15266
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 6º ano > Oralidade

Plano de aula - Estratégias de organização textual para apresentação de propostas orais

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 6º ano do EF sobre Estratégias de organização textual para apresentação de propostas orais

Plano 11 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Danuza Kryshna Da Costa Lima

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é 11ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero cartas de reclamação/apresentação de propostas orais e no campo de atuação na vida pública. A aula faz parte do módulo de Oralidade. Esta será uma aula sobre o gênero oral Apresentação de propostas orais; nela, os alunos poderão organizar roteiros, fazer anotações e ensaiar a apresentação de uma proposta oral. Esta será uma aula para vivenciar na prática a organização de uma apresentação de proposta oral, a escolha dos argumentos para construção do texto oral. Dessa forma, o aluno poderá vivenciar as situações de produção do gênero. Para tanto, é importante que os estudantes já tenham tido contato com este gênero oral, seus elementos composicionais, seu contexto de produção e sobretudo, sua organização enquanto discurso oral.

Materiais necessários: Caderno, canetas, marcadores de texto, lápis, celular ou gravador de voz.

Informações sobre o gênero: A apresentação de propostas orais concretiza-se no âmbito da oralidade e está dentro da esfera dos gêneros orais do campo da argumentação. A partir da interação discursiva, observa-se que os interlocutores podem estar próximos ou não. Neste gênero, de matriz também expressiva, o sujeito, enquanto ser social, dotado da compreensão e uso da linguagem como fenômeno social, lança ao outro suas petições, utilizando-se da fala. Já nas cartas de reclamação, o texto possui caráter epistolar e expressa a necessidade de um sujeito, inserido em uma prática de linguagem social concreta e determinada, de se comunicar com o outro. Para isto, ele lança mão da escrita. Os interlocutores não estão em presença; há, portanto, um distanciamento espaço-temporal e por isto, há utilização de elementos típicos dos gêneros epistolares, tais como “remetente”, “local”, “data”, “assinatura”.

Dificuldades antecipadas: Organizar o discurso oral por meio de anotações e pesquisas temáticas pode ser uma dificuldade a ser encontrada pelos alunos no momento da preparação das apresentações de propostas orais, contudo, é possivelmente solucionada por meio do debate e discussão coletiva de ideias.

Referências sobre o assunto:

MARCURSCHI , Luiz Antônio; DIONÍSIO, Ângela Paiva (orgs). Fala e escrita. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 1ª edição, 1ª Reimpressão, 2007.

Esta publicação reúne textos importantes para a compreensão dos fenômenos que circundam o campo da oralidade, os gêneros orais e seu ensino. Os artigos que compõem esta publicação perpassam os campos da oralidade escrita, propondo reflexões sobre a multimodalidade em atividades com gêneros orais e escritos, a caracterização do gênero oral, bem como as estratégias de textualização na fala e na escrita.

“Toda a atividade discursiva e todas as práticas lingüísticas se dão em textos orais ou escritos com a presença de semiologias de outras áreas, como a gestualidade e o olhar, na fala, ou elementos pictóricos e gráficos, na escrita. Assim, as produções discursivas são eventos complexos constituídos de várias ordens simbólicas que podem ir além do recurso estritamente lingüístico. Mas toda nossa atividade discursiva situa-se, grosso modo, no contexto da fala ou da escrita” (MARCUSCHI, DIONÍSIO, 2007, p. 13).

MARCURSCHI, Luiz Antônio. O estudo dos gêneros mostra o funcionamento da sociedade in: Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

SCHNEUWLY, B.& DOLZ. J (2004). Os gêneros escolares - das práticas de linguagem aos objetos de ensino in: Gêneros orais e escritos na escola. Campinas, São Paulo: Mercado das Letras, 2004.

Livro fundamental para quem se pretende compreender o funcionamento e organização dos gêneros textuais, tanto orais como escritos e sua aplicabilidade e estudo em sala de aula.

“...os gêneros formais públicos constituem objetos autônomos para o ensino do oral. Eles são autônomos no sentido de que o oral (os gêneros orais) é abordado como objeto de ensino e aprendizagem em si. Não constituem um percurso de passagem para a aprendizagem de outros comportamentos lingüísticos (a escrita ou a produção escrita) ou não-lingüísticos (em relação somente com outros saberes disciplinares). Também não estão subordinados a outros objetos de ensino-aprendizagem”. (DOLZ & SCHNEUWLY, 2004, p.177)

MARCURSCHI, Beth, SUASSUNA, Lívia. Avaliação em Língua portuguesa: contribuições para a prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica, 1ª Ed, 1ª Reimpressão, 2007.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

1. Apresente o tema para a turma e, ao apresentar, ative a percepção dos alunos para a importância de se planejar a apresentação de uma proposta de forma oral.

2. Levante os conhecimentos prévios dos alunos para os seguintes pontos:

  • Como vocês se organizam para uma exposição de propostas orais? Geralmente é preciso organizar em forma de roteiro como será a apresentação.
  • Como se dá a elaboração deste roteiro? De forma coletiva, caso a apresentação seja em equipe. No roteiro deve constar exatamente como se dará a apresentação, desde a saudação às pessoas presentes à exposição e defesa de ideias e despedida.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Organize a turma em equipes (preferencialmente quartetos). A atividade em equipes proporcionará maior diálogo entre os alunos, tendo em vista a necessária articulação de ideias e síntese de ações a serem organizadas para o planejamento da apresentação de proposta oral. Em alguns momentos, será importante a troca de ideias e o diálogo, por isto a opção por atividades em quartetos. Este número de alunos por equipe permite maior interação, sem perda de foco no desenvolvimento das habilidades por ser um grupo pequeno. Os alunos desta faixa etária tendem a aprender melhor trocando ideias e muitas vezes, socializando suas atividades. A opção por atividades coletivas auxilia também no desenvolvimento afetivo dos alunos.
  • Com os alunos organizados em equipes, apresente a pergunta inicial. Ao fazer a pergunta inicial, desperte a reflexão dos alunos para a necessidade de se pensar sobre o ambiente escolar, a comunidade, os espaços físicos da cidade e temas de interesse coletivo que trarão uma contribuição significativa para a escola ou para comunidade na qual a escola está inserida. Desta forma, os alunos poderão encontrar algo que os instigue a expor ideias e propor alguma intervenção, se for o caso.
  • É importante que a escolha do tema para o planejamento da apresentação da proposta oral parta dos alunos, valorizando, assim, seu protagonismo e autonomia. Circule entre os alunos a fim de lhes dar suporte no sentido de esclarecer dúvidas quanto à pertinência do tema proposto, da relevância e de sua utilidade coletiva. É preciso esclarecer aos alunos que esta aula terá um tema único para toda a turma, portanto eles precisam entrar em acordo para a escolha do tema. Sugere-se uma votação sobre temas relevantes como “espaço escolar”. Os alunos devem imaginar um interlocutor real que irá ouvir a proposta deles de fato. Então, deve ser alguma autoridade próxima. Esta é parte fundamental no desenvolvimento desta aula, a tentativa de reprodução do contexto de produção do gênero oral em estudo.
  • Inicie uma votação para a escolha do tema.
  • Após a escolha do tema, escreva no quadro o tema escolhido pela turma.
  • Caso os alunos optem por propor melhorias, por exemplo, na quadra de esportes, tais como pintura para que a quadra seja poliesportiva, instalação de rede, de cestinha de basquete etc., que eles busquem dados sobre a importância dos esportes na escola, do quanto isso afeta positivamente os adolescentes, do impacto positivo à saúde mental e física. A mesma coisa se houver o relato de algum problema na comunidade escolar ou na estrutura física da escola, será preciso um levantamento de informações, fotografias, depoimentos, inclusive de alunos e funcionários.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Distribua entre as equipes o roteiro de planejamento para a apresentação da proposta oral. Este roteiro será preenchido pelos alunos, em equipe, baseado na organização prévia de seu discurso oral, forma de apresentação e recursos a serem utilizados. A elaboração deste roteiro é de suma importância para a articulação das ideias e sua posterior materialização no campo da oralidade. Ao produzir o roteiro, as equipes podem elaborar perguntas para o seu interlocutor, tomando cuidado com o teor das perguntas, sua pertinência e, sobretudo, se esta são passíveis de resposta.
  • Circule entre as equipes. Chame a atenção dos alunos para a organização do roteiro. Neste ponto, a aula deverá centrar-se nos elementos composicionais do gênero “apresentação de propostas orais”. A intenção não é a elaboração de um discurso para a apresentação, mas o levantamento de dados que favorecerão a produção de possíveis argumentos de defesa de uma determinada ideia e a arguição do tema apresentado. Para isto, desperte a percepção dos alunos para os seguintes pontos:
  • Que informações vocês possuem sobre o tema? Estas informações são importantes?
  • Estes são questionamentos pertinentes para quem deseja apresentar-se oralmente. A escolha das informações a serem apresentadas faz toda a diferença, é preciso buscar a atenção dos alunos para estas questões, a fim de sistematizar o que será dito, contudo, é indispensável que haja espontaneidade na apresentação, evitando a memorização de dados, leitura do roteiro ao invés da exposição da proposta.
  • Oriente os alunos na elaboração do roteiro, apresentando-lhes um roteiro pronto para servir-lhes de guia e/ ou modelo.
  • A título de sugestão, solicite aos alunos que, no caderno, elaborem um checklist de materiais necessários para a apresentação. Este item está disponível neste plano, a título de sugestão, inclusive para viabilizar e garantir o cumprimento do tempo para a aula.

Materiais complementares:

Link para o roteiro para apresentação de proposta oral aqui

Este roteiro está organizado em quatro blocos e se faz necessário explicar cada etapa dele alunos:

  • Apresentação do interlocutor - O momento inicial do roteiro propõe a apresentação do interlocutor, responsável por apresentar os fatos e a proposta da turma de forma clara e objetiva.
  • Exposição de fatos - Nesta etapa do discurso oral, os alunos deverão expor as principais informações sobre o tema coletadas (em pesquisa pelo grupo) - Dessa forma, é importante disponibilizar durante a aula acesso à internet, se for o caso, para pesquisa do tema. Caso a turma tenha optado por algo mais próximo de sua realidade, por exemplo, a infraestrutura da escola, a limpeza das ruas da cidade etc., sugere-se um tempo (de no máximo dois dias), para que os alunos coletem material de pesquisa, tais como entrevistas, produzam cartazes, gravem vídeos curtos com a comunidade ou estudantes.
  • Defesa da proposta - Exposição de argumentos para convencer o interlocutor sobre a pertinência da proposta.
  • Encerramento da apresentação - Ao final da apresentação, os alunos podem agradecer a oportunidade de fala e reafirmar a importância da proposta apresentada.

Link para a ficha de Check list: aqui

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Após a produção do roteiro para apresentação da proposta oral, dialogue com os alunos sobre a postura do interlocutor durante a apresentação.
  • Ao dialogar com os alunos sobre a postura a ser adotada diante da apresentação de uma proposta, é necessário deixar claro para eles que apresentar algo para a turma não é meramente ler o roteiro e apontar algumas imagens em slides ou cartazes, mas sobretudo, conversar com os colegas de sala sobre o tema que pesquisou ou a ideia que defende, utilizando sempre uma linguagem clara, tom de voz adequado, postura cordial.
  • A orientação de como se portar durante a apresentação leva em consideração alguns critérios pertencentes a aspectos de ordem extralinguística, paralinguística e linguístico-discursiva.
  • Converse com os alunos sobre algumas atitudes a serem tomadas ou evitadas durante a apresentação. O ideal é que esta conversa seja realizada com os alunos e que eles próprios acrescentem pontos importantes. Algumas dúvidas surgirão por parte dos alunos:
  • Como deve ser minha postura? Cuidado com a postura, mantenha-se sempre visível para as pessoas e evite encostar-se na parede e ficar de cabeça baixa.
  • E minha voz, como devo usá-la? Tenha sempre um tom de voz agradável (nem muito alto, nem muito baixo).
  • Quanto à linguagem, posso usar a linguagem informal? Utilize sempre uma linguagem clara, de preferência na modalidade formal da língua.
  • E se alguém não concordar com o que digo? Evite discussões, seja sempre cordial e educado com os colegas.
  • Devo olhar para as pessoas que assistem a apresentação? Procure olhar para as pessoas, evitando olhar apenas uma.
  • Se eu ficar nervoso? Relaxe os ombros, evite ficar tenso e encurvado, controle sua respiração.
  • Se eu for perguntado sobre alguma coisa? Ao ser questionado sobre algo, seja objetivo ao responder.
  • Posso ler o roteiro? Evite ler o roteiro de apresentação, ele serve somente de guia. Baixar os olhos para ler o roteiro acaba provocando o desinteresse da plateia.
  • Se eu tiver sede? Tenha sempre um copo de água à mão, pode pedir licença e beber sem problemas.
  • Posso falar a qualquer momento? Ao iniciar um breve debate, respeite o momento de fala do outro e sempre espere sua vez de falar.
  • Solicite aos alunos que, em equipe, apresentem o roteiro de sua apresentação.
  • Neste momento da aula, os alunos podem apresentar um ensaio a fim de obter mais orientações e tirar dúvidas que porventura venham a surgir. A depender do quantitativo de alunos, reserve de 2 a 5 minutos para cada equipe, sensibilizando sempre os alunos acerca do cumprimento do tempo previsto para cada equipe.
  • Durante o “breve ensaio”, pode-se fazer algumas considerações, retomando sempre os aspectos e posturas que orientam o ato comunicativo, exposto aos alunos ainda no desenvolvimento desta aula. Os alunos podem, com o auxílio do celular, filmar o ensaio de sua equipe, ou mesmo gravar em áudio esta etapa da aula, para servir de apoio para a apresentação definitiva.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Converse com os alunos sobre os últimos ajustes no roteiro de apresentação da proposta oral. Retome as orientações anteriores e solicite às equipes que revejam seu checklist. Após o breve ensaio, dialogue com os alunos sobre as dificuldades que sentiram ao produzir o roteiro, as expectativas para a apresentação, o que ainda podem melhorar.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é 11ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero cartas de reclamação/apresentação de propostas orais e no campo de atuação na vida pública. A aula faz parte do módulo de Oralidade. Esta será uma aula sobre o gênero oral Apresentação de propostas orais; nela, os alunos poderão organizar roteiros, fazer anotações e ensaiar a apresentação de uma proposta oral. Esta será uma aula para vivenciar na prática a organização de uma apresentação de proposta oral, a escolha dos argumentos para construção do texto oral. Dessa forma, o aluno poderá vivenciar as situações de produção do gênero. Para tanto, é importante que os estudantes já tenham tido contato com este gênero oral, seus elementos composicionais, seu contexto de produção e sobretudo, sua organização enquanto discurso oral.

Materiais necessários: Caderno, canetas, marcadores de texto, lápis, celular ou gravador de voz.

Informações sobre o gênero: A apresentação de propostas orais concretiza-se no âmbito da oralidade e está dentro da esfera dos gêneros orais do campo da argumentação. A partir da interação discursiva, observa-se que os interlocutores podem estar próximos ou não. Neste gênero, de matriz também expressiva, o sujeito, enquanto ser social, dotado da compreensão e uso da linguagem como fenômeno social, lança ao outro suas petições, utilizando-se da fala. Já nas cartas de reclamação, o texto possui caráter epistolar e expressa a necessidade de um sujeito, inserido em uma prática de linguagem social concreta e determinada, de se comunicar com o outro. Para isto, ele lança mão da escrita. Os interlocutores não estão em presença; há, portanto, um distanciamento espaço-temporal e por isto, há utilização de elementos típicos dos gêneros epistolares, tais como “remetente”, “local”, “data”, “assinatura”.

Dificuldades antecipadas: Organizar o discurso oral por meio de anotações e pesquisas temáticas pode ser uma dificuldade a ser encontrada pelos alunos no momento da preparação das apresentações de propostas orais, contudo, é possivelmente solucionada por meio do debate e discussão coletiva de ideias.

Referências sobre o assunto:

MARCURSCHI , Luiz Antônio; DIONÍSIO, Ângela Paiva (orgs). Fala e escrita. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 1ª edição, 1ª Reimpressão, 2007.

Esta publicação reúne textos importantes para a compreensão dos fenômenos que circundam o campo da oralidade, os gêneros orais e seu ensino. Os artigos que compõem esta publicação perpassam os campos da oralidade escrita, propondo reflexões sobre a multimodalidade em atividades com gêneros orais e escritos, a caracterização do gênero oral, bem como as estratégias de textualização na fala e na escrita.

“Toda a atividade discursiva e todas as práticas lingüísticas se dão em textos orais ou escritos com a presença de semiologias de outras áreas, como a gestualidade e o olhar, na fala, ou elementos pictóricos e gráficos, na escrita. Assim, as produções discursivas são eventos complexos constituídos de várias ordens simbólicas que podem ir além do recurso estritamente lingüístico. Mas toda nossa atividade discursiva situa-se, grosso modo, no contexto da fala ou da escrita” (MARCUSCHI, DIONÍSIO, 2007, p. 13).

MARCURSCHI, Luiz Antônio. O estudo dos gêneros mostra o funcionamento da sociedade in: Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

SCHNEUWLY, B.& DOLZ. J (2004). Os gêneros escolares - das práticas de linguagem aos objetos de ensino in: Gêneros orais e escritos na escola. Campinas, São Paulo: Mercado das Letras, 2004.

Livro fundamental para quem se pretende compreender o funcionamento e organização dos gêneros textuais, tanto orais como escritos e sua aplicabilidade e estudo em sala de aula.

“...os gêneros formais públicos constituem objetos autônomos para o ensino do oral. Eles são autônomos no sentido de que o oral (os gêneros orais) é abordado como objeto de ensino e aprendizagem em si. Não constituem um percurso de passagem para a aprendizagem de outros comportamentos lingüísticos (a escrita ou a produção escrita) ou não-lingüísticos (em relação somente com outros saberes disciplinares). Também não estão subordinados a outros objetos de ensino-aprendizagem”. (DOLZ & SCHNEUWLY, 2004, p.177)

MARCURSCHI, Beth, SUASSUNA, Lívia. Avaliação em Língua portuguesa: contribuições para a prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica, 1ª Ed, 1ª Reimpressão, 2007.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

1. Apresente o tema para a turma e, ao apresentar, ative a percepção dos alunos para a importância de se planejar a apresentação de uma proposta de forma oral.

2. Levante os conhecimentos prévios dos alunos para os seguintes pontos:

  • Como vocês se organizam para uma exposição de propostas orais? Geralmente é preciso organizar em forma de roteiro como será a apresentação.
  • Como se dá a elaboração deste roteiro? De forma coletiva, caso a apresentação seja em equipe. No roteiro deve constar exatamente como se dará a apresentação, desde a saudação às pessoas presentes à exposição e defesa de ideias e despedida.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Organize a turma em equipes (preferencialmente quartetos). A atividade em equipes proporcionará maior diálogo entre os alunos, tendo em vista a necessária articulação de ideias e síntese de ações a serem organizadas para o planejamento da apresentação de proposta oral. Em alguns momentos, será importante a troca de ideias e o diálogo, por isto a opção por atividades em quartetos. Este número de alunos por equipe permite maior interação, sem perda de foco no desenvolvimento das habilidades por ser um grupo pequeno. Os alunos desta faixa etária tendem a aprender melhor trocando ideias e muitas vezes, socializando suas atividades. A opção por atividades coletivas auxilia também no desenvolvimento afetivo dos alunos.
  • Com os alunos organizados em equipes, apresente a pergunta inicial. Ao fazer a pergunta inicial, desperte a reflexão dos alunos para a necessidade de se pensar sobre o ambiente escolar, a comunidade, os espaços físicos da cidade e temas de interesse coletivo que trarão uma contribuição significativa para a escola ou para comunidade na qual a escola está inserida. Desta forma, os alunos poderão encontrar algo que os instigue a expor ideias e propor alguma intervenção, se for o caso.
  • É importante que a escolha do tema para o planejamento da apresentação da proposta oral parta dos alunos, valorizando, assim, seu protagonismo e autonomia. Circule entre os alunos a fim de lhes dar suporte no sentido de esclarecer dúvidas quanto à pertinência do tema proposto, da relevância e de sua utilidade coletiva. É preciso esclarecer aos alunos que esta aula terá um tema único para toda a turma, portanto eles precisam entrar em acordo para a escolha do tema. Sugere-se uma votação sobre temas relevantes como “espaço escolar”. Os alunos devem imaginar um interlocutor real que irá ouvir a proposta deles de fato. Então, deve ser alguma autoridade próxima. Esta é parte fundamental no desenvolvimento desta aula, a tentativa de reprodução do contexto de produção do gênero oral em estudo.
  • Inicie uma votação para a escolha do tema.
  • Após a escolha do tema, escreva no quadro o tema escolhido pela turma.
  • Caso os alunos optem por propor melhorias, por exemplo, na quadra de esportes, tais como pintura para que a quadra seja poliesportiva, instalação de rede, de cestinha de basquete etc., que eles busquem dados sobre a importância dos esportes na escola, do quanto isso afeta positivamente os adolescentes, do impacto positivo à saúde mental e física. A mesma coisa se houver o relato de algum problema na comunidade escolar ou na estrutura física da escola, será preciso um levantamento de informações, fotografias, depoimentos, inclusive de alunos e funcionários.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Distribua entre as equipes o roteiro de planejamento para a apresentação da proposta oral. Este roteiro será preenchido pelos alunos, em equipe, baseado na organização prévia de seu discurso oral, forma de apresentação e recursos a serem utilizados. A elaboração deste roteiro é de suma importância para a articulação das ideias e sua posterior materialização no campo da oralidade. Ao produzir o roteiro, as equipes podem elaborar perguntas para o seu interlocutor, tomando cuidado com o teor das perguntas, sua pertinência e, sobretudo, se esta são passíveis de resposta.
  • Circule entre as equipes. Chame a atenção dos alunos para a organização do roteiro. Neste ponto, a aula deverá centrar-se nos elementos composicionais do gênero “apresentação de propostas orais”. A intenção não é a elaboração de um discurso para a apresentação, mas o levantamento de dados que favorecerão a produção de possíveis argumentos de defesa de uma determinada ideia e a arguição do tema apresentado. Para isto, desperte a percepção dos alunos para os seguintes pontos:
  • Que informações vocês possuem sobre o tema? Estas informações são importantes?
  • Estes são questionamentos pertinentes para quem deseja apresentar-se oralmente. A escolha das informações a serem apresentadas faz toda a diferença, é preciso buscar a atenção dos alunos para estas questões, a fim de sistematizar o que será dito, contudo, é indispensável que haja espontaneidade na apresentação, evitando a memorização de dados, leitura do roteiro ao invés da exposição da proposta.
  • Oriente os alunos na elaboração do roteiro, apresentando-lhes um roteiro pronto para servir-lhes de guia e/ ou modelo.
  • A título de sugestão, solicite aos alunos que, no caderno, elaborem um checklist de materiais necessários para a apresentação. Este item está disponível neste plano, a título de sugestão, inclusive para viabilizar e garantir o cumprimento do tempo para a aula.

Materiais complementares:

Link para o roteiro para apresentação de proposta oral aqui

Este roteiro está organizado em quatro blocos e se faz necessário explicar cada etapa dele alunos:

  • Apresentação do interlocutor - O momento inicial do roteiro propõe a apresentação do interlocutor, responsável por apresentar os fatos e a proposta da turma de forma clara e objetiva.
  • Exposição de fatos - Nesta etapa do discurso oral, os alunos deverão expor as principais informações sobre o tema coletadas (em pesquisa pelo grupo) - Dessa forma, é importante disponibilizar durante a aula acesso à internet, se for o caso, para pesquisa do tema. Caso a turma tenha optado por algo mais próximo de sua realidade, por exemplo, a infraestrutura da escola, a limpeza das ruas da cidade etc., sugere-se um tempo (de no máximo dois dias), para que os alunos coletem material de pesquisa, tais como entrevistas, produzam cartazes, gravem vídeos curtos com a comunidade ou estudantes.
  • Defesa da proposta - Exposição de argumentos para convencer o interlocutor sobre a pertinência da proposta.
  • Encerramento da apresentação - Ao final da apresentação, os alunos podem agradecer a oportunidade de fala e reafirmar a importância da proposta apresentada.

Link para a ficha de Check list: aqui

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Após a produção do roteiro para apresentação da proposta oral, dialogue com os alunos sobre a postura do interlocutor durante a apresentação.
  • Ao dialogar com os alunos sobre a postura a ser adotada diante da apresentação de uma proposta, é necessário deixar claro para eles que apresentar algo para a turma não é meramente ler o roteiro e apontar algumas imagens em slides ou cartazes, mas sobretudo, conversar com os colegas de sala sobre o tema que pesquisou ou a ideia que defende, utilizando sempre uma linguagem clara, tom de voz adequado, postura cordial.
  • A orientação de como se portar durante a apresentação leva em consideração alguns critérios pertencentes a aspectos de ordem extralinguística, paralinguística e linguístico-discursiva.
  • Converse com os alunos sobre algumas atitudes a serem tomadas ou evitadas durante a apresentação. O ideal é que esta conversa seja realizada com os alunos e que eles próprios acrescentem pontos importantes. Algumas dúvidas surgirão por parte dos alunos:
  • Como deve ser minha postura? Cuidado com a postura, mantenha-se sempre visível para as pessoas e evite encostar-se na parede e ficar de cabeça baixa.
  • E minha voz, como devo usá-la? Tenha sempre um tom de voz agradável (nem muito alto, nem muito baixo).
  • Quanto à linguagem, posso usar a linguagem informal? Utilize sempre uma linguagem clara, de preferência na modalidade formal da língua.
  • E se alguém não concordar com o que digo? Evite discussões, seja sempre cordial e educado com os colegas.
  • Devo olhar para as pessoas que assistem a apresentação? Procure olhar para as pessoas, evitando olhar apenas uma.
  • Se eu ficar nervoso? Relaxe os ombros, evite ficar tenso e encurvado, controle sua respiração.
  • Se eu for perguntado sobre alguma coisa? Ao ser questionado sobre algo, seja objetivo ao responder.
  • Posso ler o roteiro? Evite ler o roteiro de apresentação, ele serve somente de guia. Baixar os olhos para ler o roteiro acaba provocando o desinteresse da plateia.
  • Se eu tiver sede? Tenha sempre um copo de água à mão, pode pedir licença e beber sem problemas.
  • Posso falar a qualquer momento? Ao iniciar um breve debate, respeite o momento de fala do outro e sempre espere sua vez de falar.
  • Solicite aos alunos que, em equipe, apresentem o roteiro de sua apresentação.
  • Neste momento da aula, os alunos podem apresentar um ensaio a fim de obter mais orientações e tirar dúvidas que porventura venham a surgir. A depender do quantitativo de alunos, reserve de 2 a 5 minutos para cada equipe, sensibilizando sempre os alunos acerca do cumprimento do tempo previsto para cada equipe.
  • Durante o “breve ensaio”, pode-se fazer algumas considerações, retomando sempre os aspectos e posturas que orientam o ato comunicativo, exposto aos alunos ainda no desenvolvimento desta aula. Os alunos podem, com o auxílio do celular, filmar o ensaio de sua equipe, ou mesmo gravar em áudio esta etapa da aula, para servir de apoio para a apresentação definitiva.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Converse com os alunos sobre os últimos ajustes no roteiro de apresentação da proposta oral. Retome as orientações anteriores e solicite às equipes que revejam seu checklist. Após o breve ensaio, dialogue com os alunos sobre as dificuldades que sentiram ao produzir o roteiro, as expectativas para a apresentação, o que ainda podem melhorar.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Oralidade do 6º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 6º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP25 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP26 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano