever e argumentar. São Paulo: Contexto, 2009.

JACOB, Jeannette, JOLIBERT, Josette. Além dos muros da escola: a escrita como ponte entre alunos e comunidade. Rio de Janeiro: Artmed, 2008.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. O estudo dos gêneros mostra o funcionamento da sociedade in: Produção textual, análise de gêneros e compreensão.
São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

SCHNEUWLY, B.& DOLZ. J (2004). Os gêneros escolares - das práticas de linguagem aos objetos de ensino in: Gêneros orais e escritos na escola. Campinas, São Paulo: Mercado das Letras, 2004.

Livro fundamental para quem pretende compreender o funcionamento e a organização dos gêneros textuais, tanto orais como escritos, e sua aplicabilidade e estudo em sala de aula.

“...os gêneros formais públicos constituem objetos autônomos para o ensino do oral. Eles são autônomos no sentido de que o oral (os gêneros orais) é abordado como objeto de ensino e aprendizagem em si. Não constituem um percurso de passagem para a aprendizagem de outros comportamentos linguísticos (a escrita ou a produção escrita) ou não linguísticos (em relação somente a outros saberes disciplinares). Também não estão subordinados a
outros objetos de ensino-aprendizagem”. (DOLZ & SCHNEUWLY, 2004, p. 177).

“...a exposição deverá ser ordenada em partes e subpartes, que permitam distinguir as fases sucessivas de sua construção interna. Numa perspectiva de ensino, podem-se distinguir as seguintes partes: uma fase de abertura, uma fase de introdução ao tema, a apresentação do plano da exposição, o desenvolvimento
e o encadeamento dos diferentes temas, uma fase de recapitulação e síntese, a conclusão e o encerramento”. (DOLZ & SCHNEUWLY, 2004, p. 187-188).

MARCUSCHI, Beth, SUASSUNA, Lívia. Avaliação em língua portuguesa: contribuições para a prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica, 1ª Ed.,
1ª Reimpressão, 2007.

“ (...) avaliação é aqui vista como a ação processual de construir um valor provisório para o ser focalizado, mediante categorias social e culturalmente marcadas e interativamente elaboradas. Avaliar, portanto, envolve concepções de mundo, conhecimentos partilhados e a emissão de juízos de valor, juízos esses formulados a partir de informações coletadas e selecionadas em contextos sócio-históricos específicos”. (MARCUSCHI, 2007, p. 66).

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos.

Orientações:

  • Apresente o tema para a turma.

Esta será uma aula sobre revisão, edição e reescrita do gênero textual Cartas de reclamação. A aula parte do princípio de produção baseado nos parâmetros de interação social, o que acarreta compreender o lugar social daquele que escreve e a finalidade tanto da produção quanto da revisão e da reescrita do texto tendo em vista a interação entre os interlocutores, neste caso, o remetente e o destinatário. Para tanto, é importante que os estudantes já tenham tido contato com este gênero textual, seus elementos composicionais, seu contexto de produção e, sobretudo, sua funcionalidade, e que já tenham feito além de diversas leituras e estudos de textos do gênero em diferentes suportes, virtuais ou não, já tendo produzido o gênero em sala e/ou na escola sob orientação do professor. A ação de produzir um texto deve ser realizada em etapas, podendo ser iniciada em sala de aula e/ou continuada em casa, isto garante a continuidade sistemática da produção de texto, respeitando as suas etapas: planejamento – escrita – revisão – reescrita. Na ação com os estudantes, convém relembrar que o ensino com base em gênero textuais, segundo Beth Marcuschi, “responde a objetivos e interesses sociointeracionais próprios, definidos por comunidades com práticas linguísticas e normas sociais comuns“. (MARCUSCHI, 2007, p. 63).

Atenção: Nesta aula, os estudantes farão a releitura, a revisão e a reescrita de uma Carta de reclamação produzida em aula anterior. A título de sugestão, recomendamos a leitura dos planos 13 e 14 desta sequência de atividades, que abordam, respectivamente, a etapa inicial da produção de estratégias de planejamento textual e a produção propriamente dita. Na aula de número 13, é possível encontrar um esquema para planejamento elaborado exclusivamente para a produção de Cartas de reclamação. Já na aula de número 14, é disponibilizada uma rubrica de avaliação da produção de texto, elaborada exclusivamente para o gênero em estudo.

2. Ao apresentar o tema para a turma, levante os conhecimentos prévios dos estudantes para os seguintes pontos:

  • Após a produção da carta, vocês acreditam que o texto já esteja pronto? Expectativa de resposta: Não, todo texto precisa passar por revisões, é preciso reler novamente e tentar ajustar o texto ao propósito do gênero produzido, no caso a Carta de reclamação.
  • Como vocês imaginam que se dão a revisão e a reescrita? Expectativa de resposta: Primeiro com base na releitura do texto, depois vendo se ele está de acordo com o que propõe o gênero. Depois disso, se encontrado algum ponto, devemos reescrever e ajustar o texto conforme a funcionalidade, elementos composicionais e estilísticos do gênero.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Organize a turma em duplas (previamente escolhidas pelos próprios estudantes).

Para esta aula, sugerimos o trabalho em duplas por compreender que a atividade de revisão e reescrita de textos em duplas proporcionará maior diálogo entre os alunos, tendo em vista as novas descobertas para esta aula e os diálogos e ações a ser realizados para a revisão do próprio texto promovendo adaptações e ajustes para o que pede o gênero Carta de reclamação. Os alunos desta faixa etária tendem a aprender melhor trocando ideias e, muitas vezes, socializando informações sobre o planejamento do texto a ser produzido; a opção pela produção a quatro mãos (em duplas) auxilia também no desenvolvimento afetivo dos alunos.

Atenção: Sendo esta aula um momento para revisão e reescrita do texto, é necessário que o professor já tenha tido contato com a primeira versão do texto produzido pelos estudantes, feito uma análise prévia dos textos e destacado os pontos mais recorrentes a ser ajustados de acordo com a composição do gênero textual. Neste caso, a rubrica para avaliação de produção de Cartas de reclamação é de suma importância, pois oferece um apoio tanto ao estudante, na atividade de produção, quanto ao professor, no momento de revisão e avaliação do texto.

Como a produção de texto para esta sequência de atividades é realizada em duplas, o trabalho de revisão e reescrita também obedece o mesmo critério, sendo assim, a título de sugestão, recomendamos que, após leitura e análise prévias dos textos produzidos pelos estudantes, o professor escolha aqueles que apresentem significativos pontos para revisão e reescrita e socialize com a turma a fim de despertar nos estudantes os primeiros passos para esta etapa da aula. Desta forma, o professor ajudará a turma a criar um método de revisão próprio, de acordo com as necessidades de seu texto.

Disponibilizamos, para tanto, uma situação hipotética de revisão, na qual o professor utiliza um texto produzido por um aluno e aponta quais os direcionamentos a ser seguidos agora.

  • Apresente aos alunos um texto produzido por uma dupla da turma (texto transcrito abaixo destas orientações).
  • Proponha a leitura do texto com os alunos.
  • Dialogue rapidamente com os alunos sobre o texto apresentado:

  • Vocês acreditam que este texto já está pronto? Expectativa de resposta: Não, este texto precisa de alguns ajustes.
  • Que mudanças vocês poderiam sugerir neste texto? Pensando no formato de uma Carta de reclamação, o texto está adequado? Expectativa de resposta: Faltam alguns elementos que compõem o gênero Carta de reclamação, tais como a saudação, o assunto a ser abordado, melhor descrição do problema, o uso de argumentos para tentar convencer o destinatário sobre a possível resolução do problema, a despedida e uma melhor identificação dos interlocutores. Outra mudança sugerida é com relação à linguagem utilizada, que precisa ser mais objetiva, cordial e polida.

Este diálogo visa resgatar alguns conhecimentos que os alunos tenham tanto sobre o gênero Cartas de reclamação quanto sobre o processo de produção textual. Com base nas respostas dos estudantes, a aula será direcionada para a atividade de revisão e reescrita levando em conta a necessidade existente no texto
de cada dupla. Assim, o professor dará dicas de como iniciar os ajustes no texto. Esta etapa da aula será considerada satisfatória se os alunos detectarem que o texto não está pronto e precisa de ajustes, tendo em vista os elementos composicionais e estilísticos do gênero.

Transcrição do texto:

Igarassu, 10 de dezembro de 2018

Senhor Carlos Souza,

Faz um tempo que observamos a rua que moramos muito suja, a rua, ela está cheia de lixo, de entulho e resto de construção, o senhor pode ver pelas fotos.

É preciso tomar uma providência; os moradores reclamavam que a coleta do lixo não passa. A coleta era pra passar três vezes na semana, mas só passa uma e a rua fica toda suja direto.

Assinado: Alunos do 6º ano C da Escola Municipal Duarte Coelho

Materiais complementares:

Link para o texto da imagem. Clique aqui

Este documento contém uma Carta de reclamação produzida por uma dupla de alunos do 6º ano. Esta é a primeira versão (ainda em manuscrito) do texto, e a título de sugestão é colocada neste plano, podendo, claro, ser substituída por um texto produzido por um aluno ou dupla de alunos da turma.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos.

Orientações:

  • Mostre a versão reescrita do texto apresentado anteriormente.

Antes de apresentar a última versão do texto, desta vez reescrito, mostre ao alunos a legenda utilizada para os ajustes na Carta de reclamação.

Nesta etapa, é importante destacar aos alunos a importância da atividade de revisão do texto e, sobretudo, dos elementos que compõem aquele gênero. Mais importante do que direcioná-los para a adaptação da linguagem para a norma-padrão e focar nos aspectos gramaticais é fazer com que os alunos percebam a função social do gênero textual produzido, priorizando, assim, o sociointeracionismo da atividade de produção de texto.

Compreende-se aqui a produção de texto como algo não mecânico, por isso afirma-se que não existe texto perfeito.

  • Proponha aos alunos a releitura de seu próprio texto e em seguida, a produção dos ajustes necessários.

Para esta ação, a título de sugestão, recomendamos que os alunos (ainda em duplas) estabeleçam entre si um diálogo maior, permitindo que ambos os alunos consigam realizar no texto as ações de releitura e reescrita, não deixando a cargo de apenas um da dupla a atividade, por exemplo, de reescrita. Esta opção garante aos alunos uma visão mais ampla do processo de revisão e edição do texto.

3. Circule pelas duplas de alunos, orientando as revisões e as reescritas do texto.

Sugira aos alunos que utilizem uma segunda folha de rascunho para a atividade de reescrita. Canetas coloridas ou marcadores de texto também são úteis para isto. Assim como no exemplo do slide, os alunos podem em conjunto (duplas) apontar na primeira versão do texto o que precisa ser ajustado.

Assim como a ação de produzir um texto, a atividade de revisão e de edição do texto demanda tempo, por isso, pode-se sugerir aos alunos que, após os encaminhamentos de revisão e edição e iniciados os primeiros passos de reescrita, esta ação possa ser desenvolvida em casa e a versão final do texto ser entregue na aula seguinte, como fechamento da sequência.

Materiais complementares:

Link de acesso para o texto revisado. Clique aqui

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Mostre a versão reescrita do texto apresentado anteriormente.

Nesta etapa, é essencial destacar aos alunos a importância da atividade de revisão do texto e, sobretudo, dos elementos que compõem este gênero. Mais importante do que direcioná-los para a adaptação da linguagem para a norma-padrão e focar nos aspectos gramaticais é fazer com que os alunos percebam a função social do gênero textual produzido, priorizando, assim, o sociointeracionismo da atividade.

Compreende-se aqui a produção de texto como algo não mecânico, por isso afirma-se que não existe texto perfeito,

  • Proponha aos alunos a releitura de seu próprio texto e, em seguida, a produção dos ajustes necessários.

Para esta ação, a título de sugestão, recomendamos que os alunos (ainda em duplas), estabeleçam entre si um diálogo maior, permitindo que ambos os alunos consigam realizar no texto as ações de releitura e reescrita, não deixando a cargo de apenas um da dupla a atividade, por exemplo, de reescrita. Esta opção garante aos alunos uma visão mais ampla do processo de revisão e edição do texto.

3. Circule pelas duplas de alunos, orientando as revisões e reescritas do texto.

Sugira aos alunos que utilizem uma segunda folha de rascunho para a atividade de reescrita. Canetas coloridas ou marcadores de texto também são úteis. Assim como no exemplo do slide, os alunos podem em conjunto (duplas) apontar na primeira versão do texto o que precisa ser ajustado.

Assim como a ação de produzir um texto, a atividade de revisão e de edição do texto demanda tempo, por isso, pode-se sugerir aos alunos que, após os encaminhamentos de revisão e edição, e iniciados os primeiros passos de reescrita, esta ação possa ser desenvolvida em casa e a versão final do texto ser entregue na aula seguinte, como fechamento da sequência.

Materiais complementares:

Link de acesso para o texto revisado. Clique aqui

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Solicite aos alunos que socializem suas cartas entre os colegas de turma.

Esta socialização pode ser realizada oralmente de forma rápida, pois subentende-se que os alunos já tenham trocado ideias entre eles sobre os textos.
É importante também garantir aos alunos que a carta produzida por eles terá outros leitores, não apenas o professor. A produção de textos, neste sentido, visa a sociointeração, por isto a sugestão é que as cartas sejam encaminhadas aos seus respectivos interlocutores e que esta ação seja acompanhada por um grupo de alunos, o que garante autonomia e. sobretudo, atuação no campo da vida pública, por meio do do trabalho com a linguagem.

  • Finalize a aula recolhendo os textos devidamente revisados para encaminhamento ao destinatário.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é 15ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Cartas de reclamação/apresentação de propostas orais e no campo de atuação Vida pública. A aula faz parte do módulo Produção de texto.

Materiais necessários: Caderno, folhas ou bloco de anotações para rascunho, lápis, borracha, caneta, marcadores de texto em diversas cores.

Informações sobre o gênero: Textos de caráter epistolar, as Cartas de reclamação expressam a necessidade de um sujeito, inserido em uma prática de linguagem social concreta e determinada, se comunicar com o outro. Para isto, ele lança mão da escrita. Os interlocutores não estão em presença; há, portanto, um distanciamento espaço-temporal e, por isto, a utilização de elementos típicos dos gêneros epistolares, tais como “remetente”, “local”, “data”, “assinatura” .

Neste gênero, o remetente descreve um problema ocorrido ao seu destinatário a fim de que este consiga resolvê-lo. Uma das características mais específicas das Cartas de reclamação é seu caráter persuasivo, por utilizarem o discurso argumentativo para convencer o outro a solucionar determinado problema, este, por sua vez, de ordem individual e/ou coletiva. Já a apresentação de propostas orais concretiza-se no âmbito da oralidade, podendo os interlocutores estar próximos ou não. Neste gênero, de matriz também expressiva, o sujeito, enquanto ser social, dotado da compreensão e do uso da linguagem como fenômeno social, lança ao outro suas petições, utilizando-se da fala.

Dificuldades antecipadas: Os alunos poderão sentir dificuldades em revisar e fazer edições no texto por meio da reescrita, já que é preciso retomar por meio da leitura o próprio texto constantemente.

Referências sobre o assunto:

ELIAS, Vanda Maria, KOCH, Ingedore Villaça. Ler e escrever - estratégias de produção textual. São Paulo: Contexto, 2009.

ELIAS, Vanda Maria, KOCH, Ingedore Villaça. Escrever e argumentar. São Paulo: Contexto, 2009.

JACOB, Jeannette, JOLIBERT, Josette. Além dos muros da escola: a escrita como ponte entre alunos e comunidade. Rio de Janeiro: Artmed, 2008.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. O estudo dos gêneros mostra o funcionamento da sociedade in: Produção textual, análise de gêneros e compreensão.
São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

SCHNEUWLY, B.& DOLZ. J (2004). Os gêneros escolares - das práticas de linguagem aos objetos de ensino in: Gêneros orais e escritos na escola. Campinas, São Paulo: Mercado das Letras, 2004.

Livro fundamental para quem pretende compreender o funcionamento e a organização dos gêneros textuais, tanto orais como escritos, e sua aplicabilidade e estudo em sala de aula.

“...os gêneros formais públicos constituem objetos autônomos para o ensino do oral. Eles são autônomos no sentido de que o oral (os gêneros orais) é abordado como objeto de ensino e aprendizagem em si. Não constituem um percurso de passagem para a aprendizagem de outros comportamentos linguísticos (a escrita ou a produção escrita) ou não linguísticos (em relação somente a outros saberes disciplinares). Também não estão subordinados a
outros objetos de ensino-aprendizagem”. (DOLZ & SCHNEUWLY, 2004, p. 177).

“...a exposição deverá ser ordenada em partes e subpartes, que permitam distinguir as fases sucessivas de sua construção interna. Numa perspectiva de ensino, podem-se distinguir as seguintes partes: uma fase de abertura, uma fase de introdução ao tema, a apresentação do plano da exposição, o desenvolvimento
e o encadeamento dos diferentes temas, uma fase de recapitulação e síntese, a conclusão e o encerramento”. (DOLZ & SCHNEUWLY, 2004, p. 187-188).

MARCUSCHI, Beth, SUASSUNA, Lívia. Avaliação em língua portuguesa: contribuições para a prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica, 1ª Ed.,
1ª Reimpressão, 2007.

“ (...) avaliação é aqui vista como a ação processual de construir um valor provisório para o ser focalizado, mediante categorias social e culturalmente marcadas e interativamente elaboradas. Avaliar, portanto, envolve concepções de mundo, conhecimentos partilhados e a emissão de juízos de valor, juízos esses formulados a partir de informações coletadas e selecionadas em contextos sócio-históricos específicos”. (MARCUSCHI, 2007, p. 66).

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos.

Orientações:

  • Apresente o tema para a turma.

Esta será uma aula sobre revisão, edição e reescrita do gênero textual Cartas de reclamação. A aula parte do princípio de produção baseado nos parâmetros de interação social, o que acarreta compreender o lugar social daquele que escreve e a finalidade tanto da produção quanto da revisão e da reescrita do texto tendo em vista a interação entre os interlocutores, neste caso, o remetente e o destinatário. Para tanto, é importante que os estudantes já tenham tido contato com este gênero textual, seus elementos composicionais, seu contexto de produção e, sobretudo, sua funcionalidade, e que já tenham feito além de diversas leituras e estudos de textos do gênero em diferentes suportes, virtuais ou não, já tendo produzido o gênero em sala e/ou na escola sob orientação do professor. A ação de produzir um texto deve ser realizada em etapas, podendo ser iniciada em sala de aula e/ou continuada em casa, isto garante a continuidade sistemática da produção de texto, respeitando as suas etapas: planejamento – escrita – revisão – reescrita. Na ação com os estudantes, convém relembrar que o ensino com base em gênero textuais, segundo Beth Marcuschi, “responde a objetivos e interesses sociointeracionais próprios, definidos por comunidades com práticas linguísticas e normas sociais comuns“. (MARCUSCHI, 2007, p. 63).

Atenção: Nesta aula, os estudantes farão a releitura, a revisão e a reescrita de uma Carta de reclamação produzida em aula anterior. A título de sugestão, recomendamos a leitura dos planos 13 e 14 desta sequência de atividades, que abordam, respectivamente, a etapa inicial da produção de estratégias de planejamento textual e a produção propriamente dita. Na aula de número 13, é possível encontrar um esquema para planejamento elaborado exclusivamente para a produção de Cartas de reclamação. Já na aula de número 14, é disponibilizada uma rubrica de avaliação da produção de texto, elaborada exclusivamente para o gênero em estudo.

2. Ao apresentar o tema para a turma, levante os conhecimentos prévios dos estudantes para os seguintes pontos:

  • Após a produção da carta, vocês acreditam que o texto já esteja pronto? Expectativa de resposta: Não, todo texto precisa passar por revisões, é preciso reler novamente e tentar ajustar o texto ao propósito do gênero produzido, no caso a Carta de reclamação.
  • Como vocês imaginam que se dão a revisão e a reescrita? Expectativa de resposta: Primeiro com base na releitura do texto, depois vendo se ele está de acordo com o que propõe o gênero. Depois disso, se encontrado algum ponto, devemos reescrever e ajustar o texto conforme a funcionalidade, elementos composicionais e estilísticos do gênero.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Organize a turma em duplas (previamente escolhidas pelos próprios estudantes).

Para esta aula, sugerimos o trabalho em duplas por compreender que a atividade de revisão e reescrita de textos em duplas proporcionará maior diálogo entre os alunos, tendo em vista as novas descobertas para esta aula e os diálogos e ações a ser realizados para a revisão do próprio texto promovendo adaptações e ajustes para o que pede o gênero Carta de reclamação. Os alunos desta faixa etária tendem a aprender melhor trocando ideias e, muitas vezes, socializando informações sobre o planejamento do texto a ser produzido; a opção pela produção a quatro mãos (em duplas) auxilia também no desenvolvimento afetivo dos alunos.

Atenção: Sendo esta aula um momento para revisão e reescrita do texto, é necessário que o professor já tenha tido contato com a primeira versão do texto produzido pelos estudantes, feito uma análise prévia dos textos e destacado os pontos mais recorrentes a ser ajustados de acordo com a composição do gênero textual. Neste caso, a rubrica para avaliação de produção de Cartas de reclamação é de suma importância, pois oferece um apoio tanto ao estudante, na atividade de produção, quanto ao professor, no momento de revisão e avaliação do texto.

Como a produção de texto para esta sequência de atividades é realizada em duplas, o trabalho de revisão e reescrita também obedece o mesmo critério, sendo assim, a título de sugestão, recomendamos que, após leitura e análise prévias dos textos produzidos pelos estudantes, o professor escolha aqueles que apresentem significativos pontos para revisão e reescrita e socialize com a turma a fim de despertar nos estudantes os primeiros passos para esta etapa da aula. Desta forma, o professor ajudará a turma a criar um método de revisão próprio, de acordo com as necessidades de seu texto.

Disponibilizamos, para tanto, uma situação hipotética de revisão, na qual o professor utiliza um texto produzido por um aluno e aponta quais os direcionamentos a ser seguidos agora.

  • Apresente aos alunos um texto produzido por uma dupla da turma (texto transcrito abaixo destas orientações).
  • Proponha a leitura do texto com os alunos.
  • Dialogue rapidamente com os alunos sobre o texto apresentado:

  • Vocês acreditam que este texto já está pronto? Expectativa de resposta: Não, este texto precisa de alguns ajustes.
  • Que mudanças vocês poderiam sugerir neste texto? Pensando no formato de uma Carta de reclamação, o texto está adequado? Expectativa de resposta: Faltam alguns elementos que compõem o gênero Carta de reclamação, tais como a saudação, o assunto a ser abordado, melhor descrição do problema, o uso de argumentos para tentar convencer o destinatário sobre a possível resolução do problema, a despedida e uma melhor identificação dos interlocutores. Outra mudança sugerida é com relação à linguagem utilizada, que precisa ser mais objetiva, cordial e polida.

Este diálogo visa resgatar alguns conhecimentos que os alunos tenham tanto sobre o gênero Cartas de reclamação quanto sobre o processo de produção textual. Com base nas respostas dos estudantes, a aula será direcionada para a atividade de revisão e reescrita levando em conta a necessidade existente no texto
de cada dupla. Assim, o professor dará dicas de como iniciar os ajustes no texto. Esta etapa da aula será considerada satisfatória se os alunos detectarem que o texto não está pronto e precisa de ajustes, tendo em vista os elementos composicionais e estilísticos do gênero.

Transcrição do texto:

Igarassu, 10 de dezembro de 2018

Senhor Carlos Souza,

Faz um tempo que observamos a rua que moramos muito suja, a rua, ela está cheia de lixo, de entulho e resto de construção, o senhor pode ver pelas fotos.

É preciso tomar uma providência; os moradores reclamavam que a coleta do lixo não passa. A coleta era pra passar três vezes na semana, mas só passa uma e a rua fica toda suja direto.

Assinado: Alunos do 6º ano C da Escola Municipal Duarte Coelho

Materiais complementares:

Link para o texto da imagem. Clique aqui

Este documento contém uma Carta de reclamação produzida por uma dupla de alunos do 6º ano. Esta é a primeira versão (ainda em manuscrito) do texto, e a título de sugestão é colocada neste plano, podendo, claro, ser substituída por um texto produzido por um aluno ou dupla de alunos da turma.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos.

Orientações:

  • Mostre a versão reescrita do texto apresentado anteriormente.

Antes de apresentar a última versão do texto, desta vez reescrito, mostre ao alunos a legenda utilizada para os ajustes na Carta de reclamação.

Nesta etapa, é importante destacar aos alunos a importância da atividade de revisão do texto e, sobretudo, dos elementos que compõem aquele gênero. Mais importante do que direcioná-los para a adaptação da linguagem para a norma-padrão e focar nos aspectos gramaticais é fazer com que os alunos percebam a função social do gênero textual produzido, priorizando, assim, o sociointeracionismo da atividade de produção de texto.

Compreende-se aqui a produção de texto como algo não mecânico, por isso afirma-se que não existe texto perfeito.

  • Proponha aos alunos a releitura de seu próprio texto e em seguida, a produção dos ajustes necessários.

Para esta ação, a título de sugestão, recomendamos que os alunos (ainda em duplas) estabeleçam entre si um diálogo maior, permitindo que ambos os alunos consigam realizar no texto as ações de releitura e reescrita, não deixando a cargo de apenas um da dupla a atividade, por exemplo, de reescrita. Esta opção garante aos alunos uma visão mais ampla do processo de revisão e edição do texto.

3. Circule pelas duplas de alunos, orientando as revisões e as reescritas do texto.

Sugira aos alunos que utilizem uma segunda folha de rascunho para a atividade de reescrita. Canetas coloridas ou marcadores de texto também são úteis para isto. Assim como no exemplo do slide, os alunos podem em conjunto (duplas) apontar na primeira versão do texto o que precisa ser ajustado.

Assim como a ação de produzir um texto, a atividade de revisão e de edição do texto demanda tempo, por isso, pode-se sugerir aos alunos que, após os encaminhamentos de revisão e edição e iniciados os primeiros passos de reescrita, esta ação possa ser desenvolvida em casa e a versão final do texto ser entregue na aula seguinte, como fechamento da sequência.

Materiais complementares:

Link de acesso para o texto revisado. Clique aqui

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Mostre a versão reescrita do texto apresentado anteriormente.

Nesta etapa, é essencial destacar aos alunos a importância da atividade de revisão do texto e, sobretudo, dos elementos que compõem este gênero. Mais importante do que direcioná-los para a adaptação da linguagem para a norma-padrão e focar nos aspectos gramaticais é fazer com que os alunos percebam a função social do gênero textual produzido, priorizando, assim, o sociointeracionismo da atividade.

Compreende-se aqui a produção de texto como algo não mecânico, por isso afirma-se que não existe texto perfeito,

  • Proponha aos alunos a releitura de seu próprio texto e, em seguida, a produção dos ajustes necessários.

Para esta ação, a título de sugestão, recomendamos que os alunos (ainda em duplas), estabeleçam entre si um diálogo maior, permitindo que ambos os alunos consigam realizar no texto as ações de releitura e reescrita, não deixando a cargo de apenas um da dupla a atividade, por exemplo, de reescrita. Esta opção garante aos alunos uma visão mais ampla do processo de revisão e edição do texto.

3. Circule pelas duplas de alunos, orientando as revisões e reescritas do texto.

Sugira aos alunos que utilizem uma segunda folha de rascunho para a atividade de reescrita. Canetas coloridas ou marcadores de texto também são úteis. Assim como no exemplo do slide, os alunos podem em conjunto (duplas) apontar na primeira versão do texto o que precisa ser ajustado.

Assim como a ação de produzir um texto, a atividade de revisão e de edição do texto demanda tempo, por isso, pode-se sugerir aos alunos que, após os encaminhamentos de revisão e edição, e iniciados os primeiros passos de reescrita, esta ação possa ser desenvolvida em casa e a versão final do texto ser entregue na aula seguinte, como fechamento da sequência.

Materiais complementares:

Link de acesso para o texto revisado. Clique aqui

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Solicite aos alunos que socializem suas cartas entre os colegas de turma.

Esta socialização pode ser realizada oralmente de forma rápida, pois subentende-se que os alunos já tenham trocado ideias entre eles sobre os textos.
É importante também garantir aos alunos que a carta produzida por eles terá outros leitores, não apenas o professor. A produção de textos, neste sentido, visa a sociointeração, por isto a sugestão é que as cartas sejam encaminhadas aos seus respectivos interlocutores e que esta ação seja acompanhada por um grupo de alunos, o que garante autonomia e. sobretudo, atuação no campo da vida pública, por meio do do trabalho com a linguagem.

  • Finalize a aula recolhendo os textos devidamente revisados para encaminhamento ao destinatário.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Produção de textos do 6º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 6º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF67LP19 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP22 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano