Reportagens | Depoimentos | Reportagens

Com a palavra, os professores

As declarações de quem está à frente da sala de aula são um bom reflexo dos desafios enfrentados. Veja as opiniões de especialistas

POR:
Tatiana Pinheiro

"Eu acredito que o desafio é reaprender a dar aula para essa adolescência, porque não está fácil."
(Professora de Geografia)

Reorganização da prática

"Há inúmeras experiências que mostram ser possível, sim, criar um ambiente de aprendizagem mais significativo, cooperativo e respeitoso. Mas, para isso, é necessário o engajamento da escola toda, desde o gestor até os funcionários que não atuam diretamente em sala de aula e, claro, os docentes."
Adriana Ramos, coordenadora do curso de pós-graduação sobre relações interpessoais da Universidade de Franca (Unifran)
 


"Há uma apatia grande. Muitos dos alunos que antes participavam das aulas passam a dar mais tarbalho para fazer as atividades." 
(Professora de Ciências)

Formas de motivação

"Meninos e meninas que passam para os anos finais do Fundamental precisam ser vistos como agentes do próprio conhecimento. É assim que se sentem com relação a sua vida escolar neste momento: já podem tudo porque são grandes. Então, por que não aproveitamos para organizar projetos de pesquisa em grupos, sobre temas e com ações que sejam pensadas por eles e não por nós?"
Luciene Tognetta, doutora em Psicologia Escolar pela Universidade de São Paulo (USP)
 


"O estudantes não valorizam a figura do professor. Eu creio que nossa profissão está subjugada." 
(Professora de Geografia)

Reconhecimento

"Não é possível generalizar a relação entre docentes e alunos. Em muitos casos, é o próprio professor quem se sente desvalorizado e aceita essa imagem. Vale pensar, então, qual é a visão que ele tem de si mesmo. Os profissionais que dão importância ao seu trabalho se posicionam de maneira diferente em classe e mostram que sabem ensinar. Com isso, costumam conquistar a moçada."
Débora Rana, professora e formadora do Instituto Avisa Lá, em São Paulo.
 


"Os acadêmicos não saem dos seus gabinetes. Nós conhecemos os alunos, mas não sabemos o que fazer. Precisamos de ajuda sobre como tornar essa escola atrativa."
(Professora de Língua Portuguesa)

Apoio e orientação

"O depoimento é uma prova de que a universidade está muito distante da escola. Enquanto as pesquisas acadêmicas não se dedicarem de verdade às questões didáticas, pouco poderão contribuir com o professor no dia a dia de sala de aula. Há que se aproximar a academia das redes de ensino e dos problemas que são vivenciados por professores e alunos."
Priscila Monteiro, consultora pedagógica da FVC.
 


"Nós estamos engessados! Temos apenas aqueles 20 minutinhos de intervalo para falar com o colega e perguntar o que ele está ensinando. É sempre corrido!"
(Professora de Língua Portuguesa)

Tempo para a formação

"O professor precisa de espaço para analisar a sua prática. Na escola, ele acaba ficando preso ao 'fazer' e não tem esse tempo. A profissão exige reuniões com os colegas, em que se pensa em conjunto e imagina bons caminhos para resolver os problemas. É preciso dar atenção à formação docente na escola."
Ana Flávia Alonço Castanho, assessora da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo e formadora de professores em leitura.


Ilustrações: Gabriel Lora

Colaborou Elisa Meirelles