Seções | Caro Gestor

O jeito contemporâneo de se aprimorar e de atuar na escola

Novo site para educadores, o respeito às várias famílias e o celular como aliado

POR:
NOVA ESCOLA
Maggi Krause,

Maggi Krause,
Diretora de redação

Em setembro, a Fundação Victor Civita completa 30 anos! Para comemorar, temos a satisfação e o orgulho de lançar um novo site, o NOVA ESCOLA CLUBE (novaescolaclube.org.br). Não é à toa que o slogan criado para ele é "conteúdo para aprender e ensinar", pois ali é possível ler edições inéditas de NOVA ESCOLA e de GESTÃO ESCOLAR, consultar edições anteriores, participar de grupos de estudo com especialistas, assistir a consultorias em vídeo e a palestras e acessar testes e infográficos. A novidade é fruto de um trabalho de estratégia, desenvolvimento tecnológico e de conteúdo que começou em fevereiro de 2014. Para que todos os educadores possam conhecer o site, programamos um período de degustação gratuita até 31 de outubro (depois ele será acessível apenas para assinantes). Além de ser multimídia e permitir interação, abre um leque de experiências formativas: você poderá assistir, por exemplo, a uma palestra com o especialista Lino de Macedo sobre o construtivismo e participar de um grupo de estudo sobre a violência na escola. Em NOVA ESCOLA CLUBE, um diferencial é que você consegue ler edições de GESTÃO ESCOLAR todos os meses. 

 

A matéria de capa de setembro problematiza como as instituições se posicionam diante dos novos arranjos familiares. "O assunto está mais nas entrelinhas da vida escolar do que na discussão diária da equipe", notou Raissa Pascoal, repórter que apurou e escreveu o texto. "Pequenas ações, sejam elas discriminatórias ou inclusivas, são representativas dos valores da escola. Foi difícil achar instituições que tivessem, explicitamente, intencionalidade em lidar com as diferentes famílias." Aqui na Fundação Victor Civita, reforçamos que, independentemente das crenças pessoais dos educadores, é papel da escola ensinar a conviver com a diversidade. 

A repórter Karina, à direita, com a diretora, o professor e os alunos da EMEF Jardim Mitsutani I - Jornalista Paulo Patarra, em São Paulo. Foto: Raoni Maddalena

Outro assunto que já foi polêmico é a utilização do celular, objeto que aos poucos deve ser apropriado pelos educadores no contexto escolar. Na reportagem de Karina Padial, você perceberá a diferença entre seu uso como mídia e como tecnologia educacional. Além de ofertar novas possibilidades pelo número de ferramentas de que dispõe para diversificar atividades em sala, ele também amplia o cenário de formação, se bem utilizado pelos coordenadores pedagógicos. Outra característica que favorece a gestão é a rapidez de informação aos pais ? tecnologia que merece ser explorada nas saídas a campo. Mas tudo exige cuidados, combinados e orientações, já que, se as expectativas das famílias não forem ajustadas, o descompasso pode gerar excesso de trabalho para docentes e gestores. 

Compartilhe este conteúdo: