14834
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 3º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Diário: aplicação do sentido de verbos de enunciação no discurso direto .

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 3º ano do Fundamental sobre discurso direto no gênero diário

Plano 09 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Valéria Ap Rodrigues Da Silveira

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a nona aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Diário e no campo de atuação Vida cotidiana; Artístico-literário. A aula faz parte do módulo de Análise Linguística / Semiótica.

Materiais necessários: Computador, projetor multimídia, tela. Textos impressos. Folha com pauta.

Informações sobre o gênero: Os gêneros que expressam, por escrito, a vida de uma pessoa por ela mesma são autobiográficos e interessa-nos o diário pessoal, informal e íntimo de comunicação cotidiana; bem como o de comunicação produzida. São gêneros propícios a refletir a individualidade de quem enuncia. Apresentam elementos constitutivos mais maleáveis, entretanto, sua estrutura constitucional apresenta elementos essenciais: TEMA: a escrita sobre si (confissões, segredos, inquietações, emoções, opiniões…); FORMA: datação, vocativo e despedida; LINGUAGEM: uso da 1ª pessoa, vocabulário informal, caligrafia como marca pessoal nos suportes tradicionais e emoção; TEMPO: resgate da memória diária ao final do dia, geralmente; INTERLOCUÇÃO: o próprio diálogo com o diário. Leitor imaginário ou, eventualmente, autorizados pelo autor. INTERATIVIDADE: inexistente - leitor não interfere. Qualquer pessoa pode ter um diário, bastando compromisso e iniciativa. Sua função é “ guardar segredo”, se o autor assim quiser.

Dificuldades antecipadas: Poderão apresentar dificuldades na construção dos padrões da escrita (emprego da letra maiúscula no início das frases, a pontuação do discurso direto, utilização de dois-pontos e travessão para introduzir a interlocução, emprego dos verbos de elocução), no texto escrito.

Referências sobre o assunto:

PEREIRA, M. H. M.; SILVA, J. B. O gênero diário pessoal: como se confecciona o íntimo. Revista Línguas & Letras – Unioeste – Vol. 16 – Nº 34 – 2015. Disponível em: http://erevista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/11973/9212.

VIEIRA, M. L. Produção de textos escritos: construção de espaços de interlocução. Belo Horizonte: Ceale/FaE/UFMG, 2005. pp. 11-21. Disponível em: http://www.ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/files/uploads/Col.%20Alfabetiza%C3%A7%C3%A3o%20e%20Letramento/Col%20Alf.Let.%2005%20Producao_textos_escritos.pdf.

ZIRALDO. Diário da Julieta: as histórias mais secretas da menina maluquinha. São Paulo: Globo, 2006.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

  • Apresente-lhes a finalidade da aula.
  • Realize um levantamento de hipóteses para verificar o que já sabem sobre discurso direto e discurso indireto:
  • Como se realiza o discurso? É esperado que digam que se realiza entre os interlocutores: de um lado aquele que fala ou escreve e do outro lado aquele que ouve ou lê.
  • Na escrita, há necessidade de se representar por meio de indicadores o discurso direto, quando queremos dar a voz a algum personagem. Quais seriam esses indicadores? É esperado que digam que, geralmente, usa-se os sinais de pontuação dois-pontos e travessão para reproduzir a fala das personagens. Pode-se representar, também, o jeito de falar, ou seja, como a pessoa pronuncia a palavra (variação linguística). Os verbos de elocução (verbos de dizer/ dicendi) servem para anunciar as falas. A segmentação em parágrafos facilita a leitura.
  • E como se dá o discurso indireto? É esperado que digam que o narrador conta a história reproduzindo a fala e as reações das personagens. O narrador se utiliza de suas próprias palavras para contar aquilo que foi falado pela personagem.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações:

  • Projete o slide ou reproduza-o no quadro. Disponível para impressão no link abaixo (texto completo).
  • Organize os alunos, individualmente.
  • Indague-lhes se lembram do texto “Conto ou não conto?”, de Abel Sidney, visto na aula LPO3_02SQA06.
  • Releia a história, na íntegra.
  • Peça-lhes para ler os trechos do texto, silenciosamente.
  • Indague-lhes, posteriormente:
  • Que discurso predomina no trecho 1? E no trecho 2? É esperado que os estudantes digam ser o discurso direto no trecho 1 e o discurso indireto no trecho 2.

6. Entregue-lhes uma folha com pauta para rascunho.

Material complementar.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

1. Projete o slide ou reproduza-o no quadro.

2. Relembre o discurso indireto e o discurso direto apoiando-se nos cartazes elaborados em aulas anteriores.

3. Elabore, em conjunto com os alunos, uma tabela comparativa entre os discursos para que visualizem as principais semelhanças e diferenças entre eles. Indague-lhes:

  • Na escrita, há necessidade de se representar, por meio de indicadores, o discurso direto, quando queremos dar a voz a algum personagem. Quais seriam esses indicadores? É esperado que digam que, geralmente, usa-se os verbos de elocução (verbos de dizer/dicendi) para anunciar o diálogo, seguido de dois-pontos, travessão. Pode-se representar, também, o jeito de falar, ou seja, como a pessoa pronuncia a palavra (variação linguística). A segmentação em parágrafos facilita a leitura.
  • E como se dá o discurso indireto? É esperado que digam que o narrador conta a história reproduzindo a fala e as reações das personagens. O narrador se utiliza de suas próprias palavras para contar aquilo que foi falado pela personagem. Não há pontuação em diálogos.
  • Os textos serão segmentados em parágrafos? Haverá o emprego de letra maiúscula no início das fases e nomes próprios? É esperado que digam que, em ambos os textos isto ocorrerá.

4. Redija a tabela de acordo com o que foi retomado junto aos alunos.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

1. Peça-lhes para se concentrarem na tarefa, que será individual.

2. Leia a consigna projetada no slide ou reproduzida no quadro. Saiba que a proposta de transformar os trechos auxilia os estudantes a compreender melhor a função de um narrador ou personagem-narrador e a distinguir como se realiza o discurso entre os interlocutores: de um lado aquele que fala ou escreve e do outro lado aquele que ouve ou lê.

3. Peça-lhes para reler o trecho 1 e transformá-lo em discurso indireto e o trecho 2 transformá-lo em discurso direto, conforme o que foi aprendido até o momento.

4. Recolha os rascunhos. Na medida que os alunos irão terminando a tarefa, faça as intervenções individualizadas. Esta interação professor-aluno proporciona, além do contato afetivo entre ambos, a possibilidade de discutir o conteúdo e sugerir soluções.

5. Peça-lhes para passarem a limpo, após as intervenções pedagógicas.

Material complementar: Resolução da atividade

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Peça-lhes para realizar a troca de atividades para verificarem a produção de cada um, observando a letra, a segmentação, a estética. Vale deixar um bilhete de incentivo ou elogio.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a nona aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Diário e no campo de atuação Vida cotidiana; Artístico-literário. A aula faz parte do módulo de Análise Linguística / Semiótica.

Materiais necessários: Computador, projetor multimídia, tela. Textos impressos. Folha com pauta.

Informações sobre o gênero: Os gêneros que expressam, por escrito, a vida de uma pessoa por ela mesma são autobiográficos e interessa-nos o diário pessoal, informal e íntimo de comunicação cotidiana; bem como o de comunicação produzida. São gêneros propícios a refletir a individualidade de quem enuncia. Apresentam elementos constitutivos mais maleáveis, entretanto, sua estrutura constitucional apresenta elementos essenciais: TEMA: a escrita sobre si (confissões, segredos, inquietações, emoções, opiniões…); FORMA: datação, vocativo e despedida; LINGUAGEM: uso da 1ª pessoa, vocabulário informal, caligrafia como marca pessoal nos suportes tradicionais e emoção; TEMPO: resgate da memória diária ao final do dia, geralmente; INTERLOCUÇÃO: o próprio diálogo com o diário. Leitor imaginário ou, eventualmente, autorizados pelo autor. INTERATIVIDADE: inexistente - leitor não interfere. Qualquer pessoa pode ter um diário, bastando compromisso e iniciativa. Sua função é “ guardar segredo”, se o autor assim quiser.

Dificuldades antecipadas: Poderão apresentar dificuldades na construção dos padrões da escrita (emprego da letra maiúscula no início das frases, a pontuação do discurso direto, utilização de dois-pontos e travessão para introduzir a interlocução, emprego dos verbos de elocução), no texto escrito.

Referências sobre o assunto:

PEREIRA, M. H. M.; SILVA, J. B. O gênero diário pessoal: como se confecciona o íntimo. Revista Línguas & Letras – Unioeste – Vol. 16 – Nº 34 – 2015. Disponível em: http://erevista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/11973/9212.

VIEIRA, M. L. Produção de textos escritos: construção de espaços de interlocução. Belo Horizonte: Ceale/FaE/UFMG, 2005. pp. 11-21. Disponível em: http://www.ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/files/uploads/Col.%20Alfabetiza%C3%A7%C3%A3o%20e%20Letramento/Col%20Alf.Let.%2005%20Producao_textos_escritos.pdf.

ZIRALDO. Diário da Julieta: as histórias mais secretas da menina maluquinha. São Paulo: Globo, 2006.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

  • Apresente-lhes a finalidade da aula.
  • Realize um levantamento de hipóteses para verificar o que já sabem sobre discurso direto e discurso indireto:
  • Como se realiza o discurso? É esperado que digam que se realiza entre os interlocutores: de um lado aquele que fala ou escreve e do outro lado aquele que ouve ou lê.
  • Na escrita, há necessidade de se representar por meio de indicadores o discurso direto, quando queremos dar a voz a algum personagem. Quais seriam esses indicadores? É esperado que digam que, geralmente, usa-se os sinais de pontuação dois-pontos e travessão para reproduzir a fala das personagens. Pode-se representar, também, o jeito de falar, ou seja, como a pessoa pronuncia a palavra (variação linguística). Os verbos de elocução (verbos de dizer/ dicendi) servem para anunciar as falas. A segmentação em parágrafos facilita a leitura.
  • E como se dá o discurso indireto? É esperado que digam que o narrador conta a história reproduzindo a fala e as reações das personagens. O narrador se utiliza de suas próprias palavras para contar aquilo que foi falado pela personagem.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações:

  • Projete o slide ou reproduza-o no quadro. Disponível para impressão no link abaixo (texto completo).
  • Organize os alunos, individualmente.
  • Indague-lhes se lembram do texto “Conto ou não conto?”, de Abel Sidney, visto na aula LPO3_02SQA06.
  • Releia a história, na íntegra.
  • Peça-lhes para ler os trechos do texto, silenciosamente.
  • Indague-lhes, posteriormente:
  • Que discurso predomina no trecho 1? E no trecho 2? É esperado que os estudantes digam ser o discurso direto no trecho 1 e o discurso indireto no trecho 2.

6. Entregue-lhes uma folha com pauta para rascunho.

Material complementar.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

1. Projete o slide ou reproduza-o no quadro.

2. Relembre o discurso indireto e o discurso direto apoiando-se nos cartazes elaborados em aulas anteriores.

3. Elabore, em conjunto com os alunos, uma tabela comparativa entre os discursos para que visualizem as principais semelhanças e diferenças entre eles. Indague-lhes:

  • Na escrita, há necessidade de se representar, por meio de indicadores, o discurso direto, quando queremos dar a voz a algum personagem. Quais seriam esses indicadores? É esperado que digam que, geralmente, usa-se os verbos de elocução (verbos de dizer/dicendi) para anunciar o diálogo, seguido de dois-pontos, travessão. Pode-se representar, também, o jeito de falar, ou seja, como a pessoa pronuncia a palavra (variação linguística). A segmentação em parágrafos facilita a leitura.
  • E como se dá o discurso indireto? É esperado que digam que o narrador conta a história reproduzindo a fala e as reações das personagens. O narrador se utiliza de suas próprias palavras para contar aquilo que foi falado pela personagem. Não há pontuação em diálogos.
  • Os textos serão segmentados em parágrafos? Haverá o emprego de letra maiúscula no início das fases e nomes próprios? É esperado que digam que, em ambos os textos isto ocorrerá.

4. Redija a tabela de acordo com o que foi retomado junto aos alunos.

Slide Plano Aula

Orientações:

1. Peça-lhes para se concentrarem na tarefa, que será individual.

2. Leia a consigna projetada no slide ou reproduzida no quadro. Saiba que a proposta de transformar os trechos auxilia os estudantes a compreender melhor a função de um narrador ou personagem-narrador e a distinguir como se realiza o discurso entre os interlocutores: de um lado aquele que fala ou escreve e do outro lado aquele que ouve ou lê.

3. Peça-lhes para reler o trecho 1 e transformá-lo em discurso indireto e o trecho 2 transformá-lo em discurso direto, conforme o que foi aprendido até o momento.

4. Recolha os rascunhos. Na medida que os alunos irão terminando a tarefa, faça as intervenções individualizadas. Esta interação professor-aluno proporciona, além do contato afetivo entre ambos, a possibilidade de discutir o conteúdo e sugerir soluções.

5. Peça-lhes para passarem a limpo, após as intervenções pedagógicas.

Material complementar: Resolução da atividade

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Peça-lhes para realizar a troca de atividades para verificarem a produção de cada um, observando a letra, a segmentação, a estética. Vale deixar um bilhete de incentivo ou elogio.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 3º ano :

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 3º ano:

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF35LP30 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano