Reportagens | Prática 12 | Eliane Alves Do Vale Oliveira | Reportagens

Propor e corrigir a lição de casa

Ensinar a estudar torna o aluno mais autônomo e ajuda o professor a avaliar

POR:
NOVA ESCOLA

A lição de casa desempenha um papel fundamental na aprendizagem. É o momento de o aluno estudar sozinho. Ao pensar em estratégias e decidir a mais válida sem o apoio do professor e dos colegas, pode verificar se tem dúvidas. Eliane Alves do Vale Oliveira, docente da EE Pio X, em São José do Rio Preto, a 443 de São Paulo, não encerra suas aulas sem propor tarefa. "Acho importante criar o hábito de abrir o caderno de Matemática todo dia."

As atividades se articulam com os conteúdos que estão sendo trabalhados, mas não se limitam a repetir o que foi feito em classe. Eliane cria desafios que ampliam a visão dos estudantes em relação aos conceitos ensinados. Uma de suas grandes preocupações é a quantidade. Para não gerar sobrecarga, ela se mantém atenta ao volume de tarefas pedidas pelos professores de outras disciplinas. Se for o caso, passa poucas atividades, mas não abre mão da constância. A professora considera essa ferramenta de grande utilidade para toda a turma e também para ela, já que funciona como um diagnóstico da aprendizagem. "Se muitos estudantes não resolvem o problema ou erram é sinal de que algum conceito precisa ser retomado", avalia.

Eliane trata da tarefa passada logo no início da aula seguinte. Depois de conferir os cadernos, faz a correção coletivamente, escolhendo alguns para contar suas estratégias. "Na correção coletiva, o aluno pode visualizar vários caminhos percorridos para resolver um desafio e comparar com o seu." Assim, ele terá cada vez mais repertório para estudar sozinho.

"Se muitos estudantes não resolvem o problema ou erram é sinal de que algum conceito precisa ser retomado"


Herick Mem. Ilustrações Claudio Gil