Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Reportagens | Depoimentos | Reportagens


Por: Tatiana Pinheiro

Com a palavra, os estudantes

Especialistas analisam as falas dos jovens coletadas pela pesquisa e mostram aos professores como lidar com aspectos característicos dessa faixa etária*

"A passagem do 5º para o 6º ano é difícil, porque você cria muitas responsabilidades, seus pais põem muitas expectativas em você. É sufocante!"
(Aluno)

Novas responsabilidades

"A dinâmica dos anos finais do Ensino Fundamental é muito diferente da dos ciclos anteriores. Faz-se necessário que o estudante se organize com diferentes cadernos e conteúdos e considere a maneira particular de cada professor dar aula. Isso precisa ser ensinado pela escola e reforçado pela família. Cabe a ela fomentar a autonomia dos filhos na organização dos estudos em casa." 
Lucas Monteiro de Oliveira, professor da Escola Santi, em São Paulo
 


"Na adolescência, mudamos bastante, opção sexual, estilo que vamos querer. Algum menino descobre que gosta de meninos, outro começa a usar drogas."
(Aluna)

Transformações na vida

"Não é simples crescer na nossa cultura. A adolescência é um fenômeno cujo desenvolvimento depende do ambiente econômico, social e cultural no qual o adolescente se constitui. A escola pode contribuir com a formação desses alunos ao trabalhar interdisciplinarmente os temas transversais da Educação (ética, meio ambiente, orientação sexual, saúde e pluralidade cultural) e ao tentar conhecer melhor as características dessa fase". 
Catarina Iavelberg, especialista em Psicologia da Educação


"O que eu mais gosto em alguns professores é o modo de ensino deles: prático e fácil de aprender. Os outros são meio complicados." 
(Aluna)

Relação com o conhecimento

"Há uma valorização, por parte da aluna, de professores que sabem ensinar. O que a garota elogia, com razão, é o compromisso do docente em fazer com que todos compreendam o conteúdo ensinado. Depois que o adolescente entende, tudo parece simples e fácil." 
Regina Scarpa, coordenadora pedagógica da Fundação Victor Civita (FVC)
 


"Realmente, os professores pararam de tratar a gente como criança. Eu gostava do 5º ano: era tudo bem mais fácil!" 
(Aluno)

Particularidades da idade

"A reclamação revela uma necessidade de que os professores entendam a etapa de vida em que ele está. Em geral, eles não conhecem os estudantes para os quais lecionam. Um planejamento conjunto de atividades e estudos coletivos sobre questões pertinentes aos anos finais do Ensino Fundamental auxilia a compreender como a criança raciocina e quais são seus interesses." 
Orly Zucatto de Assis, professora da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
 


"O que ajuda a passagem do 5º o 6º ano é um grande número de amigos na mesma sala. É bom fazer novos amigos, mas é mais fácil quando você já tem alguns." 
(Aluno)

Importância da turma

"Esta é a mais marcante das constatações que a Psicologia Moral tem feito: a necessidade da relação entre pares. Infelizmente, muitos docentes veem a amizade entre os alunos como algo prejudicial ao aprendizado. É preciso entender que o conhecimento só se constrói na interação entre as pessoas." 
Luciene Tognetta, doutora em Psicologia Escolar pela Universidade de São Paulo (USP)


* Os nomes dos entrevistados para a pesquisa foram mantidos em sigilo para preservar sua identidade.
Ilustrações: Gabriel Lora

Colaborou Elisa Meirelles