Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Seções | Nosso Aluno


Por: NOVA ESCOLA

Acolher e reconhecer

Prepare com cuidado a recepção dos estudantes para o início do próximo ano letivo

Catarina Iavelberg,

Catarina Iavelberg,
é assessora psicoeducacional especializada em Psicologia da Educação

No período do planejamento que antecede o início das aulas, a equipe gestora pode discutir com os professores como acolher os alunos. Essa não é uma data qualquer para eles. Após um longo período de afastamento da escola, crianças e adolescentes retornam com entusiasmo e, não raramente, preocupações. Animados com os materiais recém-adquiridos, ansiosos em saber o que vão aprender, curiosos e muitas vezes preocupados em conhecer novas turmas e professores. É, portanto, um momento bastante esperado por eles, seja por causa de expectativas, projeções ou temores e, se soubermos aproveitá-lo, poderemos ajudá-los a trilhar um bom ano letivo.

As estratégias devem ser debatidas porque cada classe tem sua especificidade. Há aquelas que irão iniciar um ano com muitas novidades, caso do 1º ano, que espera aprender a ler e a escrever, e do 6º ano do Ensino Fundamental, que passa a ter vários professores especialistas. Há também as que vão concluir uma etapa importante da vida escolar (9º ano do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio). Além disso, há os docentes novos na instituição ou os que assumirão uma turma ou disciplina pela primeira vez, portanto, os gestores necessitam escutar os anseios e os receios da equipe.

Pode-se programar, por exemplo, a chamada passagem dos grupos. Isto é, os professores antigos transmitem aos novos as características das classes bem como as particularidades de cada aluno relativas a aspectos pedagógicos (relação com o conhecimento, dificuldades de aprendizagem, estratégias didáticas que foram bem-sucedidas) e educacionais (postura, qualidade das relações interpessoais).

"É importante abrir um espaço na rotina da primeira semana de aula para registrar as expectativas dos alunos em relação ao ano escolar, bem como o que consideram ser seus principais desafios pessoais."

Embora não existam regras para preparar a recepção da garotada, algumas ideias podem ser consideradas. Uma ação educacional é o acolhimento do grupo. Nesse sentido, as primeiras aulas podem ser dedicadas a atividades de apresentação e reconhecimento mútuo entre estudantes e professores. Elas podem ocorrer de diferentes maneiras: levantamento dos centros de interesses das crianças e dos jovens; para os maiores, proposição de uma reflexão sobre um tema complexo que esteja sendo veiculado na mídia ou investigação das representações que os alunos têm sobre o campo de estudo da disciplina ou sobre um assunto específico que será estudado. Enfim, o objetivo é criar situações pedagógicas que possam ajudar o docente a fazer uma primeira avaliação diagnóstica da turma, ou seja, identificar suas preferências, que tipo de leitura fazem de problemas sociais, como se organizam em torno de uma discussão coletiva, o que pensam sobre as áreas que irão estudar, dentre outras.

Também é importante abrir um espaço na rotina da primeira semana de aula para registrar as expectativas dos alunos em relação ao ano escolar, bem como o que consideram ser seus principais desafios pessoais. Essa ação pode ser feita individualmente, por meio de uma atividade escrita, e, depois, de maneira coletiva, com o compartilhamento oral. O professor pode recolher essas informações e apresentar para as crianças ou jovens em um momento posterior do ano letivo, para verificar o que mudou ao longo do processo.

Outro cuidado é conversar com a classe sobre o que e como estudarão. Antecipar os conhecimentos que serão construídos e a forma como serão aprendidos ajuda a baixar a ansiedade, pois permite que o grupo saiba quais aprendizagens que os aguardam. Durante essa apresentação, o docente pode explicitar o que espera em relação à postura, tipo de participação, envolvimento etc. O essencial é que, nesse primeiro contato, haja o reconhecimento de alunos e professores e a formulação de um pacto educativo um acordo sobre o papel que cada um deve desempenhar ao longo do ano para que todos aprendam. 


Foto: Tamires Kopp

Compartilhe este conteúdo: