14045
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Plano de aula - Literatura de Cordel: Valores culturais e identidade regional

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 7º ano do EF sobre Literatura de Cordel: Valores culturais e identidade regional

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Marianna Zaroni Parro

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é segunda aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero poema e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte do módulo de Leitura.

Materiais necessários: Duas cópias impressas de cada texto para os alunos; computador; projetor multimídia e tela; lápis; papel.

Informações sobre o gênero: O poema é um gênero literário marcado pela musicalidade, pela subjetividade e pela escrita em versos, os quais podem ser elaborados em forma fixa ou livre, ou seja, que seguem, ou não, um padrão e métrica definidos.

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldade em reconhecer o eu-lírico nas produções, bem como não serem familiarizados com o gênero, pelo distanciamento cultural.

Referências sobre o assunto:
CASCUDO, Luís da Câmara, Dicionário do folclore brasileiro. 8°. Ed. – São Paulo: Global, 2000
PINHEIRO, Hélder. Cordel na sala de aula – São Paulo: Duas Cidades, 2001. – (Coleção literatura e ensino; 2).
ASSARÉ, Patativa do. Inspiração Nordestina: cantos de Patativa. São Paulo: Hedra, 2003.
LUYTEN, Joseph M. O que é literatura popular. São Paulo: Brasiliense, 1983
Fonte: Literatura de Cordel - Da teoria à prática da sala de aula, Amanda Vieira Ribeiro, CONEDU. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV056_MD4_SA20_ID6764_13082016135022.pdf. Acesso em 29 de agosto de 2018.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações: Apresente aos alunos o título da aula.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos

Orientações:

  • Organize os alunos em grupos de quatro alunos. Ao organizá-los em pequenos grupos, incentivamos a troca de conhecimentos entre eles, além de incentivarmos a interação entre a turma.
  • Verifique se os alunos já leram ou se conhecem o que é um Cordel.
  • Exiba aos alunos o título do poema que será trabalhado e peça para que eles levantem, oralmente, hipóteses sobre o conteúdo do texto:
  • Qual poderia ser o assunto deste texto?
  • O que chama a atenção no título do poema?
  • Registre as hipóteses no quadro. O objetivo desta discussão inicial é trazer os conhecimentos prévios dos alunos em relação ao Cordel e incentivá-los a olhar para a questão temática do texto. Não há uma resposta correta para esta etapa, pois o importante é que os alunos tragam hipóteses sobre o texto. Além da temática, podem surgir questionamentos em relação à grafia do título, afirmando que está errado ou mesmo que essa conjugação não existe. Caso isso ocorra, é importante questioná-los se, ainda assim, é possível entender o significado do texto ou não; e quais informações isso pode trazer em relação ao seu eu-lírico.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 43 minutos

Orientações:

  • Exiba o vídeo com a declamação do poema "Aí! Se sesse!", de Zé da Luz, ilustrado com xilogravuras. Proponha que os alunos apreciem o vídeo e exponham brevemente suas impressões. Se achar necessário, exiba novamente o vídeo. Se não for possível exibir o vídeo, leia o texto para os alunos, utilizando entonação apropriada. Sugerimos que neste caso, você, professor, assista ao vídeo antes da aula para ver as possibilidades entonacionais para que a leitura seja mais atraente.
  • Contextualize os alunos em relação à literatura de cordel, explicando que esta é oriunda de Portugal e chegou ao Brasil na época da colonização, instalando-se em Salvador. Dali se irradiou para os demais estados do Nordeste e tem como principais caraterísticas a oralidade e a presença de elementos da cultura brasileira, além de informar algo, ao mesmo tempo em que diverte os leitores.
  • Discuta com os alunos algumas questões relacionadas à linguagem do texto, à temática e às imagens utilizadas para representá-lo:
  • No início do vídeo, há a afirmação de que "para falar de amor é necessário um português correto". Por que muitos têm essa visão? Vocês concordam com isso? Por quê?
  • O poeta utiliza um "português correto" para escrever seu texto? Por que ele escreve dessa forma?
  • O modo como o poema é construído transmite certa musicalidade quando lemos?
  • Qual é o conteúdo do poema?
  • Quem é o eu-lírico desse texto? Por quê?
  • A declamação e as imagens fazem diferença para a leitura do texto? E na criação da imagem do eu-lírico?
  • O objetivo destas questões é fazer com que os alunos levantem hipóteses, principalmente, sobre o contexto de produção e o ritmo do texto, além de conscientizarem-se de que os poemas podem ser produzidos com base nos mais diversos assuntos, e que este lugar de fala do eu-lírico é condição primordial para que o tema, a linguagem e a estrutura do texto sejam desta forma. É possível que os alunos questionem a linguagem e a grafia do texto. Caso isso ocorra, é importante deixar claro que esta é uma variante oral e coloquial da língua, e que o autor a utilizou intencionalmente para marcar seu lugar de fala.
  • O tempo sugerido para esta atividade é de 15 minutos.

Material complementar:

O vídeo com a declamação do poema “Aí! Se sesse!", de Zé da Luz está disponível online. Fonte: Aí! Se Sesse!, Zé da Luz, Youtube. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=GijMgM4B4ag. Acesso em 20 de agosto de 2018.

O texto do poema “Aí! Se sesse!", de Zé da Luz está disponível online. Fonte: Aí! Se Sesse!, Zé da Luz, ABLC. Disponível em: http://www.ablc.com.br/ai-se-sesse/. Acesso em 29 de agosto de 2018.

Acesse o material do artista J. Borges e sobre a xilogravura nos links:

Disponível em: http://artepopularbrasil.blogspot.com/2011/01/j-borges.html. Acesso em 20 de agosto de 2018.

Disponível em:http://jborgesbrasil.blogspot.com/ Acesso em 20 de agosto de 2018.
Disponível em:https://followthecolours.com.br/art-attack/arte-popular-j-borges/ Acesso em 20 de agosto de 2018.
Disponível em:https://followthecolours.com.br/art-attack/xilogravura-nordestina/ Acesso em 20 de agosto de 2018.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Distribua o segundo poema de Zé da Luz e peça para que cada aluno leia uma estrofe do poema em voz alta. Mostre para os alunos, conforme a leitura é realizada, como o ritmo e as rimas são bem marcadas ao longo do texto.
  • Peça para que os estudantes observem as particularidades do texto, com base nas perguntas que devem ser discutidas por cada grupo, apresentadas a seguir (você pode entregar as questões impressas ou copiá-las no quadro):
  • O que é o "Brasi Cabroco" apresentado pelo poeta? Quais são as suas características principais?
  • Quem são as personagens que habitam este lugar? Quais são as suas características principais?
  • Há palavras que você desconhece o significado? Quais? Você consegue imaginar um sentido para elas, levando em consideração o seu contexto? Ao discutir esta questão com o restante da sala, compartilhe o real significado dos termos com os alunos.
  • O que mais chamou a atenção em relação à linguagem utilizada no texto?
  • O poema (re)produz valores culturais? Como?

  • Peça para que as respostas às perguntas sejam registradas no caderno de cada integrante do grupo e, depois, compartilhadas com o restante da sala.
  • Registre as respostas principais no quadro.
  • Discuta as respostas dadas pelos grupos e os incentive a observar as características destes textos e os elementos que foram observados: organização composicional, conteúdo, sonoridade, grafia das palavras, termos típicos da cultura regional, oralidade, eu-lírico, ritmo e humor. Ao trabalhar estas questões é importante que os alunos percebam tanto a variedade linguística e estrutural dos textos quanto suas particularidades em relação à tradição regional nordestina. Além disso, é importante a percepção de que a poesia pode ser informal, divertida (mesmo tratando de sentimentos, como é o caso do primeiro texto) e, ainda assim, transmitir um conteúdo interessante. Por fim, reforce que literatura de cordel é uma tradição literária regional e é apresentada em pequenos livros (folhetos) que ficam pendurados em cordas, sendo esta a origem do seu nome. Esta literatura é considerada um gênero feito em versos, afastando-se dos cânones por utilizar uma linguagem informal e abordar temas populares.
  • Aproveite este momento de discussão para revisitar, caso julgue necessário, as ideias de forma fixa e de forma livre. Instigue os alunos a perceber quais são as semelhanças e diferenças entre estes textos e os que já foram estudados anteriormente, trazendo à aula os conhecimentos prévios e recém adquiridos.
  • O tempo sugerido para esta atividade é de 28 minutos.

Material complementar: O texto do poema “Brasi Cabroco!", de Zé da Luz está disponível online. Fonte: Brasi Cabroco, Zé da Luz, ABLC. Disponível em:http://www.ablc.com.br/brasi-caboco/ . Acesso em 29 de agosto de 2018.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

  • Peça para que eles completem a sentença proposta de acordo com o que foi discutido nessa aula.
  • Reforce com os alunos, oralmente, a representatividade da literatura de Cordel e o fato de que esta é uma forte manifestação da cultura regional brasileira, ou seja, que apresentam ditados populares, superstições, crenças e adivinhas que fazem parte da literatura brasileira. Além disso, são produções que possuem uma essência cultural muito forte, pois relatam tradições (culinária, costumes, festas populares) que contribuem para a continuidade do folclore brasileiro e representam o povo, narrando as histórias de Lampião e de João Grilo, por exemplo, bem como histórias de amor.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é segunda aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero poema e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte do módulo de Leitura.

Materiais necessários: Duas cópias impressas de cada texto para os alunos; computador; projetor multimídia e tela; lápis; papel.

Informações sobre o gênero: O poema é um gênero literário marcado pela musicalidade, pela subjetividade e pela escrita em versos, os quais podem ser elaborados em forma fixa ou livre, ou seja, que seguem, ou não, um padrão e métrica definidos.

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldade em reconhecer o eu-lírico nas produções, bem como não serem familiarizados com o gênero, pelo distanciamento cultural.

Referências sobre o assunto:
CASCUDO, Luís da Câmara, Dicionário do folclore brasileiro. 8°. Ed. – São Paulo: Global, 2000
PINHEIRO, Hélder. Cordel na sala de aula – São Paulo: Duas Cidades, 2001. – (Coleção literatura e ensino; 2).
ASSARÉ, Patativa do. Inspiração Nordestina: cantos de Patativa. São Paulo: Hedra, 2003.
LUYTEN, Joseph M. O que é literatura popular. São Paulo: Brasiliense, 1983
Fonte: Literatura de Cordel - Da teoria à prática da sala de aula, Amanda Vieira Ribeiro, CONEDU. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV056_MD4_SA20_ID6764_13082016135022.pdf. Acesso em 29 de agosto de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações: Apresente aos alunos o título da aula.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos

Orientações:

  • Organize os alunos em grupos de quatro alunos. Ao organizá-los em pequenos grupos, incentivamos a troca de conhecimentos entre eles, além de incentivarmos a interação entre a turma.
  • Verifique se os alunos já leram ou se conhecem o que é um Cordel.
  • Exiba aos alunos o título do poema que será trabalhado e peça para que eles levantem, oralmente, hipóteses sobre o conteúdo do texto:
  • Qual poderia ser o assunto deste texto?
  • O que chama a atenção no título do poema?
  • Registre as hipóteses no quadro. O objetivo desta discussão inicial é trazer os conhecimentos prévios dos alunos em relação ao Cordel e incentivá-los a olhar para a questão temática do texto. Não há uma resposta correta para esta etapa, pois o importante é que os alunos tragam hipóteses sobre o texto. Além da temática, podem surgir questionamentos em relação à grafia do título, afirmando que está errado ou mesmo que essa conjugação não existe. Caso isso ocorra, é importante questioná-los se, ainda assim, é possível entender o significado do texto ou não; e quais informações isso pode trazer em relação ao seu eu-lírico.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 43 minutos

Orientações:

  • Exiba o vídeo com a declamação do poema "Aí! Se sesse!", de Zé da Luz, ilustrado com xilogravuras. Proponha que os alunos apreciem o vídeo e exponham brevemente suas impressões. Se achar necessário, exiba novamente o vídeo. Se não for possível exibir o vídeo, leia o texto para os alunos, utilizando entonação apropriada. Sugerimos que neste caso, você, professor, assista ao vídeo antes da aula para ver as possibilidades entonacionais para que a leitura seja mais atraente.
  • Contextualize os alunos em relação à literatura de cordel, explicando que esta é oriunda de Portugal e chegou ao Brasil na época da colonização, instalando-se em Salvador. Dali se irradiou para os demais estados do Nordeste e tem como principais caraterísticas a oralidade e a presença de elementos da cultura brasileira, além de informar algo, ao mesmo tempo em que diverte os leitores.
  • Discuta com os alunos algumas questões relacionadas à linguagem do texto, à temática e às imagens utilizadas para representá-lo:
  • No início do vídeo, há a afirmação de que "para falar de amor é necessário um português correto". Por que muitos têm essa visão? Vocês concordam com isso? Por quê?
  • O poeta utiliza um "português correto" para escrever seu texto? Por que ele escreve dessa forma?
  • O modo como o poema é construído transmite certa musicalidade quando lemos?
  • Qual é o conteúdo do poema?
  • Quem é o eu-lírico desse texto? Por quê?
  • A declamação e as imagens fazem diferença para a leitura do texto? E na criação da imagem do eu-lírico?
  • O objetivo destas questões é fazer com que os alunos levantem hipóteses, principalmente, sobre o contexto de produção e o ritmo do texto, além de conscientizarem-se de que os poemas podem ser produzidos com base nos mais diversos assuntos, e que este lugar de fala do eu-lírico é condição primordial para que o tema, a linguagem e a estrutura do texto sejam desta forma. É possível que os alunos questionem a linguagem e a grafia do texto. Caso isso ocorra, é importante deixar claro que esta é uma variante oral e coloquial da língua, e que o autor a utilizou intencionalmente para marcar seu lugar de fala.
  • O tempo sugerido para esta atividade é de 15 minutos.

Material complementar:

O vídeo com a declamação do poema “Aí! Se sesse!", de Zé da Luz está disponível online. Fonte: Aí! Se Sesse!, Zé da Luz, Youtube. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=GijMgM4B4ag. Acesso em 20 de agosto de 2018.

O texto do poema “Aí! Se sesse!", de Zé da Luz está disponível online. Fonte: Aí! Se Sesse!, Zé da Luz, ABLC. Disponível em: http://www.ablc.com.br/ai-se-sesse/. Acesso em 29 de agosto de 2018.

Acesse o material do artista J. Borges e sobre a xilogravura nos links:

Disponível em: http://artepopularbrasil.blogspot.com/2011/01/j-borges.html. Acesso em 20 de agosto de 2018.

Disponível em:http://jborgesbrasil.blogspot.com/ Acesso em 20 de agosto de 2018.
Disponível em:https://followthecolours.com.br/art-attack/arte-popular-j-borges/ Acesso em 20 de agosto de 2018.
Disponível em:https://followthecolours.com.br/art-attack/xilogravura-nordestina/ Acesso em 20 de agosto de 2018.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Distribua o segundo poema de Zé da Luz e peça para que cada aluno leia uma estrofe do poema em voz alta. Mostre para os alunos, conforme a leitura é realizada, como o ritmo e as rimas são bem marcadas ao longo do texto.
  • Peça para que os estudantes observem as particularidades do texto, com base nas perguntas que devem ser discutidas por cada grupo, apresentadas a seguir (você pode entregar as questões impressas ou copiá-las no quadro):
  • O que é o "Brasi Cabroco" apresentado pelo poeta? Quais são as suas características principais?
  • Quem são as personagens que habitam este lugar? Quais são as suas características principais?
  • Há palavras que você desconhece o significado? Quais? Você consegue imaginar um sentido para elas, levando em consideração o seu contexto? Ao discutir esta questão com o restante da sala, compartilhe o real significado dos termos com os alunos.
  • O que mais chamou a atenção em relação à linguagem utilizada no texto?
  • O poema (re)produz valores culturais? Como?

  • Peça para que as respostas às perguntas sejam registradas no caderno de cada integrante do grupo e, depois, compartilhadas com o restante da sala.
  • Registre as respostas principais no quadro.
  • Discuta as respostas dadas pelos grupos e os incentive a observar as características destes textos e os elementos que foram observados: organização composicional, conteúdo, sonoridade, grafia das palavras, termos típicos da cultura regional, oralidade, eu-lírico, ritmo e humor. Ao trabalhar estas questões é importante que os alunos percebam tanto a variedade linguística e estrutural dos textos quanto suas particularidades em relação à tradição regional nordestina. Além disso, é importante a percepção de que a poesia pode ser informal, divertida (mesmo tratando de sentimentos, como é o caso do primeiro texto) e, ainda assim, transmitir um conteúdo interessante. Por fim, reforce que literatura de cordel é uma tradição literária regional e é apresentada em pequenos livros (folhetos) que ficam pendurados em cordas, sendo esta a origem do seu nome. Esta literatura é considerada um gênero feito em versos, afastando-se dos cânones por utilizar uma linguagem informal e abordar temas populares.
  • Aproveite este momento de discussão para revisitar, caso julgue necessário, as ideias de forma fixa e de forma livre. Instigue os alunos a perceber quais são as semelhanças e diferenças entre estes textos e os que já foram estudados anteriormente, trazendo à aula os conhecimentos prévios e recém adquiridos.
  • O tempo sugerido para esta atividade é de 28 minutos.

Material complementar: O texto do poema “Brasi Cabroco!", de Zé da Luz está disponível online. Fonte: Brasi Cabroco, Zé da Luz, ABLC. Disponível em:http://www.ablc.com.br/brasi-caboco/ . Acesso em 29 de agosto de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

  • Peça para que eles completem a sentença proposta de acordo com o que foi discutido nessa aula.
  • Reforce com os alunos, oralmente, a representatividade da literatura de Cordel e o fato de que esta é uma forte manifestação da cultura regional brasileira, ou seja, que apresentam ditados populares, superstições, crenças e adivinhas que fazem parte da literatura brasileira. Além disso, são produções que possuem uma essência cultural muito forte, pois relatam tradições (culinária, costumes, festas populares) que contribuem para a continuidade do folclore brasileiro e representam o povo, narrando as histórias de Lampião e de João Grilo, por exemplo, bem como histórias de amor.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Leitura/Escuta do 7º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 7º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP44 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP48 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano