14531
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 9º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - As marcas de (im)pessoalidade no Artigo de Divulgação Científica

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 9º ano do EF sobre As marcas de (im)pessoalidade no Artigo de Divulgação Científica

Plano 05 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Daniel Loureiro Gomes

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é quinta aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Artigo de Divulgação Científica e no campo de atuação das práticas de estudos e pesquisa. A aula faz parte do módulo de Análise linguística e semiótica.

Materiais necessários: Cópias dos textos disponíveis em Materiais Complementares e, se possível, projetor de slides.

Informações sobre o gênero: O texto de divulgação científica é destinado à publicização do saber científico em uma linguagem mais didática e informativa. Agrega características tanto da esfera científica quanto jornalística. Da primeira, herda a impessoalidade, o uso de termos técnicos e a objetividade; já da segunda, carrega uma linguagem mais simples, elementos informacionais e didáticos, para se adequar a um público mais amplo e que não pertence à academia científica.

Dificuldades antecipadas: O aluno pode ter dificuldades em identificar as diferenças entre elementos que demarcam a (im)pessoalidade do autor do texto.

Referências sobre o assunto:

BRANDÃO, Helena Nagamine. Gêneros do discurso na escola: mito, conto, cordel, discurso político, divulgação científica. São Paulo: Cortez, 2000.

FURTADO, Viviane. Gênero artigo de divulgação científica. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/rir/article/view/37109>. Acesso em: 30 out. 2018.

GIERING, Maria Eduarda. Gênero artigo de divulgação científica para crianças. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/index.php/INV/article/view/1456>. Acesso em: 30 out. 2018.

GRILLO, Sheila. Divulgação científica: linguagens, esferas e gêneros. Disponível em: <www.teses.usp.br/teses/disponiveis/.../8/tde.../2013_SheilaVieiraDeCamargoGrillo.pdf>. Acesso em: 30 out. 2018.

LEIBRUDER. Ana Paula. O discurso de divulgação científica. São PAulo: Cortez, 2000.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Apresente a proposta da aula para os alunos perguntando o que eles entendem por pessoalidade e impessoalidade, em que esses termos os fazem pensar.
  • A intenção nessa pergunta é que eles consigam compreender o sentido de “pessoalidade” como uma forma de o autor marcar sua presença no texto, colocar sua pessoa em forma pronominal, como “eu”, “nós”. Já a impessoalidade seria a ausência dessas marcas.
  • Pergunte em seguida a diferença causada pela escolha de uma ou outra forma de produzir o texto.
  • Os alunos podem ter dificuldade para responder a essa questão, mas a tentativa é a de que compreendam a pessoalidade carrega um valor mais pessoal, mais subjetivo de analisar os fatos. Por outro lado, a impessoalidade permite uma valoração mais objetiva, mais distanciada da análise dos fatos, o que permite ao leitor ter mais confiança quando se trata de informações de natureza científica.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Caso o projetor de slides esteja disponível, mostre aos alunos esses dois trechos iniciais de textos diferentes. Caso não haja disponibilidade, obtenha o material para reprodução em Materiais complementares.
  • Peça para que alguns alunos leiam para a turma.
  • Ao final da leitura, questione a turma:
  • O autor se faz presente ou ausente nos textos?
  • De que forma o autor se coloca nos textos, caso se faça presente?
  • Que marcas linguísticas podem caracterizar essa presença?
    No trecho 1, o aluno perceberá perceberá a ausência do autor por ter se escolhido pontuar fatos e não ações pessoais, como “as rápidas mudanças do clima do planeta” e “a falta de conhecimento sobre os efeitos do aumento do dióxido de carbono na atmosfera”. Nesses trechos as ações são desenvolvidas sem a interferência do autor, o que leva o leitor a considerar como uma verdade independente, sem a menor perspectiva pessoal do autor. O próprio aluno deverá perceber, na leitura do trecho 2, que há indícios da presença do autor quando se atenta às palavras “temos” e “ouvirmos”.
  • Pergunte a eles a diferença entre as escolhas “temos x tenho” e “ouvimos x ouvi”. A percepção do aluno deve ser a de que as formas “tenho” e “ouvi” particularizam o autor, apenas ele desenvolve a ação efetiva, enquanto que as formas “temos” e “ ouvimos” inclui o leitor nas ações, como uma estratégia de introduzir o leitor na percepção dos fatos apresentados no texto.
  • Após a organização das conclusões pelos alunos, peça para que eles anotem no caderno as duas formas encontradas. Ao final da aula, elas serão retomadas para uma sistematização das formas de pessoalização.

Materiais complementares:

Para ter acesso aos textos utilizados no slide, clique aqui.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 27 minutos

Orientações:

  • Nesse segundo momento da aula, divida a leitura do texto entre os alunos que não o fizeram ainda.
  • Após a leitura, peça para que alunos se reúnam em trios - esta formação permite uma divisão entre o número de questões e uma posterior discussão no grupo sobre as respostas - e respondam às seguintes questões no caderno:
  • Quantas vozes são percebidas no texto?
  • Há alguma voz presente no texto produzida em 1ª pessoa? Que efeito essa marca de 1ª pessoa dá ao que é dito?
  • Em algumas passagens do texto, as ações não são desenvolvidas por agente em 1ª pessoa. Destaque dois exemplos dessa afirmação e explique o efeito produzido por essa construção sem a 1ª pessoa.

3. Destine 20 minutos para que os alunos possam responder em seus cadernos.

4. As expectativas de respostas estão disponíveis em Materiais complementares no próximo slide.

5. Peça para que alguns trios se voluntariem para dizer suas respostas. A seguir, passe à correção.

Materiais complementares: Caso você não tenha acesso a projetor de slide, clique aqui para acessar o material a ser reproduzido.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações:

  • Após o compartilhamento de algumas respostas com a turma, proceda à apresentação das expectativas de respostas para as questões solicitadas.
  • Sistematize com eles, no caderno, os dois tipos e suas funcionalidades de uso no discurso de Divulgação científica.

Materiais complementares: Expectativas de respostas podem ser encontradas aqui

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é quinta aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Artigo de Divulgação Científica e no campo de atuação das práticas de estudos e pesquisa. A aula faz parte do módulo de Análise linguística e semiótica.

Materiais necessários: Cópias dos textos disponíveis em Materiais Complementares e, se possível, projetor de slides.

Informações sobre o gênero: O texto de divulgação científica é destinado à publicização do saber científico em uma linguagem mais didática e informativa. Agrega características tanto da esfera científica quanto jornalística. Da primeira, herda a impessoalidade, o uso de termos técnicos e a objetividade; já da segunda, carrega uma linguagem mais simples, elementos informacionais e didáticos, para se adequar a um público mais amplo e que não pertence à academia científica.

Dificuldades antecipadas: O aluno pode ter dificuldades em identificar as diferenças entre elementos que demarcam a (im)pessoalidade do autor do texto.

Referências sobre o assunto:

BRANDÃO, Helena Nagamine. Gêneros do discurso na escola: mito, conto, cordel, discurso político, divulgação científica. São Paulo: Cortez, 2000.

FURTADO, Viviane. Gênero artigo de divulgação científica. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/rir/article/view/37109>. Acesso em: 30 out. 2018.

GIERING, Maria Eduarda. Gênero artigo de divulgação científica para crianças. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/index.php/INV/article/view/1456>. Acesso em: 30 out. 2018.

GRILLO, Sheila. Divulgação científica: linguagens, esferas e gêneros. Disponível em: <www.teses.usp.br/teses/disponiveis/.../8/tde.../2013_SheilaVieiraDeCamargoGrillo.pdf>. Acesso em: 30 out. 2018.

LEIBRUDER. Ana Paula. O discurso de divulgação científica. São PAulo: Cortez, 2000.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Apresente a proposta da aula para os alunos perguntando o que eles entendem por pessoalidade e impessoalidade, em que esses termos os fazem pensar.
  • A intenção nessa pergunta é que eles consigam compreender o sentido de “pessoalidade” como uma forma de o autor marcar sua presença no texto, colocar sua pessoa em forma pronominal, como “eu”, “nós”. Já a impessoalidade seria a ausência dessas marcas.
  • Pergunte em seguida a diferença causada pela escolha de uma ou outra forma de produzir o texto.
  • Os alunos podem ter dificuldade para responder a essa questão, mas a tentativa é a de que compreendam a pessoalidade carrega um valor mais pessoal, mais subjetivo de analisar os fatos. Por outro lado, a impessoalidade permite uma valoração mais objetiva, mais distanciada da análise dos fatos, o que permite ao leitor ter mais confiança quando se trata de informações de natureza científica.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Caso o projetor de slides esteja disponível, mostre aos alunos esses dois trechos iniciais de textos diferentes. Caso não haja disponibilidade, obtenha o material para reprodução em Materiais complementares.
  • Peça para que alguns alunos leiam para a turma.
  • Ao final da leitura, questione a turma:
  • O autor se faz presente ou ausente nos textos?
  • De que forma o autor se coloca nos textos, caso se faça presente?
  • Que marcas linguísticas podem caracterizar essa presença?
    No trecho 1, o aluno perceberá perceberá a ausência do autor por ter se escolhido pontuar fatos e não ações pessoais, como “as rápidas mudanças do clima do planeta” e “a falta de conhecimento sobre os efeitos do aumento do dióxido de carbono na atmosfera”. Nesses trechos as ações são desenvolvidas sem a interferência do autor, o que leva o leitor a considerar como uma verdade independente, sem a menor perspectiva pessoal do autor. O próprio aluno deverá perceber, na leitura do trecho 2, que há indícios da presença do autor quando se atenta às palavras “temos” e “ouvirmos”.
  • Pergunte a eles a diferença entre as escolhas “temos x tenho” e “ouvimos x ouvi”. A percepção do aluno deve ser a de que as formas “tenho” e “ouvi” particularizam o autor, apenas ele desenvolve a ação efetiva, enquanto que as formas “temos” e “ ouvimos” inclui o leitor nas ações, como uma estratégia de introduzir o leitor na percepção dos fatos apresentados no texto.
  • Após a organização das conclusões pelos alunos, peça para que eles anotem no caderno as duas formas encontradas. Ao final da aula, elas serão retomadas para uma sistematização das formas de pessoalização.

Materiais complementares:

Para ter acesso aos textos utilizados no slide, clique aqui.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 27 minutos

Orientações:

  • Nesse segundo momento da aula, divida a leitura do texto entre os alunos que não o fizeram ainda.
  • Após a leitura, peça para que alunos se reúnam em trios - esta formação permite uma divisão entre o número de questões e uma posterior discussão no grupo sobre as respostas - e respondam às seguintes questões no caderno:
  • Quantas vozes são percebidas no texto?
  • Há alguma voz presente no texto produzida em 1ª pessoa? Que efeito essa marca de 1ª pessoa dá ao que é dito?
  • Em algumas passagens do texto, as ações não são desenvolvidas por agente em 1ª pessoa. Destaque dois exemplos dessa afirmação e explique o efeito produzido por essa construção sem a 1ª pessoa.

3. Destine 20 minutos para que os alunos possam responder em seus cadernos.

4. As expectativas de respostas estão disponíveis em Materiais complementares no próximo slide.

5. Peça para que alguns trios se voluntariem para dizer suas respostas. A seguir, passe à correção.

Materiais complementares: Caso você não tenha acesso a projetor de slide, clique aqui para acessar o material a ser reproduzido.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações:

  • Após o compartilhamento de algumas respostas com a turma, proceda à apresentação das expectativas de respostas para as questões solicitadas.
  • Sistematize com eles, no caderno, os dois tipos e suas funcionalidades de uso no discurso de Divulgação científica.

Materiais complementares: Expectativas de respostas podem ser encontradas aqui

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 9º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 9º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP42 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano