Reportagens | Reportagens

Um Dia e Tanto

Texto para ler com crianças e adolescentes

POR:
carlos fialho

Paulinho levou um susto.

Quase deu um pulo da cama. Diante dele estava um cavaleiro medieval. Armadura reluzente, espada em punho e um grande escudo. Esfregou os olhos para ter certeza e foi puxado pelo braço.

- Vamos! Não temos muito tempo. Há dragões em toda parte! Preciso da sua ajuda.

- Mas quem é você?

- Sou o Rei Artur. Rápido, os dragões vêm logo ali!

- Na sala?

- Proteja-se, cavaleiro! Aqui, atrás desse esconderijo secreto.

- Mas isso é o sofá.

Paulinho e Artur esperaram a passagem dos dragões. Quando tudo parecia tranqüilo, ouviram tiros. Um vaqueiro típico do Velho Oeste salta para trás do sofá.

- Olá, desculpem invadir o esconderijo de vocês, senhores. Sou Billy e fujo de bandidos malvados, assaltantes de banco, ladrões de gado.

- Tenha calma, nobre fidalgo. Eu sou Artur e estamos seguros com a liderança de Sir Paulinho, cavaleiro da Távola Redonda.

- A seu dispor, xerife Paulinho.

Após alguns momentos, os três espiaram do lado de fora e os perigos já haviam passado. Saíram do esconderijo quando explodiu o primeiro tiro de canhão.

- Essa não! Piratas! - disse Paulinho - Fujam, marujos! Vamos para o meu barco. Ele está logo ali, no rio Amazonas.

Desceram o rio em meio a botos-cor-de-rosa, grandes macacos que pulavam de galho em galho, sucuris do tamanho do barco e animais de todas as espécies. Desceram em terra firme para reconhecer o terreno.

- Dinossauros! Corram!

Dois tiranossauros iam em direção aos nossos heróis.

De repente, um raio atingiu os três e os levou a uma nave espacial.

- Seja bem-vindo, comandante Paulinho. Nossa nave está em missão de defesa da Terra e só um ótimo piloto como você pode nos ajudar - disse um dos tripulantes. E continuou:

- Estamos cercados por discos voadores, comandante. O senhor precisa nos tirar daqui!

Paulinho assumiu o comando.

- Ativar velocidade da luz, manobra de fuga evasiva, manter escudo de proteção, aumentar campo de força...

Nesse ponto, fechou o livro. No dia seguinte ia continuar a leitura, seu passatempo preferido.

Carlos Fialho

Autor deste conto, é escritor. Conheça mais seu trabalho.

Ilustração: Walter Vasconcelos