15119
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 2º ano > Oralidade

Plano de aula - Instruções de montagem por meio da oralidade

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 2º ano do EF sobre Instruções de montagem por meio da oralidade

Plano 10 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Amara Maria Bicudo De Souza

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é 10ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Instrução de Brincadeira e no campo de atuação da vida cotidiana. A aula faz parte do módulo de oralidade.

Materiais necessários: Aparelho para reprodução do vídeo (multimídia ou data show), folhas A3 sulfite ou papel pardo.

Informações sobre o gênero: Esse gênero textual tem características bem específicas. Ele se apóia em frases curtas elencadas por meio de letras ou números, verbo no imperativo ou no infinitivo, sequências de ações que demandam recomendações para cada passo a ser realizado. O gênero Texto Instrucional - “ Instruções de Montagem” apresenta, portanto, uma série de orientações que devem ser seguidas por quem deseja criar algo. Em geral, o texto é composto pelo título - o nome do objeto a ser confeccionado, a lista dos materiais necessários, a que se seguem as orientações de como se confecciona.Os gêneros orais formais que circulam na escola, sequer percebemos que fazem parte de nossa prática cotidiana. A vantagem de explorá-lo como objeto de ensino-aprendizagem de língua-materna está justamente no fato de muitos deles constituírem práticas sociais reais.

Dificuldades antecipadas: A dificuldade dos alunos pode estar em conseguir analisar as características do gênero instrução de montagem tratado de forma oral e em refletir oralmente sobre essas características. Os alunos podem não perceber facilmente partes do texto como materiais ou etapas apresentadas oralmente.

Referências sobre o assunto:

GARCIA-REIS, A. R.; BOTELHO, L. S.; MAGALHÃES, T. G. (Orgs.) Leitura e escrita de textos instrucionais. Recife: Pipa Comunicação, 2017. pp.69-96.

MARCUSCHI, L. A.; DIONÍSIO, A. P. (Orgs.) Fala e escrita. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SANTOS, C. F.; MENDONÇA, M.; CAVALCANTE, M. C. B. (Orgs.) Diversidade Textual: o gênero na sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. et al. Os gêneros escolares-práticas de linguagem aos objetos de ensino. In. SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado das Letras, 2004.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Diga aos alunos que nesta aula irão conversar bastante e refletir sobre as características do texto de instrução de montagem que será apresentado em um vídeo.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações:

  • Organize a sala de forma que os alunos possam sentar-se em círculo, assim, a interação entre os eles é favorecida pois além de se olharem durante a troca de ideias, é possível manter o foco da discussão coletiva.
  • Inicie com uma pergunta que mobilize as experiências dos alunos e desperte o interesse:
  • Alguém conhece outra forma de aprender como montar um brinquedo sem um texto escrito de instruções de montagem?

Essa pergunta permitirá que os alunos levantem possibilidades diferentes para atender a função de um texto escrito de instrução de montagem. Eles podem por exemplo citar vídeos do youtube, programas de TV e as próprias vivências ao ensinar oralmente a construir um brinquedo que conhecem ou ensinar uma brincadeira a um colega. Aproveite para destacar essas possibilidades como maneiras utilizadas no dia a dia para se ensinar a montar um brinquedo e também para ensinar um jogo ou uma receita.

  • Diga a eles que irão assistir a um vídeo curto sobre a montagem de um brinquedo (esse vídeo pode ser exibido em sala de aula, na sala de informática ou na sala de vídeo; onde melhor se adequar às possibilidades de cada turma e/ou escola).
  • Antes de iniciar o vídeo, diga aos alunos que prestem bastante atenção no que será ensinado, pois em seguida, eles serão questionados sobre o que assistiram. Chamar a atenção dos alunos para um foco de observação, pode favorecer que eles analisem aspectos específicos que estão sendo explorado nas aulas.
  • Apresente o vídeo aos alunos e ao final, questione:
  • Vocês acham que o tema deste vídeo parece ter relação com algum dos textos já trabalhados?

Vá questionando os alunos para que percebam as características que o vídeo apresenta: nome do brinquedo a ser montado, materiais usados e a maneira como se ensinam os passos de montagem. A partir dessas características do vídeo, espera-se que os alunos descubram com mais facilidade qual gênero está relacionado, pois poderão estabelecer relação entre as partes do texto com o texto em si, já trabalhado com eles de diferentes maneiras.

  • A instrução de montagem apresentada no vídeo aparece da mesma forma que em um texto escrito?

Veja se seus alunos percebem que, por ser um programa transmitido na página do Leiturinha, os produtores criam um cenário e uma pequena narrativa para introduzir as orientações de montagem. Esses recursos deixam a comunicação bem mais divertida. Além disso, espera-se que os alunos antecipem algumas informações do vídeo e que relacionem a proposta de montar um brinquedo com os textos de instrução de montagem. Esse momento serve para o levantamento de hipóteses em relação ao vídeo e ao objeto que será construído, principalmente em relacionar o texto oral do escrito, fazendo-os perceber que as características se mantêm, porém num texto oral, há mais liberdade de expressão ou de se criar na fala ou no cenário.

  • O que aparece igual?
  • O que há de diferente na forma de apresentação do vídeo?

Nessas duas últimas questões, a ideia é que os alunos analisem o vídeo para que ao final percebam, que um texto escrito pode ser oralizado, isto é, o texto oralizado pode manter a composição do texto escrito, mas com particularidades da linguagem oral. No caso do texto de instruções de montagem tanto o escrito como o oralizado, apresentam os materiais necessários e o modo de fazer, mesmo que usem maneiras diferentes de apresentação. No vídeo por exemplo, os materiais necessários são representados por meio da fala e dos desenhos e objetos, enquanto que no texto escrito aparecem em forma de lista ou simplesmente relacionados numa frase. O modo de fazer num texto escrito de instrução de montagem, aparece elencado por passos explicativos (que podem ou não ter representações gráficas), já no vídeo os passos são descritos oralmente, ao mesmo tempo que podem ser demonstrados por meio da construção do objeto em si. Espera-se, então, que os alunos percebam essas diferenças, mesmo que de maneira mais simples. Eles podem responder, por exemplo, que no vídeo aparecem os materiais de maneira diferente do texto escrito e que os passos são mais dinâmicos, porque vão sendo ensinados à medida que o orador explica. Cabe a você, professor, ir conduzindo a conversa para que os alunos possam ir percebendo as diferenças ou mesmo, as possibilidades que o vídeo traz.

Materiais complementares: Para acessar o vídeo clique aqui.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Dê continuidade nas discussões, agora dando foco às características específicas do texto de instrução oral. A partir das informações observadas no vídeo pergunte aos alunos:
  • Qual a função desse vídeo?

Aqui, espera-se que percebam que o vídeo ensina a construir ou montar um dinossauro com balão, sendo assim, que apontem que a função do vídeo é ensinar ou instruir na montagem de um brinquedo. Pode acontecer de alguns alunos até já adiantarem a conversa dizendo que o vídeo serve para ensinar assim como um texto de instrução. Se isso, acontecer, continue conduzindo a conversa de maneira que as questões sugeridas ou outras acrescentadas por você, professor, possam ser contempladas.

  • Para quem ele foi produzido?
  • O que ele ensina a fazer?

Espera-se que os alunos apresentem respostas que demonstrem sua percepção de que o vídeo foi produzido para o público infantil e que ele ensina a construir um brinquedo. Os alunos podem até serem mais detalhistas, dizendo que ensina a construir um dinossauro com balão.

  • Quais materiais são necessários para a montagem do dinossauro?

No vídeo, são apresentados pelo orador quais materiais serão usados. Como cada criança acaba guardando alguns, provavelmente conseguirão citar: papel, cola, balão (ou bexiga), durex e canetinha. Se não lembrarem de todos, você pode citar ou dar uma retomada rápida no vídeo.

  • Como vocês perceberam isso?

Aqui, espera-se que os alunos possam ter percebido que no vídeo, além do orador falar quais são os materiais, ele também vai apresentando cada um à medida que fala (por meio de imagens e depois, dos próprios objetos) .

  • O que aparece no vídeo que ajuda na montagem?

Nessa questão, chame a atenção dos alunos para os passos de montagem, caso eles próprios não os citem, pois são justamente os passos que mais ajudam na montagem do brinquedo. De nada adiantaria ter os materiais, se não houvesse a maneira de se construir o brinquedo.

  • Quais são as partes de um texto de instrução de montagem? Conseguimos perceber essas partes no vídeo?

Aqui os alunos precisam, além de saber as partes do texto de instrução de montagem (título, materiais necessários e modo de fazer), conseguir elencar onde foram demonstradas no vídeo: o título é apresentado logo no início quando aparece a frase “Dinossauro de balão”; os materiais são apresentados logo depois que o orador dá uma contextualizada no ambiente onde viviam os dinossauros; e o modo de fazer aparece no restante do vídeo, ensinando como se monta o dinossauro.

A ideia é que os alunos percebam as características do texto de instrução de montagem no texto oral, inclusive sua finalidade. Pode acontecer dos alunos não conseguirem chegar a conclusão de que este vídeo tem a função de ensinar a montar um brinquedo, foi produzido para o público infantil e apresenta as partes necessárias no gênero de instrução de montagem (título, materiais e modo de fazer). Neste caso, cabe a você professor, conduzir a conversa de maneira que essas ideias fiquem evidentes. Pode-se questionar:

  • Qual a função de um texto de instrução de montagem? O vídeo tem essa mesma função? Por quê?

Aqui, espera-se que os alunos citem a função de ensinar do texto de instrução de montagem e que percebam que no vídeo essa função se mantém.

  • Em que momento descobrimos o nome do vídeo?

Espera-se que os alunos relacionem o nome do vídeo ao título do texto de instrução, que aparece logo no início do vídeo.

  • E os materiais necessários? Como eles aparecem no vídeo?

Essa questão já foi levantada antes, porém é bom retomá-la para poder seguir a sequência das partes de um texto de montagem. Provavelmente os alunos responderão rapidamente que os materiais usados aparecem à medida que o orador vai dizendo o que será preciso para fazer o brinquedo.

  • Há uma lista? Há desenhos?

Nesse caso, os alunos poderão perceber que no vídeo tanto os passos de montagem quanto os materiais usados são demonstrados na prática, enquanto que num texto escrito, podem ou não estar representados por meio de desenhos.

  • E os passos de montagem? Como são descritos?

Os alunos poderão perceber que os passos de montagem no vídeo são descritos de forma oral, porém de maneira bem próxima ao texto escrito. Aliás, no vídeo, aparecem as frases enumeradas, uma para cada passo de montagem. Contudo, o orador explica do jeito e com as palavras dele como deve acontecer a montagem do dinossauro. Você pode dizer aos alunos que numa apresentação de um texto de instruções de montagem ou num vídeo como esse, pode-se explicar a partir da leitura de um texto escrito, ou falar com "nossas palavras". Portanto, espera-se que os alunos percebam que os passos acontecem na prática (no vídeo) e de maneira natural. Contudo, se a percepção deles for bastante resumida, ofereça outros questionamentos para que possam refletir mais sobre a relação do texto oral e escrito. Pergunte aos alunos, por exemplo:

  • Quem já ensinou alguém a fazer alguma coisa explicando com suas palavras (exemplo: ensinar uma brincadeira para um amigo)?
  • Quem já leu um livro ou ouviu uma história e depois contou do seu jeito?

Todas essas questões, favorecem a reflexão dos alunos acerca do texto de instrução de montagem, que agora se apresenta de forma oral. Ele mantém suas características principais, porém está carregado da fala menos formal do orador.

  • É importante que você coloque no quadro as três partes do texto de instrução de montagem (título, materiais e modo de fazer), após os questionamentos, só para reforçar a fala dos alunos e para terem como referência diante de futuras questões propostas.
  • Apresente para os alunos o seguinte desafio: O vídeo apresenta um texto oral de instrução de montagem. Você acredita, que poderia apresentar esse vídeo contando do seu jeito como se monta o dinossauro de balão?
  • Isso é possível?

Aqui as respostas podem divergir. Alunos mais retraídos ou que não gostam de falar em público podem dizer não por encontrar essa questão da fala como uma dificuldade. Outros podem colocar como dificuldade explicar o texto de instrução, dizendo que é difícil explicar e fazer ao mesmo tempo. E haverá, com certeza, alunos que dirão que é possível. Aproveite a fala dos que disserem “sim” para apresentar possibilidades aos possíveis “não”. O importante é que os alunos encontrem possibilidades que os permitam acreditar que é possível realizar o que a pergunta questiona.

  • Vocês acham que seria igual ou diferente ao vídeo?

Já acreditando que é possível fazer o vídeo contando como se monta o dinossauro de balão, espera-se que os alunos percebam que se eles fizessem um vídeo sairia diferente. Eles devem levar em conta o cenário, os materiais… que nesse caso faria com que o vídeo fosse diferente, mesmo que seja montado algo parecido, principalmente porque a forma de falar é pessoal e cada um tem a sua.

  • Mas o que teria que ter para que continuasse sendo um texto de instrução de montagem?

Aqui espera-se que citem as principais partes do texto de instrução: título, materiais necessários, modo de fazer.

  • Poderia ser falado de qualquer jeito? Que dicas teríamos que seguir para apresentar um vídeo como esse?

A ideia é fazer com que os alunos percebam que o texto oral não perde as características do texto escrito, mas que pode haver mais liberdade na fala, justamente pelo vídeo ser oral e contar com a forma de oralização da pessoa que o está apresentando. Porém, é necessário que haja clareza na fala, que se fale olhando para a câmera, que não haja barulho, entre outras coisas que influenciam na fala.

4. O importante é que a comparação entre o texto falado e escrito aconteça e que possam viver isso na produção coletiva do texto. Para isso, agrupe os alunos e explique que irão fazer uma apresentação oral sobre o texto do dinossauro de balão.

6. Divida os alunos em cinco grupos: um grupo ficará responsável pelo título e os materiais necessários, mencionados no vídeo. Os demais grupos ficarão cada um com um passo de montagem.

7. Explique que eles devem ensaiar a parte que ficou destinada a cada grupo e depois farão a apresentação. Diga que se quiserem podem escrever o que irão falar para facilitar a oralização e para que não esqueçam de nenhuma informação importante.

8. Oriente que os grupos analisem a parte do texto que será apresentada e escolham um representante para apresentar para a turma. Durante a atividade nos grupos, circule pela sala apoiando os alunos na realização da proposta e dando dicas de aspectos a considerar no momento de oralizar o texto (falar com clareza, com ritmo adequado, falar com suas palavras caso não lembre exatamente as palavras do texto escrito, etc).

Fechamento </span> <svg width="24" height="24" viewBox="0 0 24 24" xmlns="http://www.w3.org/2000/svg"><title>select-down

Slide Plano Aula Fechamento <p><strong>Tempo sugerido</strong>: 10 minutos</p><p><strong>Orientações:</strong></p><ul><li>Comece as apresentações! Mas antes, lembre os alunos representantes de cada grupo que devem ser objetivos e claros em suas apresentações para que todos possam entender, e que ao final o texto fique completo, já que cada grupo ficou com uma parte do texto.</li><li>Após o término das apresentações, faça uma avaliação coletiva, levantando com os alunos o que consideraram importante para uma apresentação oral de um texto de instrução de montagem, e se a apresentação cumpriu a função do texto de ensinar alguém a fazer o dinossauro de balão.</li><li>Para isso, você pode questioná-los sobre a apresentação uns dos outros:</li><li>Como foi ouvir o texto lido e o texto contado do jeito dos colegas?</li></ul><p>Aqui espera-se que os alunos coloquem como sentiram-se ouvindo os colegas e a eles próprios nas apresentações dos grupos. Que sentimento foi despertado: curiosidade, vergonha, empolgação, estranheza, entre outros.</p><ul><li>Houve muita diferença?</li></ul><p>Aqui espera-se que os alunos percebam a diferença entre a forma como o orador falou no vídeo apresentado no início da aula e a dos colegas. A fala dos colegas é mais próxima a deles, o vocabulário é diferente, uns podem ter falado mais baixo e outros mais alto etc.</p><ul><li>Houve alguém que falou muito baixo ou muito rápido? Isso dificultou o entendimento do texto?</li><li>Os dois jeitos de apresentação (por meio da leitura ou da fala com as próprias palavras) cumpriram a função do texto?</li></ul><p>Uma questão está ligada a outra. A intenção é que todas as apresentações em grupo tenham cumprido sua função, mas pode ocorrer de não ter havido clareza na fala, ter faltado alguma informação ou ter sido baixa ou rápida e isso pode ter comprometido a função do texto, pois não é possível entender direito o que está sendo ensinado. Levante essas possibilidades, caso seja necessário. </p><ul><li>O importante é que os alunos percebam que as características de um texto de instrução de montagem se mantêm ou devem se manter na produção oral do mesmo tipo de texto. Espera-se que eles possam avaliar o que pode ser melhorado, pensar no que precisa ter num texto oral para que se mantenha as características do texto, nesse caso o de instrução de montagem.</li> <div class="ne-clearfix"></div> </div> </div> </div> </section> </main> </div> </div> </div> <div id="slides" class="ne-slides ne-margin-bottom-3" data-ne-component="ne-slides"> <header class="ne-slides__header"> <p data-ne-slides-title-display class="ne-slides__header__active-slide-title"> Resumo da aula </p> <div class="ne-slides__slide-selector-small ne-mobile-only"> <button data-ne-slides-action="previousSlide" class="ne-btn-outline ne-icon-only ne-fg-peixe-boi previousSlide"> <svg width="24" height="24" viewBox="0 0 24 24" xmlns="http://www.w3.org/2000/svg"><title>arrow_back
download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é 10ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Instrução de Brincadeira e no campo de atuação da vida cotidiana. A aula faz parte do módulo de oralidade.

Materiais necessários: Aparelho para reprodução do vídeo (multimídia ou data show), folhas A3 sulfite ou papel pardo.

Informações sobre o gênero: Esse gênero textual tem características bem específicas. Ele se apóia em frases curtas elencadas por meio de letras ou números, verbo no imperativo ou no infinitivo, sequências de ações que demandam recomendações para cada passo a ser realizado. O gênero Texto Instrucional - “ Instruções de Montagem” apresenta, portanto, uma série de orientações que devem ser seguidas por quem deseja criar algo. Em geral, o texto é composto pelo título - o nome do objeto a ser confeccionado, a lista dos materiais necessários, a que se seguem as orientações de como se confecciona.Os gêneros orais formais que circulam na escola, sequer percebemos que fazem parte de nossa prática cotidiana. A vantagem de explorá-lo como objeto de ensino-aprendizagem de língua-materna está justamente no fato de muitos deles constituírem práticas sociais reais.

Dificuldades antecipadas: A dificuldade dos alunos pode estar em conseguir analisar as características do gênero instrução de montagem tratado de forma oral e em refletir oralmente sobre essas características. Os alunos podem não perceber facilmente partes do texto como materiais ou etapas apresentadas oralmente.

Referências sobre o assunto:

GARCIA-REIS, A. R.; BOTELHO, L. S.; MAGALHÃES, T. G. (Orgs.) Leitura e escrita de textos instrucionais. Recife: Pipa Comunicação, 2017. pp.69-96.

MARCUSCHI, L. A.; DIONÍSIO, A. P. (Orgs.) Fala e escrita. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SANTOS, C. F.; MENDONÇA, M.; CAVALCANTE, M. C. B. (Orgs.) Diversidade Textual: o gênero na sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. et al. Os gêneros escolares-práticas de linguagem aos objetos de ensino. In. SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado das Letras, 2004.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Diga aos alunos que nesta aula irão conversar bastante e refletir sobre as características do texto de instrução de montagem que será apresentado em um vídeo.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações:

  • Organize a sala de forma que os alunos possam sentar-se em círculo, assim, a interação entre os eles é favorecida pois além de se olharem durante a troca de ideias, é possível manter o foco da discussão coletiva.
  • Inicie com uma pergunta que mobilize as experiências dos alunos e desperte o interesse:
  • Alguém conhece outra forma de aprender como montar um brinquedo sem um texto escrito de instruções de montagem?

Essa pergunta permitirá que os alunos levantem possibilidades diferentes para atender a função de um texto escrito de instrução de montagem. Eles podem por exemplo citar vídeos do youtube, programas de TV e as próprias vivências ao ensinar oralmente a construir um brinquedo que conhecem ou ensinar uma brincadeira a um colega. Aproveite para destacar essas possibilidades como maneiras utilizadas no dia a dia para se ensinar a montar um brinquedo e também para ensinar um jogo ou uma receita.

  • Diga a eles que irão assistir a um vídeo curto sobre a montagem de um brinquedo (esse vídeo pode ser exibido em sala de aula, na sala de informática ou na sala de vídeo; onde melhor se adequar às possibilidades de cada turma e/ou escola).
  • Antes de iniciar o vídeo, diga aos alunos que prestem bastante atenção no que será ensinado, pois em seguida, eles serão questionados sobre o que assistiram. Chamar a atenção dos alunos para um foco de observação, pode favorecer que eles analisem aspectos específicos que estão sendo explorado nas aulas.
  • Apresente o vídeo aos alunos e ao final, questione:
  • Vocês acham que o tema deste vídeo parece ter relação com algum dos textos já trabalhados?

Vá questionando os alunos para que percebam as características que o vídeo apresenta: nome do brinquedo a ser montado, materiais usados e a maneira como se ensinam os passos de montagem. A partir dessas características do vídeo, espera-se que os alunos descubram com mais facilidade qual gênero está relacionado, pois poderão estabelecer relação entre as partes do texto com o texto em si, já trabalhado com eles de diferentes maneiras.

  • A instrução de montagem apresentada no vídeo aparece da mesma forma que em um texto escrito?

Veja se seus alunos percebem que, por ser um programa transmitido na página do Leiturinha, os produtores criam um cenário e uma pequena narrativa para introduzir as orientações de montagem. Esses recursos deixam a comunicação bem mais divertida. Além disso, espera-se que os alunos antecipem algumas informações do vídeo e que relacionem a proposta de montar um brinquedo com os textos de instrução de montagem. Esse momento serve para o levantamento de hipóteses em relação ao vídeo e ao objeto que será construído, principalmente em relacionar o texto oral do escrito, fazendo-os perceber que as características se mantêm, porém num texto oral, há mais liberdade de expressão ou de se criar na fala ou no cenário.

  • O que aparece igual?
  • O que há de diferente na forma de apresentação do vídeo?

Nessas duas últimas questões, a ideia é que os alunos analisem o vídeo para que ao final percebam, que um texto escrito pode ser oralizado, isto é, o texto oralizado pode manter a composição do texto escrito, mas com particularidades da linguagem oral. No caso do texto de instruções de montagem tanto o escrito como o oralizado, apresentam os materiais necessários e o modo de fazer, mesmo que usem maneiras diferentes de apresentação. No vídeo por exemplo, os materiais necessários são representados por meio da fala e dos desenhos e objetos, enquanto que no texto escrito aparecem em forma de lista ou simplesmente relacionados numa frase. O modo de fazer num texto escrito de instrução de montagem, aparece elencado por passos explicativos (que podem ou não ter representações gráficas), já no vídeo os passos são descritos oralmente, ao mesmo tempo que podem ser demonstrados por meio da construção do objeto em si. Espera-se, então, que os alunos percebam essas diferenças, mesmo que de maneira mais simples. Eles podem responder, por exemplo, que no vídeo aparecem os materiais de maneira diferente do texto escrito e que os passos são mais dinâmicos, porque vão sendo ensinados à medida que o orador explica. Cabe a você, professor, ir conduzindo a conversa para que os alunos possam ir percebendo as diferenças ou mesmo, as possibilidades que o vídeo traz.

Materiais complementares: Para acessar o vídeo clique aqui.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Dê continuidade nas discussões, agora dando foco às características específicas do texto de instrução oral. A partir das informações observadas no vídeo pergunte aos alunos:
  • Qual a função desse vídeo?

Aqui, espera-se que percebam que o vídeo ensina a construir ou montar um dinossauro com balão, sendo assim, que apontem que a função do vídeo é ensinar ou instruir na montagem de um brinquedo. Pode acontecer de alguns alunos até já adiantarem a conversa dizendo que o vídeo serve para ensinar assim como um texto de instrução. Se isso, acontecer, continue conduzindo a conversa de maneira que as questões sugeridas ou outras acrescentadas por você, professor, possam ser contempladas.

  • Para quem ele foi produzido?
  • O que ele ensina a fazer?

Espera-se que os alunos apresentem respostas que demonstrem sua percepção de que o vídeo foi produzido para o público infantil e que ele ensina a construir um brinquedo. Os alunos podem até serem mais detalhistas, dizendo que ensina a construir um dinossauro com balão.

  • Quais materiais são necessários para a montagem do dinossauro?

No vídeo, são apresentados pelo orador quais materiais serão usados. Como cada criança acaba guardando alguns, provavelmente conseguirão citar: papel, cola, balão (ou bexiga), durex e canetinha. Se não lembrarem de todos, você pode citar ou dar uma retomada rápida no vídeo.

  • Como vocês perceberam isso?

Aqui, espera-se que os alunos possam ter percebido que no vídeo, além do orador falar quais são os materiais, ele também vai apresentando cada um à medida que fala (por meio de imagens e depois, dos próprios objetos) .

  • O que aparece no vídeo que ajuda na montagem?

Nessa questão, chame a atenção dos alunos para os passos de montagem, caso eles próprios não os citem, pois são justamente os passos que mais ajudam na montagem do brinquedo. De nada adiantaria ter os materiais, se não houvesse a maneira de se construir o brinquedo.

  • Quais são as partes de um texto de instrução de montagem? Conseguimos perceber essas partes no vídeo?

Aqui os alunos precisam, além de saber as partes do texto de instrução de montagem (título, materiais necessários e modo de fazer), conseguir elencar onde foram demonstradas no vídeo: o título é apresentado logo no início quando aparece a frase “Dinossauro de balão”; os materiais são apresentados logo depois que o orador dá uma contextualizada no ambiente onde viviam os dinossauros; e o modo de fazer aparece no restante do vídeo, ensinando como se monta o dinossauro.

A ideia é que os alunos percebam as características do texto de instrução de montagem no texto oral, inclusive sua finalidade. Pode acontecer dos alunos não conseguirem chegar a conclusão de que este vídeo tem a função de ensinar a montar um brinquedo, foi produzido para o público infantil e apresenta as partes necessárias no gênero de instrução de montagem (título, materiais e modo de fazer). Neste caso, cabe a você professor, conduzir a conversa de maneira que essas ideias fiquem evidentes. Pode-se questionar:

  • Qual a função de um texto de instrução de montagem? O vídeo tem essa mesma função? Por quê?

Aqui, espera-se que os alunos citem a função de ensinar do texto de instrução de montagem e que percebam que no vídeo essa função se mantém.

  • Em que momento descobrimos o nome do vídeo?

Espera-se que os alunos relacionem o nome do vídeo ao título do texto de instrução, que aparece logo no início do vídeo.

  • E os materiais necessários? Como eles aparecem no vídeo?

Essa questão já foi levantada antes, porém é bom retomá-la para poder seguir a sequência das partes de um texto de montagem. Provavelmente os alunos responderão rapidamente que os materiais usados aparecem à medida que o orador vai dizendo o que será preciso para fazer o brinquedo.

  • Há uma lista? Há desenhos?

Nesse caso, os alunos poderão perceber que no vídeo tanto os passos de montagem quanto os materiais usados são demonstrados na prática, enquanto que num texto escrito, podem ou não estar representados por meio de desenhos.

  • E os passos de montagem? Como são descritos?

Os alunos poderão perceber que os passos de montagem no vídeo são descritos de forma oral, porém de maneira bem próxima ao texto escrito. Aliás, no vídeo, aparecem as frases enumeradas, uma para cada passo de montagem. Contudo, o orador explica do jeito e com as palavras dele como deve acontecer a montagem do dinossauro. Você pode dizer aos alunos que numa apresentação de um texto de instruções de montagem ou num vídeo como esse, pode-se explicar a partir da leitura de um texto escrito, ou falar com "nossas palavras". Portanto, espera-se que os alunos percebam que os passos acontecem na prática (no vídeo) e de maneira natural. Contudo, se a percepção deles for bastante resumida, ofereça outros questionamentos para que possam refletir mais sobre a relação do texto oral e escrito. Pergunte aos alunos, por exemplo:

  • Quem já ensinou alguém a fazer alguma coisa explicando com suas palavras (exemplo: ensinar uma brincadeira para um amigo)?
  • Quem já leu um livro ou ouviu uma história e depois contou do seu jeito?

Todas essas questões, favorecem a reflexão dos alunos acerca do texto de instrução de montagem, que agora se apresenta de forma oral. Ele mantém suas características principais, porém está carregado da fala menos formal do orador.

  • É importante que você coloque no quadro as três partes do texto de instrução de montagem (título, materiais e modo de fazer), após os questionamentos, só para reforçar a fala dos alunos e para terem como referência diante de futuras questões propostas.
  • Apresente para os alunos o seguinte desafio: O vídeo apresenta um texto oral de instrução de montagem. Você acredita, que poderia apresentar esse vídeo contando do seu jeito como se monta o dinossauro de balão?
  • Isso é possível?

Aqui as respostas podem divergir. Alunos mais retraídos ou que não gostam de falar em público podem dizer não por encontrar essa questão da fala como uma dificuldade. Outros podem colocar como dificuldade explicar o texto de instrução, dizendo que é difícil explicar e fazer ao mesmo tempo. E haverá, com certeza, alunos que dirão que é possível. Aproveite a fala dos que disserem “sim” para apresentar possibilidades aos possíveis “não”. O importante é que os alunos encontrem possibilidades que os permitam acreditar que é possível realizar o que a pergunta questiona.

  • Vocês acham que seria igual ou diferente ao vídeo?

Já acreditando que é possível fazer o vídeo contando como se monta o dinossauro de balão, espera-se que os alunos percebam que se eles fizessem um vídeo sairia diferente. Eles devem levar em conta o cenário, os materiais… que nesse caso faria com que o vídeo fosse diferente, mesmo que seja montado algo parecido, principalmente porque a forma de falar é pessoal e cada um tem a sua.

  • Mas o que teria que ter para que continuasse sendo um texto de instrução de montagem?

Aqui espera-se que citem as principais partes do texto de instrução: título, materiais necessários, modo de fazer.

  • Poderia ser falado de qualquer jeito? Que dicas teríamos que seguir para apresentar um vídeo como esse?

A ideia é fazer com que os alunos percebam que o texto oral não perde as características do texto escrito, mas que pode haver mais liberdade na fala, justamente pelo vídeo ser oral e contar com a forma de oralização da pessoa que o está apresentando. Porém, é necessário que haja clareza na fala, que se fale olhando para a câmera, que não haja barulho, entre outras coisas que influenciam na fala.

4. O importante é que a comparação entre o texto falado e escrito aconteça e que possam viver isso na produção coletiva do texto. Para isso, agrupe os alunos e explique que irão fazer uma apresentação oral sobre o texto do dinossauro de balão.

6. Divida os alunos em cinco grupos: um grupo ficará responsável pelo título e os materiais necessários, mencionados no vídeo. Os demais grupos ficarão cada um com um passo de montagem.

7. Explique que eles devem ensaiar a parte que ficou destinada a cada grupo e depois farão a apresentação. Diga que se quiserem podem escrever o que irão falar para facilitar a oralização e para que não esqueçam de nenhuma informação importante.

8. Oriente que os grupos analisem a parte do texto que será apresentada e escolham um representante para apresentar para a turma. Durante a atividade nos grupos, circule pela sala apoiando os alunos na realização da proposta e dando dicas de aspectos a considerar no momento de oralizar o texto (falar com clareza, com ritmo adequado, falar com suas palavras caso não lembre exatamente as palavras do texto escrito, etc).

Slide Plano Aula
Fechamento <p><strong>Tempo sugerido</strong>: 10 minutos</p><p><strong>Orientações:</strong></p><ul><li>Comece as apresentações! Mas antes, lembre os alunos representantes de cada grupo que devem ser objetivos e claros em suas apresentações para que todos possam entender, e que ao final o texto fique completo, já que cada grupo ficou com uma parte do texto.</li><li>Após o término das apresentações, faça uma avaliação coletiva, levantando com os alunos o que consideraram importante para uma apresentação oral de um texto de instrução de montagem, e se a apresentação cumpriu a função do texto de ensinar alguém a fazer o dinossauro de balão.</li><li>Para isso, você pode questioná-los sobre a apresentação uns dos outros:</li><li>Como foi ouvir o texto lido e o texto contado do jeito dos colegas?</li></ul><p>Aqui espera-se que os alunos coloquem como sentiram-se ouvindo os colegas e a eles próprios nas apresentações dos grupos. Que sentimento foi despertado: curiosidade, vergonha, empolgação, estranheza, entre outros.</p><ul><li>Houve muita diferença?</li></ul><p>Aqui espera-se que os alunos percebam a diferença entre a forma como o orador falou no vídeo apresentado no início da aula e a dos colegas. A fala dos colegas é mais próxima a deles, o vocabulário é diferente, uns podem ter falado mais baixo e outros mais alto etc.</p><ul><li>Houve alguém que falou muito baixo ou muito rápido? Isso dificultou o entendimento do texto?</li><li>Os dois jeitos de apresentação (por meio da leitura ou da fala com as próprias palavras) cumpriram a função do texto?</li></ul><p>Uma questão está ligada a outra. A intenção é que todas as apresentações em grupo tenham cumprido sua função, mas pode ocorrer de não ter havido clareza na fala, ter faltado alguma informação ou ter sido baixa ou rápida e isso pode ter comprometido a função do texto, pois não é possível entender direito o que está sendo ensinado. Levante essas possibilidades, caso seja necessário. </p><ul><li>O importante é que os alunos percebam que as características de um texto de instrução de montagem se mantêm ou devem se manter na produção oral do mesmo tipo de texto. Espera-se que eles possam avaliar o que pode ser melhorado, pensar no que precisa ter num texto oral para que se mantenha as características do texto, nesse caso o de instrução de montagem.</li> </div> </div> <div class="ne-slide__image"> <div class="base-slides"> <img data-src="https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/AVCukVYdFkN35Wd6Xp5jKEJKcFsbnngWKnmkPt6crTutGhmF9M9y9bQ2gU6G/title-fechamento" class="lazyload" alt="Slide Plano Aula"> </div> </div> </div> </div> </div> <button data-ne-slides-action="nextSlide" class="ne-btn-outline ne-icon-only ne-slides__body__nav-next nextSlide"> <svg width="24" height="24" viewBox="0 0 24 24" xmlns="http://www.w3.org/2000/svg"> <title>ic_arrow_next_24px

Compartilhe este conteúdo:

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Oralidade do 2º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 2º ano:

2º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF12LP06 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP13 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas