Seções | Nova Escola Indica

Sugestões de livros, filmes e sites

Referências para o trabalho do educador

POR:
Bruno Mazzoco e NOVA ESCOLA
Clássico do Mês

A criação sem amarras

Ampliar a maneira de ver e pensar o desenho. Esse é o objetivo principal do livro de Edith Derdyk. Mais do que uma técnica, essa linguagem é considerada potente e múltipla, capaz de atender a variadas sensibilidades e articular as pontes entre os universos infantil e adulto.

O fio condutor da obra é a valorização da vivência que se tem enquanto se desenha. Com base nisso, discute-se a importância das experiências para a formação do educador, sejam elas de natureza ativa ou contemplativa. A autora argumenta que o viver não pode ser dissociado do esforço de ensinar e discute os conceitos e preconceitos que costumam existir a respeito dessa forma de expressão artística. 

A concepção de que o uso desse meio de representação está diretamente ligado ao aprendizado de técnicas é colocada em xeque. Em vez disso, a proposta é criar condições que ampliem o imaginário e a capacidade de invenção dos estudantes na experimentação dessa linguagem. 

Estabelecidas as bases para uma criação livre de amarras tecnicistas, o leitor é convidado a refletir sobre o ato de desenhar da criança: suas idas e vindas e a íntima ligação com o gestual e com a brincadeira. Por fim, são apresentadas produções de alguns artistas que oferecem modos distintos de pensar a representação.

Este é um livro para todos aqueles que se interessam pela valorização das expressões humanas. Encontra-se nele uma referência para a formação de profissionais que trabalham com crianças, jovens e adultos e refletem sobre a Educação da arte, pela arte e com a arte.

"O arte-educador que vivencia o desenho como potência expressiva e poética dificilmente incorrerá em erros grosseiros de interpretação e avaliação de um desenho realizado por alguma criança." 

CINTHIA MANZANO, autora desta resenha, é formadora de professores do Instituto Avisa Lá 

Formas de Pensar o Desenho - Desenvolvimento do Grafismo Infantil, Edith Derdyk, 200 págs., Ed. Zouk,  tel. (51) 3024-7554, 43 reais. 
 


DVD

Relações virtuais

Numa era em que as interações humanas são cada vez mais mediadas pelos recursos digitais, o longa-metragem retrata a vida de seis adolescentes e suas famílias para apontar alguns problemas causados pela superexposição à tecnologia.  As situações apresentadas podem ser um bom aquecimento para discutir essas questões com a turma.

Homens, Mulheres & Filhos, Jason Reitman, 119 min, disponível para locação. Vendas a partir de junho, 29,99 reais, abr.ai/paramount 


 

Exposição

Joan Miró - A Força da Matéria

Se você gosta de modernismo, prepare-se. Essa mostra traz mais de 100 obras, entre pinturas, esculturas e gravuras. A curadoria privilegia a busca do artista espanhol por diferentes suportes.

Joan Miró ? A Força da Matéria. Instituto Tomie Ohtake (SP), de 24 de maio a 16 de agosto. 10 reais. A mostra segue para o Museu de Arte de Santa Catarina (Masc) em setembro. 


 

Site

Canal contra o bullying

O governo federal acaba de criar o Humaniza Redes, um novo espaço virtual para identificar e punir casos de preconceito, discriminação e outras formas de desrespeito na internet e fora dela. A iniciativa se soma ao

Disque 100 da Secretaria de Direitos Humanos (SDH), com foco principal na proteção de crianças e adolescentes. É possível denunciar anonimamente as violações ocorridas e tirar dúvidas com especialistas por chat ou e-mail. 

Para colaborar, basta preencher um formulário online. Além do site, o serviço possui páginas nas principais redes sociais. 

humanizaredes.gov.br 
 


 

Formação

Infância levada a sério

A importância das brincadeiras para a aprendizagem das crianças é praticamente consenso entre os pesquisadores do desenvolvimento infantil. Desde a década de 1980, a incorporação dos aportes de Lev Vygotsky (1896-1934) à teoria de Jean Piaget (1896-1980) enfatiza o brincar como forma de inserção dos pequenos no mundo da cultura e o insere nas preocupações de quem atua na Educação. Aliando profundidade acadêmica, exemplos de sala de aula e sugestões de atividades, essa coletânea de artigos busca ampliar o embasamento e o leque de recursos dos docentes nessa área.

Vamos Brincar de Quê?Daniele Nunes Silva e Fabrício Santos Dias de Abreu (orgs.), 160 págs., Summus Editorial, tel. (11) 3865-9890, 47,20 reais.

 



INFANTOJUVENIL 

Indagações inquietantes

Para onde as nuvens vão quando desaparecem? E as poças de água? E as pessoas que não estão mais aqui? Com questões como essas, o livro aborda de maneira singela e sutil temas como a fragilidade das relações humanas e a finitude da vida, entre outras inquietações que ocupam a imaginação dos pequenos. 

Para Onde Vamos Quando Desaparecemos?Isabel Minhós Martins e Madalena Matoso, 44 págs., Tordesilinhas, tel. (11) 5572-9474, 38 reais.

 


 

Literatura

História recontada

 

 

PEPETELA é escritor, vencedor do Prêmio Camões (1997)  

 

 

 

 

 

Ex-guerrilheiro, político e professor, o angolano mistura narrativa mítica, ficção e relato histórico no romance Lueji ? O Nascimento de um Império, lançado no Brasil para celebrar os 40 anos da independência do país africano.

Como é o diálogo entre história e literatura em seus textos?

Minha obra é essencialmente baseada na realidade angolana. Um escritor pode usar a história para fazer ficção e a ficção pode realçar aspectos dos fatos passados.  Relatado de uma maneira diferente e mais atrativa, pode ser que o que aconteceu interesse mais às pessoas. 

E de onde vem Pepetela?

Na guerrilha, todos nós recebemos um codinome e um companheiro meu escolheu Pepetela. Essa é uma palavra quimbundo, língua banto de Angola, e quer dizer pestana. O meu sobrenome é Pestana. Achei Pepetela muito mais bonito e mais sonoro. Por isso, adotei como meu nome de guerra e depois como pseudônimo. 

Como você se tornou escritor? 

Foi na escola. Eu tinha de fazer redações, sempre com o mesmo tema. Estava cansado, então inventei uma maneira diferente de escrever sobre aquilo. Achei que seria castigado, mas a professora gostou muito. Aí comecei a ser escritor.

 

 

 

Lueji - O Nascimento de um Império, Pepetela, 384 págs., Editora Leya, tel. (11) 3129-5448,
39,90 reais.


 

Compartilhe este conteúdo: