Seções | Caro Educador

A alfabetização é o passaporte para o mundo

Ensinar todo mundo a ler, a escrever e a calcular são desafios enormes - e vale a pena enfrentá-los

POR:
NOVA ESCOLA
LEANDRO BEGUOCI,

LEANDRO BEGUOCI,
Diretor editorial e de produtos

 Gostaria de começar esta carta contando uma história. Dos 7 aos 10 anos, estudei em uma escola pública em Caieiras, cidade da Grande São Paulo em que cresci. Tive professoras excelentes. Graças a elas, aprendi as delícias de ler e de escrever, além do prazer de conseguir realizar as quatro operações matemáticas. A sensação era de que o planeta é composto de uma quantidade incontável de possibilidades. Ao ser alfabetizado, ganhei também um passaporte para a vida.  

Claro que nem tudo foi fácil. Esse processo não depende só do professor. Ele exige participação dos pais - que nem sempre sabem como ajudar os filhos ou não têm tempo para isso e esforço dos alunos. Ainda me lembro da dificuldade que tinha, no início, para entender as operações de divisão e multiplicação. Mas valeu a pena.

Dia após dia, era como se o mundo passasse a falar comigo. As palavras no saquinho de leite, a tabela com o preço do pão, o letreiro do ônibus, os gols no placar do jogo de futebol. Aos poucos, tudo aquilo começou a fazer sentido. Letras e algarismos ganharam cor, sabor e significado. Então, quase sem perceber, comecei a criar frases e cálculos por mim mesmo. Redigi cartas, somei as ferramentas da garagem de casa, subtraí da jabuticabeira os frutos usados no estilingue. Entendi o troco na padaria. Foi emocionante.

A edição de NOVA ESCOLA e GESTÃO ESCOLAR que você recebe agora é uma homenagem às professoras Adriana, Neusa e Léa, que me alfabetizaram, e aos que ensinaram cada pessoa de nossa equipe a ler, escrever e calcular. Ao abraçar a carreira docente, com paixão e profissionalismo, esses educadores acreditaram em nossa capacidade e nos ajudaram a construir as ferramentas mais importantes de nossas vidas. Com conhecimento, observavam nosso processo de aprendizagem, combinavam metodologias e mudavam a estratégia quando tínhamos dificuldade. Eles nos ajudaram a estar aqui, muitos anos depois, conversando com vocês, também professores comprometidos com seus alunos e suas alunas. E nós sabemos o tamanho da nossa responsabilidade.

Por essa razão, decidimos falar sobre alfabetização e leitura nas duas principais reportagens da revista deste mês. A tarefa não foi simples, assim como o assunto também não é. Como acontece no caso de outros grandes desafios da Educação, não há fórmula mágica para alfabetizar. Quem está na sala de aula, enfrentando diariamente a questão, sabe bem disso.

Conversamos com muitos professores, gestores  escolares e especialistas para saber o que funciona comprovadamente, o que já é ultrapassado e o que ainda está sob avaliação para ensinar os alunos a ler e a escrever. Espero que sua experiência durante a leitura das matérias seja tão interessante quanto o processo de elaborá-las foi para nós.

E, por favor, depois, diga o que achou! Nosso compromisso maior é com vocês, educadores. Afinal, temos uma dívida eterna com as pessoas que estão fazendo, pelas crianças de 2016, o que nossos professores fizeram por nós décadas atrás.

Um grande abraço, e continue nos acompanhando. Nossa conversa continua na internet.


Foto: Fernando Gazinhato