13952
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 4º ano > Oralidade

Plano de aula - Minisseminários

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 4º ano do Ensino Fundamental sobre a prática de gêneros orais.

Plano 01 de 1 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ana Pena

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é uma proposta de atividade permanente para trabalhar minisseminários. O campo de atuação priorizado nesta atividade é a Oralidade, marcada por um viés investigativo e utilizando gêneros textuais do campo investigativo, não o tema em si.

Justificativa: A prática de ensino pautada em gêneros orais é, ainda, uma realidade distante dos ambientes escolares. Pensar a oralidade é aproximar as aulas das práticas sociais vigentes. Sob esta perspectiva, espera-se promover ações que se voltem para a busca da autonomia do estudante, por meio de pesquisa, produção, comunicação e participação coletiva, primando pelo campo investigativo, por meio da indagação e da busca. Acresce-se que, apesar de o foco estar sobre o gênero oral, considera-se para esta idade a necessidade de consolidação da base alfabética, ortográfica e algumas normas da gramática. Junto a estas demandas, é preciso letrar as crianças para trabalhar com os gêneros semióticos, analisando cor, imagem, números, tipos de letra e a união da linguagem verbal
e não verbal, misturam-se e produzem sentido.

Materiais necessários: Cartolina, pincéis, giz de cera, folhas de papel, cola, revistas para recorte.

Dificuldades antecipadas: Neste ano de escolarização, ainda há ênfase sobre a construção da base alfabética, mas também começa o trabalho de construção no campo da sintaxe, com aquisição de regras normativas apropriadas à idade. O universo da criança ainda é muito concreto, e lidar com textos semióticos pode gerar dificuldade, dado o nível de abstração que estes textos exigem para sua interpretação.

Referências sobre o assunto:

DONDIS, A. Donis. Sintaxe da Linguagem Visual. São Paulo: Martins Fontes, 2003. Disponível em: <http://www3.uma.pt/dmfe/DONDIS_Sintaxe_da_Linguagem_Visual.pdf>. Acesso em: 23 nov. 2018.

MADEIRA, Ana Maria Gini; MARTINS, Ana Lúcia M. R. Poltronieri. Uma abordagem semiótico-discursiva em gênero mesclado. In: Simpósio Internacional de Ensino da Língua Portuguesa. (SIELP), Anais vol. 2, nº 1. Uberlândia: EDUFU, 2012. Disponível em: <http://www.ileel.ufu.br/anaisdosielp/wp-content/uploads/2014/07/volume_2_artigo_230.pdf>. Acesso em: 23 nov. de 2018.

PRETTO, Nelson De Luca. Uma escola sem/com futuro: educação e multimídia. Campinas: Papirus, 1996. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/15033/1/escola-sem-com-futuro_RI.pdf>. Acesso em: 23 nov. de 2018.

SELVA, Ana Coelho Vieira. Crianças na educação infantil na exploração de gráficos de barra. Disponível em: <http://27reuniao.anped.org.br/gt19/p191.pdf>. Acesso em: 23 nov. de 2018.

VIEIRA, Ana Regina Ferraz. Seminário escolar. In: Diversidade textual: propostas para a sala de aula. Recife, MEC/CEEL, 2008. pp. 275 – 290. Disponível em: <http://www.serdigital.com.br/gerenciador/clientes/ceel/arquivos/35.pdf> Acesso em: 23 nov. de 2018.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações:

Preparação: Considerando como objeto da aula o minisseminário, validando a construção do conhecimento, é preciso prepará-lo. Considerando os gêneros textuais propostos em EF35LP20, cabe agora o trabalho de lidar com textos multissemióticos e ensinar, não a aquisição do ler e escrever, mas o letramento envolvendo as possibilidades desta modalidade textual, ampliando para a significação de cores, números, tabelas, imagens, letras de fontes diferentes, conexão estabelecida por linhas, traços, setas. A proposta inicial é a construção de mapas conceituais. Inteire-se mais do assunto em:

Como fazer um mapa conceitual? In: Wikihow. Disponível em: <https://pt.wikihow.com/Fazer-um-Mapa-Conceitual>. Acesso em: 23 nov. 2108.

Como fazer um mapa conceitual. In: Lucidchart. Disponível em: <https://www.lucidchart.com/pages/pt/como-fazer-um-mapa-conceitual>. Acesso em: 23 nov. 2018.

  • Apresente aos alunos um mapa conceitual e converse acerca dos diversos recursos presentes nele. Atente, principalmente, para os recursos não verbais.
  • Pesquisa:
  • Para a escolha do tema, considere a área de interesse das crianças, devendo abrir-se para a interdisciplinaridade ou para situações cotidianas que queiram pesquisar.
  • A pesquisa é um momento que antecede a apresentação, por ser ela a base da fundamentação da construção do seminário. Peça às crianças para pesquisar em casa sobre o tema que escolheram e; em sala, pode ampliar a pesquisa, deixando material disponível, com base nas temáticas em pauta.

Introdução: Para introduzir o assunto e, ainda, compartilhar informações, combine com as crianças um cartaz onde será construída a trilha do saber. Podem combinar juntos como será a trilha, considerando os temas pesquisados. Pode nomear a trilha, colocando palavras ligadas aos temas. Mas, para chegar à construção da trilha, é preciso conhecer os mapas conceituais antes. Esta é a sensibilização que pode ser estabelecida para a apresentação.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

Introdução: No sentido de trabalhar a sensibilização com o aluno, trabalhe a ideia de que um mapa conceitual é um mapa do saber e que, portanto, tem sentido informacional. Assim, instigue as seguintes reflexões:

  • A forma como construí o mapa conceitual deixa meu colega entender qual é a ideia principal?
  • Tenho todas as informações e ou os conceitos necessários?
  • As informações e/ou os conceitos estão colocados de forma organizada?
  • Usei as imagens de forma a construir sentido em meu trabalho?
  • E as setas e linhas do meu trabalho? Como entendê-las? Estão fazendo sentido dentro do meu esquema?

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos.

Orientações:

Desenvolvimento:

  • Converse com as crianças sobre a apresentação:
  • Por que estamos apresentando?
  • Quem são os envolvidos na apresentação?
  • Como deve ser a postura de quem apresenta?
  • No momento da apresentação deve haver interação? Por quê?
  • Como vamos participar quando estamos ouvindo? E quando estamos apresentando?
  • A ideia é fazer com que as crianças reflitam sobre este momento percebendo que a situação de comunicação exige formalidade, pois está sendo, na verdade, uma transmissão de informação.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

Desenvolvimento:

  • Neste momento, cole a cartolina em branco no quadro e de acordo com a opção da ordem das colagens, faça também um mapa conceitual maior, usando trilhas, ligando um trabalho a outro. Pode nomear as trilhas pelos temas (trilha dos animais, das curiosidades…).
  • Uma sugestão é a condução da colagem dos mapas, refletindo com as crianças como esta disposição dos trabalhos vai produzir mais significado. É possível - após um certo tempo de exposição oral - tentar ligar os mapas conforme familiaridade temática. Estabelece-se a concepção de rede. O problema é que os temas podem não se ligar, então trabalhe apenas com hipóteses: na possibilidade de haver conexão entre eles… Caso não aconteça, use os mapas individualmente.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos. (Este tempo deve considerar toda a avaliação.)

Orientações:

Fechamento:

  • Esta avaliação pode ser oral, oportunizando aos alunos mais um momento de oralidade. As perguntas estão direcionadas para as habilidades propostas para a aula: a pesquisa, o trabalho com o gênero investigativo e a prática de linguagem centrada na oralidade. Busque garantir a avaliação pautada nestes três itens.

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

  • Para o preparo desta atividade é importante estabelecer com as crianças que, ao pesquisar, busque textos com dados, mesmo que o tema vindo do universo de interesse deles.
  • Conversem sobre as informações trazidas nos textos encontradas, socializando-as na turma.
  • Estude sobre tabelas e seus significados.
  • Peça que construam tabelas, inserindo os dados encontrados nos textos.
  • Escolher quais os colegas vão apresentar a tabela. Esta escolha pode se dar pelo tema, pelos colegas que ainda não tiveram a oportunidade de se apresentar, ou pelos que queiram. Basta estabelecer o critério.
  • Estabeleçam os combinados:
  • Ouvir o colega e não interrompê-lo enquanto fala.
  • Prestar atenção no ponto de vista que o colega defende.;
  • O colega que fala deve falar claramente para ser ouvido, defender seu ponto de vista com argumentos baseados nas leituras, pode usar expressões como “na minha opinião…” “eu acredito que…” “concordo quando no texto diz que…”.
  • Faça uma trilha utilizando as tabelas, compartilhando o conhecimento. Avalie junto com os alunos a melhor disposição dos trabalhos.
  • Faça também uma avaliação oral, refletindo sobre o processo.

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

  • Desenvolva este trabalho em equipe.
  • Acerca de um tema de interesse das crianças, estabeleça um roteiro de perguntas contendo dúvidas e/ou curiosidades que eles devem pesquisar.
  • Com base nas respostas, as crianças devem se agrupar e produzir um gráfico de barras, com base nas informações adquiridas.
  • Depois, apresente o gráfico construído para a turma. Mesmo sendo o mesmo gráfico (de barras), as informações são diferentes e as representações também serão.
  • Combine as apresentações:
  • Quem será o aluno que vai apresentar? Vamos perguntar somente no fim da apresentação, levantando a mão e aguardando a vez de falar.

6. Faça uma trilha com os gráficos a fim de compartilhar as informações construídas. Avalie junto com os alunos a melhor disposição dos trabalhos.

7. Para a avaliação, sugere-se oral novamente para oportunizar a oralidade. Conversar sobre a disposição das informações e os sentidos que os gráficos carregam: as informações quantitativas e qualitativas, a marca de tempo e espaço que também pode aparecer.

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

  • Desenvolva este trabalho também em equipe.
  • Converse com a turma sobre a escolha de um tema em comum desta vez. A ideia é construir, com as mesmas informações, tipos de gráficos diferentes (em linha, em barras, em pirâmide, em pizza, em colunas, de área).
  • Depois, apresentar os gráficos para a turma e comparar a informação veiculada neles. Agora, terá o mesmo tema, em gráficos diferentes.
  • Faça o varal com os gráficos a fim de compartilhar as informações construídas.
  • Para a avaliação, sugere-se oral novamente para oportunizar a oralidade. Conversar sobre a disposição das informações e os sentidos que os gráficos carregam: as informações quantitativas e qualitativas, a marca de tempo e espaço que também pode aparecer.
  • Faça uma trilha utilizando os gráficos, compartilhando o conhecimento. Avalie junto com os alunos a melhor disposição dos trabalhos.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é uma proposta de atividade permanente para trabalhar minisseminários. O campo de atuação priorizado nesta atividade é a Oralidade, marcada por um viés investigativo e utilizando gêneros textuais do campo investigativo, não o tema em si.

Justificativa: A prática de ensino pautada em gêneros orais é, ainda, uma realidade distante dos ambientes escolares. Pensar a oralidade é aproximar as aulas das práticas sociais vigentes. Sob esta perspectiva, espera-se promover ações que se voltem para a busca da autonomia do estudante, por meio de pesquisa, produção, comunicação e participação coletiva, primando pelo campo investigativo, por meio da indagação e da busca. Acresce-se que, apesar de o foco estar sobre o gênero oral, considera-se para esta idade a necessidade de consolidação da base alfabética, ortográfica e algumas normas da gramática. Junto a estas demandas, é preciso letrar as crianças para trabalhar com os gêneros semióticos, analisando cor, imagem, números, tipos de letra e a união da linguagem verbal
e não verbal, misturam-se e produzem sentido.

Materiais necessários: Cartolina, pincéis, giz de cera, folhas de papel, cola, revistas para recorte.

Dificuldades antecipadas: Neste ano de escolarização, ainda há ênfase sobre a construção da base alfabética, mas também começa o trabalho de construção no campo da sintaxe, com aquisição de regras normativas apropriadas à idade. O universo da criança ainda é muito concreto, e lidar com textos semióticos pode gerar dificuldade, dado o nível de abstração que estes textos exigem para sua interpretação.

Referências sobre o assunto:

DONDIS, A. Donis. Sintaxe da Linguagem Visual. São Paulo: Martins Fontes, 2003. Disponível em: <http://www3.uma.pt/dmfe/DONDIS_Sintaxe_da_Linguagem_Visual.pdf>. Acesso em: 23 nov. 2018.

MADEIRA, Ana Maria Gini; MARTINS, Ana Lúcia M. R. Poltronieri. Uma abordagem semiótico-discursiva em gênero mesclado. In: Simpósio Internacional de Ensino da Língua Portuguesa. (SIELP), Anais vol. 2, nº 1. Uberlândia: EDUFU, 2012. Disponível em: <http://www.ileel.ufu.br/anaisdosielp/wp-content/uploads/2014/07/volume_2_artigo_230.pdf>. Acesso em: 23 nov. de 2018.

PRETTO, Nelson De Luca. Uma escola sem/com futuro: educação e multimídia. Campinas: Papirus, 1996. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/15033/1/escola-sem-com-futuro_RI.pdf>. Acesso em: 23 nov. de 2018.

SELVA, Ana Coelho Vieira. Crianças na educação infantil na exploração de gráficos de barra. Disponível em: <http://27reuniao.anped.org.br/gt19/p191.pdf>. Acesso em: 23 nov. de 2018.

VIEIRA, Ana Regina Ferraz. Seminário escolar. In: Diversidade textual: propostas para a sala de aula. Recife, MEC/CEEL, 2008. pp. 275 – 290. Disponível em: <http://www.serdigital.com.br/gerenciador/clientes/ceel/arquivos/35.pdf> Acesso em: 23 nov. de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações:

Preparação: Considerando como objeto da aula o minisseminário, validando a construção do conhecimento, é preciso prepará-lo. Considerando os gêneros textuais propostos em EF35LP20, cabe agora o trabalho de lidar com textos multissemióticos e ensinar, não a aquisição do ler e escrever, mas o letramento envolvendo as possibilidades desta modalidade textual, ampliando para a significação de cores, números, tabelas, imagens, letras de fontes diferentes, conexão estabelecida por linhas, traços, setas. A proposta inicial é a construção de mapas conceituais. Inteire-se mais do assunto em:

Como fazer um mapa conceitual? In: Wikihow. Disponível em: <https://pt.wikihow.com/Fazer-um-Mapa-Conceitual>. Acesso em: 23 nov. 2108.

Como fazer um mapa conceitual. In: Lucidchart. Disponível em: <https://www.lucidchart.com/pages/pt/como-fazer-um-mapa-conceitual>. Acesso em: 23 nov. 2018.

  • Apresente aos alunos um mapa conceitual e converse acerca dos diversos recursos presentes nele. Atente, principalmente, para os recursos não verbais.
  • Pesquisa:
  • Para a escolha do tema, considere a área de interesse das crianças, devendo abrir-se para a interdisciplinaridade ou para situações cotidianas que queiram pesquisar.
  • A pesquisa é um momento que antecede a apresentação, por ser ela a base da fundamentação da construção do seminário. Peça às crianças para pesquisar em casa sobre o tema que escolheram e; em sala, pode ampliar a pesquisa, deixando material disponível, com base nas temáticas em pauta.

Introdução: Para introduzir o assunto e, ainda, compartilhar informações, combine com as crianças um cartaz onde será construída a trilha do saber. Podem combinar juntos como será a trilha, considerando os temas pesquisados. Pode nomear a trilha, colocando palavras ligadas aos temas. Mas, para chegar à construção da trilha, é preciso conhecer os mapas conceituais antes. Esta é a sensibilização que pode ser estabelecida para a apresentação.

Slide Plano Aula

Orientações:

Introdução: No sentido de trabalhar a sensibilização com o aluno, trabalhe a ideia de que um mapa conceitual é um mapa do saber e que, portanto, tem sentido informacional. Assim, instigue as seguintes reflexões:

  • A forma como construí o mapa conceitual deixa meu colega entender qual é a ideia principal?
  • Tenho todas as informações e ou os conceitos necessários?
  • As informações e/ou os conceitos estão colocados de forma organizada?
  • Usei as imagens de forma a construir sentido em meu trabalho?
  • E as setas e linhas do meu trabalho? Como entendê-las? Estão fazendo sentido dentro do meu esquema?

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos.

Orientações:

Desenvolvimento:

  • Converse com as crianças sobre a apresentação:
  • Por que estamos apresentando?
  • Quem são os envolvidos na apresentação?
  • Como deve ser a postura de quem apresenta?
  • No momento da apresentação deve haver interação? Por quê?
  • Como vamos participar quando estamos ouvindo? E quando estamos apresentando?
  • A ideia é fazer com que as crianças reflitam sobre este momento percebendo que a situação de comunicação exige formalidade, pois está sendo, na verdade, uma transmissão de informação.

Slide Plano Aula

Orientações:

Desenvolvimento:

  • Neste momento, cole a cartolina em branco no quadro e de acordo com a opção da ordem das colagens, faça também um mapa conceitual maior, usando trilhas, ligando um trabalho a outro. Pode nomear as trilhas pelos temas (trilha dos animais, das curiosidades…).
  • Uma sugestão é a condução da colagem dos mapas, refletindo com as crianças como esta disposição dos trabalhos vai produzir mais significado. É possível - após um certo tempo de exposição oral - tentar ligar os mapas conforme familiaridade temática. Estabelece-se a concepção de rede. O problema é que os temas podem não se ligar, então trabalhe apenas com hipóteses: na possibilidade de haver conexão entre eles… Caso não aconteça, use os mapas individualmente.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos. (Este tempo deve considerar toda a avaliação.)

Orientações:

Fechamento:

  • Esta avaliação pode ser oral, oportunizando aos alunos mais um momento de oralidade. As perguntas estão direcionadas para as habilidades propostas para a aula: a pesquisa, o trabalho com o gênero investigativo e a prática de linguagem centrada na oralidade. Busque garantir a avaliação pautada nestes três itens.

Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

  • Para o preparo desta atividade é importante estabelecer com as crianças que, ao pesquisar, busque textos com dados, mesmo que o tema vindo do universo de interesse deles.
  • Conversem sobre as informações trazidas nos textos encontradas, socializando-as na turma.
  • Estude sobre tabelas e seus significados.
  • Peça que construam tabelas, inserindo os dados encontrados nos textos.
  • Escolher quais os colegas vão apresentar a tabela. Esta escolha pode se dar pelo tema, pelos colegas que ainda não tiveram a oportunidade de se apresentar, ou pelos que queiram. Basta estabelecer o critério.
  • Estabeleçam os combinados:
  • Ouvir o colega e não interrompê-lo enquanto fala.
  • Prestar atenção no ponto de vista que o colega defende.;
  • O colega que fala deve falar claramente para ser ouvido, defender seu ponto de vista com argumentos baseados nas leituras, pode usar expressões como “na minha opinião…” “eu acredito que…” “concordo quando no texto diz que…”.
  • Faça uma trilha utilizando as tabelas, compartilhando o conhecimento. Avalie junto com os alunos a melhor disposição dos trabalhos.
  • Faça também uma avaliação oral, refletindo sobre o processo.
Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

  • Desenvolva este trabalho em equipe.
  • Acerca de um tema de interesse das crianças, estabeleça um roteiro de perguntas contendo dúvidas e/ou curiosidades que eles devem pesquisar.
  • Com base nas respostas, as crianças devem se agrupar e produzir um gráfico de barras, com base nas informações adquiridas.
  • Depois, apresente o gráfico construído para a turma. Mesmo sendo o mesmo gráfico (de barras), as informações são diferentes e as representações também serão.
  • Combine as apresentações:
  • Quem será o aluno que vai apresentar? Vamos perguntar somente no fim da apresentação, levantando a mão e aguardando a vez de falar.

6. Faça uma trilha com os gráficos a fim de compartilhar as informações construídas. Avalie junto com os alunos a melhor disposição dos trabalhos.

7. Para a avaliação, sugere-se oral novamente para oportunizar a oralidade. Conversar sobre a disposição das informações e os sentidos que os gráficos carregam: as informações quantitativas e qualitativas, a marca de tempo e espaço que também pode aparecer.

Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

  • Desenvolva este trabalho também em equipe.
  • Converse com a turma sobre a escolha de um tema em comum desta vez. A ideia é construir, com as mesmas informações, tipos de gráficos diferentes (em linha, em barras, em pirâmide, em pizza, em colunas, de área).
  • Depois, apresentar os gráficos para a turma e comparar a informação veiculada neles. Agora, terá o mesmo tema, em gráficos diferentes.
  • Faça o varal com os gráficos a fim de compartilhar as informações construídas.
  • Para a avaliação, sugere-se oral novamente para oportunizar a oralidade. Conversar sobre a disposição das informações e os sentidos que os gráficos carregam: as informações quantitativas e qualitativas, a marca de tempo e espaço que também pode aparecer.
  • Faça uma trilha utilizando os gráficos, compartilhando o conhecimento. Avalie junto com os alunos a melhor disposição dos trabalhos.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

AULAS DE Oralidade do 4º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 4º ano:

4º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF35LP19 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF04LP20 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF35LP20 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP08 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP09 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP10 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP11 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP12 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF35LP17 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP13 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF04LP03 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF04LP19 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano