14812
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 6º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Elementos de coesão referencial em cartas de reclamação

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 6º ano do EF sobre Elementos de coesão referencial em cartas de reclamação

Plano 08 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Danuza Kryshna Da Costa Lima

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é 8ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Cartas de reclamação/apresentação de propostas orais e no campo de atuação da vida pública, podendo estender-se para o campo jornalístico-midiático. A aula faz parte do módulo de Análise Linguística e semiótica.

Materiais necessários: Textos escritos, lápis, dicionários (impressos ou digitais), caderno para anotação.

Informações sobre o gênero: Texto de caráter epistolar, as cartas de reclamação expressam a necessidade de um sujeito, inserido em uma prática de linguagem social concreta e determinada, de se comunicar com o outro, para isto, ele lança mão da escrita. Os interlocutores não estão em presença, há portanto um distanciamento espaço-temporal e por isto a utilização de elementos típicos dos gêneros epistolares, tais como “remetente”, “local”, “data”, “assinatura”. Neste gênero, o remetente descreve um problema ocorrido ao seu destinatário a fim de que este consiga resolvê-lo. Uma das características mais específicas da cartas de reclamação é o seu caráter persuasivo, por utilizarem-se do discurso argumentativo para convencer o outro a solucionar determinado problema, este por sua vez, de ordem individual e/ ou coletiva. Já a apresentação de propostas orais concretiza-se no âmbito da oralidade, podendo os interlocutores estarem próximos ou não. Neste gênero, de matriz também expressiva, o sujeito, enquanto ser social, dotado da compreensão e uso da linguagem como fenômeno social, lança ao outro suas petições, utilizando-se da fala.

“A carta de reclamação é um gênero de texto usado em situações de comunicação, nas quais o cidadão deseja externar alguma injustiça, insatisfação, algo que julgue ser impróprio ou errado; e, ainda, solicitar uma resolução para seu problema. Enfim, a carta de reclamação é usada quando o cidadão se sente lesado ou desrespeitado em seus direitos, ou injustiçado ou discriminado socialmente. É um gênero que leva a uma forma de exercer a cidadania, e é por esse motivo que vamos chamá-la de gênero da cidadania” (Beato-Canato, Baumgärtner e Cecílio (2006, p. 32, apud, BARROS, 2012b, p. 23).

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldades em identificar os elementos de coesão referencial (pronominal e sequencial), por demandar o conhecimento prévio da classe gramatical dos pronomes.

Referências sobre o assunto:

CASTILHO, A. T.; CASTILHO, C. M. M de. Advérbios modalizadores. In: ILARI, Rodolfo (Org.). Gramática do português falado. 2. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1993. v. II

Neste artigo, é possível encontrar a classificação dos modalizadores discursivos elaborada por Ataliba Teixeira Castilho e Cecília Maria Moraes de Castilho em uma tabela. Segundo os autores, os modalizadores discursivos são classificados de acordo com sua intenção argumentativa e vários recursos linguísticos podem ser usados para promover a ação argumentativa. Os modalizadores podem ser de ordem da: Modalização Epistêmica, modalização deôntica e modalização afetiva.

WILSON, Victoria. Cartas de reclamação de cliente: Polidez ou cordialidade? Forum linguistic., Florianópolis, v.14, n.3, p.2214 - 2232, jul./ set .2017.

Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/forum/article/view/1984-8412.2017v14n3p2214

Esta pesquisa discute temas relacionados às interações cliente-empresa no contexto da cultura (relacional) brasileira, com o propósito de analisar cartas de reclamação à luz dos fenômenos da polidez e da cordialidade, refletindo sobre os rituais de interação que se estabelecem em circunstâncias nas quais as pessoas precisam solucionar problemas e reivindicar direitos na condição de consumidores (clientes e reclamantes)em suas negociações com a empresa.

“Como a reclamação é um ato de fala expressivo, porque só reclama quem está insatisfeito com alguma coisa, o contexto de reclamação, em geral, está propício a conflitos de interação.” (WILSON, p. 04, 2017).

Maria Barros Lessa de Andrade, Renata. Revisão de cartas de reclamação: reflexões sobre as modificações realizadas por crianças. (Dissertação de mestrado). Recife: UFPE, 2010. Disponível em: <https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/3754/1/arquivo139_1.pdf >. Acesso em: 6 out. 2018.

Esta pesquisa buscou conhecer o que os alunos do 1° ano do 2° ciclo do Ensino Fundamental são capazes de revisar quando estimuladas a refletir sobre o gênero discursivo carta de reclamação a partir de uma sequência didática, e assim, contribuir para reflexão sobre o que os estudantes consideram relevante e o que são capazes de fazer no momento de revisar seus textos, o que poderá ser muito importante para fornecer informações aos docentes, que precisam auxiliar os alunos a aprender a escrever textos. (ANDRADE, 2010, p. 09)

CORBARI, Alcione Tereza. A modalização deôntica no artigo de opinião: força ilocutória regulada pelo contexto enunciativo. Cadernos de Letras da UFF. nº 46, p. 195-218. Disponível em: <http://www.cadernosdeletras.uff.br/joomla/images/stories/edicoes/46/artigo10.pdf>. Acesso em: 6 out. 2018.

A autora observa que, por dizer respeito à conduta, a modalização deôntica é afeta a predicações abertas para a futuridade, uma vez que se projeta para um momento posterior à manifestação da necessidade deôntica. Para Ataliba Castilho e Célia Castilho (1992, p. 207)2 , os elementos linguísticos pertencentes a essa categoria indicam que o falante “considera o conteúdo de P3 como um estado de coisas que deve, precisa ocorrer obrigatoriamente”. (CORBARI, p. 196)

RISSO, Mercedes; SILVA, Giselle Machline de Oliveira & URBANO, Hudinílson. Marcadores discursivos: traços definidores. Em: I.G.V. Koch (Org. 1996: 21-94).

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

  • Organize a turma em duplas.

A atividade em duplas proporcionará maior diálogo entre os alunos, tendo em vista as novas descobertas para esta aula. Em alguns momentos, será importante a troca de ideias e o diálogo, por isto a opção por atividades em duplas. Os alunos desta faixa etária tendem a aprender melhor trocando ideias e, muitas vezes, socializando suas atividades, neste caso, a opção do atividades coletivas (em duplas) auxilia no desenvolvimento também afetivo dos alunos.

2. Apresente o tema para a turma. Converse com os alunos sobre a postura do remetente de um texto reivindicatório, no caso, a carta de reclamação, e como deve estar organizado o texto. Se pode, por exemplo, conter uma linguagem grosseira, se o texto precisa ser claro, objetivo.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Esta aula terá como foco a coesão referencial e lexical, contudo, é importante a revisão dos pontos acima para construção e organização do discurso argumentativo. Busque o estímulo dos alunos para a reflexão dos seguintes aspectos:
  • Quais são os elementos necessários em uma carta de reclamação?
  • Por que, ao escrever uma carta de reclamação, deve haver esta organização?
  • Quanto à linguagem e à postura, que cuidados deve-se tomar ao escrever uma carta de reclamação?
  • Após o estímulo através da conversa, espera-se que os alunos apresentem as seguintes reflexões:
  • O texto deve estar organizado, bem estruturado, os elementos que o compõem (local, data, destinatário, assunto, saudação, despedida) devem estar em seu devido lugar, além do texto em si, que precisa ser objetivo.
  • Para que o interlocutor compreenda o assunto reclamado, para respeitar uma hierarquia entre os interlocutores e estabeleça para com o remetente uma relação de confiança.
  • O remetente deve ser polido, usar de uma linguagem clara, objetiva e respeitosa para ter garantida tanto a leitura da carta, quanto a possível solução do problema.
  • Distribua aos alunos (em duplas), a atividade 1. Esta atividade propõe inicialmente a leitura de uma carta de reclamação. Ao longo do texto, estão em destaque alguns termos, eles funcionam como elementos de coesão tanto referencial quanto lexical. Eles agem como agentes referenciais ou lexicais de algumas palavras citadas no texto anteriormente. Os alunos precisam localizá-los e completar a tabela com o elemento referencial correto para cada palavra destacada.
  • Estimule os alunos para a resolução da atividade.
  • Busque a participação dos alunos. Nesta atividade, os alunos terão contato com recursos de coesão textual, tanto de ordem referencial, quanto de ordem lexical. Chame a atenção dos alunos para as palavras em destaque promova a interação entre os alunos no sentido de cada dupla conseguir relacionar os termos destacados aos seus referenciais.

Materiais complementares:

Link para a atividade 1: aqui

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Esta aula terá como foco a coesão referencial e lexical, contudo, é importante a revisão dos pontos acima para construção e organização do discurso argumentativo. Busque o estímulo dos alunos para a reflexão dos seguintes aspectos:
  • Quais são os elementos necessários em uma carta de reclamação?
  • Por que, ao escrever uma carta de reclamação, deve haver esta organização?
  • Quanto à linguagem e à postura, que cuidados deve-se tomar ao escrever uma carta de reclamação?
  • Após o estímulo através da conversa, espera-se que os alunos apresentem as seguintes reflexões:
  • O texto deve estar organizado, bem estruturado, os elementos que o compõem (local, data, destinatário, assunto, saudação, despedida) devem estar em seu devido lugar, além do texto em si, que precisa ser objetivo.
  • Para que o interlocutor compreenda o assunto reclamado, para respeitar uma hierarquia entre os interlocutores e estabeleça para com o remetente uma relação de confiança.
  • O remetente deve ser polido, usar de uma linguagem clara, objetiva e respeitosa para ter garantida tanto a leitura da carta, quanto a possível solução do problema.
  • Distribua aos alunos (em duplas), a atividade 1. Esta atividade propõe inicialmente a leitura de uma carta de reclamação. Ao longo do texto, estão em destaque alguns termos, eles funcionam como elementos de coesão tanto referencial quanto lexical. Eles agem como agentes referenciais ou lexicais de algumas palavras citadas no texto anteriormente. Os alunos precisam localizá-los e completar a tabela com o elemento referencial correto para cada palavra destacada.
  • Estimule os alunos para a resolução da atividade.
  • Busque a participação dos alunos. Nesta atividade, os alunos terão contato com recursos de coesão textual, tanto de ordem referencial, quanto de ordem lexical. Chame a atenção dos alunos para as palavras em destaque promova a interação entre os alunos no sentido de cada dupla conseguir relacionar os termos destacados aos seus referenciais.

Materiais complementares:

Link para a atividade 1: aqui

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Esta aula terá como foco a coesão referencial e lexical, contudo, é importante a revisão dos pontos acima para construção e organização do discurso argumentativo. Busque o estímulo dos alunos para a reflexão dos seguintes aspectos:
  • Quais são os elementos necessários em uma carta de reclamação?
  • Por que, ao escrever uma carta de reclamação, deve haver esta organização?
  • Quanto à linguagem e à postura, que cuidados deve-se tomar ao escrever uma carta de reclamação?
  • Após o estímulo através da conversa, espera-se que os alunos apresentem as seguintes reflexões:
  • O texto deve estar organizado, bem estruturado, os elementos que o compõem (local, data, destinatário, assunto, saudação, despedida) devem estar em seu devido lugar, além do texto em si, que precisa ser objetivo.
  • Para que o interlocutor compreenda o assunto reclamado, para respeitar uma hierarquia entre os interlocutores e estabeleça para com o remetente uma relação de confiança.
  • O remetente deve ser polido, usar de uma linguagem clara, objetiva e respeitosa para ter garantida tanto a leitura da carta, quanto a possível solução do problema.
  • Distribua aos alunos (em duplas), a atividade 1. Esta atividade propõe inicialmente a leitura de uma carta de reclamação. Ao longo do texto, estão em destaque alguns termos, eles funcionam como elementos de coesão tanto referencial quanto lexical. Eles agem como agentes referenciais ou lexicais de algumas palavras citadas no texto anteriormente. Os alunos precisam localizá-los e completar a tabela com o elemento referencial correto para cada palavra destacada.
  • Estimule os alunos para a resolução da atividade.
  • Busque a participação dos alunos. Nesta atividade, os alunos terão contato com recursos de coesão textual, tanto de ordem referencial, quanto de ordem lexical. Chame a atenção dos alunos para as palavras em destaque promova a interação entre os alunos no sentido de cada dupla conseguir relacionar os termos destacados aos seus referenciais.

Materiais complementares:

Link para a atividade 1: aqui

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Solicite a colaboração dos alunos e incentive-os a apresentar (ainda em duplas) as suas respostas para a atividade 1.
  • Apresente a resolução da atividade para a turma.
  • Ao fazer esta apresentação, ative a percepção dos alunos para os seguintes aspectos:
  • Os termos em destaque promovem mais organização ao texto?
  • Qual a função deles para esta organização textual?
  • A partir da tentativa de motivar os alunos através da reflexão para os pontos acima, espera-se deles, as seguintes reflexões:
  • Sim. Eles deixam o texto mais claro e objetivo.
  • Eles têm a função de substituir alguns termos usados anteriormente, para não haver repetição.

Materiais complementares:

Link de acesso para a resolução da atividade: aqui

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 33 minutos

Orientações:

  • Após a apresentação da resolução da atividade 1, converse com os alunos sobre coesão textual.
  • É importante estimular os alunos a refletirem sobre o papel das palavras utilizadas na atividade anterior. Neste ponto, é preciso mencionar que todos os textos são organizados mantendo entre as palavras e expressões que o compõem uma relação de referenciação e também substituição.
  • Solicite aos alunos que busquem no dicionário (impresso ou virtual) o significado da palavra coesão. Caso a escola não disponha de dicionários impressos, utilize os celulares dos alunos, liberando sinal de internet para tal. Para isto, é preciso solicitar antes o uso do celular para realização da pesquisa.
  • Solicite aos alunos (ainda em duplas), que anotem no caderno o significado da palavra coesão.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Estimule a participação dos alunos e solicite que as duplas apresentem o significado da palavra.
  • Projete ou escreva no quadro o significado da palavra coesão e relacione a atividade anterior com o conceito aprendido nesta etapa da aula. A título de sugestão, caso os alunos questionem sobre o significado da palavra coerência, é interessante retomar a definição do verbete:
  • Coerência: S.f. 1. lógica ou harmônica entre os dois fatos e ideias. 2. harmonia de algo com o fim a qual se destina. Coerente. Adj.

(HOUAISS, 2001, p. 166)

3. Retome a resolução da atividade e apresente sua resolução detalhada, fazendo anotações e ligações entre os termos e expressões e seus respectivos referenciais:

  • No primeiro trecho apresentado, o termo em destaque “esta organização” refere-se a “Grêmio Estudantil da Escola Municipal Valdir Chagas Leite”, citado anteriormente, agindo assim como um elemento de coesão referencial.
  • Já no segundo trecho, o termo “corpo discente” traz ao texto a substituição lexical para a expressão “grupo de alunos”, apresentada no texto pelo remetente ainda no primeiro parágrafo, quando este se declara aluno da escola.
  • O terceiro termo em destaque “A comida” oferece o mesmo tipo de recurso do item anterior, a coesão referencial. O termo é usado para referir-se ao termo “merenda” e possui caráter sinonímico.
  • “Ela” é um elemento coesivo referencial, substituindo assim, novamente, o termo anteriormente citado “merenda”.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Solicite dos alunos (ainda em duplas) a resolução da atividade 2. Nesta atividade é sugerido aos alunos que reescrevam o texto da atividade, substituindo os termos destacados por outros elementos de coesão referencial e lexical com sentido equivalente. Esta atividade propõe várias respostas possíveis, sendo assim, é preciso circular pela sala, acompanhar o trabalho das duplas e estimulá-los a resolução.
  • Acompanhe a resolução da atividade entre os alunos, esclarecendo possíveis dúvidas.
  • Estimule-os a explorar referenciais diversos para as palavras destacadas no texto, além de fazer o reconhecimento e a localização dos elementos de coesão referencial e lexical do texto.

Material complementar:

Link de acesso para a atividade 2: aqui

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Solicite dos alunos (ainda em duplas) a resolução da atividade 2.
  • Acompanhe a resolução da atividade entre os alunos, esclarecendo possíveis dúvidas.
  • Estimule-os a explorar referenciais diversos para as palavras destacadas no texto, além de fazer o reconhecimento e a localização dos elementos de coesão referencial e lexical do texto.

Material complementar:

Link de acesso para a atividade 2: aqui

Link de acesso para resolução: aqui

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Busque a colaboração e participação dos alunos e solicite que cada dupla apresente as suas resoluções para a atividade.
  • Apresente explicações para a resolução da atividade à medida que os alunos apresentem as suas respostas.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Conclua o fechamento, retomando o tema da aula “Porque para reclamar, organização é tudo!”

Faça uma revisão rápida dos conceitos e conversa inicial desta aula, ressaltando o importante papel de se produzir uma carta de reclamação organizada, tendo em vista as características que são valorizadas neste gênero: “coesão, polidez e cordialidade”.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é 8ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Cartas de reclamação/apresentação de propostas orais e no campo de atuação da vida pública, podendo estender-se para o campo jornalístico-midiático. A aula faz parte do módulo de Análise Linguística e semiótica.

Materiais necessários: Textos escritos, lápis, dicionários (impressos ou digitais), caderno para anotação.

Informações sobre o gênero: Texto de caráter epistolar, as cartas de reclamação expressam a necessidade de um sujeito, inserido em uma prática de linguagem social concreta e determinada, de se comunicar com o outro, para isto, ele lança mão da escrita. Os interlocutores não estão em presença, há portanto um distanciamento espaço-temporal e por isto a utilização de elementos típicos dos gêneros epistolares, tais como “remetente”, “local”, “data”, “assinatura”. Neste gênero, o remetente descreve um problema ocorrido ao seu destinatário a fim de que este consiga resolvê-lo. Uma das características mais específicas da cartas de reclamação é o seu caráter persuasivo, por utilizarem-se do discurso argumentativo para convencer o outro a solucionar determinado problema, este por sua vez, de ordem individual e/ ou coletiva. Já a apresentação de propostas orais concretiza-se no âmbito da oralidade, podendo os interlocutores estarem próximos ou não. Neste gênero, de matriz também expressiva, o sujeito, enquanto ser social, dotado da compreensão e uso da linguagem como fenômeno social, lança ao outro suas petições, utilizando-se da fala.

“A carta de reclamação é um gênero de texto usado em situações de comunicação, nas quais o cidadão deseja externar alguma injustiça, insatisfação, algo que julgue ser impróprio ou errado; e, ainda, solicitar uma resolução para seu problema. Enfim, a carta de reclamação é usada quando o cidadão se sente lesado ou desrespeitado em seus direitos, ou injustiçado ou discriminado socialmente. É um gênero que leva a uma forma de exercer a cidadania, e é por esse motivo que vamos chamá-la de gênero da cidadania” (Beato-Canato, Baumgärtner e Cecílio (2006, p. 32, apud, BARROS, 2012b, p. 23).

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldades em identificar os elementos de coesão referencial (pronominal e sequencial), por demandar o conhecimento prévio da classe gramatical dos pronomes.

Referências sobre o assunto:

CASTILHO, A. T.; CASTILHO, C. M. M de. Advérbios modalizadores. In: ILARI, Rodolfo (Org.). Gramática do português falado. 2. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1993. v. II

Neste artigo, é possível encontrar a classificação dos modalizadores discursivos elaborada por Ataliba Teixeira Castilho e Cecília Maria Moraes de Castilho em uma tabela. Segundo os autores, os modalizadores discursivos são classificados de acordo com sua intenção argumentativa e vários recursos linguísticos podem ser usados para promover a ação argumentativa. Os modalizadores podem ser de ordem da: Modalização Epistêmica, modalização deôntica e modalização afetiva.

WILSON, Victoria. Cartas de reclamação de cliente: Polidez ou cordialidade? Forum linguistic., Florianópolis, v.14, n.3, p.2214 - 2232, jul./ set .2017.

Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/forum/article/view/1984-8412.2017v14n3p2214

Esta pesquisa discute temas relacionados às interações cliente-empresa no contexto da cultura (relacional) brasileira, com o propósito de analisar cartas de reclamação à luz dos fenômenos da polidez e da cordialidade, refletindo sobre os rituais de interação que se estabelecem em circunstâncias nas quais as pessoas precisam solucionar problemas e reivindicar direitos na condição de consumidores (clientes e reclamantes)em suas negociações com a empresa.

“Como a reclamação é um ato de fala expressivo, porque só reclama quem está insatisfeito com alguma coisa, o contexto de reclamação, em geral, está propício a conflitos de interação.” (WILSON, p. 04, 2017).

Maria Barros Lessa de Andrade, Renata. Revisão de cartas de reclamação: reflexões sobre as modificações realizadas por crianças. (Dissertação de mestrado). Recife: UFPE, 2010. Disponível em: <https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/3754/1/arquivo139_1.pdf >. Acesso em: 6 out. 2018.

Esta pesquisa buscou conhecer o que os alunos do 1° ano do 2° ciclo do Ensino Fundamental são capazes de revisar quando estimuladas a refletir sobre o gênero discursivo carta de reclamação a partir de uma sequência didática, e assim, contribuir para reflexão sobre o que os estudantes consideram relevante e o que são capazes de fazer no momento de revisar seus textos, o que poderá ser muito importante para fornecer informações aos docentes, que precisam auxiliar os alunos a aprender a escrever textos. (ANDRADE, 2010, p. 09)

CORBARI, Alcione Tereza. A modalização deôntica no artigo de opinião: força ilocutória regulada pelo contexto enunciativo. Cadernos de Letras da UFF. nº 46, p. 195-218. Disponível em: <http://www.cadernosdeletras.uff.br/joomla/images/stories/edicoes/46/artigo10.pdf>. Acesso em: 6 out. 2018.

A autora observa que, por dizer respeito à conduta, a modalização deôntica é afeta a predicações abertas para a futuridade, uma vez que se projeta para um momento posterior à manifestação da necessidade deôntica. Para Ataliba Castilho e Célia Castilho (1992, p. 207)2 , os elementos linguísticos pertencentes a essa categoria indicam que o falante “considera o conteúdo de P3 como um estado de coisas que deve, precisa ocorrer obrigatoriamente”. (CORBARI, p. 196)

RISSO, Mercedes; SILVA, Giselle Machline de Oliveira & URBANO, Hudinílson. Marcadores discursivos: traços definidores. Em: I.G.V. Koch (Org. 1996: 21-94).

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

  • Organize a turma em duplas.

A atividade em duplas proporcionará maior diálogo entre os alunos, tendo em vista as novas descobertas para esta aula. Em alguns momentos, será importante a troca de ideias e o diálogo, por isto a opção por atividades em duplas. Os alunos desta faixa etária tendem a aprender melhor trocando ideias e, muitas vezes, socializando suas atividades, neste caso, a opção do atividades coletivas (em duplas) auxilia no desenvolvimento também afetivo dos alunos.

2. Apresente o tema para a turma. Converse com os alunos sobre a postura do remetente de um texto reivindicatório, no caso, a carta de reclamação, e como deve estar organizado o texto. Se pode, por exemplo, conter uma linguagem grosseira, se o texto precisa ser claro, objetivo.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Esta aula terá como foco a coesão referencial e lexical, contudo, é importante a revisão dos pontos acima para construção e organização do discurso argumentativo. Busque o estímulo dos alunos para a reflexão dos seguintes aspectos:
  • Quais são os elementos necessários em uma carta de reclamação?
  • Por que, ao escrever uma carta de reclamação, deve haver esta organização?
  • Quanto à linguagem e à postura, que cuidados deve-se tomar ao escrever uma carta de reclamação?
  • Após o estímulo através da conversa, espera-se que os alunos apresentem as seguintes reflexões:
  • O texto deve estar organizado, bem estruturado, os elementos que o compõem (local, data, destinatário, assunto, saudação, despedida) devem estar em seu devido lugar, além do texto em si, que precisa ser objetivo.
  • Para que o interlocutor compreenda o assunto reclamado, para respeitar uma hierarquia entre os interlocutores e estabeleça para com o remetente uma relação de confiança.
  • O remetente deve ser polido, usar de uma linguagem clara, objetiva e respeitosa para ter garantida tanto a leitura da carta, quanto a possível solução do problema.
  • Distribua aos alunos (em duplas), a atividade 1. Esta atividade propõe inicialmente a leitura de uma carta de reclamação. Ao longo do texto, estão em destaque alguns termos, eles funcionam como elementos de coesão tanto referencial quanto lexical. Eles agem como agentes referenciais ou lexicais de algumas palavras citadas no texto anteriormente. Os alunos precisam localizá-los e completar a tabela com o elemento referencial correto para cada palavra destacada.
  • Estimule os alunos para a resolução da atividade.
  • Busque a participação dos alunos. Nesta atividade, os alunos terão contato com recursos de coesão textual, tanto de ordem referencial, quanto de ordem lexical. Chame a atenção dos alunos para as palavras em destaque promova a interação entre os alunos no sentido de cada dupla conseguir relacionar os termos destacados aos seus referenciais.

Materiais complementares:

Link para a atividade 1: aqui

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Esta aula terá como foco a coesão referencial e lexical, contudo, é importante a revisão dos pontos acima para construção e organização do discurso argumentativo. Busque o estímulo dos alunos para a reflexão dos seguintes aspectos:
  • Quais são os elementos necessários em uma carta de reclamação?
  • Por que, ao escrever uma carta de reclamação, deve haver esta organização?
  • Quanto à linguagem e à postura, que cuidados deve-se tomar ao escrever uma carta de reclamação?
  • Após o estímulo através da conversa, espera-se que os alunos apresentem as seguintes reflexões:
  • O texto deve estar organizado, bem estruturado, os elementos que o compõem (local, data, destinatário, assunto, saudação, despedida) devem estar em seu devido lugar, além do texto em si, que precisa ser objetivo.
  • Para que o interlocutor compreenda o assunto reclamado, para respeitar uma hierarquia entre os interlocutores e estabeleça para com o remetente uma relação de confiança.
  • O remetente deve ser polido, usar de uma linguagem clara, objetiva e respeitosa para ter garantida tanto a leitura da carta, quanto a possível solução do problema.
  • Distribua aos alunos (em duplas), a atividade 1. Esta atividade propõe inicialmente a leitura de uma carta de reclamação. Ao longo do texto, estão em destaque alguns termos, eles funcionam como elementos de coesão tanto referencial quanto lexical. Eles agem como agentes referenciais ou lexicais de algumas palavras citadas no texto anteriormente. Os alunos precisam localizá-los e completar a tabela com o elemento referencial correto para cada palavra destacada.
  • Estimule os alunos para a resolução da atividade.
  • Busque a participação dos alunos. Nesta atividade, os alunos terão contato com recursos de coesão textual, tanto de ordem referencial, quanto de ordem lexical. Chame a atenção dos alunos para as palavras em destaque promova a interação entre os alunos no sentido de cada dupla conseguir relacionar os termos destacados aos seus referenciais.

Materiais complementares:

Link para a atividade 1: aqui

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Esta aula terá como foco a coesão referencial e lexical, contudo, é importante a revisão dos pontos acima para construção e organização do discurso argumentativo. Busque o estímulo dos alunos para a reflexão dos seguintes aspectos:
  • Quais são os elementos necessários em uma carta de reclamação?
  • Por que, ao escrever uma carta de reclamação, deve haver esta organização?
  • Quanto à linguagem e à postura, que cuidados deve-se tomar ao escrever uma carta de reclamação?
  • Após o estímulo através da conversa, espera-se que os alunos apresentem as seguintes reflexões:
  • O texto deve estar organizado, bem estruturado, os elementos que o compõem (local, data, destinatário, assunto, saudação, despedida) devem estar em seu devido lugar, além do texto em si, que precisa ser objetivo.
  • Para que o interlocutor compreenda o assunto reclamado, para respeitar uma hierarquia entre os interlocutores e estabeleça para com o remetente uma relação de confiança.
  • O remetente deve ser polido, usar de uma linguagem clara, objetiva e respeitosa para ter garantida tanto a leitura da carta, quanto a possível solução do problema.
  • Distribua aos alunos (em duplas), a atividade 1. Esta atividade propõe inicialmente a leitura de uma carta de reclamação. Ao longo do texto, estão em destaque alguns termos, eles funcionam como elementos de coesão tanto referencial quanto lexical. Eles agem como agentes referenciais ou lexicais de algumas palavras citadas no texto anteriormente. Os alunos precisam localizá-los e completar a tabela com o elemento referencial correto para cada palavra destacada.
  • Estimule os alunos para a resolução da atividade.
  • Busque a participação dos alunos. Nesta atividade, os alunos terão contato com recursos de coesão textual, tanto de ordem referencial, quanto de ordem lexical. Chame a atenção dos alunos para as palavras em destaque promova a interação entre os alunos no sentido de cada dupla conseguir relacionar os termos destacados aos seus referenciais.

Materiais complementares:

Link para a atividade 1: aqui

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Solicite a colaboração dos alunos e incentive-os a apresentar (ainda em duplas) as suas respostas para a atividade 1.
  • Apresente a resolução da atividade para a turma.
  • Ao fazer esta apresentação, ative a percepção dos alunos para os seguintes aspectos:
  • Os termos em destaque promovem mais organização ao texto?
  • Qual a função deles para esta organização textual?
  • A partir da tentativa de motivar os alunos através da reflexão para os pontos acima, espera-se deles, as seguintes reflexões:
  • Sim. Eles deixam o texto mais claro e objetivo.
  • Eles têm a função de substituir alguns termos usados anteriormente, para não haver repetição.

Materiais complementares:

Link de acesso para a resolução da atividade: aqui

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 33 minutos

Orientações:

  • Após a apresentação da resolução da atividade 1, converse com os alunos sobre coesão textual.
  • É importante estimular os alunos a refletirem sobre o papel das palavras utilizadas na atividade anterior. Neste ponto, é preciso mencionar que todos os textos são organizados mantendo entre as palavras e expressões que o compõem uma relação de referenciação e também substituição.
  • Solicite aos alunos que busquem no dicionário (impresso ou virtual) o significado da palavra coesão. Caso a escola não disponha de dicionários impressos, utilize os celulares dos alunos, liberando sinal de internet para tal. Para isto, é preciso solicitar antes o uso do celular para realização da pesquisa.
  • Solicite aos alunos (ainda em duplas), que anotem no caderno o significado da palavra coesão.
Slide Plano Aula

Orientações:

  • Estimule a participação dos alunos e solicite que as duplas apresentem o significado da palavra.
  • Projete ou escreva no quadro o significado da palavra coesão e relacione a atividade anterior com o conceito aprendido nesta etapa da aula. A título de sugestão, caso os alunos questionem sobre o significado da palavra coerência, é interessante retomar a definição do verbete:
  • Coerência: S.f. 1. lógica ou harmônica entre os dois fatos e ideias. 2. harmonia de algo com o fim a qual se destina. Coerente. Adj.

(HOUAISS, 2001, p. 166)

3. Retome a resolução da atividade e apresente sua resolução detalhada, fazendo anotações e ligações entre os termos e expressões e seus respectivos referenciais:

  • No primeiro trecho apresentado, o termo em destaque “esta organização” refere-se a “Grêmio Estudantil da Escola Municipal Valdir Chagas Leite”, citado anteriormente, agindo assim como um elemento de coesão referencial.
  • Já no segundo trecho, o termo “corpo discente” traz ao texto a substituição lexical para a expressão “grupo de alunos”, apresentada no texto pelo remetente ainda no primeiro parágrafo, quando este se declara aluno da escola.
  • O terceiro termo em destaque “A comida” oferece o mesmo tipo de recurso do item anterior, a coesão referencial. O termo é usado para referir-se ao termo “merenda” e possui caráter sinonímico.
  • “Ela” é um elemento coesivo referencial, substituindo assim, novamente, o termo anteriormente citado “merenda”.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Solicite dos alunos (ainda em duplas) a resolução da atividade 2. Nesta atividade é sugerido aos alunos que reescrevam o texto da atividade, substituindo os termos destacados por outros elementos de coesão referencial e lexical com sentido equivalente. Esta atividade propõe várias respostas possíveis, sendo assim, é preciso circular pela sala, acompanhar o trabalho das duplas e estimulá-los a resolução.
  • Acompanhe a resolução da atividade entre os alunos, esclarecendo possíveis dúvidas.
  • Estimule-os a explorar referenciais diversos para as palavras destacadas no texto, além de fazer o reconhecimento e a localização dos elementos de coesão referencial e lexical do texto.

Material complementar:

Link de acesso para a atividade 2: aqui

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Solicite dos alunos (ainda em duplas) a resolução da atividade 2.
  • Acompanhe a resolução da atividade entre os alunos, esclarecendo possíveis dúvidas.
  • Estimule-os a explorar referenciais diversos para as palavras destacadas no texto, além de fazer o reconhecimento e a localização dos elementos de coesão referencial e lexical do texto.

Material complementar:

Link de acesso para a atividade 2: aqui

Link de acesso para resolução: aqui

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Busque a colaboração e participação dos alunos e solicite que cada dupla apresente as suas resoluções para a atividade.
  • Apresente explicações para a resolução da atividade à medida que os alunos apresentem as suas respostas.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Conclua o fechamento, retomando o tema da aula “Porque para reclamar, organização é tudo!”

Faça uma revisão rápida dos conceitos e conversa inicial desta aula, ressaltando o importante papel de se produzir uma carta de reclamação organizada, tendo em vista as características que são valorizadas neste gênero: “coesão, polidez e cordialidade”.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 6º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 6º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP28 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF67LP36 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano