13737
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Plano de aula - Oficina de escrita

POR: Jardelina Oliveira Passos Moura 25/11/2018
Código: LPO1_05ATP01

1º ano / Língua Portuguesa / Atividade Permanente

Plano de aula alinhado à BNCC:

(EF12LP03) Copiar textos breves, mantendo suas características e voltando para o texto sempre que tiver dúvidas sobre sua distribuição gráfica, espaçamento entre as palavras, escrita das palavras e pontuação.

(EF12LP05) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, (re)contagens de histórias, poemas e outros textos versificados (letras de canção, quadrinhas, cordel), poemas visuais, tiras e histórias em quadrinhos, dentre outros gêneros do campo artístico-literário, considerando a situação comunicativa e a finalidade do texto.

(EF01LP21) Escrever, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, listas de regras e regulamentos que organizam a vida na comunidade escolar, dentre outros gêneros do campo da atuação cidadã, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto.

(EF15LP09) Expressar-se em situações de intercâmbio oral com clareza, preocupando-se em ser compreendido pelo interlocutor e usando a palavra com tom de voz audível, boa articulação e ritmo adequado.

(EF15LP10) Escutar, com atenção, falas de professores e colegas, formulando perguntas pertinentes ao tema e solicitando esclarecimentos sempre que necessário.

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 1º ano do Ensino Fundamental sobre escrita de textos (compartilhada e autônoma)/produção de textos.

 

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Dinâmica de sessão:

  • Desenvolver a introdução da aula, considerando o primeiro slide e as orientações para o professor.
  • Após a introdução, ampliar os procedimentos da aula , com base nas questões apresentadas no slide 2 e nas orientações dadas ao professor.
  • Concluir a atividade, tendo como referência as questões do slide 3 e as orientações para o professor.

Sobre esta aula: Por se tratar de uma atividade de 50 minutos, é preciso considerar, como princípio básico, para esta aula, a ideia de que os alunos precisarão interagir em equipes, a fim de, juntos, pensarem na existência das coisas reais ou imaginárias, materiais ou imateriais e, sobretudo, nomeá-las , a fim de, em grupo, buscar estratégias para a realização de seleção e agrupamentos das coisas pensadas. Nesse sentido, o professor deverá definir, previamente, para melhor conduzir o percurso de aprendizagem das crianças, o que irá apresentar à turma como proposta de atividade de escrita por meio da qual elas irão selecionar, agrupar, selecionar e listar os nomes e as características dessas coisas. Por exemplo, propor que as crianças pensem em seres imaginários, seres folclóricos, animais, objetos usados para uso coletivo e uso pessoal na classe, mobiliários da área da cantina da escola.

Justificativa: A oficina de escrita tem como princípio escrever para aprender a escrever, uma vez que os alunos serão envolvidos em situações comunicativas que acionam o repertório acerca de gêneros estudados em anos anteriores e dialogam com propostas originárias de projetos da escola. No caso dos 1º e 2º anos, o desafio é produzir pequenos textos associadas à imagem que atendam às ações do selecionar, colecionar, escolher vocabulário, construir listas que representam aquilo que o aluno possa observar ou imaginar em temas particulares da escola, do aluno, da turma.

Materiais necessários: Lousa, piloto, caderno, folhas avulsas.

Dificuldades antecipadas:Os alunos poderão sentir maior dificuldade, à medida que forem convidados a ampliar as suas habilidades de leitura e de escrita, pois, nas classes de 1º ano, é esperado que as crianças estejam em diferentes momentos/etapas da compreensão do sistema de escrita. Nesse sentido, as propostas de produção dos gêneros irão contemplar uma diversidade de demandas, por exemplo, de planejamento, textualização e revisão, e isso poderá provocar, nos momentos de trocas no grupo, desafios, uma vez que alguns alunos já podem ter consolidado a base alfabética, enquanto outros ainda estarão menos experientes nesse processo.

Referências sobre o assunto:

AZEVEDO, Ricardo. Cultura da Terra. São Paulo: Moderna.

________________ O livro das Casas. São paulo: Moderna, 2015.

BURLAMAQUE, Verardi Fabiane; K.M. Tânia. Literatura para crianças e jovens. Por um novo pensamento crítico. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2013.

CUNHA, Leo. Profissões: um guia poético. Rio de Janeiro: Planeta, 2012.

KAUFMAN, Ana Maria. RODRIGUEZ, Maria Helena. Escola, Leitura e Produção de textos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

KOCH, Ingedore Villaça. ELIAS, Vanda Maria. Ler e escrever: estratégias de produção. São Paulo: Contexto, 2009.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

NESTROVSKI, Arthur. Bichos que existem e bichos que não existem. São Paulo: Cosac Nayf,2002.

Schneuwly, Bernad. DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: SP, Mercado das Letras, 2004.

http://www.jangadabrasil.com.br

http://www.ricardoazevedo.com.br/

Tempo sugerido: 5 minutos.

Preparação:

É importante que a turma seja estimulada a pensar numa diversidade significativa de coisas que existem e são familiares. Faça o grupo refletir acerca das coisas que fazem parte do universo particular de cada aluno que integra a turma e das coisas que estão relacionadas ao campo do coletivo. É importante, para enriquecer a atividade, que os alunos reúnam muitas ideias a respeito das coisas que podem ser agrupadas, de acordo com as características que possuem. Por exemplo, podem pensar no grupo de objetos de estão voltados para uso de higiene pessoal, objetos que usam para realizar tarefas, objetos que acessam para brincar no pátio. Indo além, é necessário que as crianças pensem em características comuns voltadas para as coisas que não estão limitadas ao campo dos objetos. Assim, você pode estimulá-las a perceberem, por exemplo, o conjunto de sentimentos que a turma tem, quando alguém, na sala de aula, conquista algo positivo, ou quando a turma consegue ganhar um campeonato na escola. A ideia é que, nesse momento da atividade, toda a turma faça um “ passeio” nos campos das coisas materiais e não materiais, a fim de que possa pensar nos nomes que damos a essas coisas e nas características que possuem.

Orientações: Introdução.

  • Apresentar aos alunos o primeiro slide com as perguntas disparadoras que irão estimular a produção escrita da oficina (O professor é o leitor dos slides):

Quantas coisas existem no mundo?”.

“ Será que todas essas coisas são conhecidas de todas as pessoas?”

“ Tudo que conhecemos tem um nome, possui características particulares e pertencem a determinados grupos. Imaginem, agora, que a turma tem o seguinte desafio: organizar as coisas que conhece em grupos. Como isso pode ser feito? Vamos imaginar? Quem começa?”

2) Oportunizar que as crianças pensem sobre as questões disparadoras apresentadas no primeiro slide para que se envolvam com a situação comunicacional de escrita e exponham, oralmente, as suas ideias e percepções acerca do que está sendo discutido pela turma e, também, desenvolvam uma postura atenta em relação às falas dos colegas.

3) Organizar as crianças em grupo, considerando os níveis de compreensão que possuem acerca do sistema de escrita. É fundamental agrupar os alunos, usando como critérios, por exemplo, os níveis de conceituação com relação ao sistema de escrita, ou seja, diferentes hipóteses de escrita. Dessa forma, os alunos mais experientes em relação à escrita de palavras e frases têm como contribuir para o avanço daqueles que ainda estão nos níveis iniciais de apropriação do processo de aquisição da escrita.

Tempo sugerido: 25 minutos.

Orientações: Desenvolvimento.

Organização - É neste momento da aula que as crianças irão começar, efetivamente, a praticar a escrita dos textos . Por isso, é preciso que o professor organize as equipes, considerando os diferentes níveis e estágios de aquisição da escrita em que se encontram os alunos, a fim de que eles possam avançar na socialização das suas hipóteses sobre a escrita dos textos. É esperado que, nas situações de interação, as crianças apresentem dúvidas acerca da escrita dos nomes das coisas e em relação às estratégias de deverão usar para realizar os agrupamentos, as coleções e seleções. Por isso, é preciso deixar claro para a turma sobre o que eles irão pensar para escrever (lista de nomes de animais, de objetos, de ações para brincar no pátio da escola, de seres fantásticos criados pelo próprio grupo)

  • Após ouvir as ideias das crianças sobre as questões apresentadas na parte inicial da aula, orientar a turma em relação ao segundo momento da atividade, lendo para elas o próximo slide.
  • Ao ler o slide, o professor deverá deixar claro para as crianças os assuntos sobre os quais irão pensar para darem início ao processo de escrita do texto. Nessa direção, os alunos irão começar a discutir, no grupo, a respeito dos nomes das coisas, objetos, seres, sobre os quais estão pensando para, em seguida, decidir em como serão criadas as listas para a apresentação das coleções e dos agrupamentos que farão.
  • É esperado que, nas situações de interação, as crianças apresentem dúvidas acerca da escrita dos nomes das coisas e em relação às estratégias de deverão usar para realizar os agrupamentos, as coleções e seleções. Por isso, é preciso ressaltar, mais uma vez, sobre a proposta de escrita para a turma decidir sobre o que desejam escrever.
  • Comandos podem ser feitos: vocês deverão pensar em como organizar essas informações, usando a escrita.

  • Quando concluírem, deverão socializar para a turma as estratégias que utilizaram para agrupar as coisas que pensaram.

  • Como atividade permanente de produção escrita, outros gêneros podem ser solicitados para organizar as seleções, o professor poderá estimular as crianças em relação à produção de outros textos que possam colaborar para a organização das coleções e para a produção dos agrupamentos que serão feitos por elas ( legendas, por exemplo, é uma sugestão de gênero viável para dialogar com a produção das listas).

Tempo sugerido: 20 minutos.

Preparação: Orientar os alunos para que eles possam fazer, em equipe, a apresentação da escrita dos textos que produziram. Explicar para a turma que todos devem ouvir com atenção a leitura que será feita pelos colegas, a fim de que possam perceber as ideias semelhantes e diferentes que aparecem nos agrupamentos/seleções/coleções que realizaram.

Orientações:

  • Concluída a etapa de produção dos textos pelas crianças, solicitar que cada grupo leia as suas escritas para a turma.
  • Após a leitura dos textos pelos grupos, o professor deve realizar a leitura do último slide e abrir espaço para que as crianças possam expressar as suas ideias e socializar os desafios vividos durante a escrita dos gêneros.
  • Planejar com as crianças as etapas de revisão dos textos e sobre os possíveis portadores nos quais as escritas serão divulgadas.

Tempo sugerido: 50 minutos.

Preparação: Selecionar os textos que foram produzidos pelos alunos e analisar, previamente, as escritas dos agrupamentos/seleções/coleções que realizaram. Organizar a classe em grupos para iniciar a atividade.

Orientações: Dinâmica de revisão do texto.

  • Professor, antes de iniciar o momento de revisão, selecione os textos produzidos pelas crianças, considerando os aspectos que devem ser aprimorados nas escritas e o nível de apropriação da escrita em que se encontram os alunos de cada equipe, a fim de que eles possam ter condições de analisar os textos e apresentar sugestões para melhorar a qualidade das produções.
  • Leia as questões dos slides e estimule a turma a expor as suas ideias e percepções acerca do que observaram nos textos.
  • Anotar, na lousa, à medida que os alunos forem expressando as suas ideias, as sugestões para revisão e aprimoramento dos textos.
  • Orientar a reescrita do texto, com base nas sugestões das crianças.

Orientações: Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

Selecione ideias e combinados no lugar de objetos (regras, normas, vida pública). O professor assume o papel de escriba e mediador.

Orientações: Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

Selecione coisas e seres do campo imaginário (fadas, monstros, folclore). Além disso, misturar seres (exercício de imaginação).

Orientações: Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

Selecione para o outro (coleção especial para alguém, playlist de música, adivinhas de presentes). Colecionar as pessoas preferidas, de afeto, de amizade, de acordo com a finalidade do grupo.


Este plano de aula foi produzido pelo Time de Autores NOVA ESCOLA


Professor-autor:Jardelina Moura
Mentor: Edson Lanzoni
Especialista: Tania Rios

Título da aula: Oficina de escrita

Ano: 1º ano do Ensino Fundamental

Periodicidade: Quinzenal

Prática de linguagem priorizada: Escrita de textos (compartilhada e autônoma)/ Produção de textos

Dinâmica de produção:

  • Disparador da escrita: Apresentação de questões para estimular a turma a participar das etapas da produção. 2) Ambiente : organização da turma em grupo na sala de aula. 3) Prática da criação: escrever palavras para  selecionar, catalogar e colecionar informações e, na sequência, participar do desafio de texto para organizar e refletir sobre a própria seleção. 4) Divulgação coletiva: socializar as produções em murais coletivos da sala de aula e em outros espaços da escola.

Dinâmica de revisão: Revisão do texto escrito.

Habilidade da BNCC:(EF15LP09) , (EF15LP10), (EF01LP21), (EF12LP03), (EF12LP05)

Dinâmica de sessão:

  1. Desenvolver a introdução da aula, considerando o primeiro slide e as orientações para o professor.
  2. Após a introdução, ampliar os procedimentos da aula , com base nas questões apresentadas no slide 2  e nas orientações dadas ao professor.
  3. Concluir a atividade, tendo como referência as questões do slide 3 e as orientações para o professor.

 

Sobre esta aula: Por se tratar de uma atividade de 50 minutos, é preciso considerar, como princípio básico, para esta aula, a ideia de que os alunos precisarão interagir em equipes, a fim de, juntos, pensarem na existência das coisas reais ou imaginárias, materiais ou imateriais e, sobretudo, nomeá-las , a fim de,  em grupo, buscar estratégias para a realização de seleção e agrupamentos das coisas pensadas. Nesse sentido, o professor deverá definir, previamente, para melhor conduzir o percurso de aprendizagem das crianças, o que irá apresentar à turma como proposta de atividade de escrita por meio da qual elas irão selecionar, agrupar, selecionar e  listar os nomes e as características dessas coisas. Por exemplo, propor que as crianças pensem em seres imaginários, seres folclóricos, animais, objetos usados para uso coletivo e uso pessoal na classe, mobiliários da área da cantina da escola.

 

Justificativa: A oficina de escrita tem como princípio escrever para aprender a escrever, uma vez que os alunos serão envolvidos em situações comunicativas que acionam o repertório acerca de gêneros estudados em anos anteriores e dialogam com propostas originárias de projetos da escola. No caso dos 1º e 2º anos, o desafio é produzir pequenos textos associadas à imagem que atendam às ações do selecionar, colecionar, escolher vocabulário, construir listas que representam aquilo que o aluno possa observar ou imaginar em temas particulares da escola, do aluno, da turma.

 

Materiais necessários: Lousa, piloto, caderno, folhas avulsas.

 

Dificuldades antecipadas:Os alunos poderão sentir maior dificuldade, à medida que forem convidados a ampliar as suas habilidades de leitura e de escrita, pois, nas classes de 1º ano, é esperado que as crianças estejam em diferentes momentos/etapas da compreensão do sistema de escrita. Nesse sentido, as propostas de produção dos gêneros irão contemplar uma diversidade de demandas, por exemplo, de  planejamento, textualização e revisão, e isso poderá provocar, nos momentos de trocas no grupo, desafios, uma vez que alguns alunos já podem ter consolidado a base alfabética, enquanto outros ainda estarão menos experientes nesse processo.

 

Referências sobre o assunto:

AZEVEDO, Ricardo. Cultura da Terra. São Paulo: Moderna.

________________ O livro das Casas. São paulo: Moderna, 2015.

BURLAMAQUE, Verardi Fabiane;  K.M. Tânia. Literatura para crianças e jovens. Por um novo pensamento crítico. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2013.

CUNHA, Leo. Profissões: um guia poético. Rio de Janeiro: Planeta, 2012.

KAUFMAN, Ana Maria. RODRIGUEZ, Maria Helena. Escola, Leitura e Produção de textos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

KOCH, Ingedore Villaça. ELIAS, Vanda Maria. Ler e escrever: estratégias de produção. São Paulo: Contexto, 2009.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão.  São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

NESTROVSKI, Arthur. Bichos que existem e bichos que não existem. São Paulo: Cosac Nayf,2002.

Schneuwly, Bernad. DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: SP, Mercado das Letras, 2004.

http://www.jangadabrasil.com.br

http://www.ricardoazevedo.com.br/


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

AULAS DESSA UNIDADE:

AULA 01

Oficina de escrita

VOCÊ ESTÁ AQUI

AULAS DESSA DISCIPLINA:

1º Ano / Língua Portuguesa / Atividade de Sistematização

2º Ano / Língua Portuguesa / Atividade de Sistematização

AULAS RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes