Reportagens | Introdução | Reportagens

100 opções imperdíveis para gostar de ler

Esta superseleção - com o que há de melhor para cada faixa etária - vai ajudá-lo na tarefa de despertar nas crianças e nos jovens o gosto pela literatura e pela busca de conhecimentos

POR:
NOVA ESCOLA

Em sala de aula, estimulada por desafios propostos pelo professor, a criança conhece o universo dos livros e aprende a gostar dele. Segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró-Livro, divulgada em março de 2012, ele é o maior incentivador da leitura. Mas a mãe, de acordo com o levantamento, vem logo atrás. A informação mostra a importância da escola e da família na formação de leitores. Somente 50% têm o hábito da leitura e, entre os estudantes, a média de exemplares lidos por ano é de 3,41.

Como mudar esse cenário? Não há receitas, já sabemos, mas com certeza um caminho é apresentar à meninada publicações de qualidade. Isso inclui edições bem cuidadas, traduções e adaptações fieis aos originais e belas ilustrações, entre outras características. Quem já percorreu os corredores de uma livraria ou de uma boa biblioteca sabe que a tarefa é penosa. Quando se tem em mente o leitor de uma faixa etária específica, a dificuldade aumenta.

De acordo com Yolanda Reyes, escritora, educadora e fundadora do Instituto Espantapájaros, na Colômbia, há três momentos na formação de um leitor: o primeiro vai do nascimento até o início da alfabetização, em que a criança não lê, mas alguém lê para ela; o segundo, em que ela começa a ler com os outros, costuma corresponder ao início do Ensino Fundamental; e, por fim, a fase em que ela ganha autonomia, e pode ler sozinha, construir um universo próprio sem necessariamente a mediação do adulto. Em todos eles, no entanto, professores e pais podem e devem ler para elas.

Para ajudar você a atender de bebês a adolescentes, reunimos aqui 100 títulos literários e informativos imperdíveis. Eles foram divididos em quatro blocos: até 3 anos; de 4 e 5; de 6 a 10; e de 11 a 14. Na abertura de cada capítulo, você encontra as características da faixa etária e os critérios usados pelas especialistas para selecionar os títulos resenhados (leia quem são elas no quadro abaixo). Obviamente, a divisão não representa uma camisa de força, apenas serve como referência para pais ou como um parâmetro para o trabalho em sala de aula.

É importante levar em conta a capacidade leitora da garotada e também a temática das publicações ao consultar esta espécie de biblioteca básica. Nesse mix entraram autores como Tatiana Belinky e os irmãos Grimm, que tanto encantam os pequenos, e Pedro Bandeira e Ziraldo, adorados pelos que já leem com autonomia. Para os jovens, escritores contemporâneos, como Arnaldo Antunes, e clássicos, como Lewis Carroll (1832-1898).

A diversidade está garantida também nos gêneros: há obras sem texto, como Telefone Sem Fio, de Ilan Brenman, as fábulas de Esopo em pop-ups, os quadrinhos de Calvin, de Bill Watterson, a poesia de Edgard Alan Poe (1809-1849) e romances em série, como As Crônicas de Nárnia. Se o objetivo é a pesquisa, há volumes sobre dinossauros, Matemática e o corpo humano, entre outros.

São livros que maravilham e inquietam, que divertem e fazem pensar. Alguns podem ser amados pela meninada, outros uma grande novidade. Mas, você bem sabe, é preciso conhecer para poder gostar. Para resumir, o escritor italiano Ítalo Calvino ajuda a definir um livro imperdível: é o que acende no leitor um permanente desejo de seguir sempre adiante, em busca da construção do sentido da vida. Ou seja, são livros que fazem um convite irresistível para que o leitor não pare de perseguir o encantamento de descobrir a si mesmo, ao outro e ao mundo em que vivemos.

O time de selecionadoras

Conheça as especialistas que trabalharam na seleção dos 100 títulos aqui reunidos.

  • Januária Cristina Alves Jornalista, mestre em Comunicação Social, infoeducadora, autora de 27 livros infantojuvenis e editora deste especial.
  • Silvia Oberg Doutora em Ciência da Informação, atua em projetos de pesquisa e formação nas áreas de leitura e literatura infantil e juvenil.
  • Ângela Toledo Bibliotecária com especialização em produção cultural para crianças e jovens. É coordenadora das bibliotecas da Escola da Vila, em São Paulo.
  • Regina Mara Ramo Aneiros Fernandez Doutora em Educação, professora e especialista em Ação Cultural com crianças e jovens.
  • Silmara Franco Publicitária, escritora e blogueira (fiodameada.wordpress.com).
  • Dinah Sales de Oliveira Jornalista e escritora.

Infográfico: Como se faz um livro

O que acontece do momento em que o autor tem uma ideia até que um volume impresso e ilustrado chegue ao leitor? Mostramos aqui o caminho mais comum dessa epopeia

 

"Como diria a minha avó: 'Nós não estamos aqui para fazer peso no mundo'. Estamos aqui para fazer algo diferente, deixar nossa marca, aprender, ensinar, viver. Meu livro imperdível é para pessoas que pensam assim, que não aceitam a mesmice dos dias de hoje. Escrito em 1623, O Labirinto do Mundo e o Paraíso do Coração é uma obra que mexeu muito comigo. Seu autor, Jan Amos Comenius, um dos grandes nomes na história da Educação mundial, produziu um clássico. Embora o texto seja de quase 400 anos atrás, essa leitura me ensinou a ver o mundo de hoje com outros óculos. De certa forma, eu me identifiquei com o personagem principal e sua aventura de estranhar o mundo em que vive. E percebi que esse estranhamento é o primeiro passo para aquilo que podemos chamar verdadeiramente de Educação."


Thiago Borges de Aguiar é pedagogo, doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP) e autor de Jan Hus: Cartas de Um Educador e Seu Legado Imortal (Ed. Annablume).

  • Jan Amos Comenius, tradução do original tcheco por Francisco Valdomiro Lorenz, Ed. Comenius, 175 págs.

Compartilhe este conteúdo: