Seções | Formação | Sua Carreira

Para cada disciplina, um jeito de ensinar

Graduações deixam de lado as didáticas específicas das áreas de conhecimento

POR:
Jacqueline Hamine, Wellington Soares, Pedro Annunciato e Ariane Alves

As peculiaridades das áreas do conhecimento exigem que os docentes saibam a teoria específica da disciplina em que atuam e também tenham condições de lançar mão de estratégias para ensiná-la. Nem sempre a formação inicial se debruça sobre todos esses aspectos. Segundo o pesquisador José Carlos Libâneo, professor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), isso ocorre tanto nos cursos de Pedagogia quanto nas Licenciaturas. No primeiro caso, há um foco nos procedimentos, enquanto no segundo dirige-se demasiada atenção aos conteúdos. "Nos dois formatos curriculares, verifica-se a dissociação entre aspectos inseparáveis na formação de professores: o conhecimento do conteúdo (conhecimento disciplinar) e o conhecimento pedagógico do conteúdo (conhecimento pedagógico-didático)", afirma ele no artigo Formação de Professores e Didática para Desenvolvimento Humano. Mozart Nevez Ramos, diretor de articulação e inovação do Instituto Ayrton Senna, em São Paulo, também defende que "não se trata de saber apenas o assunto, mas também de conseguir traduzi-lo nos processos de ensino e aprendizagem". Para sanar as dificuldades vindas do descompasso entre o curso superior e os desafios encontrados na sala de aula, muitos professores buscam cursos de pós-graduação, em universidades. Um caminho para quem quer se aprimorar são as formações oferecidas para educadores da rede pública de todo o país pelo programa Universidade Aberta do Brasil (UAB), da Capes (mais informações em uab.capes.gov.br). Abaixo, docentes que procuraram se aprimorar em suas áreas relatam as dificuldades que tinham e as aprendizagens conquistadas.

O que aprendi na pós-graduação


"A Pedagogia é muito geral. Estudei música em profundidade e me preparei didaticamente para abordá-la em sala."

Jhonilson de Souza, professor polivalente nos anos iniciais do Ensino Fundamental

Especialização em Educação Musical
Quem oferece:
 Instituto Federal do Amazonas (Ifam).
Duração: um ano e meio.
Clique aqui para mais informações 


"Durante a pós, eu pude aplicar os novos aprendizados nas salas em que eu estava lecionando."

Illana Silva Rocha, professora de Geografia nos anos finais do Fundamental

Especialização em Ensino de Geografia
Quem oferce: Universidade Federal de Alagoas (Ufal).
Duração: um ano e meio.
Clique aqui para mais informações


"Hoje, consigo avaliar melhor os alunos e ter mais clareza do que fazer para que eles avancem."

Evelise Bernardi, professora polivalente nos anos iniciais do Fundamental

Especialização em Formação de Escritores
Quem oferece: Instituto Superior de Educação Vera Cruz (ISE), em São Paulo.
Duração: dois anos.
Clique aqui para mais informações 


"Antes, eu passava o conteúdo da mesma maneira como eu tinha aprendido, sem recorrer a estratégias próprias da área."

Patrícia de Souza Dias, professora de Matemática nos anos finais do Fundamental

Mestrado em Educação Matemática
Quem oferece: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).
Duração: dois anos.
Clique aqui para mais informações


"Pude repensar a prática do ensino de línguas na escola, onde tenho menos tempo do que nos cursos de idiomas."

João Paulo Xavier, professor de Inglês

Mestrado em Linguística Aplicada ao Ensino de Línguas Estrangeiras 
Quem oferece: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
Duração: dois anos.
Clique aqui para mais informações


Fotos: acervo pessoal dos professores

Compartilhe este conteúdo: