Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
RDRevista Digital

Especiais

Nesta área você encontrará todo o acervo da revista de maneira organizada e em formato digital

Sala de Aula | Anos finais do Ensino Fundamental – Língua Estrangeira | Sala de aula

Variedades linguísticas da língua espanhola

Introdução

Todos nós falamos uma variedade linguística de um idioma. A variedade que falamos tem a ver com escolhas que fazemos e com um estilo que é resultado da região em que vivemos, da profissão que exercemos, da idade que temos, dos diferentes grupos sociais aos quais pertencemos etc. Nesta sequência didática, o foco será aproximar os alunos das variedades das línguas hispano-americanas.

 

Objetivo

  • Reconhecer e valorizar as diferentes variedades linguísticas da língua espanhola.

 

Conteúdo

  • Variantes linguísticas.

 

Ano

9º do Ensino Fundamental.

 

Tempo estimado 

Duas ou três aulas.

 

Materiais necessários

  • Mapa da América do Sul.
  • Televisão.
  • Aparelho de DVD.
  • Filme Diários de Motocicleta (direção de Walter Salles, 2004, classificação etária 12 anos).
  • Cópias da transcrição da cena a ser analisada (fragmento do capítulo seis do filme, de 41min50s a 45min06s) com lacunas e trechos fora de ordem.
  • Cópias de receitas de empanadas chilenas e argentinas (clique nos links para acessar).

 

Desenvolvimento 

1ª etapa  O que é variedade linguística

Explique para os estudantes que todos nós falamos uma variedade linguística de um idioma, que é resultado de muitas influências. Essas diferenças aparecem em todas as línguas, inclusive no espanhol.

Para iniciar o trabalho, compartilhe com os alunos que eles assistirão a uma cena do filme Diários de Motocicleta. Dirigido por Walter Salles, trata-se de uma adaptação cinematográfica do diário de viagem do jovem argentino Ernesto, que, mais tarde, seria conhecido no mundo todo como Che Guevara. Ele e seu amigo Alberto resolveram conhecer países da América em uma velha motocicleta chamada "La poderosa". O filme é uma excelente oportunidade para discutir com a turma as diferenças culturais dos locais que eles visitam e, consequentemente, as variedades linguísticas. No trecho entre 41min50s e 45min06s, os personagens conhecem duas moças chilenas.

Faça uma breve contextualização do filme e avise que, no pedaço que vão assistir, é possível perceber diferenças lexicais, fonéticas e culturais. Apresente um mapa da América do Sul e indique a região da cena. Trata-se de Los Ángeles, no Chile, uma pequena comuna da região de BioBío, com capital em Concepción.

Para motivar a turma a assistir a cena, questione:

  • ¿Te atreverías a hacer un viaje como este?
  • ¿Irías en moto a conocer nuestros vecinos de América?
  • ¿Cuáles son los principales riesgos de un viaje así?
  • ¿Una aventura como esta puede ser divertida?
  • ¿Cuál fue el viaje más raro que hiciste?
  • ¿Y la aventura más interesante?

Em seguida, passe sem o som e sem as legendas o fragmento a ser analisado. Terminado, peça que os alunos façam inferências sobre quais são os temas e as intenções daquela situação comunicativa. Solicite também que os alunos levantem hipóteses sobre as duas variedades linguísticas, a argentina e a chilena:

  • ¿Como hablan los argentinos?
  • ¿Y los chilenos?
  • ¿Conoces alguna palabra o jerga típica de estos países? 

 

2ª etapa  As diferenças entre o espanhol do Chile e da Argentina

Entregue a transcrição da cena com lacunas e trechos fora de ordem. Coloque novamente o trecho do filme na televisão, agora com o áudio e sem legendas e peça para que os estudantes ordenem o texto e completem as lacunas com as palavras que faltam. Passe o fragmento duas ou três vezes, se necessário. Em seguida, corrija a atividade.

Após a correção, peça que os alunos tentem responder novamente as questões propostas anteriormente, ao final da primeira etapa. Caso eles ainda não tenham notado que os chilenos e os argentinos pronunciam de maneira diferente palavras com "y" e "ll", volte o fragmento para que escutem novamente a pronúncia de Alberto da palavra "llevamos" e de Carmina para "botella". A variante argentina falada por Alberto pronuncia a "ll" com um fonema parecido com o "j" do português em palavras como "Jenifer". Já as chilenas o pronunciam como um "i". Não é necessário especificar os nomes desses fonemas ou o nome desse processo fonológico. Acrescente apenas que, nessas duas variedades, a pronúncia da letra "y" também será a mesma do "ll", por isso as chilenas pronunciam a palavra "yo" diferentemente dos argentinos.

Destaque também que em um mesmo país haverá diferentes variedades linguísticas, assim como no Brasil, onde um mineiro da capital e um amazonense do interior falam de formas diferentes. Como tarefa, os alunos devem buscar o significado das palavras: macana, harto e che.

 

3ª etapa  Ampliação do vocabulário

Retome as questões tratadas na etapa anterior e discuta com os alunos os resultados da pesquisa que fizeram.

 

Significados

Se buscarmos a palavra macana no Dicionário da Real Academia (RAE), encontraremos na quarta acepção um sentido que se encaixa no contexto do diálogo do filme: "4. f. Arg., Perú y Ur. Hecho o situación que produce incomodidad o disgusto". O mesmo ocorre com a palavra harto: "3. adj. Bastante o sobrado". A palavra harto é muito utilizada no Chile e pode significar uma quantidade excessiva de algo ou cansado, aborrecido, mas também pode ser utilizada na despedida de cartas ou e-mails na expressão harto cariño.

Quanto à palavra che, segundo o RAE, quer dizer: "1. interj. Val., Arg., Bol., Par. y Ur. U. Para llamar, detener o pedir atención a alguien, o para denotar asombro o sorpresa". Essa expressão é tão usada pelos argentinos que é uma das marcas da sua variedade mais difundida, contudo não podemos esquecer que no sul do Brasil também se usa essa expressão.

Construa a tabela abaixo no quadro e peça que os alunos retomem o diálogo e a preencham em seus cadernos.

 

 

Actividad

 

Pronunciación

Léxico

Costumbres/tradiciones

Gastronomía

Argentina

Pronuncia do "ll" e do "y" como "j" em Jenifer

Macana
Che

No tomar vin con el estomago vacío
Quien invita paga

Empanadas argentinas

Chile

Pronuncia do "ll" e do "y" como "i"

Harto

Hospitalidad
Quien invita paga

Empanadas chilenas

 

4ª etapa  Reflexão sobre a cultura brasileira

Discuta com os alunos o preenchimento do quadro, deixando claro, mais uma vez, que nem todos os chilenos nem todos os argentinos têm a mesma variedade linguística. Fale também sobre como os jovens argentinos usaram um suposto costume local para que as meninas pagassem as empanadas. Pelo texto também fica implícito que as empanadas no Chile são diferentes das empanadas argentinas, mas não se sabe exatamente quais seriam essas diferenças.

Apresente para a turma duas receitas de empanadas e pergunte quais são as diferenças. Por fim, é importante também que os alunos reflitam sobre a cultura brasileira. Questione-os:

  • ¿Cómo completarías la tabla si fuera Brasil uno de los países analizados?
  • ¿Qué rasgos de la variedad del portugués brasileño te gustaría destacar?
  • ¿Los brasileños somos acogedores como fueron las chilenas?
  • ¿Será que también hacemos algún plato semejante a empanada?
  • En Brasil, ¿quién invita paga?

 

Avaliação 

Ao fazer as correções dos exercícios, observe se os alunos conseguiram realizá-los e se compreenderam o conceito de variedade em língua estrangeira. Verifique se os estudantes conseguem reconhecer que a diferenciação é um fenômeno comum em todas as línguas e que as variações afetam vários níveis de análise da língua. Aproveite a pesquisa que os alunos fizeram para identificar o que eles não entenderam ainda sobre o tema. Use essas informações para planejar as atividades das aulas seguintes.

 

Flexibilização (para deficiência auditiva)

Contar com um intérprete de libras em sala é muito importante para o desenvolvimento do aluno surdo. Vale lembrar que, para esse estudante, aprender espanhol é aprender uma terceira língua (antes temos libras e a língua portuguesa escrita). Por isso, ampliar o tempo de realização das atividades é imprescindível.

Introduza o assunto das variedades linguísticas lembrando o aluno de que, em Libras, também existem sinais convencionados em determinados grupos, que são interpretados de forma diferente em outros grupos. Fornecer os registros das legendas por escrito é fundamental para que o estudante acompanhe cada uma das etapas da sequência. Você pode marcar com cores diferentes os sons que têm pronúncias distintas e pode escrever que em tais palavras e em certos países o "ll" tem som de "i", por exemplo.

Caso o aluno consiga fazer a leitura orofacial, fale alguns termos de frente para ele, de modo que possa observar a diferença na articulação das palavras. Proponha atividades complementares para que o estudante trabalhe os conteúdos em casa e conte com o apoio do atendimento educacional especializado (AEE) no contraturno para reforçar as aprendizagens de Libras e trabalhar as dificuldades que ele tiver.

 

Consultoria

Jacqueline de Paula Sbeghen Iumatti Professora especialista em Língua Espanhola

Para assinaturas da revista impressa