14030
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Plano de aula - Exercitando o uso da colocação pronominal - Próclise e ênclise

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 7º ano do EF sobre Exercitando o uso da colocação pronominal - Próclise e ênclise

Plano 03 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Luzia Cecilia Da Costa Julidori

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a terceira aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é fazer com que os alunos reconheçam o uso segundo a norma padrão da colocação pronominal em trechos de cordéis e sonetos. E reconheçam também o contexto da escrita do texto evidenciando a variedade formal e informal da linguagem.

Materiais necessários: Cópia dos trechos e das perguntas apresentadas neste material.

Dificuldades antecipadas: Dificuldade com o uso dos pronomes oblíquos dentro do texto conforme a norma padrão. É interessante ter certeza de que os alunos se lembram das preposições, dos advérbios e das formas nominais para a realização da atividade.

Referências sobre o assunto:

Novíssima Gramática da Língua Portuguesa - Novo Acordo Ortográfico (Domingos Paschoal Cegalla); Moderna Gramática da Língua Portuguesa (Evanildo Bechara); Norma culta brasileira: desatando alguns nós (Carlos Alberto Faraco); Gramática Pedagógica do Português Brasileiro (Marcos Bagno).

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações:

  • Questione os alunos sobre os pronomes e sua colocação nas frases.
  • Questione sobre o pronome e a concordância verbal.
  • Caso perceba que os alunos não se lembram dos pronomes, é conveniente realizar uma revisão antes da aula, relembrando os pronomes pessoais do caso reto, oblíquo, indefinidos, demonstrativos e possessivos. Relembre também os advérbios de negação que atraem os pronomes e os verbos no infinitivo e gerúndio.

introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos.

Orientações:

  • Disponha os alunos em duplas ou trios. Isso facilitará a troca de informações e o preenchimento da conclusão. Permita e incentive a discussão entre os grupos.
  • Relembre com os alunos o pronome pessoal do caso reto e oblíquo.
  • Retome e relembre a importância da concordância verbal em relação aos pronomes.
  • Questione sobre exemplos de uso e em quais gêneros textuais costuma-se usar os pronomes. Caso perceba o desconhecimento dos pronomes pelos alunos, forneça pistas, como por exemplo, questionando quais são as palavras que usamos para fazer referência às pessoas do discurso além dos pronomes do caso reto.
  • Atente-se, professor, ao fato de que é necessário o conhecimento desses pronomes para a realização do exercício e, se julgar necessário, apresente a definição antes da aula.
  • Peça aos alunos que leiam a tirinha que dará pistas sobre o assunto a ser tratado e também fornecerá dicas sobre uma das utilizações do pronome, ou seja, que as palavras negativas atraem o pronome.
  • Questione os alunos sobre qual acerto a menina solicita e questione também qual seria a palavra que atrairia o pronome para perto. Dê pistas que levem o aluno a perceber o aparecimento do advérbio de negação “nunca”.
  • Leve os alunos a perceberem que, na norma padrão, o pronome oblíquo não inicia frase na Língua Portuguesa e possibilite que percebam que o verbo “abraçar” e “beijar” estão no imperativo.
  • Lembre-se que não é necessário insistir na memorização da nomenclatura, mas é interessante que os alunos já se acostumem com os nomes.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Apresente aos alunos o cordel do autor cearense Bráulio Bessa, nascido em 1986, e relembre aos alunos que o cordel é um gênero que utiliza a linguagem informal e que percebemos isso por algumas palavras do texto como “pra”, “capiongo”, aperreado”.
  • Peça aos alunos que observem o pronome grifado “me” e expliquem se o uso está adequado segundo a norma padrão. Questione os alunos do porquê o autor teria utilizado um corretamente e o outro de forma incorreta. Estimule a discussão em sala.
  • Questione os alunos quais frases soam mais natural:
  • “porém nunca me senti desmotivado,” ou “ “porém nunca senti-me desmotivado,”
  • “me agarrava sempre numa mão amiga,” ou “agarrava-me sempre numa mão amiga,”
  • Faça com que os alunos percebam que na língua falada e em situações informais a ênclise “desaparece” da Língua Portuguesa e a próclise é mais comumente utilizada.
  • Possibilite aos alunos perceberem que no Brasil utiliza-se com mais frequência a próclise.
  • Peça a eles que analisem em frases com os pronomes como:
  • Explique aos alunos que a utilização da linguagem varia muito conforme o contexto e o interlocutor (pessoa com quem se fala).

desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Apresente aos alunos o cordel de outro autor cearense Patativa do Assaré, nascido em 1909 e falecido em 2002. Peça aos alunos para observarem os pronomes e relembre que o cordel é um texto que possui características regionais e por isso, faz uso da linguagem informal.
  • Questione os alunos quais frases são mais utilizadas no dia a dia.
  • “me desviando do assunto” ou “desviando-me do assunto”
  • “da história que lhe remeto,” ou ”da história que remeto-lhe”
  • Leve os alunos a perceberem que assim como no slide anterior, a primeira frase parece ser mais natural que a segunda.

desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Apresente agora aos alunos o soneto do autor português Luís de Camões, nascido em 1524 e falecido em 1580. Peça aos alunos para observarem os pronomes e relembre que o soneto é um texto que possui características clássicas e por isso faz uso de uma linguagem formal. Peça aos alunos que observem os pronomes grifados.
  • Conduza os alunos a perceberem que os autores, mesmo que de épocas diferentes, fazem uso da mesma colocação pronominal.

desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido:

Orientações:

  • Peça aos alunos que analisem cada pronome grifado e que expliquem a colocação utilizada segundo a norma padrão.
  • Solicite também que reescrevam o verso quando perceberem que a colocação foi utilizada em desacordo com a norma padrão.
  • Oriente os alunos para o preenchimento da lista, forneça ajuda e dê dicas e pistas informando que a palavras com sentido negativo e também as outras classificações de pronomes atraem os pronomes (não, nem, isso), mas não dê as respostas, estimule-os a pensar.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Oriente os alunos quanto às observações principais com relação ao uso da próclise e da ênclise. Atente-se de que a nomenclatura não é o item mais importante, mas sim reconhecer as palavras que atraem o pronome para antes ou depois do verbo.
  • Explique aos alunos que no Brasil usa-se mais a próclise por uma questão de oralidade e formação cultural, porém nos textos escritos formais é necessário seguir algumas regras específicas de colocação pronominal que nem sempre coincide com as formas que nos parecem mais natural.
  • Comente que isso acontece porque muitas dessas regras se baseiam nos pronomes átonos usados em Portugal.
  • Explique também aos alunos a questão enunciativa discursiva, ou seja, que a linguagem é sempre adequada ao contexto e que cada autor escreve conforme o grau de estudo e conhecimento que possui.
  • Chame a atenção dos alunos para o fato de que mesmo em épocas diferentes os autores utilizaram as mesmas colocações.
  • Respostas do “Concluindo”

CONCLUINDO…

Lembre-se que a enunciação discursiva é a atividade linguística do interlocutor no momento da fala e que por isso ela pode ser alterada por vários motivos como:

  • Adequação entre locutor (aquele que fala) a seu interlocutor (aquele que ouve).

  • A linguagem é influenciada pelo nível de instrução e leitura de quem fala e pelo contexto em que é utilizada.

  • Camões utilize a linguagem formal e Patativa do Assaré uma linguagem regional e mesmo assim os dois apresentaram desvios na colocação pronominal segundo a norma padrão.

  • E por último, lembre-se de que a principal função da linguagem é a comunicação, mas é muito importante conhecer o uso segundo a norma padrão, porque essa é a forma exigida em um ambiente formal de trabalho, negócios e apresentações acadêmicas.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a terceira aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é fazer com que os alunos reconheçam o uso segundo a norma padrão da colocação pronominal em trechos de cordéis e sonetos. E reconheçam também o contexto da escrita do texto evidenciando a variedade formal e informal da linguagem.

Materiais necessários: Cópia dos trechos e das perguntas apresentadas neste material.

Dificuldades antecipadas: Dificuldade com o uso dos pronomes oblíquos dentro do texto conforme a norma padrão. É interessante ter certeza de que os alunos se lembram das preposições, dos advérbios e das formas nominais para a realização da atividade.

Referências sobre o assunto:

Novíssima Gramática da Língua Portuguesa - Novo Acordo Ortográfico (Domingos Paschoal Cegalla); Moderna Gramática da Língua Portuguesa (Evanildo Bechara); Norma culta brasileira: desatando alguns nós (Carlos Alberto Faraco); Gramática Pedagógica do Português Brasileiro (Marcos Bagno).

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações:

  • Questione os alunos sobre os pronomes e sua colocação nas frases.
  • Questione sobre o pronome e a concordância verbal.
  • Caso perceba que os alunos não se lembram dos pronomes, é conveniente realizar uma revisão antes da aula, relembrando os pronomes pessoais do caso reto, oblíquo, indefinidos, demonstrativos e possessivos. Relembre também os advérbios de negação que atraem os pronomes e os verbos no infinitivo e gerúndio.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos.

Orientações:

  • Disponha os alunos em duplas ou trios. Isso facilitará a troca de informações e o preenchimento da conclusão. Permita e incentive a discussão entre os grupos.
  • Relembre com os alunos o pronome pessoal do caso reto e oblíquo.
  • Retome e relembre a importância da concordância verbal em relação aos pronomes.
  • Questione sobre exemplos de uso e em quais gêneros textuais costuma-se usar os pronomes. Caso perceba o desconhecimento dos pronomes pelos alunos, forneça pistas, como por exemplo, questionando quais são as palavras que usamos para fazer referência às pessoas do discurso além dos pronomes do caso reto.
  • Atente-se, professor, ao fato de que é necessário o conhecimento desses pronomes para a realização do exercício e, se julgar necessário, apresente a definição antes da aula.
  • Peça aos alunos que leiam a tirinha que dará pistas sobre o assunto a ser tratado e também fornecerá dicas sobre uma das utilizações do pronome, ou seja, que as palavras negativas atraem o pronome.
  • Questione os alunos sobre qual acerto a menina solicita e questione também qual seria a palavra que atrairia o pronome para perto. Dê pistas que levem o aluno a perceber o aparecimento do advérbio de negação “nunca”.
  • Leve os alunos a perceberem que, na norma padrão, o pronome oblíquo não inicia frase na Língua Portuguesa e possibilite que percebam que o verbo “abraçar” e “beijar” estão no imperativo.
  • Lembre-se que não é necessário insistir na memorização da nomenclatura, mas é interessante que os alunos já se acostumem com os nomes.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Apresente aos alunos o cordel do autor cearense Bráulio Bessa, nascido em 1986, e relembre aos alunos que o cordel é um gênero que utiliza a linguagem informal e que percebemos isso por algumas palavras do texto como “pra”, “capiongo”, aperreado”.
  • Peça aos alunos que observem o pronome grifado “me” e expliquem se o uso está adequado segundo a norma padrão. Questione os alunos do porquê o autor teria utilizado um corretamente e o outro de forma incorreta. Estimule a discussão em sala.
  • Questione os alunos quais frases soam mais natural:
  • “porém nunca me senti desmotivado,” ou “ “porém nunca senti-me desmotivado,”
  • “me agarrava sempre numa mão amiga,” ou “agarrava-me sempre numa mão amiga,”
  • Faça com que os alunos percebam que na língua falada e em situações informais a ênclise “desaparece” da Língua Portuguesa e a próclise é mais comumente utilizada.
  • Possibilite aos alunos perceberem que no Brasil utiliza-se com mais frequência a próclise.
  • Peça a eles que analisem em frases com os pronomes como:
  • Explique aos alunos que a utilização da linguagem varia muito conforme o contexto e o interlocutor (pessoa com quem se fala).
Slide Plano Aula

Orientações:

  • Apresente aos alunos o cordel de outro autor cearense Patativa do Assaré, nascido em 1909 e falecido em 2002. Peça aos alunos para observarem os pronomes e relembre que o cordel é um texto que possui características regionais e por isso, faz uso da linguagem informal.
  • Questione os alunos quais frases são mais utilizadas no dia a dia.
  • “me desviando do assunto” ou “desviando-me do assunto”
  • “da história que lhe remeto,” ou ”da história que remeto-lhe”
  • Leve os alunos a perceberem que assim como no slide anterior, a primeira frase parece ser mais natural que a segunda.
Slide Plano Aula

Orientações:

  • Apresente agora aos alunos o soneto do autor português Luís de Camões, nascido em 1524 e falecido em 1580. Peça aos alunos para observarem os pronomes e relembre que o soneto é um texto que possui características clássicas e por isso faz uso de uma linguagem formal. Peça aos alunos que observem os pronomes grifados.
  • Conduza os alunos a perceberem que os autores, mesmo que de épocas diferentes, fazem uso da mesma colocação pronominal.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido:

Orientações:

  • Peça aos alunos que analisem cada pronome grifado e que expliquem a colocação utilizada segundo a norma padrão.
  • Solicite também que reescrevam o verso quando perceberem que a colocação foi utilizada em desacordo com a norma padrão.
  • Oriente os alunos para o preenchimento da lista, forneça ajuda e dê dicas e pistas informando que a palavras com sentido negativo e também as outras classificações de pronomes atraem os pronomes (não, nem, isso), mas não dê as respostas, estimule-os a pensar.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Oriente os alunos quanto às observações principais com relação ao uso da próclise e da ênclise. Atente-se de que a nomenclatura não é o item mais importante, mas sim reconhecer as palavras que atraem o pronome para antes ou depois do verbo.
  • Explique aos alunos que no Brasil usa-se mais a próclise por uma questão de oralidade e formação cultural, porém nos textos escritos formais é necessário seguir algumas regras específicas de colocação pronominal que nem sempre coincide com as formas que nos parecem mais natural.
  • Comente que isso acontece porque muitas dessas regras se baseiam nos pronomes átonos usados em Portugal.
  • Explique também aos alunos a questão enunciativa discursiva, ou seja, que a linguagem é sempre adequada ao contexto e que cada autor escreve conforme o grau de estudo e conhecimento que possui.
  • Chame a atenção dos alunos para o fato de que mesmo em épocas diferentes os autores utilizaram as mesmas colocações.
  • Respostas do “Concluindo”

CONCLUINDO…

Lembre-se que a enunciação discursiva é a atividade linguística do interlocutor no momento da fala e que por isso ela pode ser alterada por vários motivos como:

  • Adequação entre locutor (aquele que fala) a seu interlocutor (aquele que ouve).

  • A linguagem é influenciada pelo nível de instrução e leitura de quem fala e pelo contexto em que é utilizada.

  • Camões utilize a linguagem formal e Patativa do Assaré uma linguagem regional e mesmo assim os dois apresentaram desvios na colocação pronominal segundo a norma padrão.

  • E por último, lembre-se de que a principal função da linguagem é a comunicação, mas é muito importante conhecer o uso segundo a norma padrão, porque essa é a forma exigida em um ambiente formal de trabalho, negócios e apresentações acadêmicas.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 7º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 7º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP56 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano