14003
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 6º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Criação de palavras derivadas e compostas

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 6º ano do EF sobre Criação de palavras derivadas e compostas

Plano 03 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Maria Ruth De Castro Almeida Barbosa

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a terceira aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é entender os processos de derivação e composição de palavras.

Materiais necessários:

Computador com acesso à Internet (se não tiver, pode fazer um cartaz com a definição encontrada no dicionário; não se aconselha a escrever essa definição no quadro para evitar perda de tempo).

Projetor para exibição do verbete e do exercício.

Quadro/giz.

Cronômetro (pode ser o celular ou uma ampulheta de algum jogo, que tenha a duração de 30 segundos).

Dificuldades antecipadas: Alguns alunos podem ter dificuldade na criação de palavras a partir das dicas apresentadas, sobretudo quando essas palavras sofrem alteração na escrita (composição); motivo pelo qual é importante que a atividade de desenvolvimento seja feita em dupla e que o professor ande pela sala, acompanhando e auxiliando o trabalho.

Referências sobre o assunto:

Prefixos e sufixos gregos e latinos: uma proposta de ensino. Camilla Timm e Lúcia Sá Rabelo. Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/60667/000861827.pdf>. Acesso em: 20 out. 2018.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 03 minutos

Orientações: Diga: “Quase sempre falamos palavras que já existem no dicionário. “Cripalavras” é uma palavra que não existe no dicionário. O que será que ela significa? (Criar palavras, criando palavras.) Hoje, vamos criar novas palavras, que não existem no dicionário. Será que se elas existissem no dicionário, as pessoas, em geral, iriam usá-las?” (Trata-se de uma pergunta retórica, portanto, não há necessidade de esperar e/ou discutir possíveis respostas.)

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 07 minutos

Orientações:

  • Diga que as atividades de hoje têm o objetivo de fixar conhecimentos sobre palavras derivadas e compostas.
  • Pergunte se já ouviram falar na palavra “neologismo” ou “neologia” e se sabem o significado desses termos. (Caso alguém saiba, irá se manifestar. Não é necessário discutir a resposta, pois a sequência da atividade permitirá confirmá-la ou não.)
  • Diga que verão, pelo projetor, o que o dicionário traz sobre essas palavras.
  • Exiba pelo projetor os verbetes “neologismo” e “neologia”. (http://www.aulete.com.br/neologismo e http://www.aulete.com.br/neologia)
  • Peça a um aluno que leia primeiro o verbete “neologismo”; mostre que deriva de “neologia” e, por isso, que leia também o segundo verbete.
  • Pergunte à turma se as definições dadas pelo dicionário são as mesmas que foram faladas anteriormente.
  • Diga para prestarem atenção aos verbetes e pergunte, primeiramente, de quais palavras foi formada “neologismo”? (De “neologia” + sufixo “-ismo”.) Prossiga, questionando, desta vez, sobre como foi formada a palavra “neologia”? (De “neo-” + “-logia”).
  • Motive a turma, dizendo como é interessante perceber que a palavra “neologia” foi formada de um prefixo (neo-) e um sufixo (-logia). Pergunte aos alunos o que será que eles significam. Depois de ouvir algumas respostas, conclua que “neo-” é um prefixo que significa “novo”. Explique que é por isso que chamamos quem mora na Nova Zelândia de neozelandês. E “-logia” é um sufixo que significa estudo, como em “biologia”. Deixe claro que a palavra não significa o “estudo do novo”, mas a criação de novas palavras, e que é isso o que será feito na aula. Esclareça que é um recurso interessante, porque, quando criamos palavras com prefixos e sufixos, ou mesmo juntando duas palavras, estamos economizando em nossa língua e, ao mesmo tempo, nomeando novas coisas e estabelecendo a comunicação. Diga que é como se fosse um reaproveitamento, como a gente faz com recicláveis.

Materiais complementares: computador com acesso à Internet . (http://www.aulete.com.br/neologismo e http://www.aulete.com.br/neologia ) Projetor. (Caso não tenha, transcreva o conteúdo do slide preferencialmente em um cartaz (a escrita no quadro poderia gastar muito tempo, e este planejamento não prevê isso.)

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Peça aos alunos que se organizem em duplas. Essa organização é importante porque o exercício solicita que os estudantes criem, e o fato de eles estarem em dupla os ajudará nessa criação de neologismos. Veja que, como se trata de um exercício de criação e alguns alunos não têm essa habilidade tão bem desenvolvida, é importante que você,professor, já tenha definido antecipadamente as duplas, colocando alunos criativos com outros menos criativos, mas sem tanto distanciamento, a fim de que, também, uma criança não faça o trabalho pela outra.
  • Exiba o slide acima, com os exercícios propostos. As orientações podem estar também em um cartaz ou em uma folha que será entregue para os alunos. Recomenda-se não transcrever o exercício no quadro para não se perder tempo.
  • Leia o enunciado da questão 1, incluindo o exemplo. Certifique-se de que entenderam, perguntando, por exemplo, “Se eu dissesse que tem gente que não gosta dessa “aularia” todo o dia, o que eu estaria dizendo?” Aguardar a resposta. (“Esse tanto de aula.”; “Esse monte de aula.”)
  • Peça, então, que façam os exercícios. Diga que não irá explicar o de número 2, por ser mais fácil, já que ele apresenta as palavras que serão usadas.
  • Dê tempo para que os alunos façam as atividades (cerca de 20 minutos).
  • Enquanto os alunos fazem os exercícios, ande pela sala, observando como eles reagem diante da proposta, se têm dificuldade, se estão usando, adequadamente, os prefixos e os sufixos citados. Caso seja necessário, faça intervenções, levando os alunos a refletirem sobre suas respostas, com perguntas do tipo: “Em que outra palavra que vocês conhecem que tem esse prefixo (ou sufixo)? O que ela significa? Que ideia esse ‘pedacinho’ deu à nova palavra? E à palavra que vocês criaram?”
  • Faça a socialização das respostas, perguntando a cada dupla, as palavras formadas. Vá anotando as palavras no quadro. Peça aos demais alunos que acompanhem, conferindo se formaram palavras iguais, dizendo-lhes que, caso isso tenha acontecido, que não precisam falar a palavra novamente.
  • Em caso de surgimento de palavras em que o uso do prefixo ou sufixo não esteja de acordo com o significado, problematize a situação, levando a turma a pensar sobre o fato. Por exemplo, criou-se a palavra “cadeirinho” para falar de uma cadeira pequena. Se isso acontecer, pergunte a toda a turma se essa palavra poderia existir e por quê (Não! Porque ‘cadeira” é uma palavra feminina, então deveria ser ‘cadeirinha’. Continue, perguntando, por exemplo, se, sendo “cadeirinha” poderia se dizer que essa palavra é um neologismo. (Não, porque ela já existe.) Veja, professor, que várias palavras podem ser criadas, já que não foi dado o radical para os alunos, motivo pelo qual não há, aqui, um gabarito da resposta.
  • Sugestões de respostas para o exercício 2: lapovo - lápis novo (observação: por analogia com o termo “neologismo”, estudado anteriormente, pode ser que algum aluno pense em “neolápis”; caso isso aconteça, o professor deve aceitar a possibilidade); exercício-família - um exercício grande, ou para toda a família, ou do tamanho de uma família; come-livro: aquele que “devora” os livros, lê muito; aula-prima: primeira aula.
  • Caso perceba que os alunos ficaram empolgados com a atividade e que queiram criar outras palavras, sugira que façam isso como atividade extraclasse. Outra atividade interessante, que não será feita nesta aula, devido ao tempo previsto para a realização das já propostas, é a criação de um dicionário da turma. As palavras listadas e outras que seriam feitas de tarefa comporiam tal dicionário que seria exposto na biblioteca da escola ou divulgado nas redes sociais da instituição.

Materiais complementares: Projetor para exibição do slide ou exercícios em folha. Caso opte pela primeira sugestão, os alunos deverão usar os cadernos para registrar as respostas. Quadro para registro das respostas dadas pelos alunos.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Exiba o slide acima ou transcreva seus dizeres no quadro. (A formação dos alunos em dupla deverá continuar, a fim de que os pares discutam a resposta, antes de registrá-la.)
  • Dê tempo para a execução da atividade proposta (5 minutos).
  • Faça a correção, pedindo a alguém para ler a resposta. (Os neologismos não são criados ao acaso, mas por semelhança com palavras já inventadas e por processos de composição ou derivação.) Caso a resposta não seja adequada, vá escutando outros alunos, até chegar a uma resposta que se assemelhe à sugerida. Se necessário, faça intervenções partindo de exemplos já trabalhados na própria aula.

Materiais complementares: computador e projetor ou quadro e giz.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a terceira aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é entender os processos de derivação e composição de palavras.

Materiais necessários:

Computador com acesso à Internet (se não tiver, pode fazer um cartaz com a definição encontrada no dicionário; não se aconselha a escrever essa definição no quadro para evitar perda de tempo).

Projetor para exibição do verbete e do exercício.

Quadro/giz.

Cronômetro (pode ser o celular ou uma ampulheta de algum jogo, que tenha a duração de 30 segundos).

Dificuldades antecipadas: Alguns alunos podem ter dificuldade na criação de palavras a partir das dicas apresentadas, sobretudo quando essas palavras sofrem alteração na escrita (composição); motivo pelo qual é importante que a atividade de desenvolvimento seja feita em dupla e que o professor ande pela sala, acompanhando e auxiliando o trabalho.

Referências sobre o assunto:

Prefixos e sufixos gregos e latinos: uma proposta de ensino. Camilla Timm e Lúcia Sá Rabelo. Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/60667/000861827.pdf>. Acesso em: 20 out. 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 03 minutos

Orientações: Diga: “Quase sempre falamos palavras que já existem no dicionário. “Cripalavras” é uma palavra que não existe no dicionário. O que será que ela significa? (Criar palavras, criando palavras.) Hoje, vamos criar novas palavras, que não existem no dicionário. Será que se elas existissem no dicionário, as pessoas, em geral, iriam usá-las?” (Trata-se de uma pergunta retórica, portanto, não há necessidade de esperar e/ou discutir possíveis respostas.)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 07 minutos

Orientações:

  • Diga que as atividades de hoje têm o objetivo de fixar conhecimentos sobre palavras derivadas e compostas.
  • Pergunte se já ouviram falar na palavra “neologismo” ou “neologia” e se sabem o significado desses termos. (Caso alguém saiba, irá se manifestar. Não é necessário discutir a resposta, pois a sequência da atividade permitirá confirmá-la ou não.)
  • Diga que verão, pelo projetor, o que o dicionário traz sobre essas palavras.
  • Exiba pelo projetor os verbetes “neologismo” e “neologia”. (http://www.aulete.com.br/neologismo e http://www.aulete.com.br/neologia)
  • Peça a um aluno que leia primeiro o verbete “neologismo”; mostre que deriva de “neologia” e, por isso, que leia também o segundo verbete.
  • Pergunte à turma se as definições dadas pelo dicionário são as mesmas que foram faladas anteriormente.
  • Diga para prestarem atenção aos verbetes e pergunte, primeiramente, de quais palavras foi formada “neologismo”? (De “neologia” + sufixo “-ismo”.) Prossiga, questionando, desta vez, sobre como foi formada a palavra “neologia”? (De “neo-” + “-logia”).
  • Motive a turma, dizendo como é interessante perceber que a palavra “neologia” foi formada de um prefixo (neo-) e um sufixo (-logia). Pergunte aos alunos o que será que eles significam. Depois de ouvir algumas respostas, conclua que “neo-” é um prefixo que significa “novo”. Explique que é por isso que chamamos quem mora na Nova Zelândia de neozelandês. E “-logia” é um sufixo que significa estudo, como em “biologia”. Deixe claro que a palavra não significa o “estudo do novo”, mas a criação de novas palavras, e que é isso o que será feito na aula. Esclareça que é um recurso interessante, porque, quando criamos palavras com prefixos e sufixos, ou mesmo juntando duas palavras, estamos economizando em nossa língua e, ao mesmo tempo, nomeando novas coisas e estabelecendo a comunicação. Diga que é como se fosse um reaproveitamento, como a gente faz com recicláveis.

Materiais complementares: computador com acesso à Internet . (http://www.aulete.com.br/neologismo e http://www.aulete.com.br/neologia ) Projetor. (Caso não tenha, transcreva o conteúdo do slide preferencialmente em um cartaz (a escrita no quadro poderia gastar muito tempo, e este planejamento não prevê isso.)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Peça aos alunos que se organizem em duplas. Essa organização é importante porque o exercício solicita que os estudantes criem, e o fato de eles estarem em dupla os ajudará nessa criação de neologismos. Veja que, como se trata de um exercício de criação e alguns alunos não têm essa habilidade tão bem desenvolvida, é importante que você,professor, já tenha definido antecipadamente as duplas, colocando alunos criativos com outros menos criativos, mas sem tanto distanciamento, a fim de que, também, uma criança não faça o trabalho pela outra.
  • Exiba o slide acima, com os exercícios propostos. As orientações podem estar também em um cartaz ou em uma folha que será entregue para os alunos. Recomenda-se não transcrever o exercício no quadro para não se perder tempo.
  • Leia o enunciado da questão 1, incluindo o exemplo. Certifique-se de que entenderam, perguntando, por exemplo, “Se eu dissesse que tem gente que não gosta dessa “aularia” todo o dia, o que eu estaria dizendo?” Aguardar a resposta. (“Esse tanto de aula.”; “Esse monte de aula.”)
  • Peça, então, que façam os exercícios. Diga que não irá explicar o de número 2, por ser mais fácil, já que ele apresenta as palavras que serão usadas.
  • Dê tempo para que os alunos façam as atividades (cerca de 20 minutos).
  • Enquanto os alunos fazem os exercícios, ande pela sala, observando como eles reagem diante da proposta, se têm dificuldade, se estão usando, adequadamente, os prefixos e os sufixos citados. Caso seja necessário, faça intervenções, levando os alunos a refletirem sobre suas respostas, com perguntas do tipo: “Em que outra palavra que vocês conhecem que tem esse prefixo (ou sufixo)? O que ela significa? Que ideia esse ‘pedacinho’ deu à nova palavra? E à palavra que vocês criaram?”
  • Faça a socialização das respostas, perguntando a cada dupla, as palavras formadas. Vá anotando as palavras no quadro. Peça aos demais alunos que acompanhem, conferindo se formaram palavras iguais, dizendo-lhes que, caso isso tenha acontecido, que não precisam falar a palavra novamente.
  • Em caso de surgimento de palavras em que o uso do prefixo ou sufixo não esteja de acordo com o significado, problematize a situação, levando a turma a pensar sobre o fato. Por exemplo, criou-se a palavra “cadeirinho” para falar de uma cadeira pequena. Se isso acontecer, pergunte a toda a turma se essa palavra poderia existir e por quê (Não! Porque ‘cadeira” é uma palavra feminina, então deveria ser ‘cadeirinha’. Continue, perguntando, por exemplo, se, sendo “cadeirinha” poderia se dizer que essa palavra é um neologismo. (Não, porque ela já existe.) Veja, professor, que várias palavras podem ser criadas, já que não foi dado o radical para os alunos, motivo pelo qual não há, aqui, um gabarito da resposta.
  • Sugestões de respostas para o exercício 2: lapovo - lápis novo (observação: por analogia com o termo “neologismo”, estudado anteriormente, pode ser que algum aluno pense em “neolápis”; caso isso aconteça, o professor deve aceitar a possibilidade); exercício-família - um exercício grande, ou para toda a família, ou do tamanho de uma família; come-livro: aquele que “devora” os livros, lê muito; aula-prima: primeira aula.
  • Caso perceba que os alunos ficaram empolgados com a atividade e que queiram criar outras palavras, sugira que façam isso como atividade extraclasse. Outra atividade interessante, que não será feita nesta aula, devido ao tempo previsto para a realização das já propostas, é a criação de um dicionário da turma. As palavras listadas e outras que seriam feitas de tarefa comporiam tal dicionário que seria exposto na biblioteca da escola ou divulgado nas redes sociais da instituição.

Materiais complementares: Projetor para exibição do slide ou exercícios em folha. Caso opte pela primeira sugestão, os alunos deverão usar os cadernos para registrar as respostas. Quadro para registro das respostas dadas pelos alunos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Exiba o slide acima ou transcreva seus dizeres no quadro. (A formação dos alunos em dupla deverá continuar, a fim de que os pares discutam a resposta, antes de registrá-la.)
  • Dê tempo para a execução da atividade proposta (5 minutos).
  • Faça a correção, pedindo a alguém para ler a resposta. (Os neologismos não são criados ao acaso, mas por semelhança com palavras já inventadas e por processos de composição ou derivação.) Caso a resposta não seja adequada, vá escutando outros alunos, até chegar a uma resposta que se assemelhe à sugerida. Se necessário, faça intervenções partindo de exemplos já trabalhados na própria aula.

Materiais complementares: computador e projetor ou quadro e giz.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 6º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 6º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF67LP35 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano