Reportagens | Memória afetiva | Reportagens

Quem ensina quem

POR:
NOVA ESCOLA
Walcyr Carrasco,

Walcyr Carrasco,
autor de livros, peças teatrais e novelas de TV

Quando era criança, tinha como vizinho um menino com deficiência mental, o Joel. Os moleques da rua mexiam com ele. Sua mãe pegava uma vassoura e corria atrás de todos, furiosa. Eu costumava brincar com o irmão dele, Antônio Carlos. Às vezes ouvia longas conversas entre minha mãe e a do Joel. Esta preocupava-se. Como seria o futuro?

O tempo passou. Mudei de cidade. A lembrança sempre mexeu comigo. Não sabia o motivo. Durante cinco anos batalhei pelo meu futuro. Queria ser escritor. Não é uma carreira fácil. Quase desisti. Um dia, levado por um amigo, fui à casa de um rapaz tetraplégico devido a um acidente. Tinha algum movimento nos braços e nas mãos. Casara-se com uma jovem loira e bonita. Escrevia e desenhava. Sustentava a casa. Ao sair, senti uma profunda angústia. Não por ele, mas por mim. Entendi por que a história do Joel e agora a do rapaz mexiam comigo. Eu me sentia excluído. Como os moleques excluíam Joel. Como quem tem deficiência costuma ser excluído do acesso a prédios, em aeroportos, em muitas escolas e de tantas outras coisas! O mundo também não oferecia lugar para meus sonhos! O rapaz me ensinara que é possível dar a volta por cima. Minha vida seria especial, decidi.

Meses atrás, 40 anos depois, voltei à cidade de minha infância, Marília. Visitei o irmão de Joel, Antônio Carlos, casado e com filhos. É vizinho dos pais. Sua filha, casada, também mora logo ali na esquina. Antônio Carlos ganhou uma bolsa para o exterior. Mas não aceitou. Preferiu tornar-se professor para ajudar a cuidar do irmão. Fui visitar Joel, hoje um homem adulto, já com dificuldade de movimentos.

"Que vida difícil teve essa família", pensei. Olhei em torno. Estava enganado. A família de Joel era unida e feliz. A presença dele despertara em todos uma inacreditável quantidade de amor e solidariedade, como pouco encontrei. Descobri que ao conhecer alguém com deficiência não se deve perguntar: "O que posso fazer por ele?", mas estar aberto ao que ele pode ensinar.


Entre as obras de Walcyr Carrasco, destacam-se, ligados ao tema da deficiência e da exclusão: As Asas do Joel (Quinteto Editorial), Estrelas Tortas, Irmão Negro e A Corrente da Vida (Editora Moderna).

 

Compartilhe este conteúdo: