Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Reportagens | Maura Visita | Reportagens


Por: NOVA ESCOLA

Todos os detalhes, da justificativa à avaliação

Assista à continuação do vídeo com Maura Barbosa e conheça o documento feito pela EE Jardim Campestre sob orientação da consultora

Maura Barbosa,

Maura Barbosa,
coordenadora pedagógica da Comunidade Educativa CEDAC e consultora de GESTÃO ESCOLAR

 

Parte 2 | Projeto Institucional

 

Projeto institucional

FORMAÇÃO DE LEITORES 
EE Jardim Campestre - Embu-Guaçu (SP)

Justificativa 
Nos últimos anos, os indicadores de aprendizagem da EE Jardim Campestre apontaram uma instabilidade na proficiência leitora dos alunos. Ora os resultados são positivos, ora não estão adequados e ficam abaixo das expectativas e das metas. Pensando nesse cenário, é prioritário investir na formação dos estudantes nessa área. 

No texto O Prazer de Ler, a pesquisadora espanhola Isabel Solé afirma: "A escola não pode compensar as injustiças e as desigualdades sociais que nos assolam, mas pode fazer muito para evitar que sejam incrementadas em seu interior. Ajudar os alunos a ler, com que se interessem pela leitura, é dotar-lhes de um instrumento de aculturação e de tomada de consciência cuja funcionalidade escapa dos limites da instituição". 

Com este projeto institucional, portanto, a escola quer cada vez mais assegurar o compromisso com a Educação de qualidade e garantir as condições para que toda a equipe possa contribuir com a formação de leitores. 

OBJETIVO GERAL 

  • Incentivar o hábito de leitura na escola (dentro e fora da sala de aula) e na comunidade.
  • Qualificar o trabalho de leitura, tanto na formação dos professores quanto nas intervenções que eles realizam com a classe. 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Para a direção 

  • Assegurar as condições institucionais de fomento à leitura para alunos, professores, funcionários, familiares e comunidade.
  • Contribuir na melhoria da proficiência leitora dos educadores, dos funcionários, dos estudantes e da comunidade.
  • Assegurar uma rotina organizada (sistemática e frequente) de trabalho voltada à leitura.

Para a coordenação pedagógica 

  • Inserir na formação dos professores a reflexão constante sobre o desenvolvimento da competência leitora em sala.
  • Organizar com os docentes uma rotina de situações de leitura para a turma em que atuam.

Para os professores

  • Planejar e implementar a regularidade da leitura literária em classe.
  • Intensificar as intervenções em aula com o propósito de colaborar com a formação de leitores.  

Para os alunos

  • Tornar-se leitores proficientes e que façam uso de textos escritos para diferentes situações.
  • Interessar-se por ouvir, ler e contar histórias.
  • Sentir-se capaz de buscar informações nos materiais escritos das diversas disciplinas.

Para a comunidade

  • Compreender que o interesse da criança pela leitura contribui para o aprimoramento da aprendizagem dela.
  • Envolver-se no projeto por meio de diferentes ações.

CONTEÚDOS DE GESTÃO ESCOLAR

  • Aprendizagem Formação de leitores.
  • Recursos humanos Envolvimento de professores, estudantes, funcionários, pais e comunidade nas ações do projeto.
  • Materiais Disponibilização de materiais escritos, livros e outros suportes para assegurar o desenvolvimento de cada etapa do projeto.
  • Espaços Organização de ambientes destinados à leitura e para divulgar a literatura.

TEMPO ESTIMADO 
Um ano letivo (2015).

MATERIAL NECESSÁRIO

  • Dados relativos aos resultados da proficiência leitora dos alunos obtidos nos últimos quatro anos em avaliações externas e internas.
  • Levantamento do acervo de livros.
  • Equipamentos para exibição de vídeos.
  • Referências para formação:

- A Formação Leitora do Professor, de Beatriz Gouveia. 
- Direito à Literatura, de Antonio Candido. 
- Livros e Professores - Binômio para a Excelência, de María Beatriz Medina. 
- O Prazer de Ler, de Isabel Solé.

DESENVOLVIMENTO 
1ª etapa Diagnóstico participativo 
Organize uma reunião com os professores e os demais membros da gestão da escola. No encontro, apresente para todos os dados sobre a proficiência leitora dos alunos, obtidos nos últimos quatro anos em avaliações externas e internas. Formando grupos ou duplas, coloque esses dados em discussão e levante as seguintes questões:

  • Em que esses dados nos ajudam a pensar sobre a formação de leitores em nossa escola?
  • Quais são as possíveis variáveis que impactaram nesses resultados?
  • Quais são as situações de leitura asseguradas aos estudantes dentro e fora da sala de aula?
  • Como o acervo da escola é divulgado?

Registre o resultado da conversa para recorrer a ele posteriormente. Em seguida, defina com o grupo quais são as metas a ser atingidas ao final de um ano com o projeto. 

Após a reunião, solicite a cada professor que faça um levantamento com a turma dele sobre o tipo de livro que os alunos mais gostam de ler, onde eles costumam ter acesso às obras (na sala de aula, na biblioteca da escola, em casa ou em outro espaço?), que atividades voltadas para a leitura eles desejariam que continuassem sendo feitas e que outras ações eles gostariam que a instituição desenvolvesse. 

Agende o próximo encontro para que todos possam socializar o levantamento proposto nessa etapa. 

Sugestão Para aprofundar e dar sentido à discussão, exiba vídeos que tratam do incentivo à leitura e convide um especialista em literatura para fazer uma conversa com os grupos, com os pais e com a comunidade sobre a importância da leitura na formação das pessoas. 

2ª etapa Planejamento 
Nesse novo encontro, peça para que todos compartilhem o resultado da pesquisa realizada com as turmas e pergunte com que regularidade cada um lê para a classe e quais tipos de texto são incluídos nessa atividade. Como o projeto é de toda a instituição, é importante convidar os responsáveis pela biblioteca (se houver) e outros funcionários. 

Com todos os presentes, organize um resumo das atividades que deverão ser mantidas e das novas ações que a escola irá desenvolver para incentivar a formação de leitores, sempre indicando prazos e quem se responsabilizará por cada uma. Algumas possibilidades são as seguintes:

  • Realizar o inventário constante dos livros existentes.
  • Providenciar reparos de materiais avariados e elaborar uma lista dos que precisam ser adquiridos.
  • Estabelecer e divulgar regras de uso dos materiais e dos espaços destinados à leitura.
  • Realizar leituras de bons exemplares de diferentes gêneros textuais e seus respectivos autores com todos os segmentos da comunidade.
  • Confeccionar e manter atualizados murais para divulgação de diversas publicações.
  • Promover saraus, rodas e feiras literárias, oficinas de contação de histórias, varal temático e exposições com a participação de todos os membros da comunidade.
  • Organizar um sistema de empréstimos de livros, tornando o acervo da escola acessível a todos.
  • Promover reuniões para os professores com pautas formativas relacionadas ao conteúdo de leitura.
  • Incentivar a participação dos profissionais da escola em palestras, eventos e cursos para posteriormente socializar com os demais membros da equipe.
  • Promover campanhas de doação de livros ou gibis.
  • Buscar parcerias com órgãos e instituições para aquisição de publicações.
  • Promover visitas a bibliotecas municipais e livrarias.

Com a lista feita, defina o que cabe a cada membro da equipe. Para facilitar, elabore um quadro de responsabilização para dar visibilidade ao desenvolvimento do que será organizado na etapa seguinte, com o plano de ações.

Quadro de responsabilização
O que cabe ao diretor?                                                                  
O que cabe ao coordenador pedagógico?  
O que cabe aos professores?  
O que cabe ao responsável pela biblioteca?  
O que cabe aos funcionários?  
O que cabe aos alunos?  
O que cabe aos familiares?  

 

3ª etapa Plano de ações 
Após definir a meta do projeto, realizar uma pesquisa na escola, listar as possíveis ações e elaborar o quadro de responsabilização, elabore um plano de ação. 

Clique aqui para conhecer o plano feito pela EE Jardim Campestre. Quando o trabalho for iniciado, insira uma coluna de resultados para que todos possam acompanhar o andamento. 

4ª etapa Envolvimento 
Faça um calendário com as datas dos eventos planejados. Divulgue para pais, alunos e funcionários e informe de quais atividades eles poderão participar. Elabore também um calendário com os prazos e compromissos de cada membro da equipe. Abra espaço na escola para a criação de grupos de trocas de livros e dê liberdade para que, em cada evento realizado, os participantes sugiram novas iniciativas. Inclua as que são viáveis no plano de ações. 

5ª etapa Manutenção 
O entusiasmo com o projeto deve ser mantido ao longo dos meses. Por isso, registre o resultado positivo ou negativo e os desafios enfrentados na realização de cada ação. Estabeleça uma regularidade de encontros para analisar o andamento das atividades propostas e repensar os encaminhamentos. Faça também uma consulta regular com cada segmento para saber o que estão fazendo e como estão avaliando as etapas concluídas.

AVALIAÇÃO 
Colha depoimentos de todos os envolvidos sobre como era a relação que tinham com a leitura antes e no decorrer do desenvolvimento do projeto de formação de leitores. Observe se os empréstimos de livros estão aumentando e se há grande presença do público nos eventos planejados. Acompanhe a evolução da competência leitora dos alunos. 

Com esses dados em mãos, reflita se é necessário mudar estratégias e peça sugestões de todos. Socialize os resultados das ações com toda a comunidade no blog da escola, no jornal da cidade, no mural do pátio, nas salas de aula e na reunião de pais. Compartilhe com outras instituições do bairro as conquistas e os aprendizados obtidos com essa iniciativa.


Foto: Gabriela Portilho

Compartilhe este conteúdo: