Reportagens | Projeto de formação: Uso de tecnologia na sala de aula | Reportagens

Módulo 3: Parâmetros de avaliação e qualidade

Estratégias para estabelecer critérios de avaliação em conjunto com a turma

POR:
NOVA ESCOLA
Objetivos específicos deste módulo
  • Compreender o conceito de avaliação para a aprendizagem.
  • Construir uma rubrica de avaliação.

Conteúdo 

  • Avaliação formativa.

Tempo estimado

Um mês e meio, com reuniões quinzenais.

Materiais necessários

Papel sulfite, canetão, fita crepe, papel Kraft, computadores com acesso à internet, projetor e cópia dos textos indicados.

Desenvolvimento

1ª REUNIÃO: Critérios de seleção

1. Caso ainda não tenha criado, organize um grupo no WhatsApp para esta atividade. A intenção do que será feito a seguir é refletir sobre como a falta de clareza no que é combinado entre professor e aluno pode gerar algo que não é o que o docente deseja.
2. Solicite que cada participante tire uma foto com o celular sobre um tema específico (água, flores, luz etc.) e compartilhe com o grupo do WhatsApp. Peça que todos deem notas para as fotos dos colegas, preenchendo a tabela abaixo.

Autor da foto Nota Justificativa
     
     
     

 

3. Indique que os professores socializem o motivo pelo qual deram as notas e vá registrando o que disserem em uma lista única no quadro.

4. Evidencie a diversidade de critérios utilizados. Comente que realizar uma tarefa, como tirar uma foto, sem ter indicadores sobre para que ela servirá, qual o objetivo etc. não é suficiente para garantir qualidade. Embora os alunos executem muito essa ação de tirar uma foto e compartilhar via WhatsApp ou redes sociais, ela só deve ser levada para a sala de aula se fizer sentido e se tiver um propósito específico para o aprendizado. O mesmo vale, por exemplo, para pesquisas na internet. Não adianta buscar um termo sem ter um norte. Isso só ocuparia o tempo da turma.
5. Distribua ou projete o texto a seguir.


Diferentemente de quando a informação se restringia aos livros, hoje ela está disponível na palma da mão, nos smartphones dos estudantes. O acesso foi amplificado com a internet, então a questão, agora, é qualificar o uso desses dados. Acessar informações e compartilhar com o professor já não é suficiente. Precisamos desenvolver estratégias para que os alunos consigam ir além disso e usar o que obtêm para construir conhecimento.

Nesse contexto, uma habilidade necessária é a capacidade de selecionar o que é relevante e importante e fazer escolhas com base em um referencial. Essa seleção envolve um processo de comparar, analisar, priorizar e decidir quais informações, ações e atitudes são relevantes, necessárias, e em que momento elas serão utilizadas. Trata-se de um ciclo contínuo e formativo, presente em todas as etapas de um projeto ou atividade.

Os meninos e as meninas não desenvolvem isso sozinhos. Por Isso, neste módulo, vamos debater sobre como colaborar para desenvolver a capacidade de selecionar.

 

2ª reunião: Rubricas de avaliação

 

Coordenador,

É importante que você leia antecipadamente os materiais que serão apresentados na reunião. Para se aprofundar no assunto, veja também o artigo Delineando Rubricas para uma Avaliação Mediadora da Aprendizagem em Educação Online. Se tiver uma boa compreensão do inglês, confira o texto Using Rubrics to Promote Thinking and Learning.

 

1. Introduza as rubricas, uma estratégia para inserir a avaliação formativa nas ações de uso da tecnologia. Distribua ou projete o texto abaixo, que possui um resumo das ideias de Heidi Goodrich Andrade, professora assistente da Divisão de Psicologia Educacional e Metodologia da Universidade de Albany, nos Estados Unidos.

 


O que é avaliação por rubrica?

Ela é composta de vários níveis de qualidade (de excelente a insuficiente), geralmente expostos em uma tabela. Frequentemente é utilizada para acompanhar uma tarefa complexa, como um projeto de longa duração ou um trabalho de pesquisa. O propósito é dar aos estudantes um norte sobre as atividades em andamento e indicar o que se espera do produto final.

Embora o formato de uma avaliação por rubrica possa variar, ela sempre tem duas características comuns:

1. Uma lista de critérios ou "o que conta" em um projeto ou tarefa.

2. Níveis gradativos de qualidade.

 

2. Apresente a rubrica criada pelo professor José Rosemberg, da rede municipal de São Paulo, com os alunos dele para orientar as habilidades necessárias à realização do projeto. A tabela foi construída antes do início da atividade e serviu como indicador de qualidade para analisar aspectos como a dedicação, o planejamento e os registros.

 

 

2. Explique que a rubrica é um documento coletivo, um acordo de cavalheiros, onde a clareza de onde estamos e onde desejamos chegar é alicerçada pela ideia que indica como podemos chegar lá. Para construí-la, é necessário pensar em vários níveis de um mesmo critério. Distribua ou leia o texto abaixo, com as sugestões da professora Heidi para as etapas de construção de uma rubrica.


Como fazer uma avaliação por rubrica?

1. Observe os modelos. Reveja exemplos de trabalhos bons e ruins de um projeto similar ao que os alunos irão elaborar. Por exemplo, caso forem fazer uma apresentação oral, mostre a eles uma apresentação excelente, talvez um discurso televisionado, e uma imperfeita. Se for usar materiais de turmas de anos anteriores, tome cuidado para que eles não possam ser identificados e obtenha a autorização para utilizá-los. Pergunte para a turma o que faz com que o bom exemplo seja melhor que os demais.

2. Relacione os critérios. Diga para os estudantes que eles farão um projeto similar e que você quer trocar algumas ideias sobre como ele pode ser avaliado. Eles irão recorrer às informações geradas durante a discussão do item anterior. Relacione as ideias que surgirem em ?Critérios? ou ?O que conta?. Caso a classe não mencione aspectos que você considera importantes, acrescente você mesmo, e esclareça os motivos.

3. Agrupe e desagrupe os critérios. Provavelmente, você terminará com uma lista longa de critérios sendo que muitos estão relacionados ou até coincidem. Após a aula, tente agrupá-los. Evite criar categorias muito extensas e deixe evidentes os aspectos que você quer enfatizar.

4. Expresse os níveis de qualidade. Recorrendo, novamente, aos comentários dos alunos durante a discussão sobre os modelos bons e ruins, faça um rascunho de quatro níveis de qualidade para cada critério. Você pode experimentar uma técnica chamada de ?sim / sim, mas / não, mas / não?. Procure utilizar os quatro termos como estrutura da frase. Por exemplo, caso o critério seja ?Faça um resumo breve do enredo da história?, os quatro níveis podem ser:

Nível 4 - "Sim, fiz um resumo breve do enredo".

Nível 3 - "Sim, resumi o enredo. Mas também inclui detalhes desnecessários ou deixei de lado informações importantes".

Nível 2 - "Não, não fiz o resumo do enredo. Mas inclui alguns detalhes da história".

Nível 1 - "Não, não fiz o resumo".

Não se preocupe em ser exato. Apenas apreenda um pouco da linguagem que descreva o bom trabalho e os problemas típicos que os alunos encontram.

5. Crie uma rubrica rascunho. Após a aula, rascunhe uma rubrica que inclua a relação de critérios que você obteve com a classe e amplie os níveis de qualidade. Não se prenda demais ao rascunho, você provavelmente o revisará mais de uma vez.

6. Revise o rascunho. Mostre o rascunho aos estudantes e peça que façam comentários. Eles, provavelmente, pedirão que você realize modificações.

Depois disso, a rubrica está pronta para ser usada. Entregue-a junto com a tarefa para que todos a utilizem para avaliar seus próprios projetos e as produções dos colegas.

 

4. Após a leitura do texto, assista com o grupo ao vídeo de José Rosemberg construindo uma rubrica com a turma do 4º ano, disponível aqui. Note que a gravação foi feita pelos próprios alunos e chame a atenção para a participação deles na construção dos critérios.

5. Ressalte que o docente estabeleceu níveis de 1 para o pior e 4 para o melhor. Na descrição do vídeo, ele escreveu: ?Nesta manhã de quinta-feira, demos início à construção de rubricas de avaliação para o projeto de alimentação do 4º ano A. Estabelecemos quatro níveis para dois critérios: boa pesquisa e bom trabalho em grupo. Não realizei edições, pois acredito que ficou muito autêntico e cada "psiu" foi importante...? Evidencie, também, que ele utilizou o Padlet para sistematizar as propostas e conclusões da turma.

6. Divida os professores em equipes de três pessoas e peça que respondam à seguinte questão: ?O que impressionou você na dinâmica da sala de aula de Rosemberg??.

7. Reserve um tempo para as discussões e solicite que cada grupo apresente as conclusões.

 

3ª REUNIÃO: Construindo uma rubrica

1. Para este encontro, serão necessários computadores conectados à internet. Antecipadamente, crie um Padlet e disponibilize o link para os professores.

2. Exiba o vídeo sobre avaliação e divulgação de projetos. Após assisti-lo, todos deverão elencar os critérios citados no material e as ações que compõem os níveis de cada item. Compartilhe este exemplo: uma educadora cita responsabilidade como algo a ser desenvolvido. Vejam que o conceito é muito abstrato e subjetivo para ser colocado em prática se a pessoa não tiver clareza do que é esperado dela nesse aspecto. O que nós consideramos como responsabilidade e o que os estudantes consideram? Ao estabelecer, em conjunto, as ações que compõem os níveis de mais ou menos responsabilidade, conseguimos auxiliar os alunos a construir um comportamento responsável.

3. Após incluírem os critérios no Padlet, solicite que cada grupo escolha um deles para construir os níveis, seguindo o exemplo abaixo. Para se preparar, indique que releiam o texto Como fazer uma avaliação por rubrica?, apresentado no encontro anterior.

 

4. Solicite que um relator de cada grupo explique o critério e os níveis desenvolvidos.

5. Selecionem quais aspectos poderiam compor um instrumento de avaliação formativa para os projetos desenvolvidos pela escola e façam um documento que registre isso.


Consultoria Jane Reolo