13996
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 6º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Comparando exposições orais

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 6º ano do EF sobre Comparando exposições orais

Plano 05 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Louise Arosa Prol Otero

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é quinta aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero anotação/exposição oral no campo de atuação das práticas de estudo e pesquisa. A aula faz parte do módulo de análise linguística e semiótica.

Para contextualizar o ensino da exposição oral como gênero textual que circula no campo das práticas de estudo e pesquisa, esta sequência de 15 planos de aula pode ser usada no desenvolvimento de um projeto de pesquisa e divulgação científica. Nestas aulas, sugerimos textos da área de Arqueologia, mas você poderá modificar o tema, escolhendo novos textos.

Materiais necessários:

Material para anotar (caderno), computador, acesso à internet e amplificador de áudio.

Para esta aula, sugerimos a comparação entre estes dois vídeos: vídeo 1, TEDxSãoSebastião, Arqueologia e Paradigmas, Wagner Bornal, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4PUIlvR2PB4, acessado em 5 de setembro de 2018; e vídeo 2: O Segredo de Sambaqui, Gabriela Oppitz. Disponível em https://www.youtube.com/watch?time_continue=135&v=ebOMgWPgV7A, acessado em 5 de setembro de 2018. Caso você não tenha usado o plano de aula 4, acesse o plano para assistir ao vídeo 1 com sua turma.

Informações sobre o gênero:

A exposição oral é um gênero textual público que circula no campo das práticas de estudo e pesquisa. Quanto à estrutura composicional do gênero, a exposição oral é um texto monologado, apresentado por um orador para uma plateia, com o objetivo de transmitir informações, descrever e explicar um tema ou pesquisa, sobre o qual o orador é um especialista. Quanto ao estilo, a exposição oral é formal e organiza-se a partir da seleção de informações e organização de idéias principais e secundárias. A exposição pode ser organizada em uma fase de abertura, introdução ao tema, apresentação do plano da exposição, desenvolvimento, conclusão e encerramento da exposição oral.

Dificuldades antecipadas:

Os alunos poderão apresentar dificuldade de retextualização de uma exposição oral para produzir o roteiro de tópicos que serve de apoio à apresentação. No 6o ano, é possível que os alunos tenham pouca autonomia para ouvir uma exposição qravada em vídeo sobre um tema de divulgação científica para identificar as informações principais, selecionar palavras-chave, transcrever, parafrasear e retextualizar as informações principais em forma de tópicos.

Referências sobre o assunto:

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. e colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. São Paulo: Mercado de Letras, 2004.

MARCUSCHI, L. A. (2001) Da fala para a escrita- atividades de retextualização. 2ª. Ed. São Paulo: Cortez.

Linguagens e códigos ”Práticas e gêneros orais na escola”. Disponível em:

<https://midia.atp.usp.br/impressos/redefor/GestaoCoordenadores/GCVC_LiCo_2011_2012/GCVCLico_v2_Tema3.pdf>. Acesso em: 29 ago. 2018.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Apresente aos alunos o tema da aula. Explique a eles que esta é uma aula de exercitação da estrutura composicional do gênero exposição oral.
  • Para esta aula, sugerimos a comparação entre estes dois vídeos: vídeo 1, TEDxSãoSebastião, Arqueologia e Paradigmas, Wagner Bornal, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4PUIlvR2PB4, acessado em 5 de setembro de 2018; e vídeo 2: O Segredo de Sambaqui, Gabriela Oppitz. Disponível em https://www.youtube.com/watch?time_continue=135&v=ebOMgWPgV7A, acessado em 5 de setembro de 2018. Caso você não tenha usado o plano de aula 4, acesse o plano para assistir ao video 1 com sua turma.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Organize a turma em duplas ou trios para uma aula de comparação entre duas exposições orais.
  • Explique aos alunos que eles vão comparar duas exposições orais gravadas em vídeo, com o objetivo de continuar estudando a estrutura composicional do gênero.
  • Pergunte aos alunos: Vocês se lembram da primeira exposição oral a que assistimos? Como o expositor tinha preparado (e se preparado) a exposição oral? Lembram-se da estrutura composicional do gênero exposição oral? Quais informações são apresentadas na abertura e no encerramento de uma exposição?
  • Caso você, professor, não tenha apresentado o vídeo deste slide, a exposição oral TEDx SãoSebastião, trabalhe o plano de aula 4 ou faça a exibição do vídeo antes desta aula. Acesse o vídeo: TEDxSãoSebastião, Arqueologia e Paradigmas, Wagner Bornal, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4PUIlvR2PB4 Acesso em 5 de setembro de 2018.

Material complementar:

Acesse o Plano de aula 4 desta sequência.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Apresente a nova exposição aos alunos. Mostre a imagem do slide e a legenda. Apresente o nome da expositora e chame a atenção para a paisagem que há atrás dela.
  • Pergunte aos alunos: Onde ela está? Vocês acham que esta exposição oral foi planejada da mesma forma que a exposição feita para o TEDx São Sebastião, a que assistimos na aula anterior? Por quê?
  • Faça a primeira exibição do vídeo “O segredo do Sambaqui”, de Gabriela Opptiz, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4PUIlvR2PB4, acesso em 05 de setembro de 2018. Peça que eles façam anotações rápidas a respeito da abertura e do fechamento da exposição oral para comparar o vídeo desta aula com o vídeo da aula anterior.
  • Depois de exibir o segundo vídeo desta comparação, peça aos alunos que troquem ideias em grupo para descobrir quais são as semelhanças e diferenças entre as duas exposições.
  • Observe, professor, que esta exposição foi gravada em campo, em uma paisagem de sambaquis. A arqueóloga Gabriela Oppitz não usa slides, mas ela aponta para elementos da paisagem à medida em que expõe o tema. A exposição oral não foi feita diante de um público em uma sala de conferências, mas gravada por vídeo em campo.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: continuação

Orientações:

  • Oriente os alunos a analisar a abertura e o encerramento do segundo elemento da comparação. Incentive-os a usar o esquema do slide para analisar estes trechos no vídeo.
  • Reapresente o vídeo para que os alunos possam analisar a exposição. Circule entre os grupos para motivá-los a fazer a análise da abertura e do encerramento. Desafie os alunos, pergunte a eles: Vocês perceberam que há uma vinheta, com música e texto, no início e no final da exposição? Para que serve a vinheta?
  • Depois de responder à pergunta do slide, peça que dois ou três alunos compartilhem as conclusões de seu grupo sobre como é feita a abertura e o encerramento da exposição.
  • Note bem, professor, que a abertura desta exposição em vídeo não é feita da mesma forma que a abertura de uma exposição oral feita para um público presente em uma sala de conferência. Observe que a abertura não apresenta saudação. A apresentação do expositor é feita por um letreiro que indica seu nome e formação profissional. A identificação do espaço em que ocorre a exposição é feita por um texto escrito: “Sambaqui Ponta das Canas, Florianópolis” e pela expositora: “estamos aqui no alto de um sambaqui”. Por fim, o anúncio do tema é introduzido por “a primeira coisa a dizer sobre este sambaqui”, logo no início do vídeo. No encerramento, não há agradecimento ou despedida. Como a exposição oral não foi feita diante de um público em uma sala de conferências, mas gravada por vídeo em campo para integrar uma reportagem sobre o sambaqui de Miembipe, a abertura é feita com recursos de vídeo: uma vinheta com o texto “Miembipe - O Segredo do Sambaqui” e o logotipo do grupo que produziu a uma entrevista com a arqueóloga Gabriela Oppitz, em que ela faz a exposição oral a que vocês acabaram de assistir. O encerramento também é feito com a mesma vinheta da introdução. Além disso, a exposição em vídeo é editada, ou seja, apresenta cortes em alguns trechos. Esses cortes organizam a exposição em introdução, desenvolvimento e conclusão.
  • Observe que, quanto ao primeiro elemento desta comparação, o vídeo “Arqueologia e Paradigmas”, de Wagner Bornal, a estrutura da exposição oral é diferente, pois o expositor está de frente para o público e tem apenas 10 minutos para fazer a exposição. Essa diferença de contexto de produção da exposição oral influencia na sua estrutura. Na conferência TEDx, o nome do expositor é apresentado ao público por um letreiro no vídeo. Mas o expositor também se apresenta ao narrar sua história pessoal, desde a infância, o início da carreira profissional, até começar a desenvolver a pesquisa que está apresentada na conferência. Ele identifica o espaço em que ocorre a exposição ao agradecer à cidade de São Sebastião por tê-lo acolhido e conta que trabalha na região desde que descobriu o sítio arqueológico. Uma das formas possíveis de compreender que a exposição está chegando ao final é o momento em que o expositor diz “Eu aprendi uma grande lição”. Por fim, ele encerra a exposição, dizendo “muito obrigado” ao público.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: continuação

Orientações:

  • Leia o slide para os alunos. Peça que eles troquem ideias em grupo e escrevam uma abertura e um encerramento que poderiam servir para adequar esta mesma exposição para um contexto de exposição para uma audiência presente em uma sala de conferência. Oriente-os a seguir o roteiro: saudação, apresentação do expositor, identificação do espaço em que acontece a exposição e anúncio do tema.
  • Oriente-os a inventar informações que eles não saibam (por exemplo, o local da conferência que está sendo imaginada nesta atividade).

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos

Orientações:

  • Peça para dois alunos apresentarem as ideias de abertura e encerramento planejados em grupo para adequar a exposição em vídeo para uma exposição em uma sala de conferência com um público presente.
  • Depois de ouvir as apresentações dos aluno, peça que a turma comente e compare as ideias apresentadas.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é quinta aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero anotação/exposição oral no campo de atuação das práticas de estudo e pesquisa. A aula faz parte do módulo de análise linguística e semiótica.

Para contextualizar o ensino da exposição oral como gênero textual que circula no campo das práticas de estudo e pesquisa, esta sequência de 15 planos de aula pode ser usada no desenvolvimento de um projeto de pesquisa e divulgação científica. Nestas aulas, sugerimos textos da área de Arqueologia, mas você poderá modificar o tema, escolhendo novos textos.

Materiais necessários:

Material para anotar (caderno), computador, acesso à internet e amplificador de áudio.

Para esta aula, sugerimos a comparação entre estes dois vídeos: vídeo 1, TEDxSãoSebastião, Arqueologia e Paradigmas, Wagner Bornal, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4PUIlvR2PB4, acessado em 5 de setembro de 2018; e vídeo 2: O Segredo de Sambaqui, Gabriela Oppitz. Disponível em https://www.youtube.com/watch?time_continue=135&v=ebOMgWPgV7A, acessado em 5 de setembro de 2018. Caso você não tenha usado o plano de aula 4, acesse o plano para assistir ao vídeo 1 com sua turma.

Informações sobre o gênero:

A exposição oral é um gênero textual público que circula no campo das práticas de estudo e pesquisa. Quanto à estrutura composicional do gênero, a exposição oral é um texto monologado, apresentado por um orador para uma plateia, com o objetivo de transmitir informações, descrever e explicar um tema ou pesquisa, sobre o qual o orador é um especialista. Quanto ao estilo, a exposição oral é formal e organiza-se a partir da seleção de informações e organização de idéias principais e secundárias. A exposição pode ser organizada em uma fase de abertura, introdução ao tema, apresentação do plano da exposição, desenvolvimento, conclusão e encerramento da exposição oral.

Dificuldades antecipadas:

Os alunos poderão apresentar dificuldade de retextualização de uma exposição oral para produzir o roteiro de tópicos que serve de apoio à apresentação. No 6o ano, é possível que os alunos tenham pouca autonomia para ouvir uma exposição qravada em vídeo sobre um tema de divulgação científica para identificar as informações principais, selecionar palavras-chave, transcrever, parafrasear e retextualizar as informações principais em forma de tópicos.

Referências sobre o assunto:

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. e colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. São Paulo: Mercado de Letras, 2004.

MARCUSCHI, L. A. (2001) Da fala para a escrita- atividades de retextualização. 2ª. Ed. São Paulo: Cortez.

Linguagens e códigos ”Práticas e gêneros orais na escola”. Disponível em:

<https://midia.atp.usp.br/impressos/redefor/GestaoCoordenadores/GCVC_LiCo_2011_2012/GCVCLico_v2_Tema3.pdf>. Acesso em: 29 ago. 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Apresente aos alunos o tema da aula. Explique a eles que esta é uma aula de exercitação da estrutura composicional do gênero exposição oral.
  • Para esta aula, sugerimos a comparação entre estes dois vídeos: vídeo 1, TEDxSãoSebastião, Arqueologia e Paradigmas, Wagner Bornal, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4PUIlvR2PB4, acessado em 5 de setembro de 2018; e vídeo 2: O Segredo de Sambaqui, Gabriela Oppitz. Disponível em https://www.youtube.com/watch?time_continue=135&v=ebOMgWPgV7A, acessado em 5 de setembro de 2018. Caso você não tenha usado o plano de aula 4, acesse o plano para assistir ao video 1 com sua turma.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Organize a turma em duplas ou trios para uma aula de comparação entre duas exposições orais.
  • Explique aos alunos que eles vão comparar duas exposições orais gravadas em vídeo, com o objetivo de continuar estudando a estrutura composicional do gênero.
  • Pergunte aos alunos: Vocês se lembram da primeira exposição oral a que assistimos? Como o expositor tinha preparado (e se preparado) a exposição oral? Lembram-se da estrutura composicional do gênero exposição oral? Quais informações são apresentadas na abertura e no encerramento de uma exposição?
  • Caso você, professor, não tenha apresentado o vídeo deste slide, a exposição oral TEDx SãoSebastião, trabalhe o plano de aula 4 ou faça a exibição do vídeo antes desta aula. Acesse o vídeo: TEDxSãoSebastião, Arqueologia e Paradigmas, Wagner Bornal, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4PUIlvR2PB4 Acesso em 5 de setembro de 2018.

Material complementar:

Acesse o Plano de aula 4 desta sequência.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Apresente a nova exposição aos alunos. Mostre a imagem do slide e a legenda. Apresente o nome da expositora e chame a atenção para a paisagem que há atrás dela.
  • Pergunte aos alunos: Onde ela está? Vocês acham que esta exposição oral foi planejada da mesma forma que a exposição feita para o TEDx São Sebastião, a que assistimos na aula anterior? Por quê?
  • Faça a primeira exibição do vídeo “O segredo do Sambaqui”, de Gabriela Opptiz, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4PUIlvR2PB4, acesso em 05 de setembro de 2018. Peça que eles façam anotações rápidas a respeito da abertura e do fechamento da exposição oral para comparar o vídeo desta aula com o vídeo da aula anterior.
  • Depois de exibir o segundo vídeo desta comparação, peça aos alunos que troquem ideias em grupo para descobrir quais são as semelhanças e diferenças entre as duas exposições.
  • Observe, professor, que esta exposição foi gravada em campo, em uma paisagem de sambaquis. A arqueóloga Gabriela Oppitz não usa slides, mas ela aponta para elementos da paisagem à medida em que expõe o tema. A exposição oral não foi feita diante de um público em uma sala de conferências, mas gravada por vídeo em campo.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: continuação

Orientações:

  • Oriente os alunos a analisar a abertura e o encerramento do segundo elemento da comparação. Incentive-os a usar o esquema do slide para analisar estes trechos no vídeo.
  • Reapresente o vídeo para que os alunos possam analisar a exposição. Circule entre os grupos para motivá-los a fazer a análise da abertura e do encerramento. Desafie os alunos, pergunte a eles: Vocês perceberam que há uma vinheta, com música e texto, no início e no final da exposição? Para que serve a vinheta?
  • Depois de responder à pergunta do slide, peça que dois ou três alunos compartilhem as conclusões de seu grupo sobre como é feita a abertura e o encerramento da exposição.
  • Note bem, professor, que a abertura desta exposição em vídeo não é feita da mesma forma que a abertura de uma exposição oral feita para um público presente em uma sala de conferência. Observe que a abertura não apresenta saudação. A apresentação do expositor é feita por um letreiro que indica seu nome e formação profissional. A identificação do espaço em que ocorre a exposição é feita por um texto escrito: “Sambaqui Ponta das Canas, Florianópolis” e pela expositora: “estamos aqui no alto de um sambaqui”. Por fim, o anúncio do tema é introduzido por “a primeira coisa a dizer sobre este sambaqui”, logo no início do vídeo. No encerramento, não há agradecimento ou despedida. Como a exposição oral não foi feita diante de um público em uma sala de conferências, mas gravada por vídeo em campo para integrar uma reportagem sobre o sambaqui de Miembipe, a abertura é feita com recursos de vídeo: uma vinheta com o texto “Miembipe - O Segredo do Sambaqui” e o logotipo do grupo que produziu a uma entrevista com a arqueóloga Gabriela Oppitz, em que ela faz a exposição oral a que vocês acabaram de assistir. O encerramento também é feito com a mesma vinheta da introdução. Além disso, a exposição em vídeo é editada, ou seja, apresenta cortes em alguns trechos. Esses cortes organizam a exposição em introdução, desenvolvimento e conclusão.
  • Observe que, quanto ao primeiro elemento desta comparação, o vídeo “Arqueologia e Paradigmas”, de Wagner Bornal, a estrutura da exposição oral é diferente, pois o expositor está de frente para o público e tem apenas 10 minutos para fazer a exposição. Essa diferença de contexto de produção da exposição oral influencia na sua estrutura. Na conferência TEDx, o nome do expositor é apresentado ao público por um letreiro no vídeo. Mas o expositor também se apresenta ao narrar sua história pessoal, desde a infância, o início da carreira profissional, até começar a desenvolver a pesquisa que está apresentada na conferência. Ele identifica o espaço em que ocorre a exposição ao agradecer à cidade de São Sebastião por tê-lo acolhido e conta que trabalha na região desde que descobriu o sítio arqueológico. Uma das formas possíveis de compreender que a exposição está chegando ao final é o momento em que o expositor diz “Eu aprendi uma grande lição”. Por fim, ele encerra a exposição, dizendo “muito obrigado” ao público.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: continuação

Orientações:

  • Leia o slide para os alunos. Peça que eles troquem ideias em grupo e escrevam uma abertura e um encerramento que poderiam servir para adequar esta mesma exposição para um contexto de exposição para uma audiência presente em uma sala de conferência. Oriente-os a seguir o roteiro: saudação, apresentação do expositor, identificação do espaço em que acontece a exposição e anúncio do tema.
  • Oriente-os a inventar informações que eles não saibam (por exemplo, o local da conferência que está sendo imaginada nesta atividade).
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos

Orientações:

  • Peça para dois alunos apresentarem as ideias de abertura e encerramento planejados em grupo para adequar a exposição em vídeo para uma exposição em uma sala de conferência com um público presente.
  • Depois de ouvir as apresentações dos aluno, peça que a turma comente e compare as ideias apresentadas.
Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 6º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 6º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF67LP25 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP40 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano