14465
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Plano de aula - O gênero texto dramático

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 6º ano do EF sobre O gênero texto dramático

Plano 01 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Francisca Patrícia Pompeu Brasil

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é primeira aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero texto dramático e no campo de atuação artístico literário. A aula faz parte do módulo de leitura.

Materiais necessários:

Data show

Fotocópias de textos

Informações sobre o gênero: O texto dramático, diferente de outros textos narrativos, é feito para ser encenado. Divide-se em atos e cenas e apresenta, como procedimentos narrativos: as falas, que podem ser diálogos, monólogos e apartes; os personagens; e as rubricas - indicações cênicas que auxiliam a representação. O enredo apresentado, geralmente, segue uma sequência linear: situação inicial, conflito, clímax e desfecho. São subgêneros do texto dramático: o auto, a comédia, a tragédia, a tragicomédia e a farsa.

Dificuldades antecipadas: Os alunos poderão apresentar dificuldades de identificar e nomear os elementos composicionais do gênero texto dramático, por não estarem habituados à leitura e ao estudo do gênero.

Referências sobre o assunto:

https://www.normaculta.com.br/genero-dramatico/

https://www.todamateria.com.br/genero-dramatico/

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/educacao/a-estrutura-do-genero-dramatico/33995

https://www.todamateria.com.br/texto-teatral/

http://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/08305914112014Teoria_da_Literatura_I_Aula_9.pdf

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Apresente, em um slide, o tema da aula para os alunos. O objetivo desta aula é levar o aluno a perceber que o texto dramático tem por finalidade a encenação e que, para isso, o texto se apresenta diferente dos outros gêneros narrativos, pois tem como elementos composicionais mais marcantes: as falas que se sucedem, com os nomes dos personagens em destaque, e as rubricas ou didascálias, marcas para orientar o ator. É importante deixar que os alunos percebam isso através da leitura dos textos e da forma como eles serão apresentados, por isso, evite entregar explicações prontas e busque levar o aluno a pensar e a chegar às suas próprias conclusões.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações:

  • Apresente para os alunos as questões do slide e peça que respondam oralmente. Deixe que se expressem livremente, apenas medie para que todos se escutem e todos tenham a oportunidade de falar. Evite se alongar muito durante essa atividade, pois a intenção é apenas ativar os conhecimentos prévios dos alunos em relação aos textos dramáticos, que estão intimamente ligados à representação de peças teatrais, já que são a base para a encenação.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Organize a sala em três grupos. Entregue para cada grupo fotocópias de um texto dramático. Clique aqui para ter acessar aos textos para impressão.
  • Informe aos alunos sobre os autores dos textos e seus contextos socioculturais. Clique aqui para ter acesso às biografias dos autores para impressão. Se desejar, distribua aos alunos, ou leia em voz alta para que eles conheçam o contexto e as influências artísticas de cada autor.
  • Peça aos alunos que façam a leitura do texto indicado. Esclareça que eles terão 7 minutos para concluírem essa atividade.
  • Circule pela sala durante a leitura e observe se os alunos estão interagindo com os colegas da equipe, pois é necessário que haja essa interação. Veja se comentam o texto, identificam alguma história, fazem leituras de algumas falas para os colegas. Incentive-os caso seja necessário.
  • Após a leitura feita, oriente as equipes para as apresentações. Explique que cada equipe apresentará um texto para o restante da sala e que caberá aos participantes decidirem a forma como o texto será apresentado.
  • Dê a eles alguns minutos para fazerem os combinados sobre a apresentação.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Peça que disponham as cadeiras em um grande círculo.
  • Explique que cada equipe deverá apresentar o seu texto da forma como o grupo combinou. Obs.: O esperado é que os alunos façam leituras dramatizadas dos textos, definindo papéis para cada aluno leitor, mas é possível que prefiram contar a história, ou apresentá-la para o restante da turma através de uma encenação.
  • Após as apresentações, pergunte aos alunos se já conheciam alguma dessas histórias e se identificaram diferenças em relação a outros textos na forma como foram escritos. Espera-se que tenham percebido que o texto está organizado em falas e há indicações de como os personagens devem se comportar.
  • Provoque uma conversa sobre os textos, para que percebam as diferenças de contexto histórico entre eles e seus elementos composicionais.

Espera-se que os alunos percebam que os textos “Projetos” e “O Mealheiro”, de Artur Azevedo, são textos bastante antigos e que retratam uma realidade histórica já ultrapassada em alguns aspectos. Importante dizer que os dois textos são da coletânea de sainetes “Teatro a Vapor” e foram escritos entre 1906-1908. “Sainete” é uma pequena peça alegre do teatro espanhol, de que participam poucos personagens e retratam costumes populares e a vida cotidiana. “Sainete” passou a designar um gênero para o qual se usa hoje em dia a palavra do inglês “sketch”, ou seja, esquete.

Sugestões de encaminhamentos para a Roda de Conversa:

Questione os estudantes: qual é a cena que retratada em “Projetos”? Há uma família reunida, em um momento de lazer e descanso, na sala de jantar. As mulheres costuram e o homem lê o jornal. Questione os alunos se, hoje em dia, é assim ou as famílias fazem coisas diferentes dessas quando se reúnem. Observe que essa cena familiar revela uma época em que as mulheres eram ensinadas a fazer tarefas domésticas e os homens tinham mais acesso à leitura e aos estudos. Era muito incomum, ainda, uma mulher trabalhar fora. Em geral, era o homem quem sustentava a casa. Chame a atenção dos alunos para os “projetos” de cada um com o futuro dinheiro a mais no salário do pai: uma das meninas queria comprar um colete, outra um chapéu, outra um relógio francês, artigos muito cobiçados na época. Questione os alunos: e hoje em dia, o que os adolescentes planejariam comprar? Provavelmente, roupas da moda, celular, jogos de computador. Pergunte a eles: e os pais das meninas, o que queriam fazer com o dinheiro? Espera-se que percebam que há ali um conflito de gerações: os mais velhos pensam na casa e nas dívidas, os mais novos, na moda. Converse com eles que os desejos de consumo também revelam características de épocas diferentes, e os textos literários também são documentos históricos que nos mostram essas diferenças de costumes.

No texto “O Mealheiro”, vemos também uma família com filhas. Veja se percebem o significado da palavra “mealheiro” (cofre). Questione sobre o desejo das meninas (pagar um passeio de automóvel): por que queriam juntar dinheiro para isso? Pouquíssimas pessoas tinham automóvel nesta época (os textos foram escritos entre 1906-1908 e o automóvel chegou ao Brasil em 1891). Era semelhante a, hoje em dia, pagar para andar em um helicóptero. Chame a atenção deles para que percebam quantas coisas sobre o passado da nossa sociedade podemos descobrir em um texto literário, explore com os alunos o nome da moeda (réis), o vocabulário de época (“algibeiras”, “gatunos”, “trocos miúdos”, etc), perguntando o que imaginam que sejam essas palavras.

Já os textos “Fofocas” e “O menino Narigudo” são contemporâneos, como nos revela a linguagem e as referências dos personagens a costumes mais modernos (fofocar no telefone, um menino e uma menina saírem sozinhos para tomar sorvete). A linguagem utilizada pelos dois textos é próxima do registro informal da língua falada, com expressões como “um sujeitinho velho caquético e milionário”, “Ainda por cima surfa mal paca” e “Tá ferrado mesmo.“ dentre outras. Perceber como são dinâmicas as cenas e as falas, com um ritmo rápido. As falas são curtas e cheias de pontuação expressiva (muitas interrogações, exclamações, reticências). Chamar a atenção para o fato desses dois autores (Maria Clara Machado e Walcyr Carrasco) terem proximidade com o mundo da televisão, então, usam uma linguagem bem próxima da falada, as cenas são ágeis, cheias de verbos de ação.

Importante destacar que o texto “O menino narigudo” é uma releitura da obra “Cyrano de Bergerac”, que é uma peça de teatro escrita em 1897 por Edmond Rostand. A obra original conta a história de um espadachim muito habilidoso, porém muito narigudo e feio, que se apaixona por uma mulher lindíssima, mas não tem coragem de declarar-se a ela com medo da rejeição. Como sugestão, agende um dia com a turma para assistir ao filme clássico dos anos 90 “Cyrano”, de Jean-Paul Rappeneau, que consagrou o ator Gerárd Depardieu no papel principal.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações:

  • Peça a um representante de cada equipe que comente a questão colocada. Espera-se que eles concluam que a forma como o texto está escrito mostra que foi feito para ser encenado e que, mesmo sendo um texto narrativo - já que conta uma história - ele se estrutura de forma diferente dos demais: com indicações de personagens, apresentações de falas e explicações sobre as ações.
  • Encerre a aula, explicando que os textos apresentados são textos dramáticos e que têm por finalidade a encenação.

É importante deixar claro que a intenção, nesta aula, não é a de se aprofundar no assunto, nem de apresentar com detalhes elementos do texto dramático. O que se busca é o reconhecimento, por parte do aluno, que os textos lidos e apresentados são textos destinados à encenação e que, por isso, apresentam estrutura diferente dos outros textos narrativos.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é primeira aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero texto dramático e no campo de atuação artístico literário. A aula faz parte do módulo de leitura.

Materiais necessários:

Data show

Fotocópias de textos

Informações sobre o gênero: O texto dramático, diferente de outros textos narrativos, é feito para ser encenado. Divide-se em atos e cenas e apresenta, como procedimentos narrativos: as falas, que podem ser diálogos, monólogos e apartes; os personagens; e as rubricas - indicações cênicas que auxiliam a representação. O enredo apresentado, geralmente, segue uma sequência linear: situação inicial, conflito, clímax e desfecho. São subgêneros do texto dramático: o auto, a comédia, a tragédia, a tragicomédia e a farsa.

Dificuldades antecipadas: Os alunos poderão apresentar dificuldades de identificar e nomear os elementos composicionais do gênero texto dramático, por não estarem habituados à leitura e ao estudo do gênero.

Referências sobre o assunto:

https://www.normaculta.com.br/genero-dramatico/

https://www.todamateria.com.br/genero-dramatico/

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/educacao/a-estrutura-do-genero-dramatico/33995

https://www.todamateria.com.br/texto-teatral/

http://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/08305914112014Teoria_da_Literatura_I_Aula_9.pdf

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Apresente, em um slide, o tema da aula para os alunos. O objetivo desta aula é levar o aluno a perceber que o texto dramático tem por finalidade a encenação e que, para isso, o texto se apresenta diferente dos outros gêneros narrativos, pois tem como elementos composicionais mais marcantes: as falas que se sucedem, com os nomes dos personagens em destaque, e as rubricas ou didascálias, marcas para orientar o ator. É importante deixar que os alunos percebam isso através da leitura dos textos e da forma como eles serão apresentados, por isso, evite entregar explicações prontas e busque levar o aluno a pensar e a chegar às suas próprias conclusões.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações:

  • Apresente para os alunos as questões do slide e peça que respondam oralmente. Deixe que se expressem livremente, apenas medie para que todos se escutem e todos tenham a oportunidade de falar. Evite se alongar muito durante essa atividade, pois a intenção é apenas ativar os conhecimentos prévios dos alunos em relação aos textos dramáticos, que estão intimamente ligados à representação de peças teatrais, já que são a base para a encenação.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Organize a sala em três grupos. Entregue para cada grupo fotocópias de um texto dramático. Clique aqui para ter acessar aos textos para impressão.
  • Informe aos alunos sobre os autores dos textos e seus contextos socioculturais. Clique aqui para ter acesso às biografias dos autores para impressão. Se desejar, distribua aos alunos, ou leia em voz alta para que eles conheçam o contexto e as influências artísticas de cada autor.
  • Peça aos alunos que façam a leitura do texto indicado. Esclareça que eles terão 7 minutos para concluírem essa atividade.
  • Circule pela sala durante a leitura e observe se os alunos estão interagindo com os colegas da equipe, pois é necessário que haja essa interação. Veja se comentam o texto, identificam alguma história, fazem leituras de algumas falas para os colegas. Incentive-os caso seja necessário.
  • Após a leitura feita, oriente as equipes para as apresentações. Explique que cada equipe apresentará um texto para o restante da sala e que caberá aos participantes decidirem a forma como o texto será apresentado.
  • Dê a eles alguns minutos para fazerem os combinados sobre a apresentação.
Slide Plano Aula

Orientações:

  • Peça que disponham as cadeiras em um grande círculo.
  • Explique que cada equipe deverá apresentar o seu texto da forma como o grupo combinou. Obs.: O esperado é que os alunos façam leituras dramatizadas dos textos, definindo papéis para cada aluno leitor, mas é possível que prefiram contar a história, ou apresentá-la para o restante da turma através de uma encenação.
  • Após as apresentações, pergunte aos alunos se já conheciam alguma dessas histórias e se identificaram diferenças em relação a outros textos na forma como foram escritos. Espera-se que tenham percebido que o texto está organizado em falas e há indicações de como os personagens devem se comportar.
  • Provoque uma conversa sobre os textos, para que percebam as diferenças de contexto histórico entre eles e seus elementos composicionais.

Espera-se que os alunos percebam que os textos “Projetos” e “O Mealheiro”, de Artur Azevedo, são textos bastante antigos e que retratam uma realidade histórica já ultrapassada em alguns aspectos. Importante dizer que os dois textos são da coletânea de sainetes “Teatro a Vapor” e foram escritos entre 1906-1908. “Sainete” é uma pequena peça alegre do teatro espanhol, de que participam poucos personagens e retratam costumes populares e a vida cotidiana. “Sainete” passou a designar um gênero para o qual se usa hoje em dia a palavra do inglês “sketch”, ou seja, esquete.

Sugestões de encaminhamentos para a Roda de Conversa:

Questione os estudantes: qual é a cena que retratada em “Projetos”? Há uma família reunida, em um momento de lazer e descanso, na sala de jantar. As mulheres costuram e o homem lê o jornal. Questione os alunos se, hoje em dia, é assim ou as famílias fazem coisas diferentes dessas quando se reúnem. Observe que essa cena familiar revela uma época em que as mulheres eram ensinadas a fazer tarefas domésticas e os homens tinham mais acesso à leitura e aos estudos. Era muito incomum, ainda, uma mulher trabalhar fora. Em geral, era o homem quem sustentava a casa. Chame a atenção dos alunos para os “projetos” de cada um com o futuro dinheiro a mais no salário do pai: uma das meninas queria comprar um colete, outra um chapéu, outra um relógio francês, artigos muito cobiçados na época. Questione os alunos: e hoje em dia, o que os adolescentes planejariam comprar? Provavelmente, roupas da moda, celular, jogos de computador. Pergunte a eles: e os pais das meninas, o que queriam fazer com o dinheiro? Espera-se que percebam que há ali um conflito de gerações: os mais velhos pensam na casa e nas dívidas, os mais novos, na moda. Converse com eles que os desejos de consumo também revelam características de épocas diferentes, e os textos literários também são documentos históricos que nos mostram essas diferenças de costumes.

No texto “O Mealheiro”, vemos também uma família com filhas. Veja se percebem o significado da palavra “mealheiro” (cofre). Questione sobre o desejo das meninas (pagar um passeio de automóvel): por que queriam juntar dinheiro para isso? Pouquíssimas pessoas tinham automóvel nesta época (os textos foram escritos entre 1906-1908 e o automóvel chegou ao Brasil em 1891). Era semelhante a, hoje em dia, pagar para andar em um helicóptero. Chame a atenção deles para que percebam quantas coisas sobre o passado da nossa sociedade podemos descobrir em um texto literário, explore com os alunos o nome da moeda (réis), o vocabulário de época (“algibeiras”, “gatunos”, “trocos miúdos”, etc), perguntando o que imaginam que sejam essas palavras.

Já os textos “Fofocas” e “O menino Narigudo” são contemporâneos, como nos revela a linguagem e as referências dos personagens a costumes mais modernos (fofocar no telefone, um menino e uma menina saírem sozinhos para tomar sorvete). A linguagem utilizada pelos dois textos é próxima do registro informal da língua falada, com expressões como “um sujeitinho velho caquético e milionário”, “Ainda por cima surfa mal paca” e “Tá ferrado mesmo.“ dentre outras. Perceber como são dinâmicas as cenas e as falas, com um ritmo rápido. As falas são curtas e cheias de pontuação expressiva (muitas interrogações, exclamações, reticências). Chamar a atenção para o fato desses dois autores (Maria Clara Machado e Walcyr Carrasco) terem proximidade com o mundo da televisão, então, usam uma linguagem bem próxima da falada, as cenas são ágeis, cheias de verbos de ação.

Importante destacar que o texto “O menino narigudo” é uma releitura da obra “Cyrano de Bergerac”, que é uma peça de teatro escrita em 1897 por Edmond Rostand. A obra original conta a história de um espadachim muito habilidoso, porém muito narigudo e feio, que se apaixona por uma mulher lindíssima, mas não tem coragem de declarar-se a ela com medo da rejeição. Como sugestão, agende um dia com a turma para assistir ao filme clássico dos anos 90 “Cyrano”, de Jean-Paul Rappeneau, que consagrou o ator Gerárd Depardieu no papel principal.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações:

  • Peça a um representante de cada equipe que comente a questão colocada. Espera-se que eles concluam que a forma como o texto está escrito mostra que foi feito para ser encenado e que, mesmo sendo um texto narrativo - já que conta uma história - ele se estrutura de forma diferente dos demais: com indicações de personagens, apresentações de falas e explicações sobre as ações.
  • Encerre a aula, explicando que os textos apresentados são textos dramáticos e que têm por finalidade a encenação.

É importante deixar claro que a intenção, nesta aula, não é a de se aprofundar no assunto, nem de apresentar com detalhes elementos do texto dramático. O que se busca é o reconhecimento, por parte do aluno, que os textos lidos e apresentados são textos destinados à encenação e que, por isso, apresentam estrutura diferente dos outros textos narrativos.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Leitura/Escuta do 6º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 6º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP44 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP47 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano