13662
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - O corredor como espaço de passagem e aprendizagens

POR: Fernanda Zanatta 22/11/2018
Código: EDI1_28UND01

1º ano / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI01CG02) Experimentar as possibilidades corporais nas brincadeiras e interações em ambientes acolhedores e desafiantes.

(EI01ET03) Explorar o ambiente pela ação e observação, manipulando, experimentando e fazendo descobertas.

(EI01EO01) Perceber que suas ações têm efeitos nas outras crianças e nos adultos.

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para Bebês sobre interação com o meio

Resumo

ilustracao

Os pequenos vão explorar o ambiente onde se alimentam e ajudar na preparação de um suco de frutas.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Informe aos outros professores da escola sobre a reorganização do corredor em função da proposta para que, assim, possam orientar as crianças durante os momentos que estarão passando por ali.

Solicite o envio de uma foto da criança em alguma situação significativa de seu cotidiano com a família. Faça isso por meio de um bilhete, do mural da sua turma ou utilizando outra forma de comunicação comum em sua escola.

Exponha documentações pedagógicas do seu grupo nas paredes do corredor, na altura das crianças, para que possam explorá-las durante a proposta.

Materiais:

Documentações pedagógicas do seu grupo de bebês, preparadas anteriormente por você, fotos das crianças em diversas situações do cotidiano (solicite à família uma foto da criança em alguma situação cotidiana e, se não for possível, selecione e imprima uma foto na escola), celofane colorido, uma bola de tamanho médio, elástico ou barbante.

Espaços:

O espaço a ser usado na proposta é um dos corredores da escola. Escolha um que seja acessível e seguro para os bebês. Nele, organize os materiais da seguinte forma:

-nas paredes ao longo do corredor, em altura visível aos que engatinham e caminham, coloque as documentações pedagógicas do grupo e as fotos das crianças;

-o celofane colorido pendurado no teto com barbante, ficando na altura das crianças;

-no teto, a bola pendurada por um elástico ou por um barbante, colado na bola com fita.

Deixe espaço disponível para que os bebês possam se movimentar livremente pelo corredor.

Tempo sugerido:

Aproximadamente 40 minutos.

Perguntas para guiar suas observações:

1. De que forma os bebês exploram os espaços do corredor? Como relacionam- se com os recursos, objetos e pessoas presentes ou que passam por ali?

2. Quais objetos provocam mais interações? Como o corredor convida as crianças à exploração? Quais pesquisas ele proporciona aos bebês?

3. Quais formas de deslocamento os bebês usam para se locomover no espaço do corredor? Como exploram seus movimentos e desafiam-se durante a proposta?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender às necessidades e às diferenças de cada criança ou do grupo. Garanta condições para que todas as crianças participem do momento da realização da proposta. Atente para os bebês muito pequenos para auxiliá-los, se necessário, a se locomover, explorar os objetos e sentar-se próximo ao grupo de crianças. Garanta um espaço seguro para aqueles que sentam, engatinham e caminham.

O que fazer durante?

1

Comece conversando comogrupo todo sobre a proposta que irão fazer no corredor da escola, que será o campo de exploração nesta atividade. Incentive os bebês, individualmente ou em pequenos grupos, a sair da sala de forma autônoma. Se organize para levar ao colo aqueles que não se locomovem com autonomia. Convide e encoraje cada criança em suas ações e movimentos de deslocamento. Incentive a participação de todas e auxilie-as quando necessário, conforme suas preferências, possibilidades e ritmos. Providencie um cesto com brinquedos diversos, já conhecidos por elas, para que os explorem quando desejarem.


2

Observe e registre por meio de fotos e vídeos como cada bebê se desloca para fora da sala (se arrasta, engatinha e/ou caminha), suas reações, o que lhes chama a atenção, a forma como explora o espaço, o que observa, como se movimenta (se tenta levantar com algum apoio, por exemplo) e o que mais que interessa no corredor. Atente para onde os bebês olham, quais sons ou imagens lhes são chamativas. Leve os menores ao colo, oportunizando as mesmas vivências a eles. Atente às suas expressões faciais e corporais, balbucios e gestos.


3

Potencialize a interação das crianças com as pessoas que passam pelo corredor. Você deve ficar próximo, observando e registrando como cada bebê reage consigo e com os colegas de turma na pesquisa dos materiais. Tais registros serão usados na documentação pedagógica.

Possíveis ações da criança neste momento: Um bebê dá tchau ao ver o professor do maternal, respondendo ao gesto feito por ele. Outro bebê vê uma criança vindo no corredor e a observa. Essa abaixa-se e conversa com o bebê.


4

Possibilite que o grupo todo explore a proposta. Convide as crianças para se aproximar e apresente o material ali oferecido, assim, elas irão iniciar pesquisas exploratórias individualmente, em duplas ou em pequenos grupos no espaço do corredor de forma livre. Apoie as ações delas, suas iniciativas, encorajando assim os outros colegas. Potencialize as explorações no local por meio de diferentes deslocamentos, oportunizando que se movimentem de forma segura e autônoma.

Possíveis falas do professor neste momento: Olha lá o que o colega descobriu ali daquele lado! Vamos lá ver que materiais são? E o que podemos fazer com eles? Que lugar é esse? O que vocês estão vendo nesse corredor? Quem é a pessoa ?


4

Até esse momento da atividade, as crianças devem estar envolvidas de diferentes formas em suas explorações. Acompanhe pequenos grupos de bebês na exploração desses recursos. Posicione aqueles que ainda não engatinham de maneira a poder brincar e observar as outras crianças.Veja como reagem ao deparar-se com os recursos e quais ações realizam com eles. Observe com atenção e se aproxime dos bebês fazendo comentários como:O que aconteceu quando empurrou a bola? Qual movimento ela fez? Eu joguei a bola para você, quer jogar a bola para mim também? O que são esses materiais pendurados? E o que podemos fazer com eles? Quem são as pessoas nas fotos, você conhece? O que estão fazendo? Olha, um colega escondeu-se no celofane, quem está atrás dele? Achou! Vamos ver o que tem deste lado do corredor? Apoie, a partir das ações dos bebês, evitando ao máximo dirigir iniciativas, para que possam explorar os recursos espontaneamente. Interaja com a turma, realize imitações e divirta-se!

Possíveis ações da criança neste momento: O bebê olha através dos celofanes, observa ambientes e crianças com cores diferentes. Vê as fotos e olha para os colegas, fazendo relações. A criança olha para as documentações, descobre sua imagem nelas e sorri.


Para finalizar:

Para encerrar a proposta, avise aos bebês que em alguns minutos irão começar a guardar as coisas e compartilhe com eles a próxima atividade a ser realizada. Dentro das possibilidades de cada um, valorize e encorajeque guardem os materiais nos devidos lugares. Você pode cantar uma canção neste momento. Pesquise na internet que você vai encontrar muitas ideias para ampliar o repertório musical de sua turma!

Desdobramentos

Realize a proposta organizando no corredor outros recursos disponíveis em sua escola ou em outro corredor, próximo à sala de crianças maiores, oportunizando a interação entre as idades. Pense também nesta proposta sendo realizada em outro espaço da escola, como a área externa, podendo ou não utilizar os mesmos recursos.

Engajando as famílias

Convide as famílias para vivenciar com os bebês um momento exploratório nesse corredor, junto às fotos que enviaram para a proposta. Proponha alternativas para que todas participem, seja no final do turno ou na hora da entrada, de acordo com a disponibilidade delas. Faça isso por meio de bilhete, mural da sala ou outra forma de comunicação que sua escola use. Aproveiteos registros fotográficos e escritos realizados durante a proposta para montar uma exposição no mural da sala ou no corredor onde foi realizada a proposta, dando visibilidade à ação dos bebês naquele local.Disponha também de espaço para que os familiares registrem a experiência que tiveram, compondo esse mural, que irá repertoriar a escola com brincadeiras dos bebês com as famílias deles.


Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor:  Fernanda Zanatta

Mentora: Keli Luca

Especialista do subgrupo etário: Ana Teresa Gavião

Campos de Experiência:  Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações; corpo, gestos e movimentos; o eu, o nós e o outro.

Objetivos e códigos da Base
Centrais:

(EI01ET03) Explorar o ambiente pela ação e observação, manipulando, experimentando e fazendo descobertas.

(EI01EO01) Perceber que suas ações têm efeitos nas outras crianças e nos adultos.


Transversal:

(EI01CG02) Experimentar as possibilidades corporais nas brincadeiras e interações em ambientes acolhedores e desafiantes.

Abordagem didática:  Os espaços da escola são verdadeiros laboratórios para os bebês. Curiosos e investigativos, eles observam tudo. Assim, visitar a cozinha pode ser um momento para descobrir aromas, barulhos e objetos diferentes; o corredor pode atrair o olhar para a produção de crianças de outras salas; o jardim é um universo com folhas e plantas variadas. Há muito para pesquisar e explorar para além da própria sala ou do parque. Os bebês aprendem por meio da observação, da manipulação e da curiosidade que coisas e pessoas despertam neles.

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADE 01

O corredor como espaço de passagem e aprendizagens

VOCÊ ESTÁ AQUI

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes