11531
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Plano de aula - Conhecendo Plantas Baixas

Plano de aula de Matemática com atividades para 6º ano do Fundamental sobre Interpretar e descrever plantas baixas.

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Elizabeth Bento

 

Objetivo select-down

Este plano de aula foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor: Elizabeth Bento

Mentora: Maria Aparecida Nemet

Revisor: Rodrigo Morozetti Blanco

Especialista de área: Fernando Barnabé



Habilidade da BNCC

EF06MA26: Interpretar, descrever e desenhar plantas baixas simples de residências e vistas aéreas.

Habilidades necessárias

Identificar formas geométricas, realizar medidas diretas e noções de escala.

Objetivos específicos

Interpretar e descrever plantas baixas.

Conceito-chave

Planta baixa, perímetro, área, vista aérea.

Recursos necessários

  • Folha de papel A4 branca;
  • Cubos do mesmo tamanho (material dourado) ou peças de jogos de dominó e dama;
  • Folha de papel A4 quadriculada;
  • Régua;
  • Lápis,
  • Borracha;
  • Trena;
  • Barbante;
  • Fita métrica;
  • Sólidos geométricos (cone, pirâmide, hexaedros, prismas, dado (jogo), tetraedro entre outros objetos disponíveis);
  • Prospecto de um empreendimento imobiliário.

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientação: Projete ou leia o objetivo para a turma.

Propósito: Compartilhar o objetivo da aula.

Aquecimento (slides 3 e 4) select-down

Tempo sugerido: 5 minutos.

Orientação: Distribua os cubos ( você pode substituir os cubos por peças de dominó ou dama, basta respeitar a quantidade de objetos a serem usados nos empilhamentos) e a folha de papel quadriculado. Peça para empilharem os cubos na mesa respeitando a quantidade de quadrados usados na representação acima (slide). Em seguida, na folha de papel quadriculado peça para que desenhem a vista superior dos empilhamentos que formam as letras E e T.

Propósito: Verificar que a forma de um objeto, independentemente da sua altura, não se altera quando representamos apenas sua vista aérea.

Discuta com a turma:

  • Por que a altura não é a mesma para ambas as letras se a quantidade de cubos é igual para cada uma delas? As letras são formadas por quantidade diferentes de quadrados o que implica na distribuição dos blocos. Mesmo com quantidades múltiplas as alturas seriam diferentes. Você pode pedir para que empilhem 12 blocos, três a três e seis a seis verificando o que acontece com a altura e com a vista aérea.
  • Quais as formas que você enxerga a partir da vista aérea de cada letra? Podemos ter os mesmos quadrados que compõe a figura original ou ainda barras retangulares.
  • Qual seria a solução para que as letras possuíssem a mesma altura? Isso modificaria a vista aérea? Se aumentássemos por exemplo, dois quadrados na vertical inferior e um quadrado à esquerda um e um à direita da horizontal na letra T teríamos a mesma altura. A vista aérea ainda corresponderia a letra T, porém maior.

Aquecimento (slides 3 e 4) select-down

Tempo sugerido: 5 minutos.

Orientação: Distribua os cubos ( você pode substituir os cubos por peças de dominó ou dama, basta respeitar a quantidade de objetos a serem usados nos empilhamentos) e a folha de papel quadriculado. Peça para empilharem os cubos na mesa respeitando a quantidade de quadrados usados na representação acima (slide). Em seguida, na folha de papel quadriculado peça para que desenhem a vista superior dos empilhamentos que formam as letras E e T.

Propósito: Verificar que a forma de um objeto, independentemente da sua altura, não se altera quando representamos apenas sua vista aérea.

Discuta com a turma:

  • Por que a altura não é a mesma para ambas as letras se a quantidade de cubos é igual para cada uma delas? As letras são formadas por quantidade diferentes de quadrados o que implica na distribuição dos blocos. Mesmo com quantidades múltiplas as alturas seriam diferentes. Você pode pedir para que empilhem 12 blocos, três a três e seis a seis verificando o que acontece com a altura e com a vista aérea.
  • Quais as formas que você enxerga a partir da vista aérea de cada letra? Podemos ter os mesmos quadrados que compõe a figura original ou ainda barras retangulares.
  • Qual seria a solução para que as letras possuíssem a mesma altura? Isso modificaria a vista aérea? Se aumentássemos por exemplo, dois quadrados na vertical inferior e um quadrado à esquerda um e um à direita da horizontal na letra T teríamos a mesma altura. A vista aérea ainda corresponderia a letra T, porém maior.

Atividade principal (Slides 5 e 6) select-down

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientação: Para esta atividade você irá precisar de objetos no formato de: prisma quadrangular e triangular, cone, hexaedro, dado numerado e outros de sua preferência. Você pode pedir para que os alunos tragam embalagens de casa ou pode produzir os objetos com antecedência. A ideia é ter um objeto por aluno.

No dia da aula todos os objetos devem estar previamente organizados em uma caixa, de onde serão sorteados pelos alunos. Peça para cada aluno posicionar o objeto em sua mesa e observá-lo por diferentes ângulos, vistas.

Siga as orientações do slide 5 para explicar aos alunos o que devem fazer com a caixa de objetos. No slide 6 está a orientação sobre o que os alunos devem fazer com o objeto escolhido. Distribua previamente a folha onde eles irão desenhar a vista escolhida.

Ressalte que cada aluno deve escolher uma única vista a ser representada. O objetivo é que após a atividade alunos que pegaram o mesmo objeto possam observar as diferentes vistas escolhidas.

Propósito: Observar objetos por diferentes perspectivas com foco principal em sua vista superior ou aérea.

Discuta com a turma:

  • Quais foram as possíveis dificuldades que encontraram na execução da tarefa? Eles podem observar uma mesma face mais de uma vez visto que alguns objetos possuem mais de uma mesma face, para isso, basta ter o cuidado de marcá-las. As diferentes formas de observar um mesmo objeto ajuda o professor a desenvolver conceitos complexos e não apenas simples (Jo Boaler), isso faz com que o aluno passe a pensar na sua atividade de várias formas, estimulando a compreensão de fatos matemáticos ( Jo Boaler).

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

Materiais complementares para impressão:

Resolução da Atividade Principal

Guia de intervenção

Textos de apoio e referencial teórico

Atividade principal (Slides 5 e 6) select-down

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientação: Para esta atividade você irá precisar de objetos no formato de: prisma quadrangular e triangular, cone, hexaedro, dado numerado e outros de sua preferência. Você pode pedir para que os alunos tragam embalagens de casa ou pode produzir os objetos com antecedência. A ideia é ter um objeto por aluno.

No dia da aula todos os objetos devem estar previamente organizados em uma caixa, de onde serão sorteados pelos alunos. Peça para cada aluno posicionar o objeto em sua mesa e observá-lo por diferentes ângulos, vistas.

Siga as orientações do slide 5 para explicar aos alunos o que devem fazer com a caixa de objetos. No slide 6 está a orientação sobre o que os alunos devem fazer com o objeto escolhido. Distribua previamente a folha onde eles irão desenhar a vista escolhida.

Ressalte que cada aluno deve escolher uma única vista a ser representada. O objetivo é que após a atividade alunos que pegaram o mesmo objeto possam observar as diferentes vistas escolhidas.

Propósito: Observar objetos por diferentes perspectivas com foco principal em sua vista superior ou aérea.

Discuta com a turma:

  • Quais foram as possíveis dificuldades que encontraram na execução da tarefa? Eles podem observar uma mesma face mais de uma vez visto que alguns objetos possuem mais de uma mesma face, para isso, basta ter o cuidado de marcá-las. As diferentes formas de observar um mesmo objeto ajuda o professor a desenvolver conceitos complexos e não apenas simples (Jo Boaler), isso faz com que o aluno passe a pensar na sua atividade de várias formas, estimulando a compreensão de fatos matemáticos ( Jo Boaler).

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

Discussão da solução (slides 7 ao 13) select-down

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Discussão da solução (slides 7 ao 13) select-down

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Discussão da solução (slides 7 ao 13) select-down

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Discussão da solução (slides 7 ao 13) select-down

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Discussão da solução (slides 7 ao 13) select-down

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Discussão da solução (slides 7 ao 13) select-down

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Discussão da solução (slides 7 ao 13) select-down

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Sistematização de Conceitos (Slides 14 e 15) select-down

Tempo sugerido: 4 minutos.

Orientações:

  • Utilize o prospecto e aproveite para comentar como o mercado imobiliário atrai seus clientes através de folhetos com suas plantas.
  • Comente sobre o espaço físico da sua escola e questione se na opinião deles os espaços foram bem aproveitados.

Propósito:

Sistematizar o conceito de planta baixa como uma imagem que representa a vista superior de um objeto ou região desconsiderando suas características de profundidade.

Sistematização de Conceitos (Slides 14 e 15) select-down

Tempo sugerido: 4 minutos.

Orientações:

  • Utilize o prospecto e aproveite para comentar como o mercado imobiliário atrai seus clientes através de folhetos com suas plantas.
  • Comente sobre o espaço físico da sua escola e questione se na opinião deles os espaços foram bem aproveitados.

Propósito:

Sistematizar o conceito de planta baixa como uma imagem que representa a vista superior de um objeto ou região desconsiderando suas características de profundidade.

Encerramento select-down

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Este é um espaço que você poderá perguntar quais outros lugares que eles conhecem, ou já viram na Tv, internet e que possivelmente houve um projeto como esses citados nos slides anteriores.

Propósito: Conversar com os alunos sobre o que compreenderam da aula

Raio X select-down

Tempo sugerido: 12 minutos.

Propósito: Interpretar e descrever plantas baixas.

Orientação: Para esta atividade é necessário folha quadriculada, régua, fita métrica, trena, barbante, borracha, lápis e outros instrumentos de medida (caso o professor tenha acesso). Professor, o uso de instrumentos é imprescindível para medir e construir figuras com precisão, para melhor orientar seus alunos acessar o material completo.

A medida 1m para cada lado da malha quadriculada é uma sugestão.

OBS: As medidas devem ser tiradas previamente pelo professor.

Discuta com a turma:

  • O que é necessário (materiais) para descrever a sala na folha quadriculada?
  • Quando descrevemos a sala verbalmente e descrevemos através dos esboços é possível compreender que se trata do mesmo objeto? Por que?
  • O que é necessário para localizar a porta e a lousa de maneira correta?
  • Quais são as unidades de medida utilizadas e necessárias para realizar esta tarefa?
  • A representação da sala é bidimensional enquanto a sala física é tridimensional, discuta o porquê.
  • Discuta as diferenças entre a atividade anterior e esta. E agora o que substitui a vista aérea?
  • Para concluir, após os esboços pergunte como a malha quadriculada os ajudou nas representações.

Materiais complementares para impressão:

Raio X

Resolução do Raio X

Atividade complementar

Resolução da Atividade Complementar

Resumo da aula

download Baixar plano

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientação: Projete ou leia o objetivo para a turma.

Propósito: Compartilhar o objetivo da aula.


Este plano de aula foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor: Elizabeth Bento

Mentora: Maria Aparecida Nemet

Revisor: Rodrigo Morozetti Blanco

Especialista de área: Fernando Barnabé



Habilidade da BNCC

EF06MA26: Interpretar, descrever e desenhar plantas baixas simples de residências e vistas aéreas.

Habilidades necessárias

Identificar formas geométricas, realizar medidas diretas e noções de escala.

Objetivos específicos

Interpretar e descrever plantas baixas.

Conceito-chave

Planta baixa, perímetro, área, vista aérea.

Recursos necessários

  • Folha de papel A4 branca;
  • Cubos do mesmo tamanho (material dourado) ou peças de jogos de dominó e dama;
  • Folha de papel A4 quadriculada;
  • Régua;
  • Lápis,
  • Borracha;
  • Trena;
  • Barbante;
  • Fita métrica;
  • Sólidos geométricos (cone, pirâmide, hexaedros, prismas, dado (jogo), tetraedro entre outros objetos disponíveis);
  • Prospecto de um empreendimento imobiliário.

Tempo sugerido: 5 minutos.

Orientação: Distribua os cubos ( você pode substituir os cubos por peças de dominó ou dama, basta respeitar a quantidade de objetos a serem usados nos empilhamentos) e a folha de papel quadriculado. Peça para empilharem os cubos na mesa respeitando a quantidade de quadrados usados na representação acima (slide). Em seguida, na folha de papel quadriculado peça para que desenhem a vista superior dos empilhamentos que formam as letras E e T.

Propósito: Verificar que a forma de um objeto, independentemente da sua altura, não se altera quando representamos apenas sua vista aérea.

Discuta com a turma:

  • Por que a altura não é a mesma para ambas as letras se a quantidade de cubos é igual para cada uma delas? As letras são formadas por quantidade diferentes de quadrados o que implica na distribuição dos blocos. Mesmo com quantidades múltiplas as alturas seriam diferentes. Você pode pedir para que empilhem 12 blocos, três a três e seis a seis verificando o que acontece com a altura e com a vista aérea.
  • Quais as formas que você enxerga a partir da vista aérea de cada letra? Podemos ter os mesmos quadrados que compõe a figura original ou ainda barras retangulares.
  • Qual seria a solução para que as letras possuíssem a mesma altura? Isso modificaria a vista aérea? Se aumentássemos por exemplo, dois quadrados na vertical inferior e um quadrado à esquerda um e um à direita da horizontal na letra T teríamos a mesma altura. A vista aérea ainda corresponderia a letra T, porém maior.

Tempo sugerido: 5 minutos.

Orientação: Distribua os cubos ( você pode substituir os cubos por peças de dominó ou dama, basta respeitar a quantidade de objetos a serem usados nos empilhamentos) e a folha de papel quadriculado. Peça para empilharem os cubos na mesa respeitando a quantidade de quadrados usados na representação acima (slide). Em seguida, na folha de papel quadriculado peça para que desenhem a vista superior dos empilhamentos que formam as letras E e T.

Propósito: Verificar que a forma de um objeto, independentemente da sua altura, não se altera quando representamos apenas sua vista aérea.

Discuta com a turma:

  • Por que a altura não é a mesma para ambas as letras se a quantidade de cubos é igual para cada uma delas? As letras são formadas por quantidade diferentes de quadrados o que implica na distribuição dos blocos. Mesmo com quantidades múltiplas as alturas seriam diferentes. Você pode pedir para que empilhem 12 blocos, três a três e seis a seis verificando o que acontece com a altura e com a vista aérea.
  • Quais as formas que você enxerga a partir da vista aérea de cada letra? Podemos ter os mesmos quadrados que compõe a figura original ou ainda barras retangulares.
  • Qual seria a solução para que as letras possuíssem a mesma altura? Isso modificaria a vista aérea? Se aumentássemos por exemplo, dois quadrados na vertical inferior e um quadrado à esquerda um e um à direita da horizontal na letra T teríamos a mesma altura. A vista aérea ainda corresponderia a letra T, porém maior.

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientação: Para esta atividade você irá precisar de objetos no formato de: prisma quadrangular e triangular, cone, hexaedro, dado numerado e outros de sua preferência. Você pode pedir para que os alunos tragam embalagens de casa ou pode produzir os objetos com antecedência. A ideia é ter um objeto por aluno.

No dia da aula todos os objetos devem estar previamente organizados em uma caixa, de onde serão sorteados pelos alunos. Peça para cada aluno posicionar o objeto em sua mesa e observá-lo por diferentes ângulos, vistas.

Siga as orientações do slide 5 para explicar aos alunos o que devem fazer com a caixa de objetos. No slide 6 está a orientação sobre o que os alunos devem fazer com o objeto escolhido. Distribua previamente a folha onde eles irão desenhar a vista escolhida.

Ressalte que cada aluno deve escolher uma única vista a ser representada. O objetivo é que após a atividade alunos que pegaram o mesmo objeto possam observar as diferentes vistas escolhidas.

Propósito: Observar objetos por diferentes perspectivas com foco principal em sua vista superior ou aérea.

Discuta com a turma:

  • Quais foram as possíveis dificuldades que encontraram na execução da tarefa? Eles podem observar uma mesma face mais de uma vez visto que alguns objetos possuem mais de uma mesma face, para isso, basta ter o cuidado de marcá-las. As diferentes formas de observar um mesmo objeto ajuda o professor a desenvolver conceitos complexos e não apenas simples (Jo Boaler), isso faz com que o aluno passe a pensar na sua atividade de várias formas, estimulando a compreensão de fatos matemáticos ( Jo Boaler).

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

Materiais complementares para impressão:

Resolução da Atividade Principal

Guia de intervenção

Textos de apoio e referencial teórico

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientação: Para esta atividade você irá precisar de objetos no formato de: prisma quadrangular e triangular, cone, hexaedro, dado numerado e outros de sua preferência. Você pode pedir para que os alunos tragam embalagens de casa ou pode produzir os objetos com antecedência. A ideia é ter um objeto por aluno.

No dia da aula todos os objetos devem estar previamente organizados em uma caixa, de onde serão sorteados pelos alunos. Peça para cada aluno posicionar o objeto em sua mesa e observá-lo por diferentes ângulos, vistas.

Siga as orientações do slide 5 para explicar aos alunos o que devem fazer com a caixa de objetos. No slide 6 está a orientação sobre o que os alunos devem fazer com o objeto escolhido. Distribua previamente a folha onde eles irão desenhar a vista escolhida.

Ressalte que cada aluno deve escolher uma única vista a ser representada. O objetivo é que após a atividade alunos que pegaram o mesmo objeto possam observar as diferentes vistas escolhidas.

Propósito: Observar objetos por diferentes perspectivas com foco principal em sua vista superior ou aérea.

Discuta com a turma:

  • Quais foram as possíveis dificuldades que encontraram na execução da tarefa? Eles podem observar uma mesma face mais de uma vez visto que alguns objetos possuem mais de uma mesma face, para isso, basta ter o cuidado de marcá-las. As diferentes formas de observar um mesmo objeto ajuda o professor a desenvolver conceitos complexos e não apenas simples (Jo Boaler), isso faz com que o aluno passe a pensar na sua atividade de várias formas, estimulando a compreensão de fatos matemáticos ( Jo Boaler).

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientação: Recolha os objetos colocando-os em uma única mesa de maneira organizada. Apresente alguns desenhos para a turma de maneira aleatória e convide-os a associarem cada desenho com seu respectivo objeto. A representação da face superior dependerá do posicionamento dos objetos sob a mesa. Alunos com objetos do mesmo formato podem apresentar resoluções diferentes e alunos com objetos diferentes podem representar resoluções parecidas. Essas representações consistem em provocar o aluno a refletir não apenas na versão mais simples dos conceitos e sim em conceitos mais complexos que abordarão o seu cotidiano real como explica Jo Boaler ver material de referência. Quanto aos nomes dos objetos verifique o guia de intervenção se necessário.

Atenção Professor: Solicitar aos alunos que toda vez que reconhecerem o próprio desenho não deverão se manifestar a respeito.

Propósito: Verificar as possíveis ilustrações das vistas aéreas e identificar seus respectivos objetos.

Discuta com a turma:

  • Escolha uma vista superior aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

A visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

.

  • Para ser fiel o desenho precisa ter exatamente a mesma medida?

A princípio o aluno que representou um objeto pequeno pode achar que sim, mas um aluno que representou um objeto maior, percebeu que não há como. Esse é o momento de intervir e fazerem com que reflitam sobre as escalas e como identificar se as características foram preservadas.

  • Como desenhar objetos maiores cuja as medidas extrapolam o papel?

Mesmo que o aluno não tenha domínio de escala, por ser abordado apenas no 7º ano, pode-se trabalhar a ideia de que 1 unidade da folha pode representar 2, 3 unidades ou quantas quiserem. É viável permitir ao aluno a escolha sobre quantas unidades usarão, visando sua autonomia.

  • Quais instrumentos eles podem utilizar para tornar a cópia o mais fiel possível?

Medir comprimento, largura, espessura e determinar os ângulos com o uso de régua e transferidor.

  • Escolha uma face aleatória descrita na malha quadriculada e peça para que identifiquem no objeto.

Algumas faces irão se repetir em vários objetos, portanto, aproveite para sinalizar que objetos diferentes têm polígonos ou outras formas geométricas em comum.

  • Qual a importância de saber representar objetos? Qual a importância de saber ler uma planta?

Colha as respostas para discutir o fechamento da aula em Sistematização de Conceitos.

  • Por que existem desenhos diferentes se os objetos são os mesmos?

Como apontamos anteriormente, não há representações erradas, a visualização de cada aluno é individual e pessoal. Isso precisa ser respeitado e dividido com eles para que possam compreender as diferentes formas de representação sem se prender num modelo único. Vale ressaltar que a tarefa de se pensar num objeto a partir de várias perspectivas permite o aluno pensar em diversas estratégias de como se chegar numa representação generalizada, a quem chamamos de convencional.

Tempo sugerido: 4 minutos.

Orientações:

  • Utilize o prospecto e aproveite para comentar como o mercado imobiliário atrai seus clientes através de folhetos com suas plantas.
  • Comente sobre o espaço físico da sua escola e questione se na opinião deles os espaços foram bem aproveitados.

Propósito:

Sistematizar o conceito de planta baixa como uma imagem que representa a vista superior de um objeto ou região desconsiderando suas características de profundidade.

Tempo sugerido: 4 minutos.

Orientações:

  • Utilize o prospecto e aproveite para comentar como o mercado imobiliário atrai seus clientes através de folhetos com suas plantas.
  • Comente sobre o espaço físico da sua escola e questione se na opinião deles os espaços foram bem aproveitados.

Propósito:

Sistematizar o conceito de planta baixa como uma imagem que representa a vista superior de um objeto ou região desconsiderando suas características de profundidade.

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Este é um espaço que você poderá perguntar quais outros lugares que eles conhecem, ou já viram na Tv, internet e que possivelmente houve um projeto como esses citados nos slides anteriores.

Propósito: Conversar com os alunos sobre o que compreenderam da aula

Tempo sugerido: 12 minutos.

Propósito: Interpretar e descrever plantas baixas.

Orientação: Para esta atividade é necessário folha quadriculada, régua, fita métrica, trena, barbante, borracha, lápis e outros instrumentos de medida (caso o professor tenha acesso). Professor, o uso de instrumentos é imprescindível para medir e construir figuras com precisão, para melhor orientar seus alunos acessar o material completo.

A medida 1m para cada lado da malha quadriculada é uma sugestão.

OBS: As medidas devem ser tiradas previamente pelo professor.

Discuta com a turma:

  • O que é necessário (materiais) para descrever a sala na folha quadriculada?
  • Quando descrevemos a sala verbalmente e descrevemos através dos esboços é possível compreender que se trata do mesmo objeto? Por que?
  • O que é necessário para localizar a porta e a lousa de maneira correta?
  • Quais são as unidades de medida utilizadas e necessárias para realizar esta tarefa?
  • A representação da sala é bidimensional enquanto a sala física é tridimensional, discuta o porquê.
  • Discuta as diferenças entre a atividade anterior e esta. E agora o que substitui a vista aérea?
  • Para concluir, após os esboços pergunte como a malha quadriculada os ajudou nas representações.

Materiais complementares para impressão:

Raio X

Resolução do Raio X

Atividade complementar

Resolução da Atividade Complementar

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Grandezas e Medidas do 6º ano :

Com o plano de aula sobre grandezas e medidas os alunos aprendem a resolver problemas de medidas envolvendo grandezas como comprimento, massa, tempo, temperatura, área, capacidade e volume; ampliam a noção de ângulo, interpretando, descrevendo e desenhando plantas baixas simples de residências e vistas aéreas; analisam e as mudanças no perímetro e na área de um quadrado obtido por ampliação ou redução.

MAIS AULAS DE Matemática do 6º ano:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Resolução de Problemas em Matemática com Esforço Produtivo

Neste curso, Kátia Smole ensina como estimular o raciocínio matemático dos alunos, por meio de sugestões de atividade, textos com dicas e a realização de uma prática de sala de aula.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Matemática

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano