15157
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Educação Infantil > Creche - Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Atividade - Escolhendo as brincadeiras

Nesta proposta, veja sugestões sobre como organizar e mediar as atividades de livre escolha nos cantinhos.

Plano 01 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Atividade alinhada à BNCC: • POR: Leda Barbosa

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Para realizar essa atividade, é importante que as crianças estejam habituadas com combinados e com momentos de livre escolha dentro da rotina escolar. Brincar é uma das atividades prioritárias das crianças, sendo indissociável ao desenvolvimento delas. É por meio do brincar que a criança imita, representa, incorpora valores, hábitos culturais, sentimentos e situações vivenciadas e ainda realiza a conquista progressiva da convivência social. O brincar também necessita de planejamento, registro, observação e avaliação das competências e potencialidades por parte do professor. O professor deve zelar pelo espaço do brincar, garantir o tempo, os materiais, a privacidade além de ajudar a solucionar conflitos auxiliando as crianças na divisão dos brinquedos e no convívio social.

Materiais:

Os materiais devem ser providenciados com antecedência, de modo que os centros de interesses estejam prontos para as interações de faz de conta.

Representação do ônibus: volante e rodas podem ser confeccionados reutilizando papelão e o acabamento feito com pinturas ou colagem de imagem impressa; assentos podem ser as próprias cadeiras da sala do grupo. Demais objetos adeptos da cultura local referente ao uso de ônibus, dinheiro, cartão etc. Objetos que possam representar itens de casinha (que podem ser emprestados pela cantina da escola) e salão de beleza. Bonecas com características físicas diversas. Fita crepe ou barbante, tecido TNT, colcha, toalha, folha branca, giz de cera e acervo de livros da sala do grupo etc.

Espaços:

Sala de atividades. Organizar a sala dentro dos campos de interesses, buscando atender os detalhes e nuances da cultura local. Os materiais disponíveis e a maneira como estarão organizados enriquecem a forma como o faz de conta acontece. Disponibilize os brinquedos e acessórios utilizados de maneira a atender as necessidades corporais e gestuais das crianças.

Para o ônibus: organize as cadeiras em duplas e siga com algumas fileiras, destaque um assento para o motorista com o volante em cima e outro para o cobrador com demais objetos do uso local. Cole as rodas nas cadeiras com fita crepe ou amarre com barbante.

Para a casinha: organize os espaços dos cômodos de uma casa, cozinha, quarto, sala, banheiro etc. Repita a riqueza de detalhes com o espaço do salão de beleza, inserindo objetos que representem ações de quem trabalha no salão e de quem usa os serviços.

Tempo sugerido:

Entre 1 hora e 1 hora e 40 minutos

Perguntas para guiar suas observações:

1.Durante a brincadeira, como as crianças buscam demonstrar imagem positiva de si e confiança em sua capacidade para enfrentar dificuldades e desafios?

2. De que maneira as crianças interagem com os espaços, objetos, adultos e crianças, no decorrer de suas brincadeiras?

3. Como as crianças demonstram compreender as regras básicas de convívio social durante as brincadeiras de faz de conta?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender as necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo. Organize os ambientes da sala do grupo com os brinquedos e propostas de brincadeiras em diferentes níveis. Deixe-os acessíveis às crianças, de forma que atenda às amplitudes corporais e gestuais delas. Proporcione ambientes e brincadeiras desafiadoras para todas. Brinque junto com elas oferecendo momentos de trocas de papéis e proponha ações e comentários coniventes com o faz de conta, cuidando para não inibir o brincar.

O que fazer durante?

ilustracao

1

Planeje que a atividade de livre escolha de brincadeiras irá acontecer envolvendo a interação das crianças com seus colegas e com você. Ele deve acontecer dentro dos centros de interesses, dispostos de modo atraente. Proporcione cantos específicos para as propostas de ônibus, casinha e salão de beleza, com quantidade de materiais que garanta a participação de todas, estimulando a autonomia e a capacidade de escolha. Mostre ao grande grupo como a sala está organizada apresentando os espaços das brincadeiras. Reúna o grande grupo e informe que, antes de iniciarem as brincadeiras, farão uma roda de combinados sobre compartilhar espaços, brinquedos e brincadeiras, sempre na perspectiva de perceber como o grupo compreende as regras básicas de convívio social nas interações. É importante que durante a brincadeira o professor atue como co-participante, buscando proporcionar momentos de livre escolha. Na brincadeira, as regras não devem limitar o faz de conta, as regras podem ser alteradas, criadas e ignoradas e a atividade pode conter menos ou mais participantes.


2

Faça com as crianças combinados para esta situação. Se necessário, registre escrevendo em um cartaz. Seguem algumas sugestões de possíveis combinados para este momento: (1) todas podem usar todos os materiais como desejarem, mesmo que seja igual ou parecido com a ideia de uso dos colegas, respeitando o espaço, corpo, desejos e necessidades umas das outras; (2) sempre que desejar um objeto ou brinquedo que está na mão do outro, devemos pedir emprestado e esperar que o amigo entregue; (3) Sempre que quiser passar por algum lugar ou pegar algum brinquedo ou material, é preciso pedir licença, falar por favor e agradecer dizendo obrigada.

Considere também as sugestões trazidas pelas crianças, registrando as ideias para utilizarem em outros momentos.


3

Durante toda a vivência observe como as crianças brincam em pares, nos pequenos e grandes grupos e o que gera mais ou menos interesse dentro dos cenários. Quais são as falas das crianças diante das propostas e de que modo os objetivos propostos para essa atividade cumprem suas funções ou não e porquê. Busque documentar para que depois você possa retomar essas anotações no momento de descrição do desenvolvimento social das crianças. Faça também registros fotográficos.


4

Convide o grande grupo para exploração dos ambientes mas deixe que as crianças se aproximem livremente, aos pares ou individualmente, do que mais lhes chamar a atenção.Busque alinhar suas intervenções com objetivo de ajudar as crianças a partir dos interesses, desejos e necessidades delas. Brinque junto com as crianças, compartilhando do imaginário criado por elas. Busque trazer desafios, promover relações, ampliar suas referências de possíveis enredos, ações e diálogos de modo a ampliar e aprofundar suas investigações e descobertas no contexto das brincadeiras.

Possíveis falas do professor neste momento: O ônibus quebrou! E agora, como podemos fazer para consertar? Quem entende de motor? Será que tem algum mecânico nesta cidade?"

Possíveis ações da criança neste momento: Sugerir os papéis de cada um na brincadeira, dar ideias de como podem organizar os materiais de cada cantinho e elaborarem as próprias regras da brincadeira.


5

Atente para possíveis disputas de brinquedos, espaços e atenção. Diante de uma disputa, faça a mediação de forma calma e acolhedora e busque conhecer o motivo, investigando as crianças envolvidas e a situação de disputa. Não deixe de dar espaço para o protagonismo e o reconhecimento das ações das crianças na resolução desses conflitos, respeitando o tempo de cada uma.Garanta que enquanto as crianças estão envolvidas em propostas de brincadeiras de livre escolha, elas possam escolher seus parceiros, atribuir significado a objetos e situações, construir enredos e escolher seus personagens de acordo com a necessidade e interesse delas nesses momentos. Respeite suas formas de exploração e de aprender sobre o mundo, as relações e as pessoas. Caso alguma criança apresente pouco interesse nas brincadeiras e investigações, busque brincar perto dela (mas não necessariamente com ela) com materiais, brinquedos e diálogos que são de seu interesse. Dessa forma, você proporcionará o protagonismo da criança em sua inserção nas brincadeiras propostas.


6

Durante o faz de conta, busque garantir situações de convivência entre as crianc?as e entre elas e adultos, seja em pequenos grupos ou em grande grupo. Destaque as orientações para interações positivas e para a criação de vínculos seguros e estáveis com o professor e entre as crianças do seu grupo e dos demais. Neste momento, algumas crianças podem ter terminado suas interações com os cenários propostos. Pergunte se desejam fazer um desenho ou uma leitura enquanto aguardam o próximo momento da rotina da sala do grupo.

Possíveis falas do professor nesse momento: Quando desci do ônibus estava uma chuva danada, pode secar o meu cabelo, por favor?

Dentro de uma interação com as crianças no faz de conta: Preciso almoçar para pegar o ônibus e ir para o trabalho, pode preparar uma macarrão para mim, por favor?


Para finalizar:

Avise ao grande grupo que dentro de dez minutos iremos guardar os brinquedos e materiais do faz de conta para organizar a sala para nossa próxima atividade. Pergunte sobre o interesse deles em manter um dos cenários montados na sala de atividades. Após a decisão do grupo, informe que eles têm mais 5 minutos de brincadeira. Depois de 5 minutos, avise novamente. Ao final do tempo, convide o grande grupo para guardar os brinquedos e organizar a sala. Ao perceber que alguma criança não está ajudando, entregue um brinquedo na mão dela, peça ajuda para guardá-lo e indique onde ela pode fazer isso. Cante uma canção que marque com o grupo os momentos de arrumação. Sugestão: Nós Vamos Guardar, de Fabiana Godoy .

Desdobramentos

Repita essa brincadeira com outros cenários com propósito de continuar atendendo aos interesses e necessidades que a turma tem demonstrado dentro de suas brincadeiras livres, mas que ainda não foi explorado de forma ampla pelo professor. Por exemplo: consultório médico, padaria, supermercado etc.

Engajando as famílias

Converse com as famílias sobre a brincadeira do faz de conta e proponha que elas possam vir falar de suas profissões, trazer alguns ítens utilizados para a turma conhecer, observar e, se possível, manusear. Diga que o objetivo é de enriquecer a imaginação das crianças e a motivação em propor novos cenários de faz de conta. Agende com as famílias disponíveis um horário no início ou final do turno, para que essa apresentação possa acontecer.


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS ATIVIDADES:

ATIVIDADES DE Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses) :

Creche / Educação Infantil / Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Creche / Educação Infantil / Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Creche / Educação Infantil / Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Creche / Educação Infantil / Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Creche / Educação Infantil / Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

MAIS ATIVIDADES DE Educação Infantil :

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI02ET05 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI02EO06 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI02EO02 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Educação Infantil

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano