Ignorar perguntas supostamente inoportunas

Assim não dá!

POR:
NOVA ESCOLA
Heloisa Ramos. Foto: Marina Piedade Heloisa responde

Heloisa Ramos é formadora de professores e foi colunista de NOVA ESCOLA até 2013.

Clique aqui para mandar a sua dúvida para a nova colunista

Às vezes, os alunos fazem perguntas que, aparentemente, não têm nada a ver com o que você está ensinando. Mas, ainda que pareçam fora de hora ou inoportunas, é um erro ignorá-las. Elas são uma excelente oportunidade de saber o que as crianças conhecem - ou querem conhecer - do assunto que está sendo trabalhado. Além do mais, ao incentivar um ambiente questionador, você favorece a curiosidade, sem o que não se vai atrás de conhecimento.

Já ouvi falar da seguinte situação: durante uma aula de Educação Física, o professor dava explicações sobre esportes com bola, mas um dos alunos quis saber sobre Fórmula 1 e foi solenemente ignorado. Que pena. Assim, perdeu-se uma chance de ampliar o debate e, pior ainda, de conhecer um pouco mais a criança.

Outro caso: interessado e com vontade de participar, um estudante levou para a classe objetos que acreditava ter relação com o assunto abordado. O professor, no entanto, não deu bola nem valorizou a iniciativa. Achou que seria uma "perda de tempo". Mais um desperdício. As contribuições dos alunos, quaisquer que elas sejam, só enriquecem a aula.

Compartilhe este conteúdo: