Reportagens | 11 a 14 anos | Reportagens

Livros para crescer

Em tempos de afirmação e construção da identidade, os adolescentes buscam títulos que ampliem sua visão de mundo e tragam respostas para seus questionamentos, além de serem capazes de compartilhar da literatura adulta. Todos os gêneros são bem-vindos e quanto mais livros, melhor!

POR:
NOVA ESCOLA

Fase de mudanças físicas e comportamentais, de enfrentamento com as regras estabelecidas, de questionar o mundo e os adultos, a adolescência também é uma época em que os livros se tornam companheiros em meio à procura de identidade e de caminhos possíveis. A antropóloga francesa Michèle Petit, autora de A Arte de Ler (Ed. 34), observa que, se a proporção de leitores assíduos diminuiu, a juventude continua sendo, ao menos na França, o período da vida em que a leitura é mais intensa. "Ela ajuda os adolescentes a se construir, a imaginar outras possibilidades, a sonhar. A encontrar um sentido. Estou convencida de que a leitura, em particular a de livros, pode ajudar os jovens a serem mais autônomos e não apenas objetos de discursos repressivos ou paternalistas. E que ela pode representar uma espécie de atalho que leva de uma intimidade um tanto rebelde à cidadania", revela.

As obras literárias tanto favorecem o exercício de questionar como o de encontrar respostas. A escritora e educadora Yolanda Reyes em Ler e Brincar, Tecer e Cantar (Ed. Pulo do Gato) diz, sobre a questão escola e literatura: "Precisamos de histórias, de poemas e de toda a literatura possível na escola, não para sublinhar as ideias principais, mas para favorecer uma Educação sentimental. Não para identificar a moral da história, ensinamentos e valores, mas para empreendermos essa antiga tarefa do 'conhece-te a ti mesmo' e 'conheça os demais'". Eis aí uma questão que, se já imprescindível, torna-se preponderante quando os leitores têm entre 11 e 14 anos. Mesmo que eles não deixem de lado os livros de mistério, as fábulas, a magia e as histórias em quadrinhos, se interessam agora também por relatos de viagens, aventuras reais ou com tom verídico, biografias e histórias contemporâneas que explorem situações próximas da realidade.

O papel do professor se torna ainda mais essencial na ampliação dos critérios de escolha: vale lembrar que todo o universo literário passa a estar ao alcance desses meninos e meninas, capazes de compreender enredos cada vez mais complexos e de devorar exemplares com muitas páginas. É nesta etapa da vida que se consolida o gosto literário. Ao trabalhar com publicações diversificadas e ricas em conteúdo, o professor oferece elementos importantes para que os adolescentes enfrentem os desafios do mundo contemporâneo e afirmem suas preferências perante o grupo.

"Pra mim, livro é vida; desde que eu era muito pequena os livros me deram casa e comida," conta a escritora Lygia Bojunga, em Livro, uma grande homenagem à literatura. Mesmo diante das distrações da vida moderna, na forma de todo o tipo de games, e da comunicação veloz proporcionada pela internet e pelas redes sociais, os livros ainda são entendidos como um porto seguro, uma fonte fidedigna e confiável. Sem dúvida, diante do vasto universo editorial, os títulos imperdíveis precisam ser garimpados, pesquisados, lidos e compartilhados, para que os livros encontrem acolhida na rotina dos adolescentes.


Literários

 

  • Alice no País das Maravilhas

Clássico traduzido em diversas línguas, com várias edições, Alice... tem adaptações inclusive para o cinema. O sonho-viagem da personagem para o país das maravilhas pode ser um retrato das fantasias que vão sendo deixadas de lado rumo ao vir a ser adulto, um recado para a revalorização da imaginação. A obra gerou polêmica por seu tom crítico, de resgate da infância e dos valores perdidos, numa época em que a industrialização e a mecanização estavam surgindo - na Inglaterra do século 19. Esta edição se destaca pela primorosa tradução de Nicolau Sevcenko e pelas ilustrações de Luiz Zerbini - de tirar o fôlego. A saga de Alice continua em Aventuras de Alice no Subterrâneo, com tradução de Adriana Peliano (Ed. Scipione), e Alice no País do Espelho, adaptação de Edy Lima da tradução de Monteiro Lobato (Cia. Ed. Nacional).
Lewis Carrol, tradução de Nicolau Sevcenko, ilustrações de Luiz Zerbini, Ed. Cosac Naify, 168 págs.

 

  • O Mistério do 5 Estrelas

"Escrevo literatura juvenil como se escrevesse para adultos. Conclusão: o leitor pode usar calças curtas, o escritor não", dizia o escritor Marcos Rey (1925-1999) consagrado no gênero policial para jovens. Um assassinato, uma testemunha, um corpo desaparecido. Com esses ingredientes ele monta, neste clássico da literatura juvenil, sua trama de aventura e suspense. É a história de Leo, mensageiro do luxuoso Emperor Park Hotel, única pessoa que pode ajudar a desvendar o mistério do apartamento 222. Como ninguém põe fé no que diz, ele decide, por conta própria, investigar o caso. A partir daí, muitas surpresas - e problemas - o esperam.
Marcos Rey, ilustrações de Alê Abreu, Ed. Global, 128 págs.

 

  • O Homem que Calculava

Com o pseudônimo Malba Tahan, Júlio César de Mello e Souza traz a história de Beremiz Samir, um extraordinário calculista persa. Ao longo do romance, ambientado na Bagdá do século 13, o homem realiza proezas fabulosas com os números, solucionando problemas aparentemente impossíveis de serem resolvidos e, assim, encanta a todos. Para os curiosos, a obra traz várias notas de rodapé, um apêndice com comentários sobre as resoluções e um glossário dos termos e personalidades citadas.
Malba Tahan, ilustrações de Thais Linhares, Ed. Record, 306 págs.

 

  • As Coisas

Cantor e compositor - ex-integrante do grupo Titãs - Arnaldo Antunes é também um poeta talentoso, com uma visão de mundo bastante positiva. Neste trabalho, ele brinca com fragmentos do cotidiano, funde o jogo e a seriedade, a graça e o essencial, num ritmo ágil que tanto agrada aos adolescentes. As Coisas, um livro especialíssimo, contém um dos versos mais afetivos da poesia contemporânea: "O girino é o peixinho do sapo". Toda a essência da linguagem poética está aqui.
Arnaldo Antunes, ilustrações de Rosa Moreau Antunes, Ed. Iluminuras, 96 págs.

 

  • Do Jeito que a Gente É

Chico ama cinema e se vê num complicado drama pessoal, ao assumir que é gay para a família e para os amigos. Beá se acha feia, sofre com os colegas da escola e vive em crise com a mãe. A vida dos dois se cruza quando a mãe dela se casa com a pai dele. Os adolescentes irão se identificar com este livro em que os conflitos da juventude são retratados com sensibilidade pela autora, que consegue a cumplicidade necessária para tocar em assuntos tão polêmicos quanto fundamentais: homossexualidade, preconceito, intolerância e bullying.
Márcia Leite, ilustrações de MZK, Ed. Ática, 128 págs.

 

  • Um Livro de Horas

Neste livro, Angela-Lago reuniu e traduziu algumas poesias da norte-americana Emily Dickinson, que viveu reclusa em seu quarto desde os 28 anos de idade. É um "livro de horas", gênero medieval que contém orações e salmos para os diferentes momentos do dia, ilustrados com delicadas iluminuras. A primorosa edição bilíngue apresenta 24 poemas escolhidos dentre os 1.775 de Dickinson, datados do século 19. Uma grande oportunidade de apresentar aos jovens uma poesia sensível e de muita qualidade.
Emily Dickinson, seleção, tradução e ilustrações de Angela-Lago, Ed. Scipione, 64 págs.

 

"A Bolsa Amarela, de Lygia Bojunga, é um desses livros infantojuvenis que atravessou o tempo e permaneceu atual - depois de 35 anos de sua primeira publicação, em 1976. A história fala de forma direta e também simbólica daqueles desejos guardados, que não encontraram espaço para viverem à luz do dia. Narrado em primeira pessoa, esse texto nos envolve e nos faz cúmplices dos dramas e aflições de Raquel, uma garota sensível, criativa e profundamente solitária. É com uma linguagem simples e precisa que Lygia chega ao leitor. Nada de recursos artificiais, nada de arrogância. A narrativa vai pela via da verdade e do afeto, tocando num assunto delicado e universal, o recolhimento e as tentativas de defesa diante da hostilidade e incompreensão alheias."
Eva Furnari é escritora e ilustradora. Tem 65 livros publicados no Brasil, no México, no Equador, na Guatemala, na Bolívia e na Itália, muitos deles premiados. Formada em Arquitetura, foi professora de Arte e trabalhou como desenhista em diversas revistas.
Lygia Bojunga, Ed. Casa Lygia Bojunga, 140 págs.

 

  • A Chegada

Quadrinhos que fazem pensar e sonhar? Sim, esta obra é capaz de despertar o leitor para um olhar demorado, sem pressa, observando os detalhes e compondo a história. Com uma linguagem sequencial perfeita - sem texto escrito - a obra traz referências à fotografia e ao cinema mudo, tudo em tom sépia. As imagens contam sobre pessoas que são obrigadas a sair de seu país e as dificuldades que enfrentam em terras estranhas. Uma oportunidade de os adolescentes treinarem o olhar e a reflexão.
Shaun Tan (texto e ilustrações), Ed. SM, 128 págs.

 

  • Os Dias Estão Todos Ocupados - As Aventuras de Calvin e Haroldo

Calvin tem 6 anos, é levado da breca e costuma disparar frases e pensamentos desconcertantes, incomuns para alguém de sua idade. Seu melhor amigo é Haroldo, um tigre de pelúcia que ganha vida quando não há ninguém por perto. São tão inseparáveis quanto diferentes, algo como inconsciente e consciente. As tirinhas exploram o cotidiano do menino e sua relação com os colegas de escola, a professora, a babá e, claro, os pais, que sofrem com suas peraltices. Esta coletânea é diversão para crianças, jovens e adultos.
Bill Watterson, tradução de Alexandre Boide, Ed. Conrad, 176 págs.

 

  • O Segredo das Pedras - O Último Portal

O Último Portal é o primeiro volume da trilogia, que traz a história de Caio, um jovem louco por futebol, Dara, colecionadora de pedras, Safira, veterinária, e o cão Basalto. Juntos, eles tentam desvendar o desaparecimento do professor Feldspato, geólogo que descobriu o Mundo das Pedras, lugar imaginário no interior da Terra. A turma passa por grandes apuros, enfrentando monstros mitológicos e criaturas assustadoras. Aventura na medida certa para a garotada. Completam a série: Tempo de Travessia e Roda de Fogo.
Eliana Martins e Rosana Rios, ilustrações Negreiros, Ed. Cia. das Letras, 278 págs.

 

  • Ana Z. Aonde Vai Você?

"As coisas não são. Mas a gente faz as coisas serem", diz Marina Colassanti, uma das mais significativas autoras da literatura para jovens do país. Aqui, ela conta histórias tal como em As Mil e Uma Noites, desfilando personagens intrigantes como uma velha que tricota um fio de água para fazer um cobertor fresquinho para os peixes que estão sem água. Elementos como uma tumba da civilização egípcia, uma caravana no deserto, ruínas de civilizações, oásis, miragens e antimiragens misturam-se ao lobo mau, aos músicos de Bremen e a João e o pé de feijão, proporcionando ao leitor viagens de autoconhecimento por meio de metáforas das novas descobertas da adolescência. Outras obras da autora: A Moça Tecelã, Uma Ideia Toda Azul, Cada Bicho Seu Capricho e Entre a Espada e a Rosa (Ed. Melhoramentos).
Marina Colasanti (texto e ilustrações), Ed. Ática, 88 págs.

 

"Este é o primeiro volume da série Crônicas das Trevas Antigas. É uma saga repleta de aventuras, traduzida para 35 idiomas. A história do livro se passa há muito tempo, na Idade da Pedra. Porém, as pessoas já falam e são bem desenvolvidas. Ela trata de um garoto, Torak, que vive numa floresta com seu pai. Quando o pai morre, Torak vai atrás do demônio que o matou, com a ajuda de um lobo com o qual fez amizade. Apesar de possuir demônios, não é um livro de terror ou suspense. Os personagens aceitam a existência desses seres como algo natural. Eu recomendo Irmão Lobo, pois ele retrata a natureza de um ponto de vista muito diferente do que nós temos, quase como se ela fosse viva. Além disso, a história é muito envolvente e prende a atenção do leitor."
Joana Schuartz, 12 anos, é aluna do Colégio Oswald de Andrade, em São Paulo, e está cursando o 7º ano.
Michelle Paver, Ed. Rocco, 248 págs.

 

  • Contos de Terror e Mistério

Edição bilíngue em que há quatro contos do grande Edgar Allan Poe (1809-1849), adaptados por Telma Guimarães. Como foram escritos no século 19, a tradutora atualizou alguns termos e condensou os contos sem, no entanto, deixar de lado o ritmo e a qualidade literária. Boa opção para uma primeira aproximação com o escritor, especialmente por possibilitar a comparação com o texto original em inglês. Na obra de Poe, precursor das histórias policiais, crimes, suspense e terror são ingredientes garantidos. Vale a pena ler a biografia Poe: A Vida Brilhante e Sombria de Um Gênio (Ed. Ática). Outra obra do autor: O Corvo (Ed.Scipione).
Edgar Allan Poe, tradução e adaptação de Telma Guimarães, ilustrações de Rogério Borges, Ed. do Brasil, 104 págs.

 

  • As Crônicas de Nárnia

Um armário que leva a um mundo mágico, onde animais falantes, criaturas mitológicas, gigantes, feiticeiras e humanos, protagonizam extraordinárias batalhas entre o bem e o mal. Eis a receita de uma das obras literárias mais bem-sucedidas de todos os tempos, traduzida em 41 idiomas e com milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Sessenta anos após sua publicação, a história continua fascinando gerações e pode ser conferida nesta edição, que reúne os sete livros da saga com textos integrais e em ordem cronológica. Nela, o leitor acompanha o princípio de tudo em O Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupa, até A Última Batalha.
C. S. Lewis, tradução de Paulo Mendes Campos e Silêda Steuernagel, ilustrações de Pauline Baynes, Ed. WMF Martins Fontes, 752 págs.

 

  • Lis no Peito: Um Livro que Pede Perdão

Belíssima homenagem do autor à obra de Clarice Lispector. Com sensibilidade, trata de amizade, amor, diferenças, encontros e desencontros e pede a participação do leitor para perdoar ou não o protagonista de 17 anos, Marco César, por um crime cometido. Ele é apaixonado por uma personagem também chamada Clarice, que é fã de sua xará escritora. O rapaz, para se aproximar dela, descobre a autora. A obra recebeu o Prêmio Orígenes Lessa e o da Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil de melhor juvenil em 2006.
Jorge Miguel Marinho, Ed. Biruta, 184 págs.

 

  • Os Títeres de Porrete e Outras Peças

Aqui, estão reunidas três peças do poeta e dramaturgo espanhol García Lorca (1898-1936). Do Amor aborda a assembleia sobre a crueldade humana realizada pelos bichos. Em O Idílio da Carvoeirinha, uma menina sonha em arrumar namorado, mas seu pai a obriga a estudar Matemática. No texto que dá título à obra, uma moça tem um casamento arranjado com um sujeito rico e autoritário, sempre armado de seu porrete. Revolta, fantasia e opressão são os temas desta interessante crítica à ordem social.
Federico García Lorca, tradução de Ronald Polito e Vadim Nikitin, ilustrações de Pepe Casals, Ed. SM, 144 págs.

 

  • O Auto da Compadecida

Peça teatral escrita por Ariano Suassuna em 1955 e encenada pela primeira vez em 1956. Desde então, além de várias montagens teatrais, adaptações para o cinema, para minissérie na TV e traduções em várias línguas, a história vem mantendo seu encanto. Com o humor da cultura nordestina e um toque da literatura de cordel, acompanhamos as confusões de João Grilo e seu companheiro Chicó, no ritmo e na magia de um circo. As ilustrações do artista pernambucano Romero Lima arrematam a obra, de grande importância para a formação de leitores. Diversão garantida e oportunidade de conhecer um importante texto de teatro e de, quem sabe, encená-lo.
Ariano Suassuna, ilustrações de Romero de Andrade Lima, Ed. Agir, 192 págs.

 

  • Ana e Pedro: Cartas

Nos dias de hoje, por que oferecer aos adolescentes um livro de cartas trocadas via correio? Primeiro, porque é um gênero textual que deve ser conhecido, já que além de usado na comunicação pessoal e institucional, pode aparecer na literatura, caso do romance epistolar. O segundo motivo é que embora o suporte tenha mudado, as características e funções das cartas são as mesmas: trocar informações e sentimentos, manter vínculos e preservar a memória. Dialogar em tempo real tem suas vantagens, mas pensar para escrever, poder voltar atrás sobre o escrito, mandar coisinhas no envelope, esperar pela eventual resposta... é uma experiência única. O principal motivo para ler esta obra, no entanto, é o primor que representa em termos de conteúdo, linguagem e construção de texto. Ela fala direto aos corações apaixonados.
Vivina de Assis Viana e Ronald Claver, ilustrações Sônia Magalhães, Ed. Atual, 88 págs.

 

  • Histórias para (Quase) Todos os Gostos

As 23 histórias reunidas neste volume agradam o paladar de leitores de todas as idades. Há narrativas com vacas, anões e super-heróis, sobre futebol, viagens e outras tantas, que exibem o talento de Moacyr Scliar (1937-2011). Ironia, suspense, nonsense, humor, amizade e muitas surpresas são elementos da narrativa fluida desse autor que consegue capturar nuances do cotidiano com maestria. As histórias, curtas, podem ser lidas na ordem apresentada ou como os jovens preferirem, saboreando os textos inteligentes e bem-humorados com prazer ao mesmo tempo em que vão refinar seu gosto literário. Outro livro do autor: No Caminho dos Sonhos (Ed. Ática).
Moacyr Scliar, Ed. L&PM, 136 págs.

 

  • Peter Pan

Um garoto que não quer crescer, uma minifada, um pirata, a Terra do Nunca, personagens e lugares inesquecíveis de um dos maiores clássicos da literatura infantojuvenil, que encanta adultos e crianças há gerações. A essência da obra - verdadeira celebração à amizade e à fantasia - esbarra na temática adulta ao abordar assuntos como relacionamento, arquétipos e maturidade emocional. Vale a pena conhecer também Peter e Wendy seguido de Peter Pan em Kensington Gardens (Ed. L&PM), obra que deu origem a esta.
J. M. Barrie, tradução de Ana Maria Machado, ilustrações de Fernando Vicente, Ed. Salamandra, 264 págs.

 

  • Os Meninos da Rua Paulo

Tudo que se disser a respeito de um livro que tem uma de suas passagens eternizada em bronze será pouco. Este clássico da literatura conta a história de dois grupos de jovens que disputam um terreno baldio, na Budapeste dos anos 1880. O conflito dá lugar a uma batalha, com lições sobre liberdade, confiança, bravura e amizade. Traduzida para vários idiomas, é dessas raras obras que se tornaram universais. E eternas como as esculturas dos meninos, que podem ser vistas em frente a uma escola da cidade.
Ferenc Molnár, tradução de Paulo Rónai, ilustrações de Tibor Gegerly, Ed. Cosac Naify, 264 págs.

 

  • Livro das Perguntas

Quem acorda o Sol quando dorme em sua cama abrasadora? Não são as crianças que vivem fazendo perguntas sobre tudo? Não são os adultos que, muitas vezes, têm dificuldade em respondê-las? Ao lermos Pablo Neruda (1904-1973) não precisamos ficar preocupados com as respostas certas, apenas usar a imaginação, que saberá responder a tantas questões apresentadas em versos. São 74 poesias-perguntas, com ilustrações que abrilhantam a originalidade do poeta chileno. Outra obra do autor, da mesma editora: Ode a Uma Estrela.
Pablo Neruda, tradução de Ferreira Gullar, ilustrações de Isidro Ferrer, Ed. Cosac Naify, 184 págs.

 

  • Crônicas para Ler na Escola

Na crônica é assim: todo assunto rende. Neste livro, Cony passeia pelo mar de lembranças da infância, quando descreve a emoção do primeiro estojo escolar, e aporta no presente, ao falar de outro "estojo": o notebook. Internet, acupuntura e o convívio com Clarice Lispector também viram causos. Azeitando tudo, a escrita leve do autor, que o aproxima dos jovens. Histórias deliciosas para ler em qualquer lugar. Outros contemplados pela coleção Para Ler na Escola: Marcelo Rubens Paiva, Ruy Castro e José Roberto Torero.
Carlos Heitor Cony, seleção de Marisa Lajolo, Ed. Objetiva, 156 págs.

 

  • Poesia faz pensar

A coleção Para Gostar de Ler é uma referência quando se trata de iniciar jovens leitores em diferentes gêneros, autores e estilos literários. Esse volume explora de maneira encantadora como ler, sentir e pensar a poesia. A coletânea com textos de 19 poetas representativos, do período que vai do século 16 ao 20, reúne os mais conhecidos e renomados da língua portuguesa, estimulando o leitor a decifrar as tramas poéticas e a conhecer os elementos que caracterizam o gênero. Há ainda a contextualização das obras, comentários e biografias dos poetas, dentre outras informações que ajudam o leitor a compreender por que a poesia é eterna.
Álvares de Azevedo e diversos autores, organização de Carlos Felipe Moisés, ilustrações de Rafael Sica, Ed. Ática, 124 págs.


Informativos

 

  • Terra sob Pressão - A Vida na Era do Aquecimento Global

A Terra está em transe, mas a preocupação com o aquecimento global não é recente. O alerta foi dado por estudiosos nos anos 1820, porém levou um tempinho - dois séculos - para que a humanidade prestasse atenção a seus sinais. Nesta obra, o autor faz um apanhado das razões das mudanças climáticas, causadas, sobretudo, pela ação humana. Atual, com informações sobre a formação do planeta, o livro propõe ao leitor uma reflexão sobre estilo de vida e consciência ambiental.
Sérgio Túlio Caldas, Ed. Moderna, 88 págs.

 

  • Imagens que Contam o Mundo

Um registro fotográfico dos principais acontecimentos da história política, social e cultural, dos anos 1950 até 2007: da invenção do biquíni aos conflitos no Leste Europeu, da beatlemania ao 11 de setembro, da inauguração de Brasília ao surgimento da AIDS e as eleições de Lula. São 300 imagens históricas marcando os séculos 20 e 21 sob o olhar do fotojornalismo, divididas em décadas. O livro traz ainda uma linha do tempo e vários textos informativos - um bônus, já que as imagens falam por si.
Eric Godeau, tradução de Maria da Anunciação Rodrigues, fotos Agência Magnum, Ed. SM, 256 págs.

 

  • Leonardo da Vinci e Seu Supercérebro

Que Leonardo da Vinci (1452-1519) foi um homem à frente de seu tempo em vários campos do conhecimento humano, todos sabem. Nesta divertida biografia da coleção Mortos de Fama há detalhes desse gênio que não estão no gibi: bonitão e vegetariano, adorava usar cor-de-rosa e comprava passarinhos só para libertá-los em seguida. Com linguagem informal e recheado de ilustrações, o livro aproxima a Ciência do leitor jovem. Outros títulos da coleção: Albert Einstein e seu Universo Inflável, Isaac Newton e sua Maçã.
Michael Cox, tradução de Eduardo Brandão, ilustrações de Clive Goddard, Ed. Cia. das Letras, 176 págs.

 

  • O Incrível Livro do Corpo Humano, Segundo o Dr. Frankenstein

Dr. Frankenstein pretende construir um corpo humano em seu laboratório e convida o leitor para ser seu assistente. Nessa incrível jornada, o cientista revela desde a matéria-prima que constitui o corpo até a função de cada sistema, órgão e tecido que compõe nosso organismo. Uma divertida aula de anatomia, que promete conquistar o público infantojuvenil com ilustrações didáticas, detalhadas e supercoloridas. Um glossário dos termos completa a viagem.
Richard Walker, tradução de Elvira Serapicos, Ed. Publifolha, 96 págs.

Compartilhe este conteúdo: