14471
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 6º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Concordância verbal: compreensão dos mecanismos com base em exercícios

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 6º ano do EF sobre Concordância verbal: compreensão dos mecanismos com base em exercícios

Plano 02 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Cláudio Santana Bispo

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a segunda aula de um conjunto de três planos de aula com foco em Análise linguística e semiótica. A finalidade deste conjunto de planos é:

  • Aula 1: Descobrir o princípio fundamental da concordância verbal com base na leitura de uma história de Nasrudin.
  • Aula 2: Compreender alguns mecanismos de concordância verbal com base na leitura e na realização de exercícios baseados numa história do
    Mulá Nasrudin.
  • Aula 3: Aplicar a regra fundamental da concordância verbal (relação entre o sujeito e o verbo) com base na leitura e na reescrita da letra de
    “Samba do Arnesto”.

Esta aula possibilita o estudo das regras de concordância verbal por meio da descoberta de regularidades linguísticas observadas com base na leitura de
uma história do Mulá Nasrudin (Um mestre diferente). A aula seguinte propicia aplicar estas regularidades linguísticas em atividades discursivas mais complexas.

A abordagem dos aspectos linguísticos e semióticos se fará pela perspectiva enunciativo-discursiva, na qual é dada especial relevância aos efeitos de sentido produzidos pelas práticas de linguagem nos diferentes campos de atuação por meio dos diversos gêneros textuais, conforme sugerido na Base Nacional Comum Curricular (BNCC):

“Os conhecimentos sobre a língua, as demais semioses e a norma-padrão não devem ser tomados como uma lista de conteúdos dissociados das práticas de linguagem, mas como propiciadores de reflexão a respeito do funcionamento da língua no contexto destas práticas. A seleção de habilidades na BNCC está relacionada com aqueles conhecimentos fundamentais para que o estudante possa apropriar-se do sistema linguístico que organiza o português brasileiro.” (BNCC - LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS FINAIS: PRÁTICAS DE LINGUAGEM, OBJETOS DE CONHECIMENTO E HABILIDADES, cap. 4.1.1.2, p. 137 - dez. 2017).

Materiais necessários:

Texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm).

Atividade para impressão (exercícios 1, 2, 3 e 4) - disponível em Atividades para impressão.
Perfil biográfico (opcional), disponível em: http://www.nasrudin.com.br/eu-sou-nasrudin.htm

Dificuldades antecipadas:

Distinguir e diferenciar o verbo dos demais termos da oração.
Perceber as relações de concordância entre o verbo e o sujeito da oração.

Referências sobre o assunto:

Adoniran Barbosa - sites de biografia, letra e música:

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.
CASTILHO, Ataliba T. de. Nova gramática do português brasileiro. – 1. Ed., 4ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2016.
CUNHA, Celso e CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. – 7. ed. Rio de Janeiro: Lexicon, 2016.
História: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm).
Revista Nova Escola:

  • Concordância verbal e nominal (2 de fevereiro de 2017):

Site: https://novaescola.org.br/conteudo/5800/concordancia-verbal-e-nominal

  • Livro de Canções de Adoniran Barbosa (2 de setembro de 2017):

Site: https://novaescola.org.br/conteudo/6478/livro-de-cancoes-de-adoniran-barbosa



Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações:

Explique aos alunos que, no decorrer da aula, eles farão a leitura de uma história do Mulá Nasrudin (Um mestre diferente) e, em seguida, desenvolverão uma atividade visando a compreender alguns mecanismos de concordância entre o verbo e outros termos da oração, tanto na fala quanto na escrita.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos.

Orientações:

  • Distribua aos aos alunos cópias do texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin.
  • Promova a leitura oral do texto para que os alunos tenham uma ideia geral da narrativa (texto disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm).
  • Oriente os alunos a destacar algumas formas verbais empregadas no texto e a relacioná-las aos seus respectivos sujeitos. Por exemplo: “Nasrudin olhou para aquelas pessoas e perguntou” - olhou e perguntou referem-se ao sujeito Nasrudin.
  • Evidencie o mecanismo básico da concordância verbal, no qual o verbo concorda com o sujeito em pessoa e número.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos.

Orientações:

  • Entregue cópias do exercício 1 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • Peça-lhes para preencher os espaços em branco nas orações, flexionando adequadamente os verbos em destaque entre parênteses;
  • *Obs.: A atividade possibilita aos alunos exercitar algumas das regras gerais de concordância verbal, tais quais:
  • Concordância do verbo com sujeito iniciado por pronome indefinido no singular, indicando totalidade das partes: “Toda a população da cidade juntou-se para ver Nasrudin falar”.
  • O verbo concorda com o sujeito simples quando este encontra-se distante daquele, na construção invertida da oração: “Após uma longa pausa, Nasrudin, diante daquela plateia curiosa e interessada, questionou se todos já sabiam o que ele ia dizer”.
  • O verbo concorda com o sujeito constituído de uma expressão partitiva (parte de, uma porção de, metade de, a maior parte de etc.). Convém ressaltar que, neste caso, o verbo pode ir para o singular ou para o plural: “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, respondeu que sabia o que o mulá tinha vindo fazer”. Ou “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, responderam que sabiam o que o mulá tinha vindo fazer”.
  • Entregue cópias do exercício 2 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • *Obs.: A atividade possibilita descobrir, compreender e explicar alguns dos mecanismos de concordância verbal empregados nas orações do exercício anterior, como:
  • A relação entre os verbos e os sujeitos das orações, ainda que estes encontrem-se distantes daqueles na construção do período.
  • Expressões temporais (“Naquela tarde”, “Após uma longa pausa”), formas verbais e outros elementos contextuais que permitam descobrir o tempo verbal adequado à oração. Por exemplo: A expressão “Naquela tarde” leva o aluno a inferir que o verbo “juntar-se” deve ser empregado no tempo passado (pretérito perfeito). Logo: “Naquela tarde, toda a população juntou-se na praça para ver Nasrudin fala”.
  • Flexões de número e pessoa dos verbos com base na relação com os seus respectivos sujeitos nas orações, como em: “Metade das pessoas respondeu (o verbo concorda com a expressão partitiva que corresponde à terceira pessoa do singular); ou então: “Metade das pessoas responderam” (o verbo concorda com o termo “pessoas” que se encontra na terceira pessoa do plural, com a intenção de evidenciar os vários elementos que compõem o todo).
  • Entregue aos alunos cópias do exercício 3. Oriente-os a relacionar as orações da esquerda, numerando as respectivas regras especiais de concordância na coluna da direita.
  • *Obs.: A atividade possibilita ao aluno compreender alguns mecanismos de concordância verbal com sujeito composto, com expressões partitivas (a maior parte de, boa parte de, uma porção de etc.), com indicadores de quantidade aproximada (aproximadamente, cerca de, mais de, menos de etc.), com o antecedente do pronome/sujeito “que” (Fui eu que vi primeiro.), com o pronome indefinido“nenhum”, com o núcleo mais próximo do sujeito etc.
  • Entregue cópias do exercício 4 aos alunos. Peça-lhes para que leiam as orações 1 e 2 prestando atenção à relação entre o verbo e o sujeito composto.
  • *Obs.: Esta atividade permite exercitar uma das regras de concordância verbal com mais de um sujeito, evidenciando a possibilidade de o verbo concordar com o núcleo do sujeito mais próximo (no singular ou no plural), nos casos em que os verbos vêm antes dos sujeitos compostos. Segundo Evanildo Bechara:

“Concordância verbal - A) Concordância de palavra para palavra (...) 2. Há mais de um sujeito: Se o sujeito for composto, o verbo irá, normalmente, para o plural, qualquer que seja a sua posição em relação ao verbo. (...) OBSERVAÇÕES: 1.ª) Pode-se dar a concordância com o núcleo mais próximo, principalmente se o sujeito vem depois do verbo. (In.: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009).

  • Chegaram a mãe e o filho à casa. (Entende-se que ambos chegaram à casa, talvez ao mesmo tempo.)
  • Chegou a mãe e o filho à casa (Ambos chegaram, porém é possível que a mãe tenha chegado primeiro.)
  • **Obs.: Possibilidades de resposta (exercício 3).
  • Na primeira oração o verbo pode estar se referindo aos três sujeitos, pois o verbo está concordando com eles na terceira pessoa do plural (açougueiro, costureira e feirante).
  • Na segunda, refere-se ao sujeito mais próximo, concordando com ele na terceira pessoa do singular (açougueiro).

Materiais complementares:

  • Cópias do texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm;
  • Cópias dos exercícios 1, 2, 3 e 4 - disponível em Materiais para impressão.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Entregue cópias do exercício 1 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • Peça-lhes para preencher os espaços em branco nas orações, flexionando adequadamente os verbos em destaque entre parênteses;
  • *Obs.: A atividade possibilita aos alunos exercitar algumas das regras gerais de concordância verbal, tais quais:
  • Concordância do verbo com sujeito iniciado por pronome indefinido no singular, indicando totalidade das partes: “Toda a população da cidade juntou-se para ver Nasrudin falar”.
  • O verbo concorda com o sujeito simples quando este se encontra distante daquele, na construção invertida da oração: “Após uma longa pausa, Nasrudin, diante daquela plateia curiosa e interessada, questionou se todos já sabiam o que ele ia dizer”.
  • O verbo concorda com o sujeito constituído de uma expressão partitiva (parte de, uma porção de, metade de, a maior parte de etc.). Convém ressaltar que, neste caso, o verbo pode ir para o singular ou para o plural: “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, respondeu que sabia o que o Mullá tinha vindo fazer”. Ou “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, responderam que sabiam o que o Mulá tinha vindo fazer”.
  • Entregue cópias do exercício 2 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • *Obs.: A atividade possibilita descobrir, compreender e explicar alguns dos mecanismos de concordância verbal empregados nas orações do exercício anterior, como:
  • A relação entre os verbos e os sujeitos das orações, ainda que estes se encontrem distantes daqueles na construção do período.
  • Expressões temporais (“Naquela tarde”, “Após uma longa pausa”), formas verbais e outros elementos contextuais que permitam descobrir o tempo verbal adequado à oração. Por exemplo: a expressão “Naquela tarde” leva o aluno a inferir que o verbo “juntar-se” deve ser empregado no tempo passado (pretérito perfeito). Logo: “Naquela tarde, toda a população juntou-se na praça para ver Nasrudin falar”.
  • Flexões de número e pessoa dos verbos com base na relação com os seus respectivos sujeitos nas orações, como em: “Metade das pessoas respondeu (o verbo concorda com a expressão partitiva que corresponde à terceira pessoa do singular); ou então: “Metade das pessoas responderam” (o verbo concorda com o termo “pessoas” que se encontra na terceira pessoa do plural, com a intenção de evidenciar os vários elementos que compõem o todo).
  • Entregue aos alunos cópias do exercício 3. Oriente-os a relacionar as orações da esquerda, numerando as respectivas regras especiais de concordância na coluna da direita.
  • *Obs.: A atividade possibilita ao aluno compreender alguns mecanismos de concordância verbal com sujeito composto, com expressões partitivas (a maior parte de, boa parte de, uma porção de etc.), com indicadores de quantidade aproximada (aproximadamente, cerca de, mais de, menos de etc.), com o antecedente do pronome/sujeito “que” (Fui eu que vi primeiro.), com o pronome indefinido“nenhum”, com o núcleo mais próximo do sujeito etc.
  • Entregue cópias do exercício 4 aos alunos. Peça-lhes para que leiam as orações 1 e 2, prestando atenção à relação entre o verbo e o sujeito composto.
  • *Obs.: Esta atividade permite exercitar uma das regras de concordância verbal com mais de um sujeito, evidenciando a possibilidade de o verbo concordar com o núcleo do sujeito mais próximo (no singular ou no plural), nos casos em que os verbos vêm antes dos sujeitos compostos. Segundo Evanildo Bechara:

“Concordância verbal - A) Concordância de palavra para palavra (...) 2. Há mais de um sujeito: Se o sujeito for composto, o verbo irá, normalmente, para o plural, qualquer que seja a sua posição em relação ao verbo. (...) OBSERVAÇÕES: 1.ª) Pode-se dar a concordância com o núcleo mais próximo, principalmente se o sujeito vem depois do verbo. (In.: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009).

  • Chegaram a mãe e o filho à casa. (Entende-se que ambos chegaram à casa, talvez ao mesmo tempo.)
  • Chegou a mãe e o filho à casa (Ambos chegaram, porém é possível que a mãe tenha chegado primeiro.)
  • **Obs.: Possibilidades de resposta (exercício 3).
  • Na primeira oração o verbo pode estar se referindo aos três sujeitos, pois o verbo está concordando com eles na terceira pessoa do plural (açougueiro, costureira e feirante).
  • Na segunda, refere-se ao sujeito mais próximo, concordando com ele na terceira pessoa do singular (açougueiro).

Materiais complementares:

  • Cópias do texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm;
  • Cópias dos exercícios 1, 2, 3 e 4 - disponível em Materiais para impressão.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Entregue cópias do exercício 1 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • Peça-lhes para preencher os espaços em branco nas orações, flexionando adequadamente os verbos em destaque entre parênteses;
  • *Obs.: A atividade possibilita aos alunos exercitar algumas das regras gerais de concordância verbal, tais quais:
  • Concordância do verbo com sujeito iniciado por pronome indefinido no singular, indicando totalidade das partes: “Toda a população da cidade juntou-se para ver Nasrudin falar”.
  • O verbo concorda com o sujeito simples quando este encontra-se distante daquele, na construção invertida da oração: “Após uma longa pausa, Nasrudin, diante daquela plateia curiosa e interessada, questionou se todos já sabiam o que ele ia dizer”.
  • O verbo concorda com o sujeito constituído de uma expressão partitiva (parte de, uma porção de, metade de, a maior parte de etc.). Convém ressaltar que, neste caso, o verbo pode ir para o singular ou para o plural: “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, respondeu que sabia o que o Mulá tinha vindo fazer”. Ou “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, responderam que sabiam o que o Mulá tinha vindo fazer”.
  • Entregue cópias do exercício 2 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • *Obs.: A atividade possibilita descobrir, compreender e explicar alguns dos mecanismos de concordância verbal empregados nas orações do exercício anterior, como:
  • A relação entre os verbos e os sujeitos das orações, ainda que estes encontrem-se distantes daqueles na construção do período.
  • Expressões temporais (“Naquela tarde”, “Após uma longa pausa”), formas verbais e outros elementos contextuais que permitam descobrir o tempo verbal adequado à oração. Por exemplo: A expressão “Naquela tarde” leva o aluno a inferir que o verbo “juntar-se” deve ser empregado no tempo passado (pretérito-perfeito). Logo: “Naquela tarde, toda a população juntou-se na praça para ver Nasrudin falar”.
  • Flexões de número e pessoa dos verbos com base na relação com os seus respectivos sujeitos nas orações, como em: “Metade das pessoas respondeu (o verbo concorda com a expressão partitiva que corresponde à terceira pessoa do singular); ou então: “Metade das pessoas responderam” (o verbo concorda com o termo “pessoas” que se encontra na terceira pessoa do plural, com a intenção de evidenciar os vários elementos que compõem o todo).
  • Entregue aos alunos cópias do exercício 3. Oriente-os a relacionar as orações da esquerda, numerando as respectivas regras especiais de concordância na coluna da direita.
  • *Obs.: A atividade possibilita ao aluno compreender alguns mecanismos de concordância verbal com sujeito composto, com expressões partitivas (a maior parte de, boa parte de, uma porção de etc.), com indicadores de quantidade aproximada (aproximadamente, cerca de, mais de, menos de etc.), com o antecedente do pronome/sujeito “que” (Fui eu que vi primeiro.), com o pronome indefinido“nenhum”, com o núcleo mais próximo do sujeito etc.
  • Entregue cópias do exercício 4 aos alunos. Peça-lhes para que leiam as orações 1 e 2 prestando atenção à relação entre o verbo e o sujeito composto.
  • *Obs.: Esta atividade permite exercitar uma das regras de concordância verbal com mais de um sujeito, evidenciando a possibilidade de o verbo concordar com o núcleo do sujeito mais próximo (no singular ou no plural), nos casos em que os verbos vêm antes dos sujeitos compostos. Segundo Evanildo Bechara:

“Concordância verbal - A) Concordância de palavra para palavra (...) 2. Há mais de um sujeito: Se o sujeito for composto, o verbo irá, normalmente, para o plural, qualquer que seja a sua posição em relação ao verbo. (...) OBSERVAÇÕES: 1.ª) Pode-se dar a concordância com o núcleo mais próximo, principalmente se o sujeito vem depois do verbo. (In.: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009).

  • Chegaram a mãe e o filho à casa. (Entende-se que ambos chegaram à casa, talvez ao mesmo tempo.)
  • Chegou a mãe e o filho à casa (Ambos chegaram, porém é possível que a mãe tenha chegado primeiro.)
  • **Obs.: Possibilidades de resposta (exercício 3.
  • Na primeira oração o verbo pode estar se referindo aos três sujeitos, pois o verbo está concordando com eles na terceira pessoa do plural (açougueiro, costureira e feirante).
  • Na segunda, refere-se ao sujeito mais próximo, concordando com ele na terceira pessoa do singular (açougueiro).

Materiais complementares:

  • Cópias do texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm.
  • Cópias dos exercícios 1, 2, 3 e 4 - disponível em Materiais para impressão.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Entregue cópias do exercício 1 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • Peça-lhes para preencher os espaços em branco nas orações, flexionando adequadamente os verbos em destaque entre parênteses;
  • *Obs.: A atividade possibilita aos alunos exercitar algumas das regras gerais de concordância verbal, tais quais:
  • Concordância do verbo com sujeito iniciado por pronome indefinido no singular, indicando totalidade das partes: “Toda a população da cidade juntou-se para ver Nasrudin falar”.
  • O verbo concorda com o sujeito simples quando este se encontra distante daquele, na construção invertida da oração: “Após uma longa pausa, Nasrudin, diante daquela plateia curiosa e interessada, questionou se todos já sabiam o que ele ia dizer”.
  • O verbo concorda com o sujeito constituído de uma expressão partitiva (parte de, uma porção de, metade de, a maior parte de etc.). Convém ressaltar que, neste caso, o verbo pode ir para o singular ou para o plural: “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, respondeu que sabia o que o Mulá tinha vindo fazer”. Ou “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, responderam que sabiam o que o Mulá tinha vindo fazer”.
  • Entregue cópias do exercício 2 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • *Obs.: A atividade possibilita descobrir, compreender e explicar alguns dos mecanismos de concordância verbal empregados nas orações do exercício anterior, como:
  • A relação entre os verbos e os sujeitos das orações, ainda que estes se encontrem distantes daqueles na construção do período.
  • Expressões temporais (“Naquela tarde”, “Após uma longa pausa”), formas verbais e outros elementos contextuais que permitam descobrir o tempo verbal adequado à oração. Por exemplo: A expressão “Naquela tarde” leva o aluno a inferir que o verbo “juntar-se” deve ser empregado no tempo passado (pretérito perfeito). Logo: “Naquela tarde, toda a população juntou-se na praça para ver Nasrudin falar”.
  • Flexões de número e pessoa dos verbos, com base na relação com os seus respectivos sujeitos nas orações, como em: “Metade das pessoas respondeu (o verbo concorda com a expressão partitiva que corresponde à terceira pessoa do singular); ou então: “Metade das pessoas responderam” (o verbo concorda com o termo “pessoas” que se encontra na terceira pessoa do plural, com a intenção de evidenciar os vários elementos que compõem o todo).
  • Entregue aos alunos cópias do exercício 3. Oriente-os a relacionar as orações da esquerda, numerando as respectivas regras especiais de concordância na coluna da direita.
  • *Obs.: A atividade possibilita ao aluno compreender alguns mecanismos de concordância verbal com sujeito composto, com expressões partitivas (a maior parte de, boa parte de, uma porção de etc.), com indicadores de quantidade aproximada (aproximadamente, cerca de, mais de, menos de etc.), com o antecedente do pronome/sujeito “que” (Fui eu que vi primeiro.), com o pronome indefinido“nenhum”, com o núcleo mais próximo do sujeito etc.
  • Entregue cópias do exercício 4 aos alunos. Peça-lhes para que leiam as orações 1 e 2, prestando atenção à relação entre o verbo e o sujeito composto.
  • *Obs.: Esta atividade permite exercitar uma das regras de concordância verbal com mais de um sujeito, evidenciando a possibilidade de o verbo concordar com o núcleo do sujeito mais próximo (no singular ou no plural), nos casos em que os verbos vêm antes dos sujeitos compostos. Segundo Evanildo Bechara:

“Concordância verbal - A) Concordância de palavra para palavra (...) 2. Há mais de um sujeito: Se o sujeito for composto, o verbo irá, normalmente, para o plural, qualquer que seja a sua posição em relação ao verbo. (...) OBSERVAÇÕES: 1.ª) Pode-se dar a concordância com o núcleo mais próximo, principalmente se o sujeito vem depois do verbo. (In.: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009).

  • Chegaram a mãe e o filho à casa. (Entende-se que ambos chegaram à casa, talvez ao mesmo tempo.)
  • Chegou a mãe e o filho à casa (Ambos chegaram, porém é possível que a mãe tenha chegado primeiro.)
  • **Obs.: Possibilidades de resposta (exercício 3)
  • Na primeira oração o verbo pode estar se referindo aos três sujeitos, pois o verbo está concordando com eles na terceira pessoa do plural (açougueiro, costureira e feirante).
  • Na segunda, refere-se ao sujeito mais próximo, concordando com ele na terceira pessoa do singular (açougueiro).

Materiais complementares:

  • Cópias do texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm;
  • Cópias dos exercícios 1, 2, 3 e 4 - disponível em Materiais para Impressão.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Finalize a aula perguntando aos alunos;
  • Que flexões devem ser feitas no verbo para que se relacione adequadamente com o sujeito da oração?
  • Possibilidade de resposta: O verbo pode ser flexionado em número (singular e plural) e em pessoa (primeira, segunda ou terceira pessoa do singular ou plural). Além disso, o verbo pode sofrer variações que indicam o modo e o tempo nos quais ocorrem as ações do sujeito.
  • Como é o nome desta relação que ocorre entre estes dois termos na oração (sujeito e verbo)?
  • Possibilidade de resposta: Esta relação entre o verbo e o sujeito da oração recebe o nome de concordância verbal.
  • A maneira como é feita a concordância entre o verbo e o sujeito pode alterar o sentido daquilo que se diz ou escreve? Dê um exemplo.
  • Possibilidade de resposta: Se o sujeito for composto, o verbo concordará com os núcleos, normalmente, no plural.
    Mariana, Paulo e Kátia chegaram atrasados. Ou: Chegaram atrasados Mariana, Paulo e Kátia.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a segunda aula de um conjunto de três planos de aula com foco em Análise linguística e semiótica. A finalidade deste conjunto de planos é:

  • Aula 1: Descobrir o princípio fundamental da concordância verbal com base na leitura de uma história de Nasrudin.
  • Aula 2: Compreender alguns mecanismos de concordância verbal com base na leitura e na realização de exercícios baseados numa história do
    Mulá Nasrudin.
  • Aula 3: Aplicar a regra fundamental da concordância verbal (relação entre o sujeito e o verbo) com base na leitura e na reescrita da letra de
    “Samba do Arnesto”.

Esta aula possibilita o estudo das regras de concordância verbal por meio da descoberta de regularidades linguísticas observadas com base na leitura de
uma história do Mulá Nasrudin (Um mestre diferente). A aula seguinte propicia aplicar estas regularidades linguísticas em atividades discursivas mais complexas.

A abordagem dos aspectos linguísticos e semióticos se fará pela perspectiva enunciativo-discursiva, na qual é dada especial relevância aos efeitos de sentido produzidos pelas práticas de linguagem nos diferentes campos de atuação por meio dos diversos gêneros textuais, conforme sugerido na Base Nacional Comum Curricular (BNCC):

“Os conhecimentos sobre a língua, as demais semioses e a norma-padrão não devem ser tomados como uma lista de conteúdos dissociados das práticas de linguagem, mas como propiciadores de reflexão a respeito do funcionamento da língua no contexto destas práticas. A seleção de habilidades na BNCC está relacionada com aqueles conhecimentos fundamentais para que o estudante possa apropriar-se do sistema linguístico que organiza o português brasileiro.” (BNCC - LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS FINAIS: PRÁTICAS DE LINGUAGEM, OBJETOS DE CONHECIMENTO E HABILIDADES, cap. 4.1.1.2, p. 137 - dez. 2017).

Materiais necessários:

Texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm).

Atividade para impressão (exercícios 1, 2, 3 e 4) - disponível em Atividades para impressão.
Perfil biográfico (opcional), disponível em: http://www.nasrudin.com.br/eu-sou-nasrudin.htm

Dificuldades antecipadas:

Distinguir e diferenciar o verbo dos demais termos da oração.
Perceber as relações de concordância entre o verbo e o sujeito da oração.

Referências sobre o assunto:

Adoniran Barbosa - sites de biografia, letra e música:

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.
CASTILHO, Ataliba T. de. Nova gramática do português brasileiro. – 1. Ed., 4ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2016.
CUNHA, Celso e CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. – 7. ed. Rio de Janeiro: Lexicon, 2016.
História: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm).
Revista Nova Escola:

  • Concordância verbal e nominal (2 de fevereiro de 2017):

Site: https://novaescola.org.br/conteudo/5800/concordancia-verbal-e-nominal

  • Livro de Canções de Adoniran Barbosa (2 de setembro de 2017):

Site: https://novaescola.org.br/conteudo/6478/livro-de-cancoes-de-adoniran-barbosa



Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações:

Explique aos alunos que, no decorrer da aula, eles farão a leitura de uma história do Mulá Nasrudin (Um mestre diferente) e, em seguida, desenvolverão uma atividade visando a compreender alguns mecanismos de concordância entre o verbo e outros termos da oração, tanto na fala quanto na escrita.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos.

Orientações:

  • Distribua aos aos alunos cópias do texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin.
  • Promova a leitura oral do texto para que os alunos tenham uma ideia geral da narrativa (texto disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm).
  • Oriente os alunos a destacar algumas formas verbais empregadas no texto e a relacioná-las aos seus respectivos sujeitos. Por exemplo: “Nasrudin olhou para aquelas pessoas e perguntou” - olhou e perguntou referem-se ao sujeito Nasrudin.
  • Evidencie o mecanismo básico da concordância verbal, no qual o verbo concorda com o sujeito em pessoa e número.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos.

Orientações:

  • Entregue cópias do exercício 1 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • Peça-lhes para preencher os espaços em branco nas orações, flexionando adequadamente os verbos em destaque entre parênteses;
  • *Obs.: A atividade possibilita aos alunos exercitar algumas das regras gerais de concordância verbal, tais quais:
  • Concordância do verbo com sujeito iniciado por pronome indefinido no singular, indicando totalidade das partes: “Toda a população da cidade juntou-se para ver Nasrudin falar”.
  • O verbo concorda com o sujeito simples quando este encontra-se distante daquele, na construção invertida da oração: “Após uma longa pausa, Nasrudin, diante daquela plateia curiosa e interessada, questionou se todos já sabiam o que ele ia dizer”.
  • O verbo concorda com o sujeito constituído de uma expressão partitiva (parte de, uma porção de, metade de, a maior parte de etc.). Convém ressaltar que, neste caso, o verbo pode ir para o singular ou para o plural: “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, respondeu que sabia o que o mulá tinha vindo fazer”. Ou “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, responderam que sabiam o que o mulá tinha vindo fazer”.
  • Entregue cópias do exercício 2 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • *Obs.: A atividade possibilita descobrir, compreender e explicar alguns dos mecanismos de concordância verbal empregados nas orações do exercício anterior, como:
  • A relação entre os verbos e os sujeitos das orações, ainda que estes encontrem-se distantes daqueles na construção do período.
  • Expressões temporais (“Naquela tarde”, “Após uma longa pausa”), formas verbais e outros elementos contextuais que permitam descobrir o tempo verbal adequado à oração. Por exemplo: A expressão “Naquela tarde” leva o aluno a inferir que o verbo “juntar-se” deve ser empregado no tempo passado (pretérito perfeito). Logo: “Naquela tarde, toda a população juntou-se na praça para ver Nasrudin fala”.
  • Flexões de número e pessoa dos verbos com base na relação com os seus respectivos sujeitos nas orações, como em: “Metade das pessoas respondeu (o verbo concorda com a expressão partitiva que corresponde à terceira pessoa do singular); ou então: “Metade das pessoas responderam” (o verbo concorda com o termo “pessoas” que se encontra na terceira pessoa do plural, com a intenção de evidenciar os vários elementos que compõem o todo).
  • Entregue aos alunos cópias do exercício 3. Oriente-os a relacionar as orações da esquerda, numerando as respectivas regras especiais de concordância na coluna da direita.
  • *Obs.: A atividade possibilita ao aluno compreender alguns mecanismos de concordância verbal com sujeito composto, com expressões partitivas (a maior parte de, boa parte de, uma porção de etc.), com indicadores de quantidade aproximada (aproximadamente, cerca de, mais de, menos de etc.), com o antecedente do pronome/sujeito “que” (Fui eu que vi primeiro.), com o pronome indefinido“nenhum”, com o núcleo mais próximo do sujeito etc.
  • Entregue cópias do exercício 4 aos alunos. Peça-lhes para que leiam as orações 1 e 2 prestando atenção à relação entre o verbo e o sujeito composto.
  • *Obs.: Esta atividade permite exercitar uma das regras de concordância verbal com mais de um sujeito, evidenciando a possibilidade de o verbo concordar com o núcleo do sujeito mais próximo (no singular ou no plural), nos casos em que os verbos vêm antes dos sujeitos compostos. Segundo Evanildo Bechara:

“Concordância verbal - A) Concordância de palavra para palavra (...) 2. Há mais de um sujeito: Se o sujeito for composto, o verbo irá, normalmente, para o plural, qualquer que seja a sua posição em relação ao verbo. (...) OBSERVAÇÕES: 1.ª) Pode-se dar a concordância com o núcleo mais próximo, principalmente se o sujeito vem depois do verbo. (In.: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009).

  • Chegaram a mãe e o filho à casa. (Entende-se que ambos chegaram à casa, talvez ao mesmo tempo.)
  • Chegou a mãe e o filho à casa (Ambos chegaram, porém é possível que a mãe tenha chegado primeiro.)
  • **Obs.: Possibilidades de resposta (exercício 3).
  • Na primeira oração o verbo pode estar se referindo aos três sujeitos, pois o verbo está concordando com eles na terceira pessoa do plural (açougueiro, costureira e feirante).
  • Na segunda, refere-se ao sujeito mais próximo, concordando com ele na terceira pessoa do singular (açougueiro).

Materiais complementares:

  • Cópias do texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm;
  • Cópias dos exercícios 1, 2, 3 e 4 - disponível em Materiais para impressão.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Entregue cópias do exercício 1 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • Peça-lhes para preencher os espaços em branco nas orações, flexionando adequadamente os verbos em destaque entre parênteses;
  • *Obs.: A atividade possibilita aos alunos exercitar algumas das regras gerais de concordância verbal, tais quais:
  • Concordância do verbo com sujeito iniciado por pronome indefinido no singular, indicando totalidade das partes: “Toda a população da cidade juntou-se para ver Nasrudin falar”.
  • O verbo concorda com o sujeito simples quando este se encontra distante daquele, na construção invertida da oração: “Após uma longa pausa, Nasrudin, diante daquela plateia curiosa e interessada, questionou se todos já sabiam o que ele ia dizer”.
  • O verbo concorda com o sujeito constituído de uma expressão partitiva (parte de, uma porção de, metade de, a maior parte de etc.). Convém ressaltar que, neste caso, o verbo pode ir para o singular ou para o plural: “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, respondeu que sabia o que o Mullá tinha vindo fazer”. Ou “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, responderam que sabiam o que o Mulá tinha vindo fazer”.
  • Entregue cópias do exercício 2 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • *Obs.: A atividade possibilita descobrir, compreender e explicar alguns dos mecanismos de concordância verbal empregados nas orações do exercício anterior, como:
  • A relação entre os verbos e os sujeitos das orações, ainda que estes se encontrem distantes daqueles na construção do período.
  • Expressões temporais (“Naquela tarde”, “Após uma longa pausa”), formas verbais e outros elementos contextuais que permitam descobrir o tempo verbal adequado à oração. Por exemplo: a expressão “Naquela tarde” leva o aluno a inferir que o verbo “juntar-se” deve ser empregado no tempo passado (pretérito perfeito). Logo: “Naquela tarde, toda a população juntou-se na praça para ver Nasrudin falar”.
  • Flexões de número e pessoa dos verbos com base na relação com os seus respectivos sujeitos nas orações, como em: “Metade das pessoas respondeu (o verbo concorda com a expressão partitiva que corresponde à terceira pessoa do singular); ou então: “Metade das pessoas responderam” (o verbo concorda com o termo “pessoas” que se encontra na terceira pessoa do plural, com a intenção de evidenciar os vários elementos que compõem o todo).
  • Entregue aos alunos cópias do exercício 3. Oriente-os a relacionar as orações da esquerda, numerando as respectivas regras especiais de concordância na coluna da direita.
  • *Obs.: A atividade possibilita ao aluno compreender alguns mecanismos de concordância verbal com sujeito composto, com expressões partitivas (a maior parte de, boa parte de, uma porção de etc.), com indicadores de quantidade aproximada (aproximadamente, cerca de, mais de, menos de etc.), com o antecedente do pronome/sujeito “que” (Fui eu que vi primeiro.), com o pronome indefinido“nenhum”, com o núcleo mais próximo do sujeito etc.
  • Entregue cópias do exercício 4 aos alunos. Peça-lhes para que leiam as orações 1 e 2, prestando atenção à relação entre o verbo e o sujeito composto.
  • *Obs.: Esta atividade permite exercitar uma das regras de concordância verbal com mais de um sujeito, evidenciando a possibilidade de o verbo concordar com o núcleo do sujeito mais próximo (no singular ou no plural), nos casos em que os verbos vêm antes dos sujeitos compostos. Segundo Evanildo Bechara:

“Concordância verbal - A) Concordância de palavra para palavra (...) 2. Há mais de um sujeito: Se o sujeito for composto, o verbo irá, normalmente, para o plural, qualquer que seja a sua posição em relação ao verbo. (...) OBSERVAÇÕES: 1.ª) Pode-se dar a concordância com o núcleo mais próximo, principalmente se o sujeito vem depois do verbo. (In.: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009).

  • Chegaram a mãe e o filho à casa. (Entende-se que ambos chegaram à casa, talvez ao mesmo tempo.)
  • Chegou a mãe e o filho à casa (Ambos chegaram, porém é possível que a mãe tenha chegado primeiro.)
  • **Obs.: Possibilidades de resposta (exercício 3).
  • Na primeira oração o verbo pode estar se referindo aos três sujeitos, pois o verbo está concordando com eles na terceira pessoa do plural (açougueiro, costureira e feirante).
  • Na segunda, refere-se ao sujeito mais próximo, concordando com ele na terceira pessoa do singular (açougueiro).

Materiais complementares:

  • Cópias do texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm;
  • Cópias dos exercícios 1, 2, 3 e 4 - disponível em Materiais para impressão.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Entregue cópias do exercício 1 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • Peça-lhes para preencher os espaços em branco nas orações, flexionando adequadamente os verbos em destaque entre parênteses;
  • *Obs.: A atividade possibilita aos alunos exercitar algumas das regras gerais de concordância verbal, tais quais:
  • Concordância do verbo com sujeito iniciado por pronome indefinido no singular, indicando totalidade das partes: “Toda a população da cidade juntou-se para ver Nasrudin falar”.
  • O verbo concorda com o sujeito simples quando este encontra-se distante daquele, na construção invertida da oração: “Após uma longa pausa, Nasrudin, diante daquela plateia curiosa e interessada, questionou se todos já sabiam o que ele ia dizer”.
  • O verbo concorda com o sujeito constituído de uma expressão partitiva (parte de, uma porção de, metade de, a maior parte de etc.). Convém ressaltar que, neste caso, o verbo pode ir para o singular ou para o plural: “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, respondeu que sabia o que o Mulá tinha vindo fazer”. Ou “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, responderam que sabiam o que o Mulá tinha vindo fazer”.
  • Entregue cópias do exercício 2 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • *Obs.: A atividade possibilita descobrir, compreender e explicar alguns dos mecanismos de concordância verbal empregados nas orações do exercício anterior, como:
  • A relação entre os verbos e os sujeitos das orações, ainda que estes encontrem-se distantes daqueles na construção do período.
  • Expressões temporais (“Naquela tarde”, “Após uma longa pausa”), formas verbais e outros elementos contextuais que permitam descobrir o tempo verbal adequado à oração. Por exemplo: A expressão “Naquela tarde” leva o aluno a inferir que o verbo “juntar-se” deve ser empregado no tempo passado (pretérito-perfeito). Logo: “Naquela tarde, toda a população juntou-se na praça para ver Nasrudin falar”.
  • Flexões de número e pessoa dos verbos com base na relação com os seus respectivos sujeitos nas orações, como em: “Metade das pessoas respondeu (o verbo concorda com a expressão partitiva que corresponde à terceira pessoa do singular); ou então: “Metade das pessoas responderam” (o verbo concorda com o termo “pessoas” que se encontra na terceira pessoa do plural, com a intenção de evidenciar os vários elementos que compõem o todo).
  • Entregue aos alunos cópias do exercício 3. Oriente-os a relacionar as orações da esquerda, numerando as respectivas regras especiais de concordância na coluna da direita.
  • *Obs.: A atividade possibilita ao aluno compreender alguns mecanismos de concordância verbal com sujeito composto, com expressões partitivas (a maior parte de, boa parte de, uma porção de etc.), com indicadores de quantidade aproximada (aproximadamente, cerca de, mais de, menos de etc.), com o antecedente do pronome/sujeito “que” (Fui eu que vi primeiro.), com o pronome indefinido“nenhum”, com o núcleo mais próximo do sujeito etc.
  • Entregue cópias do exercício 4 aos alunos. Peça-lhes para que leiam as orações 1 e 2 prestando atenção à relação entre o verbo e o sujeito composto.
  • *Obs.: Esta atividade permite exercitar uma das regras de concordância verbal com mais de um sujeito, evidenciando a possibilidade de o verbo concordar com o núcleo do sujeito mais próximo (no singular ou no plural), nos casos em que os verbos vêm antes dos sujeitos compostos. Segundo Evanildo Bechara:

“Concordância verbal - A) Concordância de palavra para palavra (...) 2. Há mais de um sujeito: Se o sujeito for composto, o verbo irá, normalmente, para o plural, qualquer que seja a sua posição em relação ao verbo. (...) OBSERVAÇÕES: 1.ª) Pode-se dar a concordância com o núcleo mais próximo, principalmente se o sujeito vem depois do verbo. (In.: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009).

  • Chegaram a mãe e o filho à casa. (Entende-se que ambos chegaram à casa, talvez ao mesmo tempo.)
  • Chegou a mãe e o filho à casa (Ambos chegaram, porém é possível que a mãe tenha chegado primeiro.)
  • **Obs.: Possibilidades de resposta (exercício 3.
  • Na primeira oração o verbo pode estar se referindo aos três sujeitos, pois o verbo está concordando com eles na terceira pessoa do plural (açougueiro, costureira e feirante).
  • Na segunda, refere-se ao sujeito mais próximo, concordando com ele na terceira pessoa do singular (açougueiro).

Materiais complementares:

  • Cópias do texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm.
  • Cópias dos exercícios 1, 2, 3 e 4 - disponível em Materiais para impressão.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Entregue cópias do exercício 1 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • Peça-lhes para preencher os espaços em branco nas orações, flexionando adequadamente os verbos em destaque entre parênteses;
  • *Obs.: A atividade possibilita aos alunos exercitar algumas das regras gerais de concordância verbal, tais quais:
  • Concordância do verbo com sujeito iniciado por pronome indefinido no singular, indicando totalidade das partes: “Toda a população da cidade juntou-se para ver Nasrudin falar”.
  • O verbo concorda com o sujeito simples quando este se encontra distante daquele, na construção invertida da oração: “Após uma longa pausa, Nasrudin, diante daquela plateia curiosa e interessada, questionou se todos já sabiam o que ele ia dizer”.
  • O verbo concorda com o sujeito constituído de uma expressão partitiva (parte de, uma porção de, metade de, a maior parte de etc.). Convém ressaltar que, neste caso, o verbo pode ir para o singular ou para o plural: “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, respondeu que sabia o que o Mulá tinha vindo fazer”. Ou “Metade das pessoas, procurando seguir aquilo que foi combinado entre todos, responderam que sabiam o que o Mulá tinha vindo fazer”.
  • Entregue cópias do exercício 2 aos alunos (disponível em Materiais para impressão).
  • *Obs.: A atividade possibilita descobrir, compreender e explicar alguns dos mecanismos de concordância verbal empregados nas orações do exercício anterior, como:
  • A relação entre os verbos e os sujeitos das orações, ainda que estes se encontrem distantes daqueles na construção do período.
  • Expressões temporais (“Naquela tarde”, “Após uma longa pausa”), formas verbais e outros elementos contextuais que permitam descobrir o tempo verbal adequado à oração. Por exemplo: A expressão “Naquela tarde” leva o aluno a inferir que o verbo “juntar-se” deve ser empregado no tempo passado (pretérito perfeito). Logo: “Naquela tarde, toda a população juntou-se na praça para ver Nasrudin falar”.
  • Flexões de número e pessoa dos verbos, com base na relação com os seus respectivos sujeitos nas orações, como em: “Metade das pessoas respondeu (o verbo concorda com a expressão partitiva que corresponde à terceira pessoa do singular); ou então: “Metade das pessoas responderam” (o verbo concorda com o termo “pessoas” que se encontra na terceira pessoa do plural, com a intenção de evidenciar os vários elementos que compõem o todo).
  • Entregue aos alunos cópias do exercício 3. Oriente-os a relacionar as orações da esquerda, numerando as respectivas regras especiais de concordância na coluna da direita.
  • *Obs.: A atividade possibilita ao aluno compreender alguns mecanismos de concordância verbal com sujeito composto, com expressões partitivas (a maior parte de, boa parte de, uma porção de etc.), com indicadores de quantidade aproximada (aproximadamente, cerca de, mais de, menos de etc.), com o antecedente do pronome/sujeito “que” (Fui eu que vi primeiro.), com o pronome indefinido“nenhum”, com o núcleo mais próximo do sujeito etc.
  • Entregue cópias do exercício 4 aos alunos. Peça-lhes para que leiam as orações 1 e 2, prestando atenção à relação entre o verbo e o sujeito composto.
  • *Obs.: Esta atividade permite exercitar uma das regras de concordância verbal com mais de um sujeito, evidenciando a possibilidade de o verbo concordar com o núcleo do sujeito mais próximo (no singular ou no plural), nos casos em que os verbos vêm antes dos sujeitos compostos. Segundo Evanildo Bechara:

“Concordância verbal - A) Concordância de palavra para palavra (...) 2. Há mais de um sujeito: Se o sujeito for composto, o verbo irá, normalmente, para o plural, qualquer que seja a sua posição em relação ao verbo. (...) OBSERVAÇÕES: 1.ª) Pode-se dar a concordância com o núcleo mais próximo, principalmente se o sujeito vem depois do verbo. (In.: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009).

  • Chegaram a mãe e o filho à casa. (Entende-se que ambos chegaram à casa, talvez ao mesmo tempo.)
  • Chegou a mãe e o filho à casa (Ambos chegaram, porém é possível que a mãe tenha chegado primeiro.)
  • **Obs.: Possibilidades de resposta (exercício 3)
  • Na primeira oração o verbo pode estar se referindo aos três sujeitos, pois o verbo está concordando com eles na terceira pessoa do plural (açougueiro, costureira e feirante).
  • Na segunda, refere-se ao sujeito mais próximo, concordando com ele na terceira pessoa do singular (açougueiro).

Materiais complementares:

  • Cópias do texto: Um mestre diferente, do Mulá Nasrudin (disponível em Materiais para impressão) e no site: http://www.nasrudin.com.br/index.htm;
  • Cópias dos exercícios 1, 2, 3 e 4 - disponível em Materiais para Impressão.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Finalize a aula perguntando aos alunos;
  • Que flexões devem ser feitas no verbo para que se relacione adequadamente com o sujeito da oração?
  • Possibilidade de resposta: O verbo pode ser flexionado em número (singular e plural) e em pessoa (primeira, segunda ou terceira pessoa do singular ou plural). Além disso, o verbo pode sofrer variações que indicam o modo e o tempo nos quais ocorrem as ações do sujeito.
  • Como é o nome desta relação que ocorre entre estes dois termos na oração (sujeito e verbo)?
  • Possibilidade de resposta: Esta relação entre o verbo e o sujeito da oração recebe o nome de concordância verbal.
  • A maneira como é feita a concordância entre o verbo e o sujeito pode alterar o sentido daquilo que se diz ou escreve? Dê um exemplo.
  • Possibilidade de resposta: Se o sujeito for composto, o verbo concordará com os núcleos, normalmente, no plural.
    Mariana, Paulo e Kátia chegaram atrasados. Ou: Chegaram atrasados Mariana, Paulo e Kátia.
Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 6º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 6º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF06LP06 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano