Reportagens | Padrões de competência | Reportagens

5 critérios para uma formação eficaz

Conheça os principais aspectos que podem ser levados em conta na hora de orientar os gestores

POR:
Verônica Fraidenraich

A existência de padrões de competência é considerada uma condição básica para orientar e definir a seleção dos diretores escolares. A maioria das Secretarias de Educação que responderam à pesquisa - 19 das 24 estaduais e sete das 11 capitais - afirma ter esses padrões. Porém, ao analisar a lista fornecida por elas, os pesquisadores perceberam se tratar de pré-requisitos, como tempo de serviço, qualificação profissional e experiência docente - que não garantem o domínio das habilidades exigidas para o cargo.

Heloísa Lück, coordenadora do estudo, explica a diferença: "Os requisitos têm a ver com o currículo do educador, coisas que ele tenha feito e experiências vividas. Já as competências estão relacionadas ao que ele vai ser capaz de realizar como responsável pela escola." Ter foco no pedagógico, saber trabalhar em equipe, comunicar-se com eficiência, identificar a necessidade de transformações e estimular a promoção da aprendizagem dos profissionais que trabalham com ele são exemplos de competências que podem nortear a escolha do diretor.

Contudo, devido às diferentes formas de acesso ao cargo existentes no Brasil, nem sempre levando em consideração essas competências, o melhor que as Secretarias de Educação têm a fazer é oferecer aos diretores escolares a oportunidade de adquiri-las durante o exercício da função. "É como tirar a carteira de habilitação para dirigir, mas não saber fazer todas as manobras necessárias para estacionar o carro. O fato de ter a carteira não significa que a pessoa tenha, pelo menos no início, capacidade para conduzir um veículo", compara Gomersinda Adam Morgade, assessora do Núcleo de Solução de Gestão de Pessoas, da Fundação Luís Eduardo Magalhães (Flem), em Salvador.

Por isso, o acompanhamento do trabalho dos gestores é essencial para que as redes de ensino saibam quais são e onde estão as maiores dificuldades da gestão e, assim, utilizar esses dados no delineamento de programas de formação (leia a reportagem). "Ao mesmo tempo, a diversidade de conhecimentos existente num grupo permite que cada um aprenda com as experiências e competências dos outros", afirma Marialice de Carvalho Senna, também da Flem.

No Brasil, algumas Secretarias de Educação já começam a definir critérios - como é o caso do Acre, da Bahia, de São Paulo, do Tocantins e das cidades de Campo Grande e Salvador. Especialistas são a favor de que cada sistema tenha os próprios padrões, que podem, inclusive, constar como exigência, juntamente com os pré-requisitos, nos processos de seleção.

Com base nos dados da pesquisa conduzida pela FVC e em entrevistas com especialistas, selecionamos as cinco competências básicas para uma gestão eficaz, que você lerá a seguir. Saiba também como as Secretarias de Educação podem acompanhar o trabalho dos diretores para melhor planejar a formação continuada e a supervisão do ensino.

Pré-requisitos para ser diretor: as exigências das redes estaduais deensino para os candidatos ao cargo (do total de 24 respostas)

1 Competências de resultado

Abrangem processos e práticas de gestão voltados para assegurar a melhoria dos resultados de desempenho da escola, tais como:

  • Definir junto com todos os segmentos que atuam na escola os padrões de desempenho de qualidade
  • e cuidar para que sejam atingidos.
  • Analisar comparativamente os indicadores dos últimos anos, identificando os avanços e os pontos em que é necessária maior concentração de esforços.
  • Promover e orientar a aplicação sistemática de mecanismos de acompanhamento da aprendizagem de modo a identificar as áreas que exigem atenção.
  • Comparar os indicadores de rendimento da escola com as referências no âmbito nacional (como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica e a Prova Brasil), estadual e local e prever avanços.
  • Promover na escola o compromisso de prestação de contas aos pais e à comunidade sobre os resultados de aprendizagem.

O que a Secretaria de Educação pode fazer

  • Divulgar os índices de desempenho da escola.
  • Ajudar a equipe gestora na análise dos dados.
  • Orientar na elaboração de uma agenda de trabalho para a escola com foco na melhoria dos resultados e no uso dos indicadores.

2 Competências de planejamento

São as habilidades necessárias para elaborar um diagnóstico da situação real da escola e planejar ações que possibilitem o alcance dos resultados:

  • Conhecer o contexto social e cultural do país, do estado, do município e da comunidade.
  • Ajudar na compreensão da importância das avaliações externas.
  • Definir metas, estratégias e ações, mediante a articulação de todos os recursos disponíveis.
  • Elaborar planos de ação orientados para atingir os resultados educacionais pretendidos.
  • Analisar os resultados da escola considerando as diferentes variáveis para implementar os planos de ação.
  • Utilizar os resultados das avaliações externas para repensar as condições de ensino previstas no projeto político-pedagógico (PPP).

O que a Secretaria de Educação pode fazer

  • Ampliar os conhecimentos dos gestores sobre as políticas públicas.
  • Ajudar na compreensão da importância da ficha de matrícula como um instrumento para conhecer a comunidade.
  • Promover discussões sobre o contexto social e cultural no entorno.
  • Orientar na definição de prioridades e no estabelecimento de metas a curto, médio e longo prazos.

3 Competências de liderança

Envolvem capacidades de liderar as equipes para o trabalho conjunto e estimular o desenvolvimento profissional e a responsabilidade de todos pelos resultados da escola. Para alcançar esses objetivos, é preciso saber:

  • Comunicar-se eficazmente com a comunidade interna e externa.
  • Planejar ações e envolver as pessoas na sua realização.
  • Negociar, promover mediações e resolver conflitos.
  • Manter as expectativas elevadas e ter uma orientação proativa.
  • Promover o desenvolvimento de lideranças em seus grupos.
  • Estabelecer redes de relacionamento e intercâmbio profissional e institucional.
  • Lidar com a diversidade de professores, funcionários, alunos, pais e comunidade.
  • Conviver com as resistências a mudanças.

O que a Secretaria de Educação pode fazer

  • Oferecer formação em gestão de equipe.
  • Criar momentos de troca de experiências entre os gestores com foco no relacionamento pessoal dentro da escola.
  • Disponibilizar condições para a aproximação da escola e da comunidade com apoio para a realização de eventos.
  • Orientar o desenvolvimento de visão estratégica e de conjunto no encaminhamento das problemáticas escolares.

4 Competências pedagógicas

São as habilidades para acompanhar os processos de ensino e aprendizagem a fim de estabelecer metas e estratégias e implementar propostas educacionais que assegurem o sucesso escolar dos alunos:

  • Assegurar o espaço de formação no contexto de trabalho.
  • Promover a elaboração e a atualização do PPP.
  • Estimular e orientar a promoção da aprendizagem profissional do grupo, pela reflexão, com base em sua atuação.
  • Observar objetivamente o desempenho, dar feedback e identificar a necessidade de melhorias educacionais.
  • Estar atento a tudo que diz respeito às condições dos processos de ensino e de aprendizagem dos alunos.
  • Identificar as limitações e as dificuldades de seus profissionais e buscar ajuda para que possam atuar de forma eficaz.

O que a Secretaria de Educação pode fazer

  • Abrir espaço para que os diretores possam expor suas ações e seus desafios.
  • Aprofundar os conhecimentos do diretor sobre a gestão escolar para compreender a importância de garantir as condições de ensino e de como o aluno aprende.
  • Estabelecer objetivos com relação às reuniões de pais para compartilhar os projetos da escola.
  • Ajudar a definir as prioridades e o estabelecimento de metas a curto, médio e longo prazos.

5 Competências administrativas

Asseguram a realização de uma administração eficiente, desde a aplicação de recursos financeiros até o funcionamento adequado das instalações, de modo a tornar o ambiente de aprendizagem seguro e eficaz. São necessários conhecimentos para:

  • Manejar e controlar o orçamento, os recursos financeiros, os materiais e o patrimônio escolar.
  • Analisar, interpretar e descrever os dados educacionais que favoreçam a tomada de decisões.
  • Usar tecnologias na melhoria de processos de gestão.
  • Integrar políticas educacionais nacionais, estaduais e locais nos planos educacionais da escola.
  • Realizar reuniões regulares com a equipe para analisar o andamento do trabalho da unidade escolar.

O que a Secretaria de Educação pode fazer

  • Ampliar o conhecimento dos diretores sobre legislação, uso de recursos e prestação de contas.
  • Acompanhar a implementação de políticas públicas.
  • Apoiar e incrementar o desenvolvimento do PPP.
  • Contribuir com a formação das equipes gestoras.

Quer saber mais?

Contatos

  • Gomersinda Adam Morgade, samorgade@flem.org.br
  • Marialice de Carvalho Senna, acsenna@flem.org.br

Internet

Fontes consultadas: Heloísa Lück, do Centro de Desenvolvimento Humano Aplicado (Cedhap) em Curitiba, PR, Maura Barbosa, consultora da revista NOVA ESCOLA GESTÃO ESCOLAR, SP, Gisela Wajskop e Maria Cristina Nogueira Bareli, do Instituto Singularidades, em São Paulo, SP, e Rosa Hashimoto, consultora em Educação, em Salvador, BA.
Gráfico: Arte Gestão Escolar

Compartilhe este conteúdo: