14992
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 8º ano > Oralidade

Plano de aula - Oficina de Escrita

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 8º ano do EF sobre Oficina de Escrita

Plano 01 de 1 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Jardelina Oliveira Passos Moura

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula:

Esta é uma proposta de atividade permanente para desenvolver com os alunos, de maneira dinâmica, práticas de escrita acerca de assuntos que façam parte da vida cotidiana com base no repertório que possuem em relação à produção de gêneros textuais distintos e de suas experiências de uso da linguagem em diferentes contextos.

Campo de atuação priorizado nesta atividade: todos os campos de atuação.

Justificativa: Aproximar os alunos, nos dois anos finais do Ensino Fundamental, da escrita de diferentes gêneros textuais, possibilitando que eles ampliem o seu repertório em diferentes campos de atuação, é fundamental para o desenvolvimento das práticas de linguagem, da experiência estética e intercultural dos jovens e, sobretudo, para retomada, ressignificação e consolidação das aprendizagens de anos anteriores. Envolvidos em situações de escrita, poderão alargar suas capacidades de análise, observação, reflexão e crítica social, uma vez que estarão inseridos em contextos de produção coletiva, exercitando diferentes habilidades para lidar com desafios de maior complexidade - relacionados às áreas do conhecimento e temáticas variadas - e fortalecer a autonomia, aprendendo, de modo mais substancial, a interagir com diferentes fontes de informação e conhecimento. Neste sentido, as propostas de produção textual podem ser compreendidas como importantes caminhos para desenvolver a capacidade de autoria dos estudantes, a fim de que se tornem sujeitos autores de seus próprios textos e discursos de maneira competente.

Materiais necessários: Caderno, folhas para escrita, lápis, caneta.

Dificuldades antecipadas:

Escrever é uma prática exigente, já que mobiliza diferentes saberes e competências. Desta forma, é provável que os alunos encontrem dificuldades nos momentos de produção de textos, pois precisarão acionar suas experiências para apresentar, de modo reflexivo, crítico e consistente, ideias capazes de revelar a sua visão acerca das coisas do mundo e das pessoas que os cercam. Por isso, é fundamental que o professor, no papel de mediador, oriente os alunos, à medida que forem desenvolvendo as discussões a respeito das estratégias de escrita usadas para a produção dos textos, em relação ao que deve ser extraído de cada gênero para que o texto possa ser elaborado. Assim, ao entrar em contato com estes desafios, cada estudante poderá desenvolver, nas trocas com seus pares, habilidades que irá demandar escuta apurada para compreender as ideias diferentes das suas e exercitar as capacidades de respeito às diferenças.

Referências sobre o assunto:

SCHNEUWLY, Bernard. DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2014.

KOCH, Ingedore Villaça. ELIAS, Maria Vanda. Ler e escrever: estratégias de produção textual. São Paulo: Contexto, 2009.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Sensibilização:

  • É a etapa em que os alunos compreendem o objetivo da Oficina de escrita e acontece somente uma vez, mas pode ser retomada durante o ano, se necessário.
  • No 8º ano, a Oficina de escrita está estruturada na curadoria de palavras que podem assumir diferentes sentidos de acordo com o contexto em que elas estão inseridas.
  • Para que o aluno compreenda que a palavra é carregada de valores e intencionalidades, realize a seguinte dinâmica:
  • Peça aos alunos que pensem em uma palavra ou expressão.
  • Solicite que um aluno compartilhe a palavra com a turma, escrevendo-a no quadro.
  • Discuta com os alunos a quais significados aquela palavra remete.
  • Peça ao aluno que escreveu a palavra para explicar o motivo que o levou a escolhê-la.

4. É importante que os alunos compreendam que o uso da palavra por diferentes pessoas e contextos produz novos sentidos, novos conhecimentos, podendo ser usada como estratégia de persuasão, indução e convencimento.

5. Esclareça aos alunos que a oficina de escrita é composta de três momentos:

  • Preparação: busca de palavras e expressões dentro de uma situação comunicativa.
  • Produção textual: momento de planejar e construir o texto.
  • Avaliação: momento de revisão do texto.

Preparação:

  • É a etapa que antecede o dia da oficina.
  • Durante os 15 dias que antecedem a oficina de escrita, peça aos alunos que observem atentamente as diferentes situações comunicativas em que eles estão inseridos. Para isso, tenha uma conversa prévia com a turma, chamando a atenção para o fato de que, cotidianamente, tecemos diálogos com diferentes interlocutores, por meio das modalidades falada e escrita da língua, em contextos distintos. E, desta maneira, descobrimos palavras e expressões novas que não apenas ampliam o nosso repertório vocabular como também alargam a nossa forma de ver e compreender as ideias sobre as coisas do mundo.
  • Ressalte para os alunos que eles, em diferentes momentos do dia, quando falam com seus pais, outros familiares, amigos, colegas da escola, professores, todos costumam fazer uso de variadas expressões e termos que identificam o modo de falar de cada grupo de interlocutores. Assim, a turma terá como atividade para casa pesquisar palavras, expressões, frases usadas por eles ou pelos falantes com os quais interagem em diferentes situações comunicativas. Para tanto, antes de começar a fazer a “curadoria” de palavras/expressões/frases, cada estudante deverá refletir sobre as seguintes questões:
  • Como minha família se comunica comigo? Quais expressões são usadas? As pessoas da minha família costumam usar ditos populares, frases conhecidas do nosso contexto familiar? Usam frases diferentes das que ouço, quando estou com meus amigos?
  • E quando estou com meus amigos e colegas, quais expressões costumamos usar para falarmos de nossos interesses a respeito do que lemos, ouvimos, conversamos de modo geral?
  • E nos diálogos com meus professores, como eles se dirigem ao nosso grupo? Quais expressões costumam usar que chamam a minha atenção?
  • E nas situações em que eu preciso conversar com diferentes pessoas, por exemplo, no comércio, pedir uma informação, ou até, escutar uma música, assistir a TV ou ler um livro?

4. Durante estes 15 dias que antecedem a oficina de escrita, os alunos desenvolverão o papel de “pescadores de palavras” e terão como principal tarefa anotar, em uma cadernetinha ou em um caderno, de cinco a dez palavras, expressões e frases que despertam a atenção deles em diferentes contextos de uso da oralidade e da escrita, por exemplo: numa conversa com familiares, numa brincadeira entre colegas, na escola ou no bairro onde moram, num conflito observado dentro ou fora do contexto escolar, num diálogo especial entre mãe e filho, irmãos, numa conversa na padaria, supermercado, em situações de jogos, em propagandas de tevê, canções, em vídeos a que assistiram, em livros que leram, canções que ouviram.

5. Oriente os alunos a, durante a curadoria de palavras, prestar atenção às situações em que estes termos foram usados e quais ideias eles expressaram e produziram de acordo com o contexto. É importante que os alunos compreendam que as palavras escolhidas, além de ter um propósito comunicativo que engloba interlocutores, espaço, propósitos, traz diferentes conhecimentos linguísticos, ideológicos, culturais, sociais, crenças e valores.

6. Estimule-os a refletir sobre o contexto e o objetivo das palavras ou expressões escolhidas por meio das perguntas:

  • Quando a palavra foi usada?
  • Sobre qual assunto os interlocutores conversavam ?
  • Você conseguiu identificar o que a palavra queria comunicar e/ou expressar: uma informação? Defender uma ideia? sensibilizar alguém? Fazer um alerta? Convencer alguém? Contar algum fato engraçado?

7. Por fim, chame a atenção dos alunos para o fato de que, quando usamos as palavras, cotidianamente, estamos inseridos numa situação comunicativa e assumimos posições distintas nos diálogos: ora falamos, ora ouvimos. Estas orientações para o grupo, antes de iniciar a curadoria de palavras, ajudarão a turma a realizá-la de maneira mais consciente e reflexiva.

8. Destaque para os alunos a seguinte informação: no dia da Oficina de escrita, todos devem trazer as suas cadernetinhas ou cadernos para que, juntos, desenvolvam o planejamento e a produção textual.

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Organize a classe em grupos.
  • Solicite que cada aluno pegue a sua cadernetinha (ou caderno) usada para a tarefa de casa e compartilhe com o grupo as palavras, expressões, frases coletadas que despertaram o seu interesse.
  • Tomando como base as palavras compartilhadas, cada grupo definirá o tema que será abordado na produção textual.
  • Após a escolha temática, o grupo definirá o gênero textual de acordo com a finalidade de escrita.
  • Solicite, então, que a turma pense, diante de palavras, expressões ou frases escolhidas, a respeito das seguintes questões:
  • Quais temas surgem com base nessas palavras coletadas, ou seja, quais assuntos podemos inferir com base nestas palavras?
  • Quais situações de escrita provocariam a necessidade de produzir ideias a respeito destes assuntos?
  • Quais gêneros textuais poderiam ser escritos para estabelecer relações com estes temas?
  • Quais palavras poderiam ser usadas para a criação de textos de humor?
  • Quais palavras caberiam na escrita de uma carta?
  • Quais palavras poderiam ser usadas na produção de um rap?
  • Quais palavras poderiam ser empregadas na escrita de um poema?
  • Quais palavras poderiam ser usadas na produção de uma notícia?
  • Quais poderiam ser usadas num conto de mistério?

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 40 minutos.

  • É a etapa em que os alunos constroem o texto refletindo sobre o contexto de produção:
  • Qual assunto que pretendem abordar?
  • Qual o gênero escolhido?
  • Qual é o objetivo que se deseja alcançar?
  • Quem será o leitor?

2. Durante o momento de produção, circule pela sala acompanhando as discussões dos alunos e os critérios que estão usando para definir o texto que desejam escrever e as palavras que serão inseridas na escrita.

3. Percorrendo entre os grupos, oriente:

  • A pensar na escolha do gênero, considerando a linguagem e estrutura do texto, e os propósitos de escrita: emocionar, sensibilizar, convencer, opinar, manifestar, criticar. Pergunte, por exemplo: O que desejam comunicar por meio desta palavra? Que efeitos de sentidos esta palavra poderá produzir?
  • Na organização das etapas da produção textual, ressalte que, juntos, devem definir o público leitor do texto, as palavras-chave que nortearão a produção de ideias que desejam expressar, a forma de uso das palavras, considerando seus múltiplos sentidos e significados.
  • os alunos a pensar nos sentidos que podem ser produzidos pelo leitor, à medida que for apresentada, na escrita, a palavra/expressão/frase que a equipe escolheu para uso no contexto.

4. Ressalte para os alunos a informação de que, na próxima oficina, a sessão será destinada à revisão dos textos que eles escreveram.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Avaliação

  • A avaliação textual é uma etapa importante da Oficina de escrita para que os alunos consigam refletir e revisar o texto com base no contexto de produção e dos conteúdos discursivos, textuais, pragmáticos, gramaticais e notacionais.
  • É uma etapa que acontece entre as Oficinas de escrita.
  • Considere as necessidades observadas nas produções escritas dos alunos e verifique algumas sugestões de estratégias de revisão abaixo para desenvolver nos momentos de revisitar os textos na classe:
  • Em grupo: solicite que os alunos analisem as produções dos colegas e, numa folha avulsa, anotem sugestões para que o texto possa ser aprimorado. Para isso, peça, antes, que eles definam critérios para a apreciação da escrita, considerando a linguagem e a estrutura características do gênero. Estimule a turma a pensar, por exemplo, nas seguintes questões para a definição destes critérios: O texto está contemplando as características do gênero escolhido pelo grupo? As ideias estão organizadas de modo claro e coerente? Há alguma palavra e/ou expressão inadequada ao contexto? O texto atende ao propósito da situação comunicativa que foi definida, antes do momento de escrita?
  • Individual: recolha as produções dos alunos e estabeleça critérios para sua análise. Para isso, considere as necessidades observadas nas escritas. Por exemplo, verifique se os textos respondem as questões definidas por eles, antes de começarem a escrita do texto. Observe, também, se a linguagem está adequada às condições de produção do texto e aos interlocutores definidos, se o texto apresenta riqueza vocabular e revela emprego coerente dos recursos de substituições feito pelos alunos. Analise a organização das frases e dos períodos, atentando para a pontuação e os efeitos de sentido produzidos nos textos.
  • Coletiva: faça um levantamento, com a participação dos alunos, para que a turma verifique quais textos foram produzidos pelos grupos e identifique se há um gênero comum aos grupos. E, com base neste gênero comum, proponha o desenvolvimento de uma revisão coletiva, considerando a linguagem e as características do texto estão sendo objeto de revisão. Contemple, na revisão, por exemplo, os aspectos
    sinalizados no tópico acima.

4) Solicite que os grupos analisem o texto produzido, considerando as sugestões de questões apresentadas no slide.

5) Abra espaço para que os alunos expressem as suas percepções acerca do que escreveram e sugiram mudanças que julgam necessárias na produção desenvolvida em grupo.

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Orientações:

  • Solicite que os alunos, em grupos, com base em flagrantes do cotidiano e de palavras pescadas em diferentes contextos, produzam, de maneira crítica e reflexiva, narrativas acerca de situações inusitadas - da vida social e coletiva - que ocorrem fora dos espaços da escola.
  • Oriente os alunos sobre o gênero Crônica:
  • O tema.
  • O tom: poético, irônico, reflexivo, humorístico.
  • Linguagem coloquial.
  • Cenário.
  • Foco narrativo.
  • As personagens: inventadas ou não.
  • Enredo: haverá um elemento-surpresa.
  • Aspectos do cotidiano que serão narrados.
  • Título.
  • Desfecho.
  • Sugira que, após a produção das crônicas, os alunos troquem os textos escritos pelos grupos. Oriente os alunos a socializar seus textos, considerando diferentes espaços de publicação.

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Orientações:

  • Nesta variação, os alunos produzirão contos com base em canções.
  • Solicite que os alunos selecionem canções de seu interesse para que possam realizar a adaptação deste texto em conto ou utilizem esta canção como espécie de trilha sonora para uma trama.
  • Esclareça aos alunos que a música é um bem cultural e está presente no cotidiano das pessoas.
  • Solicite que os alunos escolham uma música e pesquisem sobre o contexto em que ela foi produzida.
  • Em sala, faça uma votação para escolher uma música para toda a turma ou uma música para cada grupo.
  • A música escolhida deve ser contextualizada pelo aluno que a indicou.
  • Cada grupo transforma a música em um conto que pode ser tradicional, mais descritivo, ou de artimanha, mais objetivo com pouca descrição.
  • Sugira que a turma organize uma roda de leitura para apresentar, na escola, os contos de autoria dos grupos da classe.

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Orientações:

  • Solicite que, com base em palavras, expressões, frases “pescadas do cotidiano”, os alunos produzam jogos explorando assuntos de seu interesse.
  • Explique aos alunos que o gameplay é um gênero virtual que apresenta um ou mais jogadores interagindo com um determinado game. Ele explora todas as possibilidades do jogo e, em geral, traz orientações aos iniciantes.
  • Peça que, no momento da criação do gameplay, os alunos criem uma história para servir de referência para as etapas do jogo.
  • Oriente os alunos, no momento da produção, pedindo que definam, por exemplo, um ambiente por onde as personagens do jogo irão transitar, criem falas para que as personagens possam estabelecer diálogos, com base no enredo criado, elaborem um conflito e o desfecho de maneira dinâmica e criativa.
  • Para saber mais sobre gameplay, consulte o link disponível em: <https://novaescola.org.br/bncc/.../conheca-seis-generos-digitais-sugeridos-pela-bncc>. Acesso em: 14. dez de 2018.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula:

Esta é uma proposta de atividade permanente para desenvolver com os alunos, de maneira dinâmica, práticas de escrita acerca de assuntos que façam parte da vida cotidiana com base no repertório que possuem em relação à produção de gêneros textuais distintos e de suas experiências de uso da linguagem em diferentes contextos.

Campo de atuação priorizado nesta atividade: todos os campos de atuação.

Justificativa: Aproximar os alunos, nos dois anos finais do Ensino Fundamental, da escrita de diferentes gêneros textuais, possibilitando que eles ampliem o seu repertório em diferentes campos de atuação, é fundamental para o desenvolvimento das práticas de linguagem, da experiência estética e intercultural dos jovens e, sobretudo, para retomada, ressignificação e consolidação das aprendizagens de anos anteriores. Envolvidos em situações de escrita, poderão alargar suas capacidades de análise, observação, reflexão e crítica social, uma vez que estarão inseridos em contextos de produção coletiva, exercitando diferentes habilidades para lidar com desafios de maior complexidade - relacionados às áreas do conhecimento e temáticas variadas - e fortalecer a autonomia, aprendendo, de modo mais substancial, a interagir com diferentes fontes de informação e conhecimento. Neste sentido, as propostas de produção textual podem ser compreendidas como importantes caminhos para desenvolver a capacidade de autoria dos estudantes, a fim de que se tornem sujeitos autores de seus próprios textos e discursos de maneira competente.

Materiais necessários: Caderno, folhas para escrita, lápis, caneta.

Dificuldades antecipadas:

Escrever é uma prática exigente, já que mobiliza diferentes saberes e competências. Desta forma, é provável que os alunos encontrem dificuldades nos momentos de produção de textos, pois precisarão acionar suas experiências para apresentar, de modo reflexivo, crítico e consistente, ideias capazes de revelar a sua visão acerca das coisas do mundo e das pessoas que os cercam. Por isso, é fundamental que o professor, no papel de mediador, oriente os alunos, à medida que forem desenvolvendo as discussões a respeito das estratégias de escrita usadas para a produção dos textos, em relação ao que deve ser extraído de cada gênero para que o texto possa ser elaborado. Assim, ao entrar em contato com estes desafios, cada estudante poderá desenvolver, nas trocas com seus pares, habilidades que irá demandar escuta apurada para compreender as ideias diferentes das suas e exercitar as capacidades de respeito às diferenças.

Referências sobre o assunto:

SCHNEUWLY, Bernard. DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2014.

KOCH, Ingedore Villaça. ELIAS, Maria Vanda. Ler e escrever: estratégias de produção textual. São Paulo: Contexto, 2009.

Slide Plano Aula

Sensibilização:

  • É a etapa em que os alunos compreendem o objetivo da Oficina de escrita e acontece somente uma vez, mas pode ser retomada durante o ano, se necessário.
  • No 8º ano, a Oficina de escrita está estruturada na curadoria de palavras que podem assumir diferentes sentidos de acordo com o contexto em que elas estão inseridas.
  • Para que o aluno compreenda que a palavra é carregada de valores e intencionalidades, realize a seguinte dinâmica:
  • Peça aos alunos que pensem em uma palavra ou expressão.
  • Solicite que um aluno compartilhe a palavra com a turma, escrevendo-a no quadro.
  • Discuta com os alunos a quais significados aquela palavra remete.
  • Peça ao aluno que escreveu a palavra para explicar o motivo que o levou a escolhê-la.

4. É importante que os alunos compreendam que o uso da palavra por diferentes pessoas e contextos produz novos sentidos, novos conhecimentos, podendo ser usada como estratégia de persuasão, indução e convencimento.

5. Esclareça aos alunos que a oficina de escrita é composta de três momentos:

  • Preparação: busca de palavras e expressões dentro de uma situação comunicativa.
  • Produção textual: momento de planejar e construir o texto.
  • Avaliação: momento de revisão do texto.

Preparação:

  • É a etapa que antecede o dia da oficina.
  • Durante os 15 dias que antecedem a oficina de escrita, peça aos alunos que observem atentamente as diferentes situações comunicativas em que eles estão inseridos. Para isso, tenha uma conversa prévia com a turma, chamando a atenção para o fato de que, cotidianamente, tecemos diálogos com diferentes interlocutores, por meio das modalidades falada e escrita da língua, em contextos distintos. E, desta maneira, descobrimos palavras e expressões novas que não apenas ampliam o nosso repertório vocabular como também alargam a nossa forma de ver e compreender as ideias sobre as coisas do mundo.
  • Ressalte para os alunos que eles, em diferentes momentos do dia, quando falam com seus pais, outros familiares, amigos, colegas da escola, professores, todos costumam fazer uso de variadas expressões e termos que identificam o modo de falar de cada grupo de interlocutores. Assim, a turma terá como atividade para casa pesquisar palavras, expressões, frases usadas por eles ou pelos falantes com os quais interagem em diferentes situações comunicativas. Para tanto, antes de começar a fazer a “curadoria” de palavras/expressões/frases, cada estudante deverá refletir sobre as seguintes questões:
  • Como minha família se comunica comigo? Quais expressões são usadas? As pessoas da minha família costumam usar ditos populares, frases conhecidas do nosso contexto familiar? Usam frases diferentes das que ouço, quando estou com meus amigos?
  • E quando estou com meus amigos e colegas, quais expressões costumamos usar para falarmos de nossos interesses a respeito do que lemos, ouvimos, conversamos de modo geral?
  • E nos diálogos com meus professores, como eles se dirigem ao nosso grupo? Quais expressões costumam usar que chamam a minha atenção?
  • E nas situações em que eu preciso conversar com diferentes pessoas, por exemplo, no comércio, pedir uma informação, ou até, escutar uma música, assistir a TV ou ler um livro?

4. Durante estes 15 dias que antecedem a oficina de escrita, os alunos desenvolverão o papel de “pescadores de palavras” e terão como principal tarefa anotar, em uma cadernetinha ou em um caderno, de cinco a dez palavras, expressões e frases que despertam a atenção deles em diferentes contextos de uso da oralidade e da escrita, por exemplo: numa conversa com familiares, numa brincadeira entre colegas, na escola ou no bairro onde moram, num conflito observado dentro ou fora do contexto escolar, num diálogo especial entre mãe e filho, irmãos, numa conversa na padaria, supermercado, em situações de jogos, em propagandas de tevê, canções, em vídeos a que assistiram, em livros que leram, canções que ouviram.

5. Oriente os alunos a, durante a curadoria de palavras, prestar atenção às situações em que estes termos foram usados e quais ideias eles expressaram e produziram de acordo com o contexto. É importante que os alunos compreendam que as palavras escolhidas, além de ter um propósito comunicativo que engloba interlocutores, espaço, propósitos, traz diferentes conhecimentos linguísticos, ideológicos, culturais, sociais, crenças e valores.

6. Estimule-os a refletir sobre o contexto e o objetivo das palavras ou expressões escolhidas por meio das perguntas:

  • Quando a palavra foi usada?
  • Sobre qual assunto os interlocutores conversavam ?
  • Você conseguiu identificar o que a palavra queria comunicar e/ou expressar: uma informação? Defender uma ideia? sensibilizar alguém? Fazer um alerta? Convencer alguém? Contar algum fato engraçado?

7. Por fim, chame a atenção dos alunos para o fato de que, quando usamos as palavras, cotidianamente, estamos inseridos numa situação comunicativa e assumimos posições distintas nos diálogos: ora falamos, ora ouvimos. Estas orientações para o grupo, antes de iniciar a curadoria de palavras, ajudarão a turma a realizá-la de maneira mais consciente e reflexiva.

8. Destaque para os alunos a seguinte informação: no dia da Oficina de escrita, todos devem trazer as suas cadernetinhas ou cadernos para que, juntos, desenvolvam o planejamento e a produção textual.

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Organize a classe em grupos.
  • Solicite que cada aluno pegue a sua cadernetinha (ou caderno) usada para a tarefa de casa e compartilhe com o grupo as palavras, expressões, frases coletadas que despertaram o seu interesse.
  • Tomando como base as palavras compartilhadas, cada grupo definirá o tema que será abordado na produção textual.
  • Após a escolha temática, o grupo definirá o gênero textual de acordo com a finalidade de escrita.
  • Solicite, então, que a turma pense, diante de palavras, expressões ou frases escolhidas, a respeito das seguintes questões:
  • Quais temas surgem com base nessas palavras coletadas, ou seja, quais assuntos podemos inferir com base nestas palavras?
  • Quais situações de escrita provocariam a necessidade de produzir ideias a respeito destes assuntos?
  • Quais gêneros textuais poderiam ser escritos para estabelecer relações com estes temas?
  • Quais palavras poderiam ser usadas para a criação de textos de humor?
  • Quais palavras caberiam na escrita de uma carta?
  • Quais palavras poderiam ser usadas na produção de um rap?
  • Quais palavras poderiam ser empregadas na escrita de um poema?
  • Quais palavras poderiam ser usadas na produção de uma notícia?
  • Quais poderiam ser usadas num conto de mistério?

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 40 minutos.

  • É a etapa em que os alunos constroem o texto refletindo sobre o contexto de produção:
  • Qual assunto que pretendem abordar?
  • Qual o gênero escolhido?
  • Qual é o objetivo que se deseja alcançar?
  • Quem será o leitor?

2. Durante o momento de produção, circule pela sala acompanhando as discussões dos alunos e os critérios que estão usando para definir o texto que desejam escrever e as palavras que serão inseridas na escrita.

3. Percorrendo entre os grupos, oriente:

  • A pensar na escolha do gênero, considerando a linguagem e estrutura do texto, e os propósitos de escrita: emocionar, sensibilizar, convencer, opinar, manifestar, criticar. Pergunte, por exemplo: O que desejam comunicar por meio desta palavra? Que efeitos de sentidos esta palavra poderá produzir?
  • Na organização das etapas da produção textual, ressalte que, juntos, devem definir o público leitor do texto, as palavras-chave que nortearão a produção de ideias que desejam expressar, a forma de uso das palavras, considerando seus múltiplos sentidos e significados.
  • os alunos a pensar nos sentidos que podem ser produzidos pelo leitor, à medida que for apresentada, na escrita, a palavra/expressão/frase que a equipe escolheu para uso no contexto.

4. Ressalte para os alunos a informação de que, na próxima oficina, a sessão será destinada à revisão dos textos que eles escreveram.

Slide Plano Aula

Avaliação

  • A avaliação textual é uma etapa importante da Oficina de escrita para que os alunos consigam refletir e revisar o texto com base no contexto de produção e dos conteúdos discursivos, textuais, pragmáticos, gramaticais e notacionais.
  • É uma etapa que acontece entre as Oficinas de escrita.
  • Considere as necessidades observadas nas produções escritas dos alunos e verifique algumas sugestões de estratégias de revisão abaixo para desenvolver nos momentos de revisitar os textos na classe:
  • Em grupo: solicite que os alunos analisem as produções dos colegas e, numa folha avulsa, anotem sugestões para que o texto possa ser aprimorado. Para isso, peça, antes, que eles definam critérios para a apreciação da escrita, considerando a linguagem e a estrutura características do gênero. Estimule a turma a pensar, por exemplo, nas seguintes questões para a definição destes critérios: O texto está contemplando as características do gênero escolhido pelo grupo? As ideias estão organizadas de modo claro e coerente? Há alguma palavra e/ou expressão inadequada ao contexto? O texto atende ao propósito da situação comunicativa que foi definida, antes do momento de escrita?
  • Individual: recolha as produções dos alunos e estabeleça critérios para sua análise. Para isso, considere as necessidades observadas nas escritas. Por exemplo, verifique se os textos respondem as questões definidas por eles, antes de começarem a escrita do texto. Observe, também, se a linguagem está adequada às condições de produção do texto e aos interlocutores definidos, se o texto apresenta riqueza vocabular e revela emprego coerente dos recursos de substituições feito pelos alunos. Analise a organização das frases e dos períodos, atentando para a pontuação e os efeitos de sentido produzidos nos textos.
  • Coletiva: faça um levantamento, com a participação dos alunos, para que a turma verifique quais textos foram produzidos pelos grupos e identifique se há um gênero comum aos grupos. E, com base neste gênero comum, proponha o desenvolvimento de uma revisão coletiva, considerando a linguagem e as características do texto estão sendo objeto de revisão. Contemple, na revisão, por exemplo, os aspectos
    sinalizados no tópico acima.

4) Solicite que os grupos analisem o texto produzido, considerando as sugestões de questões apresentadas no slide.

5) Abra espaço para que os alunos expressem as suas percepções acerca do que escreveram e sugiram mudanças que julgam necessárias na produção desenvolvida em grupo.

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Orientações:

  • Solicite que os alunos, em grupos, com base em flagrantes do cotidiano e de palavras pescadas em diferentes contextos, produzam, de maneira crítica e reflexiva, narrativas acerca de situações inusitadas - da vida social e coletiva - que ocorrem fora dos espaços da escola.
  • Oriente os alunos sobre o gênero Crônica:
  • O tema.
  • O tom: poético, irônico, reflexivo, humorístico.
  • Linguagem coloquial.
  • Cenário.
  • Foco narrativo.
  • As personagens: inventadas ou não.
  • Enredo: haverá um elemento-surpresa.
  • Aspectos do cotidiano que serão narrados.
  • Título.
  • Desfecho.
  • Sugira que, após a produção das crônicas, os alunos troquem os textos escritos pelos grupos. Oriente os alunos a socializar seus textos, considerando diferentes espaços de publicação.

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Orientações:

  • Nesta variação, os alunos produzirão contos com base em canções.
  • Solicite que os alunos selecionem canções de seu interesse para que possam realizar a adaptação deste texto em conto ou utilizem esta canção como espécie de trilha sonora para uma trama.
  • Esclareça aos alunos que a música é um bem cultural e está presente no cotidiano das pessoas.
  • Solicite que os alunos escolham uma música e pesquisem sobre o contexto em que ela foi produzida.
  • Em sala, faça uma votação para escolher uma música para toda a turma ou uma música para cada grupo.
  • A música escolhida deve ser contextualizada pelo aluno que a indicou.
  • Cada grupo transforma a música em um conto que pode ser tradicional, mais descritivo, ou de artimanha, mais objetivo com pouca descrição.
  • Sugira que a turma organize uma roda de leitura para apresentar, na escola, os contos de autoria dos grupos da classe.

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Orientações:

  • Solicite que, com base em palavras, expressões, frases “pescadas do cotidiano”, os alunos produzam jogos explorando assuntos de seu interesse.
  • Explique aos alunos que o gameplay é um gênero virtual que apresenta um ou mais jogadores interagindo com um determinado game. Ele explora todas as possibilidades do jogo e, em geral, traz orientações aos iniciantes.
  • Peça que, no momento da criação do gameplay, os alunos criem uma história para servir de referência para as etapas do jogo.
  • Oriente os alunos, no momento da produção, pedindo que definam, por exemplo, um ambiente por onde as personagens do jogo irão transitar, criem falas para que as personagens possam estabelecer diálogos, com base no enredo criado, elaborem um conflito e o desfecho de maneira dinâmica e criativa.
  • Para saber mais sobre gameplay, consulte o link disponível em: <https://novaescola.org.br/bncc/.../conheca-seis-generos-digitais-sugeridos-pela-bncc>. Acesso em: 14. dez de 2018.
Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

AULAS DE Oralidade do 8º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP50 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP51 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF67LP11 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF67LP12 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF67LP30 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF67LP31 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano