Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Matéria de capa | Capa | Reportagens


Por: Rodrigo Ratier e Beatriz Santomauro

As chaves do ensino

Na sala de aula, é essencial o controle de dois aspectos fundamentais da prática docente: dominar os conteúdos e saber como trabalhar cada um deles para que todos aprendam. É isso que você encontra nesta edição especial, disciplina por disciplina, passo a passo

Esta edição especial traz até você as duas matérias-primas principais do bom trabalho docente: o que e como ensinar. Divididos por disciplina, os temas estão apresentados da seguinte forma: primeiro, um grande panorama do ensino, com as metodologias mais comuns, uma linha do tempo com a evolução das práticas pedagógicas e um quadro com o que se espera que os alunos dominem ao final do 5º e do 9º ano (as chamadas expectativas de aprendizagem). Isso é, em resumo, o "que" ensinar. Em seguida, aparece uma inovação silenciosa, mas de alcance duradouro, que pode beneficiar muito seu trabalho: as situações didáticas. Em outras palavras, são planos de aula, sequências de atividades e projetos de ensino criados com base em estudos sobre a arte de ensinar, que buscam as maneiras mais eficazes de ajudar a garotada a compreender os conteúdos. Aqui está o "como". Essas didáticas específicas exploram conceitos e teorias de Arte, Ciências, Educação Física, Geografia, História, Língua Portuguesa e Matemática. E, por serem específicas, enfocam as dificuldades próprias de cada área - pois o jeito de explicar frações não serve para levar a meninada a ler.

Essas pesquisas se baseiam no dia-a-dia da sala de aula. "Com meus alunos de Pedagogia, procuro cada vez mais discutir as circunstâncias peculiares que eles vivenciam com as crianças", afirma Carmem Lúcia Enterer, que leciona Didática e Práticas Educativas na Universidade Federal de Minas Gerais. O que a turma já sabe sobre o tema a ser tratado? Quais os efeitos esperados de minha atuação? E o principal: o que ensinar - e como as crianças vão aprender?

Currículos e conteúdos precisam encaminhar o estudante rumo à aprendizagem. "Para que ele seja capaz de buscar o conhecimento, é importante que desenvolva habilidades de leitura, interpretação, estudo independente e pesquisa", diz Maria Inês Marcondes, especialista em formação e prática pedagógica da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

No total, estão apresentadas 30 atividades das sete disciplinas. Elas foram elaboradas com a colaboração de dez pesquisadores e especialistas em formação continuada. Como as práticas selecionadas já fazem parte do cotidiano de diversos educadores, dez deles demonstram como as aplicam no dia-a-dia.

A sugestão é encarar este material não como um manual de receitas, mas como um ponto de partida a ser adaptado à sua realidade e cotejado com a sua experiência. Esses procedimentos vão ajudá-lo a refletir sobre a prática, O que é essencial para o aprimoramento profissional.