O que fazer quando há situações recorrentes de discriminação a alunos homossexuais?

Preconceito

POR:
NOVA ESCOLA
Telma Vinha. Foto: Marina Piedade E agora, Telma?

Telma Vinha é professora de Psicologia Educacional na Unicamp e tira dúvidas sobre comportamento.

Clique aqui para mandar a sua dúvida

Pergunta enviada por Vanderson Gomes, Queimados, RJ

Apesar da dificuldade de trabalhar o tema, a escola é o principal ambiente de combate à homofobia. Ao abordar a sexualidade, muitas instituições ignoram a pluralidade sexual e a homossexualidade, abrindo espaço para a manutenção de preconceitos. É preciso debater de maneira genérica o respeito à diversidade e os diferentes tipos de orientação sexual, sem expor ou invadir a intimidade dos alunos. O assunto não pode se restringir a semanas especiais, palestras e murais. É preciso incluí-lo no planejamento e ter ações sistematizadas, criando canais de discussão permanentes, claros e sem julgamentos. Falas preconceituosas de alunos e docentes, mesmo disfarçadas de brincadeiras, não podem ser aceitas. O educador tem de ser preparado para lidar com o tema e refletir sobre suas crenças e a forma como acolhe o aluno homossexual. A Educação precisa modificar a desigualdade e o preconceito, criando condições para que todos se sintam seguros, sem medo de agressões.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias