Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

Balanço geral: como avaliar o ano letivo na alfabetização

Este é o momento de fazer uma avaliação honesta sobre a aprendizagem

POR:
Mara Mansani
Hora do balanço geral. Precisamos avaliar para saber os caminhos a seguir. Crédito: Mariana Pekin

Faltam apenas 34 dias para terminar o ano de 2017! Ufa! Com certeza não foi um ano fácil! Nós, professores, estamos cansados, ansiosos e sedentos pelas férias. Mas devemos conter a ansiedade e, enquanto o merecido descanso não vem, ainda temos importantes tarefas a cumprir neste fim de ano letivo.

Como fazer o fechamento do ano? Agora a hora é de pensar, relembrar, refletir, avaliar os resultados e todo o processo de aprendizagem dos alunos. Para isso, criei uma lista com questões para avaliar meu trabalho e a aprendizagem da minha turma. Já está preenchida, para que vocês tenham uma ideia de como foi o meu ano e se inspirem a fazer o mesmo:

APRENDIZAGEM DOS ALUNOS

Na leitura

P: Quantos leem?
R: Todos.

P: Todos os alunos estão lendo com autonomia, com fluência e com entendimento do que lêem?
R: A maioria (três estão no caminho).

P: Quantos ainda não leem?
R: Nenhum.

P: O que contribuiu no desenvolvimento da leitura dos alunos?
R: As leituras diárias no início da aula, o empréstimo de livros semanalmente da biblioteca que foram levados para casa para leitura em família, as caixas de leitura que exploram o livro de uma maneira diferenciada, rodas de leitura e de leitores e etc.

P: O que pode ser feito no próximo ano?
R: Continuar as ações feitas em 2017. Visitas dos alunos a sebos e bibliotecas fora da escola, por exemplo. Projetos de leitura que explorem a literatura brasileira, como cordéis, e visitas de escritores à escola para bater papo com a turma.

Na escrita

P: Quantos ainda não escrevem?
R: Nenhum.

P: Quantos escrevem ainda com dificuldade?
R: Três.

P: Todos os alunos estão escrevendo com autonomia, textos bem escritos?
R: A maioria. Três estão em processo de evolução.

P: Quantos escrevem textos de memória, autorais, a partir de outros textos?
R: Todos, mas três precisam de apoio.

P: O que contribuiu no desenvolvimento da escrita dos alunos?
R: A proposta de projetos que envolveram as escritas autorais, o acesso a obras de qualidade de grandes e reconhecidos autores e muita leitura.

P: O que pode ser feito no próximo ano?
R: Mais projetos de escrita com ênfase a escrita autoral.

Na oralidade

P: Todos se expressam oralmente?
R: Todos.

P: Usam um bom repertório de palavras?
R: A maioria.

P: Há algum aluno com um problema de fala que precisa de uma ajuda médica?
R: Sim, um aluno necessita de fonoaudiólogo.

P: Houve espaço de escuta ativa e verdadeira?
R: Sim, todos tiveram oportunidade de se expressar nas aulas.

P: O que contribuiu no desenvolvimento da oralidade dos alunos?
R: Criar, além dos momentos comuns diários de fala, outros momentos específicos, como as assembléias dos alunos e rodas de conversa.

P: O que pode ser feito no próximo ano?
R: Ampliar as mesmas ações.

Na convivência

P: Como foi o relacionamento entre todos na turma: professor e alunos, alunos e alunos?
R: Muito bom.

P: Houve respeito, amor, tolerância, entre todos?
R: Muito.

P: O que contribuiu para um bom relacionamento entre todos?
R: A construção coletiva das regras de convivência, as rodas de conversa, o atendimento e a conversa individual com os alunos que precisaram de mais atenção, e o trabalho desenvolvido por estagiários de psicologia na escola.

P: O que pode ser feito no próximo ano?
R: As mesmas ações com ampliações e aprimoramentos.

Alunos que ainda precisam de um apoio e ou atendimento mais individualizado

P: Quantos e quais alunos precisam de um atendimento mais individualizado ainda no próximo ano?
R: Três. (Não serão citados no post para preservá-los).

P: Quais são suas necessidades?
R: Leitura com fluência e escrita com autonomia.

P: O que pode ser feito no próximo ano?
R: Grupos de estudo e apoio na própria escola, projeto de tutoria, projeto de leitura e escrita voltado especificamente a esses alunos.

EM MINHAS AULAS

P: O que deu certo?
R: A produção de textos e a leitura. Os alunos produziram cinco livros maravilhosos de Lengalenga. Depois de muitas intervenções e muita paciência, o relacionamento entre toda a turma também evoluiu muito.

P: O que não deu muito certo e precisa melhorar?
R: A organização das lições para casa e a organização da sala que, pelo excesso de carteiras e cadeiras, ficou com espaço limitado.

P: O que aprendi com outros professores nesse ano?
R: Muita coisa! Por exemplo: a organização dos textos a serem trabalhado em forma de portfólio, a pensar matemática de uma forma não convencional, diferentes formas de se explorar a leitura e técnicas e maneiras de se acalmar, respirar e ouvir os alunos.

Esses são só alguns elementos, já dão pano para bastante reflexão. Você pode adaptar as perguntas às suas necessidades: incluir elementos da sua disciplina, ou fazer mais perguntas específicas sobre alfabetização, sobre a hipótese em que se encontra cada aluno, por exemplo.

Bom, queridos professores, estou nesse momento de entendimento do meu ano letivo. E vocês?  Como foi o seu ano letivo? Que itens acrescentariam a essa lista? Conte aqui nos comentários!

Um abraço a todos, muita força e coragem para terminar o ano da melhor forma possível!

Até à próxima semana!

Mara Mansani

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias