Reportagens | Sala de aula | Reportagens

Recursos ideais para trabalhar em todas as disciplinas

O bom uso do laboratório de informática; os programas indicados para cada conteúdo; ideias para a lição de casa; e a imagem da sala de aula do futuro

POR:
NOVA ESCOLA, Elisa Meirelles, Rodrigo Ratier e Júlia de Medeiros

#panorama

Palavra dos especialistas

"Com a chegada da tecnologia na escola, o professor consegue aprimorar algumas práticas importantes. Entre elas, está lidar com a diversidade dos alunos, que apresentam diferentes ritmos de aprendizagem. Ao preparar seu material, o docente consegue passar uma atividade para as crianças mais rápidas e outra para as que demoram um pouco mais e, assim, oferecer uma ajuda ainda mais direcionada a elas."
Helena Mendonça, coordenadora de Tecnologias Educacionais da Escola da Vila, em São Paulo.

"A principal função das TIC em sala de aula é permitir que os alunos explicitem suas ideias, conheçam as dos colegas e, dependendo da atividade proposta, exercitem sua capacidade de argumentar e construir coletivamente. Portanto, além de possibilitar que se chegue a um produto final como resultado da colaboração, a tecnologia permite desenvolver maior conscientização sobre os processos de pensar de forma crítica, criativa, colaborativa e estratégica."
Cesar Nunes, professor da Faculdade de Educação da USP.

 

Uma pergunta

Como as TIC contribuem para uma boa aula?
Elas colaboram para que a aprendizagem se torne significativa e desafiadora. Permitem novas interfaces e práticas de linguagem e relacionamentos diferenciados. Porém, não basta aos professores e aos estudantes ter o acesso à informação. É preciso que eles saibam interpretar, selecionar, criticar e fazer uso delas em benefício próprio ou coletivo, transformando essa matéria-prima em conhecimento de fato. Esse processo não acontece espontaneamente, mas sim com um trabalho intencional.
Diane Mota Mello Freire, coordenadora do Programa de Tecnologia Educacional da Rede Municipal de Mogi das Cruzes, a 65 quilômetros de São Paulo.

 

Impacto positivo
Vantagens da tecnologia na Educação, segundo os professores

  • 78% Maior exploração dos temas e conteúdos
  • 67% Aumento da motivação dos alunos e dinamização das aulas
  • 64% Maior interação entre os alunos
  • 63% Melhoria da aprendizagem
  • 60% Maior interação entre os alunos e os professores
  • 53% Maior interação entre os professores
  • 50% Cumprimento do conteúdo curricular
  • 46% Aumento da motivação dos professores
Fonte Pesquisa O Uso do Computador e da Internet na Escola Pública, FVC, 2009

 

Notas melhores
Durante 18 meses a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) acompanhou o desempenho de 6 mil alunos de 23 escolas de Hortolândia, a 115 quilômetros de São Paulo, que participaram do projeto Sala de Aula Conectada. As notas dos alunos do Ensino Fundamental aumentaram 34% em Língua Portuguesa e 20% em Matemática com o uso da tecnologia.

Fonte Unesco e Dell

#planejamento

Palavra da especialista

"O laboratório de informática deve ser encarado como uma extensão da sala, em que o professor dá continuidade a um trabalho feito durante a aula. Há docentes que compreendem esse espaço como algo à parte e até como moeda de troca: se o aluno não se comportar, não vai. Esse entendimento precisa mudar."
Vera Lúcia Satin Poletto, coordenadora do Núcleo de Tecnologia da Educação da Secretaria Municipal de Natal.

 

Duas perguntas

Qual a melhor opção: utilizar o computador na sala de aula ou no laboratório de informática?
Quanto mais frequente o uso, melhor será o resultado. Se a tecnologia está dentro da sala de aula, pode ser utilizada a qualquer momento. Ela se torna um instrumento a mais para a aprendizagem, assim como o livro. O professor pode utilizar quando quiser, basta que julgue necessário. No caso dos laboratórios isso é mais difícil, já que é preciso agendar a visita com antecedência.
Se o laboratório é a única alternativa, como os docentes podem tirar bom proveito do trabalho feito nesse espaço?
Para isso a atividade precisa ser bem planejada e ter regularidade. Em geral, projetos de longo prazo incorporados à rotina da disciplina acabam trazendo mais benefícios.
Betina Von Staa, doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP.

 

Eu fiz assim :)

Envolvi alunos e professores no uso do laboratório
"Quando assumi o laboratório de informática ele era pouco utilizado. Comecei o esforço para envolvimento dos alunos. Organizei um projeto para os intervalos de aula, e os convidei a participar de atividades no computador e a se apropriar do espaço. Também, realizamos um concurso para escolher um nome para o laboratório (Lisbec) e, em pouco tempo, eles começaram a frequentar a sala. Passei, então, a atuar com os professores. Trabalho em conjunto com todos. Nos reunimos e, com base nos objetivos de conteúdo de cada disciplina, avaliamos se e como a informática poderia ser utilizada para melhorar o aprendizado. Hoje, o uso da tecnologia integra o PPP da escola, todos os docentes utilizam os equipamentos pelo menos uma vez por semana. Com base no que combinamos, antes de cada aula preparo o que vai ser trabalhado, que fica pronto para ser acessado pelos alunos. Eles ficam em dupla nos computadores e o professor da disciplina sempre acompanha a atividade comigo. Na aula de Geografia, por exemplo, utilizamos o Google Maps para estudar sobre as casas e os bairros e cada aluno pôde localizar sua residência."
Marilene dos Santos Terra, professora de informática da EE São Bento, em Belo Horizonte.


#ferramentas

Quatro razões para criar um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA)

  • 1 As atividades ultrapassam o espaço e o tempo da sala de aula, já que basta um computador com internet para interagir com os alunos a qualquer hora.
  • 2 Ele integra diversos recursos, como e-mail, agenda, publicação de textos, download de arquivos, criação de grupos e fóruns de discussão.
  • 3 Permite maior troca de ideias, já que estimula a postagem de comentários e a colaboração entre os estudantes.
  • 4 Registra a participação de cada criança, ajudando você a acompanhar o desenvolvimento de todos e a avaliar para dar as notas depois.

 

Bom para...

  • criar um AVA

Moodle - grátis
Pode-se montar cursos online, organizar módulos de ensino, tirar dúvidas e acompanhar o desenvolvimento dos participantes. Os arquivos devem ser gravados em um servidor.

Desire2Learn
Entre seus diferenciais está a possibilidade de enviar trabalhos e fazer provas online de maneira segura. Algumas escolas brasileiras devem utilizá-lo no ano letivo de 2013. Preço variado.

 

Curti!

"Eu nunca deixava de entregar a lição, mas agora gosto, ainda mais, de fazer. Fico 40 minutos no Moodle quando tem tarefas. Nem preciso de ajuda. Além da lição, a professora também divulga imagens das aulas. No ano passado, estudamos sobre a Grécia. Nos vestimos como os gregos, ela tirou uma foto e depois trocou a paisagem do fundo. Foi bem legal!"
Beatriz Regina Murias Melo, 10 anos, aluna do 5º ano do Colégio Stagio, em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo.


Educação Infantil

Eu fiz assim :)

Tablets para os pequenos
"Na Educação Infantil, priorizamos o uso de tablets, porque os pequenos conseguem manuseá-los com mais facilidade. Eles ainda têm dificuldade em mexer com o mouse e o teclado, mas no tablet podem usar apenas o toque."
Cleusa Diniz, coordenadora do Núcleo de Tecnologia do Colégio Marista Arquidiocesano, em São Paulo.

 

Bom para...

  • desenhar

Paint
Embora antigo, é muito usado para fazer desenhos e formas coloridas. O mais popular é o do Windows, mas existem outros, como o Tux Paint.

 

  • aprender sobre os animais

Wikiaves - grátis
Tem fotos, descrição e sons das aves brasileiras. Outra boa opção é o Animal Fun, aplicativo em inglês para tablets.

 

  • trabalhar letras e números

Mesa educacional
As letras móveis viram um grande teclado. Em grupo, os alunos respondem às questões do software. Preço: A partir de 10.500 reais.


Alfabetização

Eu fiz assim :)

Escrita online
"Uma vez por semana, levo meus alunos para a sala de informática. Lá trabalhamos o conteúdo que está sendo estudado na classe. Eles produzem textos no Word e fazem postagens em nosso blog. Mesmo nas férias, as crianças continuam entrando e deixando recados. Além disso, coloco a cada 15 dias uma sugestão de games para que os pais possam jogar com eles em casa. Também, fazemos visitas a outros blogs com conteúdos interessantes e peço que comentem. Incentivo isso para que eles compreendam a importância da escrita na comunicação."
Indiara Vecozzi, professora do 1º ano do Instituto Estadual de Educação Visconde de Cairu, em Santa Rosa, a 495 quilômetros de Porto Alegre.

 

Bom para...

  • desenvolver a escrita

Flickr - grátis
Este álbum virtual é útil para o trabalho com as turmas de alfabetização. Uma das sugestões de atividades é que eles escolham imagens para um tema proposto e depois escrevam as legendas para descrevê-las.
Editores de texto
Dão a chance de mover trechos, cortar frases e parágrafos sem precisar escrever tudo de novo. Além disso, oferecem verificação ortográfica, o que ajuda o aluno a refletir sobre o próprio erro. Preço variado.
Wikis - grátis
Com base em um texto inicial, que pode ser postado pelo professor, os demais devem acrescentar suas ideias. Algumas versões permitem que você veja exatamente qual aluno escreveu o quê.


Língua Portuguesa

Eu fiz assim :)

Estimulei os comentários
"Criei um blog no qual, todo mês, apresento um tema para os alunos. A tarefa deles é pesquisar e comentar o que leram. Precisam expressar suas opiniões e sugerir vídeos, fotos e sites. As postagens devem acontecer pelo menos duas vezes por semana, uma durante a aula no laboratório e outra em casa. Estou feliz com o desenvolvimento do poder de argumentação, leitura e produção de texto deles."
Priscila Andrea Baptista, professora de Língua Portuguesa do 9º ano da EE Dom Camilo Maria Cavalheiro, em São Paulo.

 

Letras virtuais
Se fosse possível fazer um ranking das disciplinas que oferecem mais oportunidades de uso das TIC, Língua Portuguesa e Matemática estariam entre as primeiras. São inúmeros os benefícios e os recursos disponíveis, a começar pelos citados na página anterior, e que continuam sendo úteis após a fase de alfabetização. Confira à direita algumas sugestões.

 

Bom para...

  • gêneros textuais

Flash Page Flip- grátis
Com essa ferramenta pode-se criar uma revista digital, inserir textos, fotografias e até sons. Em inglês.
Toondoo - grátis
Nesse software, os alunos criam personagens e a própria história em quadrinhos. Os comandos são em inglês.

 

  • comunicação oral

Windows Movie Maker - grátis
É um dos editores de vídeos mais populares, com interface simples e recomendado para iniciantes.
Audacity - grátis
Basta fazer o download e conectar um microfone para poder produzir podcasts ou programas de rádio com a turma.


Matemática

Eu fiz assim :)

Provei o teorema na tela
"Utilizo muito o Geogebra porque, além de ter boas ferramentas, ele pode ser usado pelos jovens em casa. Uma das atividades é sobre o Teorema de Pitágoras, no 9º ano. Na primeira aula, peço que eles construam um triângulo retângulo sobre uma malha quadriculada. Nos encontros seguintes, fazemos sem a malha. Eles constroem também os quadrados sobre os catetos e calculam as áreas. Usando o recurso de rotação o quadrado fica exatamente sobre a hipotenusa e assim todos visualizam o conceito do teorema, o que só é possível no software. Ao mover a figura e alterar as medidas, mudam as áreas, mas a propriedade permanece."
Daniela Mazoco, professora da EMEF Professor Athayr da Silva Rosa, em Urupês, a 470 quilômetros de São Paulo, e participante da pesquisa Boas Práticas Docentes no Ensino da Matemática, da FVC.

 

Bom para...

  • explorar figuras

Geogebra - grátis
Reúne recursos de geometria, álgebra, tabelas, gráficos, probabilidade, estatísticas e cálculos em um único ambiente.

 

  • organizar dados

Planilhas
Editores como o Excel (disponível no pacote Office da Microsoft) colaboram para registrar cálculos, listas de números e gráficos feitos com base nesses conteúdos. Preço variado.


Ciências e Biologia

Eu fiz assim :)

O céu na sala
"Utilizamos o Planets com os alunos do 6º ano e o resultado foi incrível. Mesmo à luz do dia, eles conseguiam apontar onde estava o Cruzeiro do Sul. O aplicativo exibe em tempo real como está o céu de acordo com a sua localização."
Cleusa Diniz, do Colégio Marista Arquidiocesano.

 

Bom para...

  • astronomia

Stellarium - grátis
Pode ser visualizado em computadores com sistemas Linux, Windows e Macintosh. Transforma a tela em um planetário exibindo o céu em três dimensões.
Planets (Apple Store) - grátis
Em inglês, este aplicativo para tablets mostra onde estão os planetas e as constelações. Boa opção para cidades ou horários nos quais é difícil visualizar as estrelas e os planetas.

 

  • anatomia

Dissecação Virtual de Sapos - grátis
Simula a atividade de dissecação de um sapo. Sem sujeira, ela é feita com o mouse pelo aluno. Em inglês, mas por ser bastante ilustrativo, é de fácil entendimento.

 

  • meio ambiente

Planeta Sustentável - grátis
O site desta iniciativa da Editora Abril oferece vários simuladores e testes ambientais. Um deles possibilita saber se você é sustentável.


Geografia

Eu fiz assim :)

Desastres reais
"Estava ensinando a meus alunos do 6º ano sobre terremotos, tsunamis e furacões. Com a ajuda de um projetor e da internet, mostrei vídeos e fotos recentes dos desastres naturais que aconteceram na Ásia nos últimos anos. O resultado foi muito melhor do que mostrar apenas as fotografias dos livros, que nem sempre são atuais."
Vilmar Carlos de Oliveira, professor de Geografia do 6º ano da EE Professora Eunice dos Santos, em Rondonópolis, a 218 quilômetros de Cuiabá.

 

Bom para...

  • vários conteúdos da disciplina

Google Maps - grátis
Mapa virtual que se diferencia dos de papel por permitir a interatividade. É possível escolher o ponto de partida, a escala e o tema (fronteiras, por exemplo), em qualquer região do mundo.

Google Earth - grátis
Possibilita visualizar fotos feitas por satélite e aéreas de regiões da Terra. Mescla imagens recentes com antigas, o que é ótimo para comparar mudanças ao longo de um período.

Google Street View - grátis
As imagens tridimensionais permitem ver com clareza ruas e bairros como se o aluno estivesse passeando por eles. Ele pode, por exemplo, observar a diferença entre a zona rural e a urbana de um município.


História

Eu fiz assim :)

O online virou impresso
"Meus alunos do 5º ano estão produzindo um jornal para ser lançado em nossa feira literária. Todas as informações são registradas e compartilhadas no ThinkQuest. Além disso, eles utilizam no laboratório de informática da escola o Word para digitar o texto e a internet para buscar informações e imagens. Entre as reportagens, está a biografia de grandes personagens da História do Brasil e da nossa cidade. Eles também acompanham os jornais, semanalmente, colhendo notícias para as relacionar com as do passado. O projeto está dando tão certo que um jornal local irá imprimi-lo pra gente no formato real."
Evandro Pagani, professor de História da EMEF Padre Joaquim Aparecido Rocha, em Indaiatuba, a 102 quilômetros de São Paulo.

 

Bom para...

  • pesquisar a História do Brasil

Biblioteca Nacional - grátis
A instituição com um dos maiores acervos do país já tem várias coleções e obras disponíveis online. Vale conferir a versão original de Os Lusíadas e a Coleção Teresa Cristina sobre o Império.

 

  • trabalhar revoluções

Tríade - grátis
Jogo de simulação, leva o aluno das séries finais do Ensino Fundamental a uma viagem pela sociedade do século 17 durante o período da Revolução Francesa.


Língua Estrangeira

Eu fiz assim :)

Um site selvagem
"Utilizei com os meus alunos do 2º e do 3º ano o site buildyourwildself.com, que é em inglês. Propus que cada um criasse um avatar inspirado em suas características e trabalhei o vocabulário ligado a isso durante a aula (partes do corpo, nome e cores de animais etc.). Depois, as crianças fizeram uma apresentação oral para toda a turma explicando suas escolhas."
Ana Paula Oliveira, professora de inglês do 2º ao 5º ano do Colégio Pentágono, em São Paulo.

 

Bom para...

  • aumentar o vocabulário

Bubbl - grátis
Site para criar mapas mentais e fluxogramas. Essa estrutura pode ser utilizada para, por exemplo, organizar as palavras aprendidas por categorias ou o percurso de uma história.
 

  • produção de texto

Youblisher - grátis
Aplicativo simples e fácil para gerar livros e outros tipos de publicações digitais. Os alunos podem contar as próprias narrativas ou recontar a seu modo algo que leram.
 

  • exercitar a pronúncia

Voicethread - grátis
Serve para gravar áudios com a voz do aluno falando em inglês ou espanhol, associando o som à imagem que ele escolher. Para usar basta se cadastrar e ter um microfone.


Educação Física

Eu fiz assim :)

Levei os netbooks até a quadra
"Para ensinar a diferença entre rugby e futebol americano, separei a turma em grupos e pedi que cada um pesquisasse sobre uma dessas modalidades. Fiz a orientação inicial na sala de aula e os alunos utilizaram os netbooks que temos na escola. Eles buscaram diversas páginas na internet e identificaram as regras desses esportes e os equipamentos usados para praticá-los.Também, visitaram sites das ligas e federações vinculadas a essas modalidades e encontraram fotos e vídeos. Depois, compartilharam as descobertas com os colegas. Questionei, então, se seria possível praticá-las em nossa quadra. Mais uma vez, eles recorreram à web e encontraram uma versão adaptada que pode ser realizada dentro da estrutura disponível em escolas públicas brasileiras como a nossa. Nas aulas seguintes, estudamos essas regras e praticamos os esportes. Como temos uma rede wireless pudemos até levar os computadores para a quadra, o que facilitou muito o trabalho. Tenho utilizado a tecnologia também em aulas sobre outros temas e o resultado é sempre positivo. E, para complementar os conteúdos, uso meu blog."
Edson Nascimento dos Santos, professor de Educação Física do 9º ano da EE Paulina Rosa, em Hortolândia, a 114 quilômetros de São Paulo.


Arte

Palavra do especialista

"Com o Google Art Project pode-se promover uma visita virtual aos principais museus do mundo. Depois o professor pode pedir que a turma faça um relatório e analise o que viu de acordo com o que está sendo estudado."
André Vilela, formador de professores de Arte na Comunidade Educativa Cedac, em São Paulo.

 

Um universo de imagens
A chegada de recursos audiovisuais na sala de aula representa um marco para os professores de Arte. De um lado, ficou mais simples mostrar à turma imagens do mundo todo. De outro, programas de edição de vídeo, fotografia e textos e outros recursos digitais disponíveis na internet permitem explorar a criatividade dos alunos.

 

Bom para...

  • fazer cartazes

Glogster - grátis
Em inglês, possibilita a elaboração de pôsteres virtuais interativos, os chamados glogs, com texto, imagem, áudio e vídeo. O trabalho pode ser feito individualmente ou em grupo e o material pode ser impresso e salvona web ou em um arquivo.

 

  • história da Arte

A Mansão de Quelícera - grátis
Jogo indicado para crianças e adolescentes de 9 a 14 anos, promove um passeio pela História da Arte em um Role Playing Game (RPG). O aluno visita uma mansão com pinturas de artistas como Vincent Van Gogh (1853-1890) e Michelangelo (1475-1564).


Educação de Jovens e Adultos (EJA)

Eu fiz assim :)

Gravei e revisei as atividades
"Utilizo muito a lousa digital nas aulas. Digito as atividades e depois peço que alguns venham explicar para a turma como resolveram os problemas. Uso um programa para gravar o que foi feito e em seguida revisamos, analisando cada passo. Isso é muito útil nas aulas de Matemática e Língua Portuguesa, por exemplo. O que também faço bastante é capturar imagens de obras na internet para ilustrar as aulas de Arte. Além disso, uma vez por semana os alunos utilizam o computador em sala de aula. Temos netbooks distribuídos há três anos pela prefeitura. Uma das atividades que realizamos foi a produção de poemas. Durante um mês, dei aulas sobre esse gênero e depois eles escreveram os próprios textos no Word. Após a correção ortográfica, publicamos as produções no blog. É ótimo porque, caso eles queiram, podem até aprimorar o que já foi publicado. Para conseguir realizar essas atividades com o uso da tecnologia, temos um professor responsável por essa área. Ele nos auxilia na seleção dos materiais online e também na preparação das máquinas. Como esses recursos permitem uma interação maior, sinto que os estudantes ficam mais atentos na classe."
Débora Niklaus, professora do 5º ano de EJA da EMEF Vila Thomazina, em Campo Limpo Paulista, na região metropolitana de São Paulo.


Lição de casa

Palavra do especialista

"Se os alunos copiaram da internet o trabalho ou o dever de casa pode ser que a atividade não tenha sido bem conduzida. Os exercícios realizados com a ajuda da web, principalmente aqueles feitos fora da escola, precisam exigir que eles contextualizem as respostas. Para garantir isso, o professor pode pedir que o tema pesquisado seja comentado ou relacionado a outros aspectos de conhecimento do estudante. Dessa forma, eles terão de assimilar o conteúdo para, depois, realizar a tarefa."
César Nunes, pesquisador da USP.

 

Explore o ctrl+c ctrl+v
Se quando não existia computador a garotada copiava conteúdos dos livros, com a internet isso ficou ainda mais fácil. Basta usar os famosos comandos para selecionar o texto, copiar e colar. Com o Google, também está mais fácil para o professor descobrir essa artimanha. Mas, atenção, nem sempre a cópia deve ser condenada. Dependendo do nível da classe, ela é aceitável. Cabe a você avaliar a fonte escolhida e a conexão da resposta com o restante do trabalho realizado pelo aluno.

 

Bom para...

  • ver em casa

TED - grátis
Essa organização sem fins lucrativos tem como lema espalhar ideias brilhantes com palestras realizadas no mundo todo. Os vídeos estão disponíveis no site, alguns com legenda. No ed.ted.com ainda é possível assistir a aulas em vídeo e criá-las.

 

Passo a passo

Como criar um Webquest

  • 1 O que é O professor norte-americano Bernie Dodge a define como uma investigação em que a informação vem da internet. Verifique se essa proposta se adéqua à sua forma de trabalho.
  • 2 Tema Eleja um conteúdo ligado ao currículo do ano em que está atuando. Mas, antes de decidir, navegue pela internet para ver se existem boas fontes de informação sobre ele na rede.
  • 3 Fontes Selecione algumas das referências encontradas na internet, entre elas sites, livros digitais, vídeos, jornais e entrevistas, para apoiar a pesquisa dos alunos.
  • 4 Estrutura Elabore a tarefa. Proponha algo novo, um desafio para ser enfrentado com base na pesquisa. Evite propor atividades comuns a outros momentos, como seminários.
  • 5 No ar! Crie um site ou um blog com a descrição do percurso a ser seguido pelos alunos e nele explique a forma de avaliação. Um dos serviços gratuitos para isso é o criarsites.com.
  • 6 Execução Destine um intervalo de cerca de cinco aulas para a conclusão da sequência e a apresentação do produto final. Na sala de aula, tire as dúvidas, estimule e garanta a cooperação.
Fonte Escola do Futuro da USP, Senac São Paulo e Webquest.org. Consultoria Jarbas Novelino Barato, doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

 

Eu fiz assim :)

Pedi que os alunos usassem o computador em casa
"Queria inserir as novas tecnologias na aprendizagem dos meus alunos. A escola em que eu trabalhava não possuía laboratório de informática. Mas fizemos uma pesquisa e verificamos que 99% dos estudantes tinham acesso à internet em casa ou em lan houses. Decidi, então, utilizar o Webquest, que é gratuito e bem eficaz. Com base na orientação passada por mim, eles tinham de levantar na internet informações sobre a Antártida como a fauna, a flora, as leis de proteção e as bases científicas instaladas na região. Para minha surpresa, todos demonstraram muito interesse e dedicação durante o processo realizado longe da sala de aula e adoraram a metodologia."
Russiane da Costa Caxias, formadora da Secretaria de Educação de Parnamirim e ex-professora de Geografia da EM IV Centenário, em Natal.

 

Curti!

"Aprendi que um continente quase inabitado pode ter muitas informações relevantes. Com a internet, tudo ficou mais fácil. A cada clique, apareciam informações novas e isso me incentivava mais ainda."
Janyelson Firmino Fernandes Barbosa, 15 anos.


#futuro

O que ainda vai chegar na sala de aula
Em muitas escolas, o desafio ainda é ter computadores básicos e internet de qualidade disponíveis para as atividades de ensino, mas outras já estão de olho nas mais recentes invenções. O caminho mais comum dessas novidades costuma começar nas universidades e depois se expandir e se popularizar, primeiro, no Ensino Médio, depois, no Fundamental e, por último, na Educação Infantil. Conheça, então, algumas das ferramentas que estão percorrendo esse trajeto e que ainda podem chegar até sua sala:

  • Monitor digital interativo Funciona como uma TV. Não é preciso diminuir a luz do ambiente para ter uma boa imagem. Além disso, tem as funções de um computador, só que o toque substitui o mouse. Preço: 7 mil reais (60 polegadas).
  • Sistema de resposta interativa Com um controle sem fio, a turma responde a questões de provas e enquetes. No fim do semestre, o professor avalia a evolução de cada um em uma planilha gerada pelo software. Preço: 7 mil reais (kit com 12).
  • Visualizador digital Ele filma objetos que são posicionados em frente à sua câmera e projeta a imagem a ser explorada imediatamente na tela. Um dos usos é acoplá-lo a um microscópio e exibir para a turma toda o que apenas um poderia ver. Preço: 3 mil reais.
  • Sensor de movimentos Com a tecnologia Kinect, ele interpreta os movimentos e aplica os comandos em uma tela com imagens tridimensionais. Já há softwares brasileiros com foco em conteúdos como o corpo humano. Preço: 1,5 mil reais/mês.
  • Projetor interativo Dispensa o uso de lousa digital e exibe imagens em superfícies lisas, como o quadro, a parede ou até o piso da sala. Além disso, a luz do equipamento não incide sobre os olhos nem gera sombras e a projeção é sensível ao toque. Preço: 9 mil reais.
  • Mesa interativa Uma tela sensível ao toque na superfície da mesa permite que os alunos trabalhem em grupo. Juntos eles podem tocar nas imagens apresentadas e arrastá-las conforme o que for indicado na atividade. Preço: 30 mil reais.

 

Previsões
O Horizon Report 2012, realizado pelo The New Media Consortium e a Educause Learning Initiative, nos Estados Unidos, indica o que deve acontecer nas salas de aulas mais tecnológicas nos próximos anos.

  • Em um ano... ampliação do uso de aplicativos móveis e de tablets.
  • Em três anos... jogos e sistemas de avaliação que coletam dados automaticamente enquanto os estudantes desenvolvem suas atividades no ambiente virtual.
  • Em cinco anos... uso de sensores gestuais e de uma nova forma de conexão conhecida como "internet das coisas".

Compartilhe este conteúdo: