14302
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 6º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Os discursos Direto e Indireto no Conto Popular

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 6º ano do EF sobre Os discursos Direto e Indireto no Conto Popular

Plano 04 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Michele Batista Da Silva

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é 4ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Conto Popular e no campo de atuação artístico literário. A aula faz parte do módulo de Linguística e Semiótica.

Materiais necessários: Texto impresso; lápis, borracha e caderno para possíveis anotações; datashow.

Informações sobre o gênero: Contos Populares são narrativas baseadas em relatos orais. Passados de geração em geração, muitas vezes são compilados por escritores, autores, estudiosos do folclore da região em que a história se origina. Com o tempo ou de acordo com quem os conta ou escreve, sofrem modificações.

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldades em compreender os tipos de discurso, caso ainda não tenham conhecimento destes conceitos.

Referências sobre o assunto:

CASCUDO,L. Contos Tradicionais do Brasil: 13. ed. São Paulo: Global, 2004.

ROMERO, S. Contos Populares do Brasil. Belo Horizonte: Editora Landy, 2001.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 04 minutos.

Orientações:

  • Instigue o aluno, a pensar "Será que sempre quem conta uma história é o narrador?" Anote suas hipóteses no quadro e avise-os que retornará a este questionamento e às devidas respostas no final da aula. Espera-se que cheguem à conclusão de que, nem sempre é o narrador quem conta a história e sim, muitas vezes, são os próprios personagens. Caso não cheguem a essa conclusão, não precipite respostas, o momento é apenas para refletir.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações:

  • Leia a história intitulada “O touro e o homem” para os alunos.
  • Questione-os oralmente: Quem fala nesta história? Como sabemos disso? (Espera-se que percebam que há a voz de um narrador e as vozes dos personagens. Os alunos podem justificar que há personagens e narrador por conta da pontuação utilizada: primeiramente é um texto corrido, contínuo, em que alguém relata os acontecimentos sob seu ponto de vista e, em seguida, há dois pontos e o uso de travessão, quando são explícitas as falas de personagens, no momento em que acontecem as ações.).

Materiais complementares:

Acesse a versão original de “O Touro e o Homem de Luís da câmara Cascudo na referência abaixo:

CASCUDO, Luís da Câmara. Contos Tradicionais do Brasil. São Paulo: Global Editora, 2003. p. 8 - 10 Disponível em: <http://varaldofolclore.blogspot.com/2008/03/o-touro-e-o-homem.html>. Acesso em: 8 set. 18.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 26 minutos

Orientações:

  • Apresente, em datashow, alguns trechos do conto popular intitulado “O touro e o homem” e peça que pensem sobre:

a- Em quais trechos é o narrador quem conta a história? O que nos indica isso? Como sabemos “de quem estão falando”?

Aqui, espera-se que percebam que nos trechos “a” e “b” há um narrador, já que os verbos estão na 3ª pessoa, indicando que estão falando “sobre alguém”, no caso, “outrem” ( vivia - tinha visto - ouvia dizer - era- ) e que, no trecho “c”, também há a fala de um narrador, porém, ele passa sua vez a um personagem. A justificativa, neste caso, é o verbo de dizer explícito ‘perguntou’. Atente também ao pronome pessoal - ele- utilizado no segundo trecho, revelando que, mais uma vez, fala-se “sobre alguém”.

b- Em quais trechos os personagens contam a história? Como sabemos disso? Que palavras nos indicam quem está falando?

Espera-se que percebam que no trecho “c”, o verbo de dizer, seguido de ‘dois pontos’ nos possibilita compreender que iniciar-se-há a fala de um personagem, o que é confirmado com o uso de travessão, seguido das palavras proferidas por este. No trecho “d”, é possível perceber a fala do personagem, também pelo travessão, e por perceber-se os verbos na 1ª pessoa em - hei de ser - sou o filho - Estas palavras, indicativas “de quem fala”.

Dê 05 minutos para que os educandos respondam em seus cadernos. Não é necessário que copiem as questões. Os alunos podem, simplesmente, copiar o enunciado “4” e registrar, logo abaixo, suas respostas.

  • Reflita com os alunos sobre suas impressões quanto às questões do slide, instigando- os a compartilhar suas respostas para a turma, em voz alta.

Materiais Complementares:

Para saber mais sobre discurso direto e discurso indireto no vídeo referenciado abaixo:

Discurso Direto, Discurso Indireto e Indireto Livre- 2015- Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=aIx0KKUOFdU>. Acesso em 10/09/18.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

1. Explique aos alunos, após a atividade de exploração, sobre o tipo de discurso utilizado em cada situação: Oriente-os de que há discursos que são diretos, ou seja, uma declaração fiel da fala do personagem e há discursos indiretos, que reproduzem as falas e pensamentos dos personagens, porém indiretamente.. Questione: Em quais trechos destacados podemos dizer que o discurso é direto? Por que você chegou a esta conclusão? E em quais trechos podemos dizer que o discurso é “indireto”? O que os torna “indiretos”? ( Espera-se que constatem que os trechos “a” e “b” são diretos, enquanto há a mescla dos dois discursos no trecho “c” - já que o narrador, inicialmente, apresenta a fala do personagem, antes dos dois pontos, seguida de sua reprodução fiel -. e, quanto ao trecho “d”, que percebam que o discurso é direto, pois é a expressão literal do personagem. ) Ajude-os a chegarem às conclusões aqui expostas, se necessário, sempre questionando-os para que tenham autonomia em sua aprendizagem.

Materiais Complementares:

Para saber um pouco mais sobre Discurso Direto e Discurso Indireto, clique no link abaixo:

Montoia, Paulo. Como distinguir discurso direto, discurso indireto e discurso indireto livre. [online] Disponível em: https://guiadoestudante.abril.com.br/blog/duvidas-portugues/como-distinguir-discurso-direto-indireto-e-indireto-livre

Acesso em: 26/11/18.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 08 minutos

Orientações:

  • Retome oralmente a hipótese inicial à pergunta "Será que sempre quem conta uma história é o narrador?" Veja se mudaram as hipóteses ou só confirmaram agora com maior embasamento. (Espera-se que, com o estudo feito sobre os conceitos trabalhados, além da confecção dos pequenos cartazes, que os alunos afirmem que nem sempre é o narrador quem conta a história, pois a fala dos personagens pode ser reproduzida fielmente também, por meio do discurso direto. )

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é 4ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Conto Popular e no campo de atuação artístico literário. A aula faz parte do módulo de Linguística e Semiótica.

Materiais necessários: Texto impresso; lápis, borracha e caderno para possíveis anotações; datashow.

Informações sobre o gênero: Contos Populares são narrativas baseadas em relatos orais. Passados de geração em geração, muitas vezes são compilados por escritores, autores, estudiosos do folclore da região em que a história se origina. Com o tempo ou de acordo com quem os conta ou escreve, sofrem modificações.

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldades em compreender os tipos de discurso, caso ainda não tenham conhecimento destes conceitos.

Referências sobre o assunto:

CASCUDO,L. Contos Tradicionais do Brasil: 13. ed. São Paulo: Global, 2004.

ROMERO, S. Contos Populares do Brasil. Belo Horizonte: Editora Landy, 2001.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 04 minutos.

Orientações:

  • Instigue o aluno, a pensar "Será que sempre quem conta uma história é o narrador?" Anote suas hipóteses no quadro e avise-os que retornará a este questionamento e às devidas respostas no final da aula. Espera-se que cheguem à conclusão de que, nem sempre é o narrador quem conta a história e sim, muitas vezes, são os próprios personagens. Caso não cheguem a essa conclusão, não precipite respostas, o momento é apenas para refletir.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações:

  • Leia a história intitulada “O touro e o homem” para os alunos.
  • Questione-os oralmente: Quem fala nesta história? Como sabemos disso? (Espera-se que percebam que há a voz de um narrador e as vozes dos personagens. Os alunos podem justificar que há personagens e narrador por conta da pontuação utilizada: primeiramente é um texto corrido, contínuo, em que alguém relata os acontecimentos sob seu ponto de vista e, em seguida, há dois pontos e o uso de travessão, quando são explícitas as falas de personagens, no momento em que acontecem as ações.).

Materiais complementares:

Acesse a versão original de “O Touro e o Homem de Luís da câmara Cascudo na referência abaixo:

CASCUDO, Luís da Câmara. Contos Tradicionais do Brasil. São Paulo: Global Editora, 2003. p. 8 - 10 Disponível em: <http://varaldofolclore.blogspot.com/2008/03/o-touro-e-o-homem.html>. Acesso em: 8 set. 18.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 26 minutos

Orientações:

  • Apresente, em datashow, alguns trechos do conto popular intitulado “O touro e o homem” e peça que pensem sobre:

a- Em quais trechos é o narrador quem conta a história? O que nos indica isso? Como sabemos “de quem estão falando”?

Aqui, espera-se que percebam que nos trechos “a” e “b” há um narrador, já que os verbos estão na 3ª pessoa, indicando que estão falando “sobre alguém”, no caso, “outrem” ( vivia - tinha visto - ouvia dizer - era- ) e que, no trecho “c”, também há a fala de um narrador, porém, ele passa sua vez a um personagem. A justificativa, neste caso, é o verbo de dizer explícito ‘perguntou’. Atente também ao pronome pessoal - ele- utilizado no segundo trecho, revelando que, mais uma vez, fala-se “sobre alguém”.

b- Em quais trechos os personagens contam a história? Como sabemos disso? Que palavras nos indicam quem está falando?

Espera-se que percebam que no trecho “c”, o verbo de dizer, seguido de ‘dois pontos’ nos possibilita compreender que iniciar-se-há a fala de um personagem, o que é confirmado com o uso de travessão, seguido das palavras proferidas por este. No trecho “d”, é possível perceber a fala do personagem, também pelo travessão, e por perceber-se os verbos na 1ª pessoa em - hei de ser - sou o filho - Estas palavras, indicativas “de quem fala”.

Dê 05 minutos para que os educandos respondam em seus cadernos. Não é necessário que copiem as questões. Os alunos podem, simplesmente, copiar o enunciado “4” e registrar, logo abaixo, suas respostas.

  • Reflita com os alunos sobre suas impressões quanto às questões do slide, instigando- os a compartilhar suas respostas para a turma, em voz alta.

Materiais Complementares:

Para saber mais sobre discurso direto e discurso indireto no vídeo referenciado abaixo:

Discurso Direto, Discurso Indireto e Indireto Livre- 2015- Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=aIx0KKUOFdU>. Acesso em 10/09/18.

Slide Plano Aula

Orientações:

1. Explique aos alunos, após a atividade de exploração, sobre o tipo de discurso utilizado em cada situação: Oriente-os de que há discursos que são diretos, ou seja, uma declaração fiel da fala do personagem e há discursos indiretos, que reproduzem as falas e pensamentos dos personagens, porém indiretamente.. Questione: Em quais trechos destacados podemos dizer que o discurso é direto? Por que você chegou a esta conclusão? E em quais trechos podemos dizer que o discurso é “indireto”? O que os torna “indiretos”? ( Espera-se que constatem que os trechos “a” e “b” são diretos, enquanto há a mescla dos dois discursos no trecho “c” - já que o narrador, inicialmente, apresenta a fala do personagem, antes dos dois pontos, seguida de sua reprodução fiel -. e, quanto ao trecho “d”, que percebam que o discurso é direto, pois é a expressão literal do personagem. ) Ajude-os a chegarem às conclusões aqui expostas, se necessário, sempre questionando-os para que tenham autonomia em sua aprendizagem.

Materiais Complementares:

Para saber um pouco mais sobre Discurso Direto e Discurso Indireto, clique no link abaixo:

Montoia, Paulo. Como distinguir discurso direto, discurso indireto e discurso indireto livre. [online] Disponível em: https://guiadoestudante.abril.com.br/blog/duvidas-portugues/como-distinguir-discurso-direto-indireto-e-indireto-livre

Acesso em: 26/11/18.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 08 minutos

Orientações:

  • Retome oralmente a hipótese inicial à pergunta "Será que sempre quem conta uma história é o narrador?" Veja se mudaram as hipóteses ou só confirmaram agora com maior embasamento. (Espera-se que, com o estudo feito sobre os conceitos trabalhados, além da confecção dos pequenos cartazes, que os alunos afirmem que nem sempre é o narrador quem conta a história, pois a fala dos personagens pode ser reproduzida fielmente também, por meio do discurso direto. )

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 6º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 6º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP47 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF06LP12 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano