Seções | Escola e família | E agora, Telma?

Como orientar os pais a procurar um médico especialista quando necessário?

Telma Vinha responde a dúvidas sobre comportamento

POR:
NOVA ESCOLA
Telma Vinha,

Telma Vinha,
professora de Psicologia Educacional da Universidade Estadual de Campinhas (Unicamp)

Pergunta enviada por Vania de Souza Ferreira, São Paulo

É doloroso para os pais saber que o filho pode apresentar problemas de desenvolvimento. Antes de contatar a família, é preciso refletir sobre o papel da escola no aprendizado desse aluno e se o modelo educativo praticado por ela respeita o ritmo e as diferenças de cada um. Planeje o encontro com antecedência e, caso haja uma equipe de especialistas na instituição ou rede de ensino, apoie-se nas informações fornecidas por ela. Escolha um local tranquilo e privado, com tempo disponível para a conversa. Esse assunto não pode ser tratado por bilhete ou de forma rápida. Descreva a situação com linguagem acessível, sem fazer julgamentos, rotular o aluno ou apontar culpados. Por exemplo, em vez de dizer que a criança é agressiva, explique que ela reage impulsivamente diante das frustrações e ainda não consegue expressar o que sente com palavras. Demonstre interesse no bem-estar do estudante explicando o trabalho da escola e as intervenções feitas para ajudá-lo. Conte sobre os esforços dele para superar o problema. Com delicadeza, indique a área do especialista, o motivo do encaminhamento e o que se espera da atuação dele. Combine um período flexível de retorno, colocando-se à disposição para o diálogo com esse profissional e para enviar informações da escola a ele. Apenas apresentar o problema, sem auxiliar na busca de caminhos ou atribuí-los a fatores extraescolares, demonstra pouco envolvimento da escola para com a criança.

Compartilhe este conteúdo: