14110
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 8º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Exposição oral: corpo que fala!

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 8º ano do EF sobre Exposição oral: corpo que fala!

Plano 04 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ana Carolina Freitas Gentil Almeida Cangemi

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é 4ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Exposição Oral e no campo de atuação das práticas de estudo e pesquisa. A aula faz parte do módulo de Análise Linguística e Semiótica.

Materiais necessários: Papel ou caderno. Lápis. Régua. Borracha. Computador. Projetor.

Informações sobre o gênero: A exposição oral representa um importante instrumento de transmissão de diferentes conteúdos. Ao citar as características gerais do gênero pode-se dizer que, segundo Dolz e Schneuwly (2004), a exposição é um discurso que se realiza em uma situação de comunicação específica. A exposição pode ser qualificada como um espaço-tempo de produção em que o enunciador vai ao encontro do destinatário, através de uma ação de linguagem que veicula um conteúdo referencial. Muito embora os dois atores são reunidos nessa troca comunicativa particular que é a exposição, a assimetria de seus respectivos conhecimentos sobre o tema da exposição os separam: um representa o “especialista” , o outro, se caracteriza como alguém disposto a aprender algo.

Dificuldades antecipadas: Nesta aula, lidaremos com a produção oral. A dificuldade pode estar no entendimento dos alunos que, além da verbalização oral, há outras maneiras de significação, por exemplo, corporal.

Referências sobre o assunto:

BITTI, P.; ZANI, B. A Comunicação como Processo Social. Lisboa: Editora Estampa, 1993.

BULHÕES, J. Estudo da fala expressiva: Levantamento, análise e descrição dos elementos paralingüísticos do português regional espontâneo. 2006. Dissertação de Mestrado (Letras) – Centro de Letras e Artes – Universidade Federal do Pará, Belém, 2004. 266 f.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. (Orgs.) Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004.

ESPERANÇA, J. A Comunicação Não Verbal. Lisboa: Instituto do Emprego e Formação Profissional, 1998.

FERREIRA, I. Comunicação Não Verbal. Dirigir, n.62, 1999, p.50-55.

MARCUSCHI, L.; DIONISIO, A. (Orgs.) Fala e escrita. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SANTOS, M. Os elementos verbais e não-verbais no discurso de sala de aula. Maceió: UFAL, 2007.

TEIXEIRA, A.; BLASQUE, R.; SANTOS, C. A exposição oral em sala de aula. In: VII Seminário de Pesquisa em Ciências Humanas. 2008. Anais. Londrina: Eduel, 2008. p. 01 - 09.

Título da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

  • Apresente, por meio da leitura do título, a aula.
  • Convém considerar que toda a atividade discursiva e todas as práticas linguísticas se dão em textos orais ou escritos com a presença de semiologias de outras áreas, como a gestualidade e o olhar, na fala, ou elementos pictóricos e gráficos, na escrita. Assim, as produções discursivas são eventos complexos constituídos de várias ordens simbólicas que podem ir além do recurso estritamente linguístico. (cf. MARCUSCHI; DIONISIO, 2007). Desse modo, conduza a sua aula, considerando a perspectiva apresentada.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Para verificação do conhecimento prévio, será feito um jogo, rápido, em duplas, com perguntas sobre as formas de comunicação estabelecidas corporalmente;
  • Peça que os alunos formem duplas;
  • Apresente as imagens do slide. Caso não tenha subsídios tecnológicos, é possível levar as imagens impressas e apresentá-las ao aluno. Ademais, as imagens podem ser substituídas, caso o professor queira;
  • Questione os alunos, oralmente, a respeito dos aspectos referentes ao comportamento corporal (gestos, postura, expressão facial, por exemplo). Pergunte:
  • A expressão facial das pessoas, nas imagens, diz algo para você? O quê?
  • Os gestos das personagens são importantes para a interpretação das imagens? Por quê?

5. Observação: Direcione a discussão para que os alunos associem as respostas com a forma como os corpos estão. Lembre-se que as expressões faciais ou os gestos, por exemplo, indicam uma verbalização oral. Logo, percebê-los contribui para um modelo didático que permite o domínio de um objeto de ensino complexo.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações:

  • Apresente o vídeo para os alunos.

ALADIM, Débora. GUERRA DO VIETNÃ em 5 minutos! 2016. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Eq8snF_OMlY&index=5&list=PLIdiUrsoqaXOZ-fduomMHmeqyQD3KswqW>. Acesso em: 1 out. 2018.

O vídeo traz um resumo sobre a Guerra do Vietnã. A proposta da autora, Débora Aladim, é resumir um fato histórico importante relacionando-o com o filme Forest Gump. Portanto, no vídeo, há diversas habilidades sendo acionadas, tais como: intertextualidade, conhecimento histórico, síntese, construção composicional, elementos paralinguísticos, elementos cinésicos etc.

  • Solicite a análise, em duplas, do vídeo.
  • Oriente, oralmente, a análise do vídeo de acordo com as observações abaixo:

- abertura/saudação (Como a abertura ocorre?);

- introdução ao tema (Como o tema é apresentado?);

- apresentação e desenvolvimento do conteúdo (Após a apresentação do tema, como a exposição continua?);

- síntese final e/ou conclusão, encerramento (Como o fechamento ocorre?).

  • Solicite que os alunos anotem as respostas em seus cadernos.
  • A proposta desta aula é analisar, em gravações, a construção composicional dos gêneros de apresentação. O vídeo é uma sugestão referente a uma apresentação gravada cujo tema é da área de Ciências Humanas (EF69LP40) e, no vídeo, há o uso de ferramenta de apoio (EF69LP41). No entanto, para manter interdisciplinaridade com o conteúdo visto pelos alunos, esse pode ser substituído. Logo, converse com os professores da área de Ciências Humanas em sua escola. Lembre-se que a utilização da interdisciplinaridade como forma de desenvolver um trabalho de integração dos conteúdos de uma disciplina com outras áreas de conhecimento é uma das propostas apresentadas já no PCN e vigente na BNCC que contribui para o aprendizado do aluno. Para saber mais a respeito, clique aqui.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Oriente, oralmente, a análise da apresentação da autora do vídeo de acordo com as observações abaixo.
  • Solicite que os alunos anotem as respostas em seus cadernos.
  • A proposta desta aula é analisar também, em gravações, a construção elementos paralinguísticos e cinésicos. Assim, solicite que os alunos observem:
  • a postura da autora do vídeo;
  • o volume da voz;
  • a expressão facial;
  • a sincronia da fala com a apresentação de imagens.

4. A exposição oral é ordenada em partes e subpartes, as quais permitem distinguir as fases sucessivas de sua construção interna e os elementos paralinguísticos, por sua vez, podem indiciar essa ordenação. Na fase de abertura, por exemplo, o expositor toma contato com o auditório. Logo, saúda-o. O volume de voz, a expressão facial e os gestos das mãos indicam a saudação. Em uma perspectiva de ensino, podem-se distinguir as seguintes partes:

  • abertura: o expositor toma contato com o auditório, saúda-o;
  • introdução ao tema: momento de entrada no discurso;
  • apresentação do plano da exposição: explicitar, tanto para o auditório quanto para o expositor, as operações de planejamento em jogo, esclarecendo, ao mesmo tempo, sobre o produto e sobre o procedimento;
  • desenvolvimento e o encadeamento dos diferentes temas;
  • fase de recapitulação e síntese: importante porque permite retomar os principais pontos da exposição e porque constitui uma fase de transição entre a exposição propriamente dita e a conclusão;
  • conclusão: mensagem final;
  • encerramento: etapa simétrica à abertura, comportando agradecimentos ao auditório.

Observações:

Os elementos paralinguísticos (tom e volume da voz, pausas e hesitações, modulação de voz e entonação, ritmo, respiração etc.) e cinésicos (postura corporal, movimentos e gestualidade significativa, expressão facial, sincronia da fala com ferramenta de apoio etc.), para apresentações orais no campo da divulgação do conhecimento, são o foco desta aula. Lembre-se que os elementos paralinguísticos indicam informações sobre o estado afetivo do locutor e os cinésicos indicam os movimentos corporais. Nenhum movimento ou expressão corporal é destituído de significado no contexto em que se apresenta e por conseguinte estão sujeitos a uma análise sistemática.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 18 minutos

Orientações:

  • Para verificação do conteúdo aprendido na aula, proceda ao jogo "Verdadeiro ou Falso" do slide;
  • Solicite que, oralmente, todos os alunos respondam às questões.
  • Concomitantemente às respostas, retome as explicações referentes ao tema da aula e esclareça dúvidas remanescentes (caso necessário).

Material complementar: para verificar o gabarito da tabela, clique aqui.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é 4ª aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Exposição Oral e no campo de atuação das práticas de estudo e pesquisa. A aula faz parte do módulo de Análise Linguística e Semiótica.

Materiais necessários: Papel ou caderno. Lápis. Régua. Borracha. Computador. Projetor.

Informações sobre o gênero: A exposição oral representa um importante instrumento de transmissão de diferentes conteúdos. Ao citar as características gerais do gênero pode-se dizer que, segundo Dolz e Schneuwly (2004), a exposição é um discurso que se realiza em uma situação de comunicação específica. A exposição pode ser qualificada como um espaço-tempo de produção em que o enunciador vai ao encontro do destinatário, através de uma ação de linguagem que veicula um conteúdo referencial. Muito embora os dois atores são reunidos nessa troca comunicativa particular que é a exposição, a assimetria de seus respectivos conhecimentos sobre o tema da exposição os separam: um representa o “especialista” , o outro, se caracteriza como alguém disposto a aprender algo.

Dificuldades antecipadas: Nesta aula, lidaremos com a produção oral. A dificuldade pode estar no entendimento dos alunos que, além da verbalização oral, há outras maneiras de significação, por exemplo, corporal.

Referências sobre o assunto:

BITTI, P.; ZANI, B. A Comunicação como Processo Social. Lisboa: Editora Estampa, 1993.

BULHÕES, J. Estudo da fala expressiva: Levantamento, análise e descrição dos elementos paralingüísticos do português regional espontâneo. 2006. Dissertação de Mestrado (Letras) – Centro de Letras e Artes – Universidade Federal do Pará, Belém, 2004. 266 f.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. (Orgs.) Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004.

ESPERANÇA, J. A Comunicação Não Verbal. Lisboa: Instituto do Emprego e Formação Profissional, 1998.

FERREIRA, I. Comunicação Não Verbal. Dirigir, n.62, 1999, p.50-55.

MARCUSCHI, L.; DIONISIO, A. (Orgs.) Fala e escrita. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SANTOS, M. Os elementos verbais e não-verbais no discurso de sala de aula. Maceió: UFAL, 2007.

TEIXEIRA, A.; BLASQUE, R.; SANTOS, C. A exposição oral em sala de aula. In: VII Seminário de Pesquisa em Ciências Humanas. 2008. Anais. Londrina: Eduel, 2008. p. 01 - 09.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

  • Apresente, por meio da leitura do título, a aula.
  • Convém considerar que toda a atividade discursiva e todas as práticas linguísticas se dão em textos orais ou escritos com a presença de semiologias de outras áreas, como a gestualidade e o olhar, na fala, ou elementos pictóricos e gráficos, na escrita. Assim, as produções discursivas são eventos complexos constituídos de várias ordens simbólicas que podem ir além do recurso estritamente linguístico. (cf. MARCUSCHI; DIONISIO, 2007). Desse modo, conduza a sua aula, considerando a perspectiva apresentada.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Para verificação do conhecimento prévio, será feito um jogo, rápido, em duplas, com perguntas sobre as formas de comunicação estabelecidas corporalmente;
  • Peça que os alunos formem duplas;
  • Apresente as imagens do slide. Caso não tenha subsídios tecnológicos, é possível levar as imagens impressas e apresentá-las ao aluno. Ademais, as imagens podem ser substituídas, caso o professor queira;
  • Questione os alunos, oralmente, a respeito dos aspectos referentes ao comportamento corporal (gestos, postura, expressão facial, por exemplo). Pergunte:
  • A expressão facial das pessoas, nas imagens, diz algo para você? O quê?
  • Os gestos das personagens são importantes para a interpretação das imagens? Por quê?

5. Observação: Direcione a discussão para que os alunos associem as respostas com a forma como os corpos estão. Lembre-se que as expressões faciais ou os gestos, por exemplo, indicam uma verbalização oral. Logo, percebê-los contribui para um modelo didático que permite o domínio de um objeto de ensino complexo.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações:

  • Apresente o vídeo para os alunos.

ALADIM, Débora. GUERRA DO VIETNÃ em 5 minutos! 2016. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Eq8snF_OMlY&index=5&list=PLIdiUrsoqaXOZ-fduomMHmeqyQD3KswqW>. Acesso em: 1 out. 2018.

O vídeo traz um resumo sobre a Guerra do Vietnã. A proposta da autora, Débora Aladim, é resumir um fato histórico importante relacionando-o com o filme Forest Gump. Portanto, no vídeo, há diversas habilidades sendo acionadas, tais como: intertextualidade, conhecimento histórico, síntese, construção composicional, elementos paralinguísticos, elementos cinésicos etc.

  • Solicite a análise, em duplas, do vídeo.
  • Oriente, oralmente, a análise do vídeo de acordo com as observações abaixo:

- abertura/saudação (Como a abertura ocorre?);

- introdução ao tema (Como o tema é apresentado?);

- apresentação e desenvolvimento do conteúdo (Após a apresentação do tema, como a exposição continua?);

- síntese final e/ou conclusão, encerramento (Como o fechamento ocorre?).

  • Solicite que os alunos anotem as respostas em seus cadernos.
  • A proposta desta aula é analisar, em gravações, a construção composicional dos gêneros de apresentação. O vídeo é uma sugestão referente a uma apresentação gravada cujo tema é da área de Ciências Humanas (EF69LP40) e, no vídeo, há o uso de ferramenta de apoio (EF69LP41). No entanto, para manter interdisciplinaridade com o conteúdo visto pelos alunos, esse pode ser substituído. Logo, converse com os professores da área de Ciências Humanas em sua escola. Lembre-se que a utilização da interdisciplinaridade como forma de desenvolver um trabalho de integração dos conteúdos de uma disciplina com outras áreas de conhecimento é uma das propostas apresentadas já no PCN e vigente na BNCC que contribui para o aprendizado do aluno. Para saber mais a respeito, clique aqui.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Oriente, oralmente, a análise da apresentação da autora do vídeo de acordo com as observações abaixo.
  • Solicite que os alunos anotem as respostas em seus cadernos.
  • A proposta desta aula é analisar também, em gravações, a construção elementos paralinguísticos e cinésicos. Assim, solicite que os alunos observem:
  • a postura da autora do vídeo;
  • o volume da voz;
  • a expressão facial;
  • a sincronia da fala com a apresentação de imagens.

4. A exposição oral é ordenada em partes e subpartes, as quais permitem distinguir as fases sucessivas de sua construção interna e os elementos paralinguísticos, por sua vez, podem indiciar essa ordenação. Na fase de abertura, por exemplo, o expositor toma contato com o auditório. Logo, saúda-o. O volume de voz, a expressão facial e os gestos das mãos indicam a saudação. Em uma perspectiva de ensino, podem-se distinguir as seguintes partes:

  • abertura: o expositor toma contato com o auditório, saúda-o;
  • introdução ao tema: momento de entrada no discurso;
  • apresentação do plano da exposição: explicitar, tanto para o auditório quanto para o expositor, as operações de planejamento em jogo, esclarecendo, ao mesmo tempo, sobre o produto e sobre o procedimento;
  • desenvolvimento e o encadeamento dos diferentes temas;
  • fase de recapitulação e síntese: importante porque permite retomar os principais pontos da exposição e porque constitui uma fase de transição entre a exposição propriamente dita e a conclusão;
  • conclusão: mensagem final;
  • encerramento: etapa simétrica à abertura, comportando agradecimentos ao auditório.

Observações:

Os elementos paralinguísticos (tom e volume da voz, pausas e hesitações, modulação de voz e entonação, ritmo, respiração etc.) e cinésicos (postura corporal, movimentos e gestualidade significativa, expressão facial, sincronia da fala com ferramenta de apoio etc.), para apresentações orais no campo da divulgação do conhecimento, são o foco desta aula. Lembre-se que os elementos paralinguísticos indicam informações sobre o estado afetivo do locutor e os cinésicos indicam os movimentos corporais. Nenhum movimento ou expressão corporal é destituído de significado no contexto em que se apresenta e por conseguinte estão sujeitos a uma análise sistemática.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 18 minutos

Orientações:

  • Para verificação do conteúdo aprendido na aula, proceda ao jogo "Verdadeiro ou Falso" do slide;
  • Solicite que, oralmente, todos os alunos respondam às questões.
  • Concomitantemente às respostas, retome as explicações referentes ao tema da aula e esclareça dúvidas remanescentes (caso necessário).

Material complementar: para verificar o gabarito da tabela, clique aqui.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 8º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP40 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP41 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano