Seções | Estante

Sugestões de livros, filmes e sites

Referências para o trabalho do educador

POR:
NOVA ESCOLA e Anna Rachel Ferreira

 

Clássico do Mês

O que e como ensinar bem amarrados
Raramente, os títulos que tratam sobre currículo apresentam relação clara e bem definida com a prática desenvolvida em sala de aula. Muitos deles se baseiam em uma análise mais teórica e voltada às pesquisas acadêmicas nessa área. O Currículo: uma Reflexão sobre a Prática é diferente. Na contagiante obra, José Gimeno Sacristán navega por temas de profunda importância para o educador que está na lida.

O especialista, catedrático da Universidade de Valência, na Espanha, esclarece quais são os três pontos fundamentais e recíprocos sobre a transformação do currículo em realidade. O primeiro é que a aprendizagem de todos os estudantes se organiza conforme o projeto desenvolvido pela escola. O currículo é, antes de qualquer coisa, uma seleção de conteúdos propostos para atingir os objetivo estabelecidos nesse projeto. O segundo aspecto é que para ter valor, o currículo precisa estar em função das condições reais vividas pela instituição. E, por último, Sacristán aponta como essas condições específicas estão submetidas ao contexto social mais amplo.   

O valor do currículo se comprova na realidade em que ele se dá, na forma em que ele se concretiza.

Usei a obra na minha dissertação de mestrado e entendo que ela deixa uma importante consideração sobre as intenções e os objetivos definidos para a aprendizagem dos alunos e o que está sendo feito em sala de aula. 

Para mim, a leitura inspira a reflexão sobre a necessidade de superar definitivamente a cultura que transforma o currículo em peça burocrática. É necessário que todos na escola compreendam que o documento é imprescindível ao que se faz no dia a dia.  Ele espelha a qualidade desejada para a Educação à medida que desenha os conteúdos e os procedimentos. Isso é vivo e dinâmico, não pode ficar guardado na gaveta. Além do mais, está diretamente ligado à profissionalização dos docentes. Não à toa, qualquer inovação curricular precisa, necessariamente, considerar a formação dos professores. 

LÚCIA COUTO, autora desta resenha, é pesquisadora e gerente de desenvolvimento e conteúdos do Instituto Unibanco.

O Currículo: uma Reflexão sobre a Prática, José Gimeno Sacristán, 352 págs., Ed. Artmed, tel. 0800-703-3444, 72 reais


Formação

 

Alunos foram convidados a fotografar espaços em que identificassem poliedros e corpos redondos, para serem analisados sob o olhar matemático em sala. Essa é uma das propostas comentadas na obra, que também fala da produção de textos sobre geometria.

Aprendizagem em Geometria na Educação Básica ? A Fotografia e a Escrita na Sala de Aula, Cleane Aparecida dos Santos e Adair Mendes Nacarato,112 págs., Ed. Autêntica,
tel. 0800-28-31-322, 35 reais

 

 

Para tratar da violência na escola, a autora contextualiza esse fenômeno na história e discute qual o papel da Educação nele. Ao levar o assunto para dentro dos muros escolares, ela lembra que a instituição não é homogênea, mas acaba se tornando um reflexo da sociedade em que está inserida.

A Sociedade da Insegurança e a Violência na Escola, Flávia Schilling, 78 min, 112 págs., Ed. Summus, tel. (11) 3865-9890, 22,50 reais

 


Infantojuvenis

 

 

 

O livro descreve animais brasileiros, muitas vezes desconhecidos das crianças, como a anta, o boto e o quati. São 23 definições que contam sobre pássaros, peixes, insetos e mamíferos.

Abecedário de Bichos Brasileiros, Geraldo Valério, 56 págs., Ed. WMF Martins Fontes, tel. (11) 3293-8150, 39,80 reais

 

 

 

 

Uma criança pergunta à mãe de onde ela veio e descobre detalhes curiosos de sua história antes mesmo de seu nascimento. A canção, do grupo Palavra Cantada, virou um livro com belas ilustrações acompanhado de CD.

Eu, Paulo Tatit, 50 págs., Ed. Melhoramentos, tel. (11) 3874-0880, 44 reais

 

 

 

 

 

A obra, do vencedor do Prêmio Nobel de Literatura 2014, nos leva a revisitar sua infância pelas memórias da professora Filomena. A protagonista relembra momentos cheios de significado da meninice.

Filomena Firmeza, Patrick Modiano, 192 págs., Ed. Cosac Naify, tel. (11) 3218-1444, 29,90 reais

 


Outras Indicações

 

 

 

 

Ambientada em Tóquio, em 1984, a obra conta duas histórias ligadas.   Aomame embarca para uma missão que mudará sua vida. Já Tengo  escreve um romance cercado de mistério.

Trilogia 1Q84, Haruki Murakami, 3 volumes (432, 376 e 472 págs.), Ed. Alfaguara, tel. (21) 2199-7824, 119,90 reais 

 

 

 

 

 Depois de algum tempo afastados, três amigos se cruzam em Paris. Durante os encontros, eles conversam sobre as pessoas ao redor. Nos diálogos surgem temas variados como erotismo, política e sociedade. 

A Festa da Insignificância,  Milan Kundera, 136 págs., Ed. Companhia das Letras, tel. (11) 3707-3500, 36 reais

 

 


Entrevista

 

 

 

 

 

 

 

A História Verdadeira do Sapo Luiz, Luiz Ruffato, 40 págs., Ed. DSOP, tel. (11) 3660-5400, 39,90 reais

 

Em sua primeira incursão pela literatura infantil, Luiz Ruffato se debruça em uma história famosa - a busca pelo príncipe encantado - e se propõe a contar uma nova versão, a "verdadeira".

Por que escrever para o público infantil?
Na verdade, primeiro pensei na história que eu queria contar. Acredito que cada uma pede uma linguagem, e essa pedia uma mais simples, com que as crianças se identificassem. Mas tenho certeza de que o livro pode ser lido por pessoas de todas as faixas etárias.

Como surgiu a ideia dessa narrativa?
Foi um jeito que encontrei de escrever a minha biografia. Eu sou um sapo que não virou príncipe, mas que é muito feliz. É um pouco uma inversão do que se espera de um conto de fadas, mantendo o final feliz.

Durante a leitura, pouco sabemos do sapo. Por quê?
Quis que a princesa fosse a protagonista. Em geral, ela sempre vira a esposa do rei. Aqui, o sapo se torna marido da rainha. O lugar da mulher na sociedade é algo que me toca.

Compartilhe este conteúdo: