Sala de Aula | Educação Infantil | Sala de aula

Escovar um é fácil. Vinte é demais?

Dá, sim, para ajudar todo mundo na higiene. Dicas aqui

POR:
Wellington Soares, Paula Peres, Alice Vasconcellos e Monise Cardoso

Acabou o almoço e, agora, o banheiro da creche está lotado, com 20 crianças mastigando a escova de dentes (não necessariamente a própria). Dá para evitar esse pesadelo organizando um esquema de rodízio, com no máximo cinco pequenos por vez - os demais podem estar no refeitório ou na sala com um assistente.

Diante do espelho, seu papel é garantir que o momento seja de aprendizagem prazerosa. Deixe que as crianças conversem e brinquem durante a escovação. Em seguida, reforce ações que vão transformar a limpeza da boca em hábito (abaixo). Na creche, o educador escova os dentes dos pequenos que não conseguem - mas já corrige os movimentos e indica a maneira certa de fazer até que eles ganhem autonomia, o que costuma ocorrer no fim da pré-escola. Outra função é compartilhar informações sobre saúde bucal. "Quantos dentes temos?" é uma boa pergunta disparadora.

Aproveite a curiosidade numa roda de conversa e destaque a importância da escovação rotineira em casa, sobretudo à noite. "Quando dormimos, a produção de saliva diminui. Se a boca não está higienizada, a placa bacteriana causa cáries", diz Neila Paula de Souza, professora do Centro Universitário do Triângulo (Unitri).


Cinco passos da limpeza

  • Use pouco creme dental (o tamanho de uma ervilha para crianças maiores e de um grão de arroz para bebês).
  • Prefira pastas com flúor. Elas garantem a higienização mesmo que o movimento não seja adequado.
  • Peça que os pequenos contem até 10 enquanto escovam cada dente. São necessários dez segundos de movimentos repetidos para que a limpeza aconteça.
  • Fique atento ao desgaste das escovas, que pode ser maior com crianças pequenas, por causa de mordidas e da escovação irregular.
  • Armazene as escovas separadamente para que não haja troca de bactérias entre elas.

 


Consultoria: Damaris Maranhão, da Unisa, e Mario Groisman, mestre pela Universidade de Lund, Suécia. 

Fotografia: Veronica Mancini