Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
RDRevista Digital

Especiais

Nesta área você encontrará todo o acervo da revista de maneira organizada e em formato digital

Sala de Aula | Anos finais do Ensino Fundamental – História | Sala de aula

O povo na Proclamação da República

Introdução

Foram muitos os processos históricos e políticos do Brasil que contaram com a participação popular. Mas será que essa participação foi só uma promessa ou de fato se concretizou? A ideia desta sequência didática é, com base no estudo sobre a Proclamação da República, levar os alunos a refletir sobre o papel do povo nas transformações do país, tanto no século 19 como nos dias atuais.

 

Objetivos

  • Compreender a proclamação da República como um movimento desencadeado por forças militares sem grande resistência monarquista graças à crise desse sistema de governo.
  • Avaliar a pequena participação da população no evento.

 

Conteúdos

  • Proclamação da República.
  • Participação política popular.

 

Anos 

6º, 7º, 8º e 9º do Ensino Fundamental.

 

Tempo estimado 

Duas aulas.

 

Material necessário

  • O Despertar da República, de Ana Luiza Martins, Editora Contexto.
  • Carta do jurista e jornalista republicano e abolicionista Aristides Lobo (1838-1896) sobre o episódio de 15 de novembro de 1889
  • Obras, de Raul Pompeia

 

Desenvolvimento 

1ª etapa  Introdução ao tema

Comece a conversa perguntando aos alunos o que eles entendem por participação política e registre no quadro as ideias principais.

Com base nesse primeiro apanhado, direcione o olhar da classe ao período que deseja estudar, a Proclamação da República. Para que eles se situem, solicite a leitura do capítulo 1 do livro O Despertar da República.

Depois que todos tiverem finalizado essa atividade, peça que os estudantes destaquem as principais informações encontradas no texto e registre no quadro.

Lance a seguinte questão: em termos de participação popular, o novo regime acena com mais ou menos oportunidades de participar em relação à Monarquia? Após a discussão, apresente a proposta de investigar se a promessa de maior participação popular, de fato, se concretizou. Informe que a pesquisa será realizada por meio da análise de documentos de época.

 

2ª etapa Participação das camadas populares no processo

Distribua para cada aluno uma cópia do seguinte trecho de uma carta de Aristides Lobo (1838-1896) sobre o episódio de 15 de novembro de 1889:

"Por ora a cor do governo é puramente militar e deverá ser assim. O fato foi deles, deles só, porque a colaboração do elemento civil foi quase nula. O povo assistiu àquilo bestializado, atônito, surpreso, sem conhecer o que significava".

 

Reúna os alunos em duplas para discutir o excerto do jurista e jornalista republicano e abolicionista. Peça que abordem dois pontos principais: a composição do primeiro governo republicano e a participação das camadas populares no episódio.

Em seguida, organize a socialização das opiniões com a classe inteira. Discuta o uso do termo "bestializado", acentuando a associação ao animal besta, numa indicação de estupidez e ignorância sobre o processo.

 

3ª etapa  O que foi estudado e os dias de hoje

Distribua para cada aluno uma cópia do seguinte texto, de Obras, de Raul Pompeia:

"Desenganem-se os idealistas: o povo fluminense não existe (...) Dirão que o povo fluminense fez a agitação abolicionista e a agitação republicana (...) O povo não fez nada disso. Um grupo de homens denodados, bastante ativo é certo, para parecer a multidão, fez o movimento abolicionista e o movimento republicano do Rio de Janeiro. Em volta desses campeões devotados acercavam-se curiosos; e foi só".

 

Estimule um debate com a classe sobre a argumentação exposta no texto, iniciando pela discussão da expressão "o povo fluminense não existe". Por que o autor tem essa opinião? De acordo com ele, quem são os responsáveis pelos acontecimentos históricos?

Por fim, convide a turma a refletir sobre o significado dos dois textos do século 19 à luz dos dias de hoje. É possível dizer que os fatos e processos narrados são totalmente anacrônicos ou permanecem atuais? Por quê?

 

Avaliação 

Peça que os estudantes escrevam uma dissertação sobre a participação popular na Proclamação da República, tendo como base as leituras realizadas. Avalie se eles compreendem que, apesar dos acenos a certa democratização do poder, o episódio foi um processo de que o povo pouco participou, sendo na maior parte das vezes apenas citado nos discursos da nova oligarquia que chegava ao poder.

 

Consultoria

Pedro Henrique Raveli Professor de História

Para assinaturas da revista impressa